Precos de Servicos de Engenharia e Arquitetura Consultiva

Download Precos de Servicos de Engenharia e Arquitetura Consultiva

Post on 02-Jul-2015

2.925 views

Category:

Documents

46 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>Paulo Roberto Vilela DiasCOMO ELABORAR PROPOSTAS DE PREOS DE SERVIOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURAEMPRESAS E PROFISSIONAIS LIBERAISO livro apresenta: O fluxograma do oramento de servios; Textos diretos apresentam o contedo terico e exemplos prticos mostram como elaborar todos os passos do oramento (mo de obra, encargos sociais, materiais, sub-empreiteiros, equipamentos e veculos, transportes, impostos e clculo do BDI); Impostos incidentes sobre os custos de produo; Exemplos prticos reais ajudam a entender cada clculo de custo dos insumos do oramento; Manual de Elaborao de Propostas de Preos de Servios de Consultoria e Projetos (micro e macro empresas); Classificao das categorias profissionais; Tabelas de Referncia de Honorrios dos Profissionais de Engenharia e Arquitetura; Clculo do Valor da Hora Tcnica dos Profissionais; Metodologia de clculo do Custo Horrio de Utilizao dos Equipamentos e de veculos de passeio e de carga; Modelo de contrato de prestao de servios; Regulamentao das Atividades dos Profissionais de Engenharia e Arquitetura.</p> <p>PREOS DE SERVIOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA CONSULTIVA</p> <p>PREOS DE SERVIOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA CONSULTIVA EMPRESAS E PROFISSIONAIS</p> <p>TABELA DE HONORRIO S PROFISSIONAIS</p> <p>CLCULO DA HORA TCNICA</p> <p>Paulo Roberto Vilela Dias</p> <p>Paulo Roberto Vilela DiasEngenheiro Civil</p> <p>PREOS DE SERVIOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA CONSULTIVAEMPRESAS E PROFISSIONAIS</p> <p>2 Edio 2002</p> <p> N D I C EJan/2002 Engenheiro Civil Paulo Roberto Vilela Dias / CREA-RJ 30039/D. Todos os direitos so reservados. Nenhuma parte desta obra poder ser copiada ou reproduzida de qualquer forma ou para qualquer uso sem a prvia autorizao por escrito do autor, engenheiro Paulo Roberto Vilela Dias.1. INTRODUO ................................................................................................. 7</p> <p>CUSTO DA MO DE OBRA 2. 3. CLASSIFICAO DAS CATEGORIAS PROFISSIONAIS ............................................ 21 SALRIOS. ENCARGOS SOCIAIS. BENEFCIOS. VALE TRANSPORTE. ENCARGOS ADICIONAIS COM PESSOAL. CONTRATAO POR OBRA CERTA. MO DE OBRA TEMPORRIA ............................ 31 ESTUDO DAS HORAS DE TRABALHO POR MS DOS PROFISSIONAIS ...................... 51 PESSOAL AUTONMO. SERVIOS DE TERCEIROS. COOPERATIVAS DE TRABALHADORES ............................................................... 59</p> <p>4. 5.Dados de Catalogao na Publicao (CIP) Internacional (Sindicato dos Editores de Livros, Rio de Janeiro, Brasil)</p> <p>DEMAIS ITENS DE CUSTOD541e Dias, Paulo Roberto Vilela, 1950Engenharia de Custos: Preo de Servios de Engenharia e Arquitetura Consultiva Paulo Roberto Vilela Dias - 2 Ed. Rio de janeiro, 2002 284 p: 15,5 x 21,0 cm ISBN 85-87941-01-1 Inclui bibliografia 1. Engenharia - Estimativas. 2. Construo Civil - Estimativas. I. Ttulo</p> <p>6. 7. 8.</p> <p>CLCULO DO CUSTO DE BENS PATRIMONIAIS ................................................... 65 CLCULO DO CUSTO DE VECULOS .................................................................. 79 IMPOSTOS NOS SERVIOS DE CONSULTORIA ................................................... 111</p> <p>CLCULO DO PREO DE VENDA 9. 10. 11.CDD-692.5</p> <p>FRMULA DE CLCULO DO PREO DE VENDA DE SERVIOS DE ENGENHARIA - EMPRESAS ................................................... 117 EXEMPLOS PRTICOS ................................................................................. 127 FRMULA DE CLCULO DO PREO DE VENDA PARA PROFISSIONAIS LIBERAIS ..... 149</p> <p>ELABORAO DE COMPOSIES DE CUSTO 12. LEVANTAMENTO DE CAMPO DOS COEFICIENTES FSICOS DAS COMPOSIES DE CUSTO DE SERVIOS ...................................... 153</p> <p>ATIVIDADES PROFISSIONAIS 13. ATIVIDADES PROFISSIONAIS ........................................................................ 17313.1 DEFINIES DOS SERVIOS PROFISSIONAIS ................................................. 173 13.2 REGULAMENTAO DA ATIVIDADE PROFISSIONAL E ATIVIDADES E ATRIBUIES LEGAIS DOS PROFISSIONAIS DE ENGENHARIA CIVIL ...................... 177</p> <p>13.3 DEFINIES DAS ATIVIDADES PROFISSIONAIS DA ENGENHARIA CIVIL ................. 197 13.4 ATIVIDADES E DIREITOS AUTORAIS DE ARQUITETOS ....................................... 203 13.5 ATIVIDADES E ATRIBUIES LEGAIS DOS PROFISSIONAIS DE ENGENHARIA AGRNOMICA E FLORESTAL ................................................ 205 13.6 ATIVIDADES DO ENGENHEIRO ELETRICISTA .................................................. 214</p> <p>A P R E S E N TA OO CREA-RJ, sobretudo nos ltimos quatro anos, vem empreendendo com regularidade aes voltadas para a difuso de conhecimentos entre as diversas categorias profissionais que congrega. Neste fim de sculo, em especial, cresce a preocupao com relao aos rumos da engenharia, principalmente a partir da clara relao que existe entre a globalizao generalizada e desregulamentao das profisses. neste contexto que a Engenharia de Custos vem sendo um dos campos mais prdigos na gerao de debates, atravs de palestras, cursos e seminrios realizados no mbito do Conselho, sempre contando com o apoio do IBEC. Entendemos ser esta uma rea do conhecimento essencial para o aprimoramento e valorizao de nossos profissionais. O lanamento do livro Preos de Servios de Engenharia e Arquitetura Consultiva completa um ciclo que envolve um conjunto de metodologias apresentadas visando elaborao de propostas de preos para servios de engenharia. Trata-se de uma publicao tcnica de qualidade que apresenta de forma simples e abrangente estudos, projetos e fiscalizao e gerenciamento de obras em complemento ao livro Metodologia e Oramento para Obras Civis, do mesmo autor, publicado em fevereiro de 1999, tendo sido publicada a 3 edio em novembro de 2001, e que vendeu 5 mil unidades em pouco mais de trs anos. A edio do livro representa tambm um importante reforo produtiva interao estabelecida com os profissionais que participam dos eventos realizados atravs da parceria CREA-RJ / IBEC mais de 12 mil em cinco anos. Preos de Servios de Engenharia e Arquitetura Consultiva uma obra para os interessados em qualidade de contedo e aplicao prtica, por isso fcil entender porque, j este ano, foi adotado por duas vezes em cursos de ps-graduao em engenharia de custos. Eng Eletricista Jos Chacon de AssisPresidente do CREA-RJ</p> <p>PROFISSIONAIS LIBERAIS 14. 15. CLCULO DA HORA TCNICA DO PROFISSIONAL LIBERAL, QUALQUER ESPECIALIDADE ........................................................... 219 TABELAS COMPLEMENTARES POR SERVIOS POR ESPECIALIDADE ...................... 23515.1 OBJETIVO DAS TABELAS DE HONORRIOS PROFISSIONAIS .................................... 235 15.2 TABELAS COMPLEMENTARES POR SERVIO PARA ENGENHEIROS CIVIS ..................... 236 15.3 HONORRIOS MNIMOS DAS ATIVIDADES PROFISSIONAIS DA ENGENHARIA CIVIL ........................................................... 249 15.4 TABELA DE HONORRIOS PARA ARQUITETOS ....................................................... 252 15.5 TABELA DE HONORRIOS PARA ENGENHEIROS AGRNOMOS E FLORESTAIS ............... 255 15.6 TABELA DE HONORRIOS PARA ENGENHEIROS ELETRICISTAS ................................. 259 15.7 TABELA DE VALORES DOS SERVIOS POR PRANCHA .............................................. 261</p> <p>PROFISSIONAIS COM VNCULO EMPREGATCIO 16. 17. PISOS SALARIAIS MNIMOS ......................................................................... 263 REFERNCIA SALARIAIS .............................................................................. 267</p> <p>PRESTAO DE SERVIOS 18. O CONTRATO DE PRESTAO DE SERVIOS ..................................................... 26918.1 ANLISE DO CONTRATO .......................................................................... 269 18.2 MODELO DE CONTRATO RECOMENDADO ................................................................ 273</p> <p>1 Vice-presidente: 2 Vice-presidente: 1 Secretria: 2 Secretrio: 3 Secretria: 1 Tesoureiro: 2 Tesoureiro:</p> <p>DADOS DA OBRA 19. 20. REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS .................................................................... 279 CURRICULUM VITAE DO AUTOR ..................................................................... 281</p> <p>Nilo Garcia Junior Jaques Sherique Sonia da Costa Rodrigues Ricardo do Nascimento Alves Maria Martha M. Gameiro Alfredo Silveira da Silva Luiz Fernando de Almeida Freitas</p> <p>www.crea-rj.org.br</p> <p>PREFCIOO presente trabalho se destina realizao do curso de Engenharia de Custos Clculo do Preo de Venda de Servios de Engenharia e Arquitetura. Profissionais e Empresas, ministrado pelo professor e engenheiro civil Paulo Roberto Vilela Dias, visando oferecer aos participantes material didtico para consulta permanente e acompanhamento das palestras. Este documento , ainda, complementar ao primeiro livro do mesmo autor Uma Metodologia de Oramentao para Obras Civis.</p> <p>1INTRODUO1.1 OBJETIVO Com o objetivo de facilitar aos engenheiros, arquitetos, demais profissionais e prestadores de servios de engenharia na elaborao de propostas de preos de servios especiais para qualquer rea da engenharia e arquitetura, inclusive trabalhos autnomos. A primeira parte dedicada s empresas de consultoria de qualquer porte, do captulo 1 ao 10, porm os fundamentos tambm so aplicados pelos profissionais liberais. A segunda parte dedicada aos autnomos, incluindo clculo da hora tcnica e tabelas aplicveis aos servios, do captulo 12 em diante. O profissional liberal deve estudar toda a primeira parte a fim de lhe oferecer base para adotar o que apresentado nesta parte do livro. O objetivo a ser alcanado na prestao destes servios a melhor qualidade possvel do produto vendido, aliado obteno dos resultados financeiros estimados. Assim, fundamental que se disponha da maior quantidade possvel de dados sobre o trabalho a ser realizado para garantir o clculo do preo de venda adequado e justo. Lembramos, que a obteno dos melhores resultados em qualquer processo de oramentao est com os profissionais mais experientes, entretanto, a metodologia aqui exposta ir, por certo, facilitar em muito o trabalho dos jovens oramentistas. 1.2 APLICAO Existem vrias modalidades de fixao de preos de servios de engenharia, entretanto, temos certeza que a metodologia aqui exposta muito</p> <p>Agradeo a famlia, Agradeo inspirao divina e ao carinhoso apoio de minha famlia e amigos que tm me oferecido a necessria tranquilidade para estudar, pesquisar, escrever, ministrar aulas e garantir documentao impressa ao meio tcnico ao qual perteno. Para que no omita nenhuma das merecidas pessoas nesse agradecimento, cito nominalmente apenas minha esposa Elizabeth e meus filhos Andreia, Pedro Paulo e Julia. Dos meus filhos espero perdo pela ausncia e impossibilidade de cri-los mais carinhosamente. A dedicao vida profissional, ao magistrio e pesquisa aos temas da Engenharia de Custos ocupam todas as horas do dia, os dias da semana, as semanas do ms e os meses do ano. E os anos passam. Tenho certeza que a maturidade os far compreender quanto me custa educ-los. Rio de Janeiro, 12 de janeiro de 2002</p> <p>Paulo Roberto Vilela DiasPvilela_dias@hotmail.com</p> <p>6</p> <p>Preos de Servios de Engenharia e Arquitetura Consultiva. Empresas e Profissionais</p> <p>Paulo Roberto Vilela Dias</p> <p>7</p> <p>interessante, principalmente, para as seguintes reas de atuao: </p> <p>Estudos de um modo geral ou de viabilidade, projetos bsicos e executivos de qualquer natureza, hora tcnica individual ou coletiva, consultorias ou assistncia tcnica, superviso, fiscalizao ou acompanhamento de obras, gerenciamento de empreendimentos, servios especiais com grande incidncia de mo de obra, servios por administrao, pequenas construes (por exemplo, residncias unifamiliares).</p> <p>O profissional ao elaborar o custo de qualquer destes servios deve ter experincia para determinar os insumos bsicos (pessoal, materiais, equipamentos (topogrficos, laboratoriais, computadores e impressoras), ensaios tecnolgicos e etc) necessrios ao desenvolvimento dos mesmos, ou buscar reforo em outros profissionais habilitados. Alm disto, por convico, o mtodo aqui descrito apresenta a grande vantagem sobre os demais existentes em outras publicaes devido a sua contemporaneidade, isto , o mesmo est perfeitamente de acordo com as regras trabalhistas e tributrias vigentes, bem como, no se encontra desatualizado como alguns autores que, por exemplo, consideravam o lucro estimado funo do custo do servio. Entendemos, ser oportuno, em conformidade com nosso critrio de clculo do preo de venda, que o lucro deve ser caracterizado a partir do preo final do servio, ou seja, do faturamento bruto. Alertamos aos profissionais prestadores de servios de engenharia que entendemos ser muito emprico, gerando preos de venda normalmente exagerados, e causando imprecises face ao fato destes multiplicadores no sofrerem avaliaes peridicas a fim de lhes dar crdito, adotar procedimentos de determinao do preo de venda por percentuais fixos e imutveis ao longo dos anos, a serem aplicados sobre ndices de custo, do tipo CUB Custo Unitrio Bsico, e principalmente, percentuais do valor final do empreendimento. Caso se adote qualquer destes critrios, sugerimos que seja efetuado um controle de custo preciso do contrato, de8 Preos de Servios de Engenharia e Arquitetura Consultiva. Empresas e Profissionais</p> <p>modo a detectar as falhas existentes e bem avaliar os ndices empregados para promover a sua atualizao. Assim, os usurios, atravs de controle de custo dos contratos podem corrigir periodicamente os seus multiplicadores a serem adotados futuramente. No mtodo de clculo do preo de venda em funo do percentual do oramento da obra temos certeza que o resultado que alcanado muito acima do preo justo, assim, dificilmente conseguiremos xito em licitaes adotando tais critrios. Aconselhamos que, para o caso de oramento de obras civis, seja adotada a metodologia exposta em nosso primeiro livro, a despeito de que com este critrio ora descrito, tambm, possvel alcanar o preo de venda deste tipo de trabalho, porm, com um pouco mais de dificuldade, principalmente, em grandes empreendimentos. O princpio apresentado neste livro para a definio da proposta de servios de engenharia leva em considerao o custo de produo, que quando acrescido da margem de lucro (ou benefcio, para utilizar o jargo dos profissionais de execuo de obra de obra BDI - Benefcios e Despesas Indiretas) gera o preo de venda dos servios. 1.3 FORMAS DE CONTRATAO A forma de contratao pode ser qualquer uma das estipuladas na Lei N 8666 das Licitaes, ou seja, preo global, preos unitrios ou por empreitada integral. Admite-se tambm seu emprego em servios por administrao, quando prestado para rgos no governamentais, uma vez que esta modalidade de contratao est proibida na administrao pblica, bem como, em atuaes do tipo consultoria individual do profissional que no mbito deste livro denominaremos de hora tcnica. As formas de contratao mais usadas so as seguintes: preo global (segundo a Lei das Licitaes, a contratao de execuo do servio por preo certo e total), preo unitrio (quando se contrata a execuo do servio por preo certo de unidades...</p>