Pragas de Roseira

Download Pragas de Roseira

Post on 26-Jul-2015

269 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Cincias Agrrias Insetrio G.W.G. de MoraesPragas de RoseirasGermano Leo Demolin Leite Vinicius de Abreu Dvila</p> <p>Ol amigos! Na nossa aula de hoje ns vamos falar de uma importante planta ornamental, a roseira, originria da China.</p> <p>As rosas esto entre as flores mais antigas em cultivo de todo o Mundo, seja por sua beleza, perfume, qualidade medicinal ou uso culinrio.</p> <p>O uso das rosas no meramente ornamental, algumas espcies servem de alimento para animais silvestres, enquanto outras possuem propriedades fitoterpicas, produzem leos e essncias empregados na perfumaria e cosmtica ou so utilizadas na culinria.</p> <p>O cear j desponta como o segundo maior exportador de flores do Brasil, atrs apenas de So Paulo.</p> <p>Amigos, somente em 2003, foi exportado U$ 1,1 milho de dlares, estimando-se em U$ 40 milhes o total que poder ser exportado nos prximos trs anos. At 2010, espera-se chegar a uma rea de cultivo protegido de 120 hectares, superando os 100 hectares, cultivados por So Paulo e Minas Gerais.</p> <p>Ns podemos produzir rosas em campo aberto.</p> <p>Roseira em campo aberto</p> <p>Contudo, amigos, com as exigncias do mercado interno e externo, o principal mtodo o cultivo protegido, ou seja, em casa de vegetao.</p> <p>Pessoal, entretanto, a cultura da roseira pode ser atacada por algumas pragas, tanto em campo com em casa de vegetao. Vocs vo aprender hoje: Como identificar as pragas que atacam as roseiras e os danos que elas causam; Quando dever ser feito o controle; E principalmente como esse controle.</p> <p>Amigos, ns vamos comear a falar das pragas. Uma das pragas importantes em roseira tripes. So insetos pequenos de colorao varivel, de 1 a 3 mm de comprimento no mximo.</p> <p>Amigos, o tripes vive nas folhas, causando dobramento dos bordos para cima provocando estrias esbranquiadas e prateadas nas mesmas.</p> <p>Durante o ciclo de vida, os ovos so colocados na flor e durante o desenvolvimento, as ninfas caem da planta para o solo duas vezes antes de amadurecerem.</p> <p>E como esses danos prejudicam? Os danos podem tomar vrias formas, sendo o mais srio os danos s flores. Os botes florais infestados podem no abrir, e isso em rosas um problema muito srio. Alm do mais que no comrcio de rosas inaceitvel a distoro nas folhas. O controle difcil por causa da proteo promovida pela flor e o fato de que as ninfas passam por dois perodos no solo.</p> <p>Outro problema que eles so insetos que succionam seiva, injetando toxinas e transmitindo viroses s plantas. A amostragem pra ver se precisa controlar uma inspeo visual nas folhagens e folhas, detectando a presena necessrio fazer o controle, pois qualquer dano nas rosas impede a comercializao. Pode fazer tambm o uso de armadilhas amarelas ou azuis.</p> <p>Armadilhas para Tripes</p> <p>A armadilha vendida comercialmente e o site onde encontra ser indicado no fim da aula. Os tripes so atrados pela cor azul e acabam grudados na cola tato permanente do Painel Azul. As inspees das armadilhas disponibilizam dados confiveis da presena da praga para a tomada de deciso de controle.</p> <p>Pessoal, para controlar o tripes, ns vamos pulverizar inseticidas debaixo das ptalas, fazendo uma cobertura para todas as ptalas e botes abertos. O uso de inseticidas seletivos, ou seja, que mata a praga e preserva o inimigo natural, deve ser utilizado. No se esqueam de usar o equipamento de proteo individual.</p> <p>Amigos, quando usamos inseticidas seletivos, aumentamos os inimigos naturais do tripes, o que nos ajuda a controlar esta praga. Ns temos o bicho lixeiro, o adulto come tripes e seus ovos.</p> <p>Adulto do bicho lixeiro</p> <p>Amigos, os filhotes do bicho lixeiro tambm comem tripes.</p> <p>Filhote do bicho lixeiro comendo tripes</p> <p>Ns tambm temos os caros predadores, que podem comer ovos e ninfas de tripes. Na Europa se produz caro predador e se faz liberao em casa de vegetao para controlar os tripes.</p> <p>caros predadores Ns tambm temos percevejos predadores de tripes pragas.</p> <p>E tambm tripes que comem os tripes pragas da roseira.</p> <p>Tripes predador</p> <p>Amigos, agora ns vamos falar do caro rajado que uma das principais pragas das roseiras.</p> <p>caros rajados em uma foto ampliada</p> <p>Pessoal, o caro rajado ataca vrias plantas, incluindo a roseira, se alimentam de vrias partes da planta, principalmente na parte inferior das folhas, por meio da insero de estiletes e suco do contedo celular, tornando as folhas clorticas e acarretando um desfolhamentento da planta e falta de florescimento.</p> <p>Os caros so mais facilmente detectados nas casas de vegetao onde as temperaturas so maiores. Eles podem se distribuir facilmente por toda a plantao de rosa durante uma colheita de flores. Os danos podem ser vistos na parte superior das folhas onde aparecem puncturas amareladas, as quais mais tarde se fundem formando grandes manchas amareladas, culminando assim com a queda prematura de folhas.</p> <p>Rosa danificada por caro rajado, presena de teias nas flores e folhas</p> <p>Em alguns casos, quando a densidade populacional dessa praga atinge um nvel elevado e durante as horas mais quentes do dia, os caros tendem migrar para a parte superior da planta, tecendo uma grande quantidade de teia, o que facilmente visvel. Essas teias so altamente densas, complicadas e irregulares, onde h o acumulo de fezes, ovos e exvias.</p> <p>Ataque de caros em planta ornamental, igual o que ocorre em rosas.</p> <p>Assim como todas as pragas das roseiras, logo que for detectado tem que ser iniciada o combate, pois qualquer dano em folhas ou flores inviabiliza o comrcio das mesmas. A inspeo deve ser feita de forma visual nas folhagens e flores utilizando uma lupa de 10 vezes de aumento para se enxergar o caro rajado melhor.</p> <p>Lupa de bolso</p> <p>Pessoal, devido ao uso continuo de acaricidas para o controle dos caros, tm sido registrados altos nveis de resistncia. Alm do mais, importante nunca esquecer que o uso intensivo de alguns inseticidas, como fosforados e piretrides podem causar distrbios no equilbrio populacional dos caros e estimular a sua proliferao.</p> <p>Folhas atacadas por caro rajado</p> <p>Assim o uso tecnicamente correta de inseticidas no controle das principais pragas das roseiras deve diminuir, consideravelmente, a possibilidade de infestao de caros.</p> <p>caros rajados em uma foto ampliada</p> <p>Pois alguns inseticidas piretrides, quando aplicados em reas que tem caros, afugentam os caros predadores e no mata o caro que a praga. Por isso o uso desses inseticidas deve ser evitado, mas caso sejam usados, que seja de forma consciente.</p> <p>caro predador do caro rajado</p> <p>Amigos, ns podemos usar o controle microbiolgico, ou seja, usando fungos, para controlar o caro rajado. Fiquem tranqilos, pois o fungo mata apenas o caro praga. Este fungo fabricado no Brasil.</p> <p>Fungo comercial</p> <p>Ns devemos aplicar 3kg do fungo por hectare de roseira, mas sempre em perodos de alta umidade relativa do ar, para que o fungo germine e mate o caro rajado, e lembrando de pulverizar no fim do dia, pois o sol da manh mata tambm o fungo, o que reduz a sua eficincia.</p> <p>Mosca morta por fungo, mas o sintoma no caro o mesmo.</p> <p>Amigos, a prxima praga do qual falaremos so os pulges. Eles esto entre os mais importantes insetos praga, tanto em casas de vegetao como em condies de campo da roseira.</p> <p>Os pulges alimentam dos caules, folhas e flores. Pulges so fceis de serem identificados atravs da observao direta na planta. Em casas de vegetao todos os pulges so fmeas. O ciclo de vida curto, e podem se reproduzir de 7 a 8 dias.</p> <p>Pulges</p> <p>Pessoal, eles atacam as roseiras principalmente nos brotos novos e tenros, onde sugam a seiva para a sua alimentao, causando o enrolamento das folhas e atrofiamento dos brotos prejudicando sensivelmente a planta.</p> <p>Pulges em ramos novos de roseira</p> <p>Amigos, quando a infestao intensa, os pulges atacam tambm os botes florais novos.</p> <p>Boto atacado por pulges. Joaninha comendo pulges</p> <p>E como feito o monitoramento? Atravs da inspeo visual nos brotos de crescimento e o uso de armadilhas adesivas amarelas.</p> <p>Armadilhas amarelas</p> <p>A substituio das armadilhas amarelas deve ocorrer quinzenalmente no perodo de vero e, mensalmente, durante o inverno, ou ainda quando a cola perder o tato. Pessoal, no somente amostramos os pulges como tambm realizamos parte do controle deles por estas armadilhas amarelas.</p> <p>Quando aplicarem inseticidas no controle dos pulges, no se esqueam de usar equipamento de proteo individual, alm de consultar um agrnomo. Ns devemos tambm usar um inseticida seletivo, como explicado anteriormente, pois assim preservamos os nossos inimigos naturais.</p> <p>Amigos, as formas jovens e adultas de joaninhas so excelentes predadoras de pulges de roseiras.</p> <p>Filhote de joaninha comendo pulgo</p> <p>Ns tambm temos o bicho lixeiro, que os adultos e filhotes tambm comem pulges.</p> <p>Adulto do bicho lixeiro</p> <p>Filhote do bicho lixeiro comendo pulgo</p> <p>Pessoal, ns tambm temos vespinhas que colocam os seus ovos dentro do pulgo. A larva da vespinha come o pulgo por dentro, matando-o.</p> <p>Vespinha Parasitide</p> <p>Amigos, os besouros desfolhadores podem tambm atacar as roseiras, um deles a patriotinha.</p> <p>Amigos, o besouro Euphoria tambm ataca o nosso roseiral.</p> <p>Euphoria lurida</p> <p>Outro besouro o Rutela.</p> <p>Rutela lineola</p> <p>Amigos, esses besouros se alimentam de folhas e flores, podendo um s individuo destruir vrias flores por dia. As larvas da patriotinha podem atacar o sistema radicular da planta. O mtodo de controle com inseticidas, consultar um agrnomo.</p> <p>Pessoal, uma praga que vamos falar agora so as cochonilhas. Quando o ataque intenso, podem derrubar as folhas e provocar o secamento dos ramos.</p> <p>Cochonilha da roseira</p> <p>Pessoal, as cochonilhas vivem em colnias constitudas por indivduos de vrios estdios de desenvolvimento. Alm do dano direto, devido a suco de seiva, o valor da planta ornamental reduzido pelo aparecimento da fumagina e devido a presena das cochonilhas ou secrees nas plantas. Amigos, o controle destas cochonilhas basicamente o qumico, consultar um agrnomo para indicar o inseticida mais adequado.</p> <p>Cochonilhas</p> <p>Amigos, a prxima praga da qual falaremos hoje a Abelha Cachorra ou Irapu. O adulto de colorao preta, medindo cerca de 5 a 7 mm. Constroem seus ninhos nas rvores, entre os ramos ou em cupinzeiros abandonados; a formados ninhos assemelha-se a uma grande massa escura mais ou menos ovide e globosa. Atacam as flores e folhas novas em busca de substncias resinosas que so transportadas para a construo de seus ninhos principalmente em lavouras de roseira em campo.</p> <p>Abelha Irapu</p> <p>Pessoal, o melhor controle da abelha cachorro e localizar e destruir os seus ninhos.</p> <p>Amigos, por ltimo vamos falar rapidamente sobre a sava limo. Essa praga, que quando apertada entre os dedos apresenta cheiro de limo, pode desfolhar completamente um roseiral.</p> <p>Pessoal, as savas limo apresentam ninhos grandes com milhes de formigas. No ninho existem vrias cmaras. Cada cmara tem uma finalidade. Ns temos cmaras onde vive a rainha, onde se cultiva o fungo, o seu alimento, pois no se esqueam que as formigas cortam as folhas para servir de alimento aos seus fungos, cmaras onde se tem filhotes, outras que servem para depositar lixo, dentre outras.</p> <p>Apesar das savas limo serem pragas, elas so muito interessante, por isto tem gente que cria formiga como hobby ou para estudos.</p> <p>Formigueiro artificial</p> <p>Ou mesmo como personagem de desenho animado. Quem no se lembra da formiga atmica?</p> <p>Contudo, as formigas sava limo ns ocasiona srios prejuzos! Para evitarmos os danos causados por estas formigas, ns temos que localizar os seus ninhos e usar inseticidas para mat-las. Ns podemos usar iscas granuladas na poca da seca. No devemos colocar nas suas trilhas ou dentro do formigueiro e sim ao lado das trilhas, se no elas no carregam ou colocam para fora do formigueiro, pois as formigas tomam como agresso.</p> <p>Ns podemos tambm usar p seco, tambm na poca seca do ano, para combater as savas limo.</p> <p>Ou um termonebulizador, em qualquer perodo do ano, usando formicida apropriado para este equipamento.</p> <p>Maiores detalhes no combate as formigas vocs iro aprender em uma aula s sobre formigas. Novamente, lembre-se que tem que usar equipamento de proteo individual e consultar um agrnomo.</p> <p>Pessoal, essencial o monitoramento da abundncia da praga por meio de amostragens. Envolve a deteco inicial das populaes: quando mais baixas so mais fceis de controlar; envolve tambm a identificao dos insetos presentes nos cultivos, pois a maioria das medidas de controle pode ser direcionada para uma espcie particular.</p> <p>Pessoal, agora ns vamos falar sobre algumas prticas na conduo do nosso roseiral que desfavorece as pragas. Devemos combater as plantas espontneas que servem de abrigo aos pulges, como o pico preto, ao redor da lavoura de roseira no campo bem como em torno da casa de vegetao.</p> <p>Pico preto</p> <p>Contudo, ns devemos evitar levantar poeira na capina, pois a poeira protege os caros pragas da ao dos caros predadores.</p> <p>caros predadores do caro rajado</p> <p>Pessoal, mas ns temos algumas plantas espontneas que so boas, como o menstrasto, pois os caros predadores, na falta de caros pragas, comem o plen de suas flores. Dessa forma, ns mantemos os caros predadores na nossa plantao.</p> <p>Mentrasto</p> <p>Outra prtica plantarmos roseiras de cor clara de forma antecipada e como bordadura das outras variedades, pois os pulges e tripes preferem as rosas de cor clara. Assim, como a bordadura com flores claras vo florescer primeiro, ns aplicamos inseticidas nesta bordadura, reduzindo pulges e tripes na nossa lavoura principal. Contudo, essa uma prtica utilizada para plantios em campo.</p> <p>Pessoal, ns podemos realizar plantios de rvores ou mesmo de milho em torno do roseiral,</p> <p>pois esta barreira vai dificultar a localizao das pragas no roseiral, serve como abrigo para inimigos naturais</p> <p>e serve como barreira fsica, impedindo ou dificultando a entrada da praga no roseiral. Um bom exemplo o uso de quebra ventos, que dificulta a entrada de caros, pulges e tripes na lavoura.</p> <p>Esquema de quebra vento</p> <p>Pessoal, lembrem-se sempre da destruio de ramos, folhas e flores contaminadas na poca da realizao das podas de limpeza, formao e florao.</p> <p>Esta prtica tem um efeito depressivo sob a populao de pragas e pode visar tambm a erradicao de algumas doenas fungicas na propriedade.</p> <p>Ramo com cochonilha cortado</p> <p>Resduos de podas deixados na lavoura podem contribuir para a manuteno das pragas, bem como podem constituir de fontes de propgulos de doenas.</p> <p>Ramo seco que deve ser cortado</p> <p>Pessoal, os ramos cortados devem ser ajuntados</p> <p>e depois queimados!</p> <p>Alm disso, ns temos que fazer a desinfeco de ferramentas utilizadas na poda. Esta prtica visa diminuir o transporte involuntrio de pragas e doenas. A desinfeco de ferramentas uma operao de fcil utilizao que consiste na imerso da mesma numa soluo de hipoclorito de sdio a 5%.</p> <p>Pessoal, importante que seja feita uma adubao nitrog...</p>