portuguÊs parte ii exercÍcios ?· conhecimentos sobre como são os objetos. o olfato e o paladar...

Download PORTUGUÊS PARTE II EXERCÍCIOS ?· conhecimentos sobre como são os objetos. O olfato e o paladar ajudam…

Post on 08-Feb-2019

217 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

ABITEP TESTES - PORTUGUS01 www.ConcursosDeOdontologia.com.br portugues@abitep.com.br Tel.: 11 3214 - 8949

PORTUGUS PARTE II

EXERCCIOS EXTRAS

Prof. Agenor Costa

ABITEP TESTES - PORTUGUS02 www.ConcursosDeOdontologia.com.br portugues@abitep.com.br Tel.: 11 3214 - 8949

ABITEP TESTES - PORTUGUS03 www.ConcursosDeOdontologia.com.br portugues@abitep.com.br Tel.: 11 3214 - 8949

SANTAELLA, Lucia. Matrizes da Linguagem e Pensamento. So Paulo: Iluminuras, 2001.

PERODO - SIMPLES

1 O pronome se tem a mesma funo nas frases abaixo? Explique. Os recm-casados se amavam intensamente: os olhares que trocaram aps a cerimnia anunciaram vivamente a dedicao de cada um ao seu consorte. A matrona feriu-se ao tropear no tapete estendido na varanda. Romualdo arrependeu-se de ter tocado no tema, especialmente diante de Marisa. 2 Leia o fragmento abaixo, do conto A cartomante de Machado de Assis. Depois, responda s perguntas. Separaram-se contentes, ele ainda mais que ela. Rita estava certa de ser amada; Camilo, no s o estava, mas via-a estremecer e arriscar-se por ele, correr s cartomantes, e, por mais que a repreendesse, no podia deixar de sentir-se lisonjeado. A casa do encontro era na antiga Rua dos Barbonos, onde morava uma comprovinciana de Rita. Esta desceu pela Rua das Mangueiras na direo de Botafogo, onde residia; Camilo desceu pela da Guarda Velha, olhando de passagem para a casa da cartomante. O texto oferece condies para indicar, com preciso, o significado do pronome o na seguinte orao: ... no s o estava.... Diga qual esse significado. Explique qual defeito de estilo Machado de Assis evitou ao utilizar o pronome o. 3 Qual o sujeito de ser amada no texto. Explique. Leia o texto abaixo para responder s questes 4 e 5.

Os cinco sentidos

Os sentidos so dispositivos para a interao com o mundo externo que tm por funo receber informao necessria sobrevivncia. necessrio ver o que h em volta para poder evitar perigos. O tato ajuda a obter conhecimentos sobre como so os objetos. O olfato e o paladar ajudam a catalogar elementos que podem servir ou no como alimento. O movimento dos objetos gera ondas na atmosfera que so sentidas como sons.

As informaes, baseadas em diferentes fenmenos fsicos e qumicos, apresentam-se na natureza de formas muito diversas. Os sentidos so sensores cujo desgnio perceber, de modo preciso, cada tipo distinto de informao. A luz parte da radiao magntica de que estamos rodeados. Essa radiao percebida atravs dos olhos. O tato e ouvido baseiam-se em fenmenos que dependem de deformaes mecnicas. O ouvido registra ondas sonoras que se formam por variaes na densidade do ar, variaes que podem ser captadas pelas deformaes que produzem em certas membranas. Ouvido e tato so sentidos mecnicos. Outro tipo de informao nos chega por meio de molculas qumicas distintas que se desprendem das substncias. Elas so captadas por meio dos sentidos qumicos, o paladar e o olfato. Esses se constituem nos tradicionais cinco sentidos que foram estabelecidos j por Aristteles. 4 A leitura do texto permite afirmar que: a) a classificao dos sentidos estabelecida por Aristteles rejeitada pela autora que prope novas categorias. b) o tpico frasal do 1 pargrafo apresenta uma definio de sentidos, enquanto que o desenvolvimento do pargrafo retoma e amplia trs deles: o tato, o olfato e o paladar. c) os sentidos so sensores que tm a funo especfica de perceber cada tipo distinto de informao, seja ela baseada em fenmeno fsico ou qumico. d) tanto o ouvido quanto o olfato podem captar as informaes trazidas pelas molculas qumicas. e) o paladar e o olfato so sensores que percebem informaes baseadas em fenmenos fsicos e qumicos. 5 A palavra relacional que aparece quatro vezes no 1 pargrafo exercendo, pela ordem, as seguintes funes: a) sujeito, objeto direto, sujeito, sujeito. b) sujeito, sujeito, sujeito, sujeito. c) sujeito, sujeito, sujeito, objeto direto. d) objeto direto, objeto direto, sujeito, sujeito. e) objeto direto, sujeito, objeto direto, sujeito. 6 Observe: Nesse caso, so atribudos s organizaes certos tipos a respeito dos quais podem ser feitas generalizaes. Nele, ocorre voz passiva analtica; a voz ativa correspondentes est indicada em: a) Nesse caso, so atribudos (por algum) certos tipos a respeito dos quais podem fazer-se certas generalizaes. b) Nesse caso, (algum) pode atribuir s organizaes certos tipos a respeito dos quais podem ser feitas generalizaes. c) De fato, (algum) no pode nos comparar a qualquer outro grupo.

ABITEP TESTES - PORTUGUS04 www.ConcursosDeOdontologia.com.br portugues@abitep.com.br Tel.: 11 3214 - 8949

d) Nesse caso, (algum) atribui s organizaes certos tipos a respeito dos quais (algum) pode fazer generalizaes. e) Nesse caso, atribuem-se s organizaes certos tipos a respeito dos quais se podem fazer generalizaes. 7 preciso agir, e rpido, disse ontem o ex-presidente nacional do partido. A frase em que a palavra sublinhada NO exerce funo idntica de rpido : a) Como estava exaltado, o homem gesticulava e falava alto. b) Mademoiselle ergueu sbito a cabea, voltou-a pro lado, esperando, olhos baixos. c) Estavam acostumados a falar baixo. d) Conversamos por alguns minutos, mas to abafado que nem as paredes ouviram. e) Sim, havamos de ter um oratrio bonito, alto, de jacarand. 8 (...) Quando a luz voltou, todos partiram para a Igreja. Cansada, Tieta preferiu ficar, desejosa de solido, nunca pensara pudesse a morte do pai afet-la tanto. Retire do texto o pronome indefinido que funciona como sujeito. 9 Ouviram do Ipiranga as margens plcidas De um povo herico o brado retumbante (...) Para se entender um pensamento, o uso da ordem direta, muitas vezes, fundamental. Coloque os dois primeiros versos nesta ordem: sujeito, verbo e complemento. 10 Qual o sujeito de voltemos e a quem se refere? Voltemos casinha. No serias capaz de l entrar hoje, curioso leitor, envelheceu, enegreceu, apodreceu, e o proprietrio deitou-a abaixo para substitui-la por outra (...) Machado de Assis. 11 Apresento-lhe um cliente que veio fazer seguro de vida: que expresso, com o mesmo significado e a mesma funo sinttica, poderia substituir o que est sublinhado? 12 D a funo sinttica dos termos sublinhados e justifique a resposta. O pedido do aluno foi insuficiente. O pedido ao aluno foi insuficiente. 13 Em qual das alternativas abaixo possvel encontrar um pronome pessoal tono ocupando a funo de complemento nominal. a) Fiz-lhe uma advertncia diante de sua atitude reprovvel; b) Quanto a Maria, o amor que lhe tenho j conhecido; c) O respeito que nele despertei tornou-o um rapaz responsvel; d) Com essa medida o governo ata-nos as mos e no nos permite qualquer reclamao; e) Estimo-o como se fora a um filho. 14 Numere a coluna B de acordo com os cdigos da coluna A e, a seguir, assinale a alternativa que corresponde seqncia correta: Quanto funo sinttica dos termos sublinhados. COLUNA A COLUNA B 1 Adjunto adnominal ( ) O dinheiro tornou-os insensveis

2 Predicativo do sujeito ( ) Vazios foram aqueles momentos.

3 Predicativo do objeto ( ) O cu nublado prenunciava chuva.

( ) Frgeis eram seus argumentos.

( ) Considero duvidosa sua posio. a) 1 3 2 2 3 b) 3 2 1 2 3 c) 3 3 1 2 2 d) 1 2 3 3 2 e) 3 1 2 2 - 3

ABITEP TESTES - PORTUGUS05 www.ConcursosDeOdontologia.com.br portugues@abitep.com.br Tel.: 11 3214 - 8949

15 Transcreva dois exemplos de predicado nominal cujos verbos de ligao expressam mudana de estado. Pois deveras ser necessrio estudar nos livros dos homens, ou ainda mesmo no da experincia, para um moo de esperanas, como eu, ou qualquer outro tornar-se apto para ser deputado, presidente de provncia, ou ministro de estado? (...) tomara eu ser afilhado de algum padrinho, que vero como fico imediatamente sbio, e at mesmo benemrito da ptria! 16 chispeavam vidos (os olhos do menino chispeavam vidos (...)) Transcreva, do texto, outro predicado que possa ser considerado do mesmo tipo. por causa do meu engraxate que ando agora em plena desolao. Meu engraxate me deixou.. Passei duas vezes pela porta onde ele trabalhava e nada (...) resolvi perguntar ao menino que trabalhava na outra cadeira (...) Est vendendo bilhete de loteria, respondeu antiptico, me deixando numa perplexidade penosssima: pronto! Estava sem engraxate!

(Mrio de Andrade) 17 Redija duas frases com o verbo ESTAR, de modo que, na primeira, haja predicado verbal e, na segunda, nominal. 18 A casa que papai alugara no ficava na praia exatamente, mas numa das ruas que a ela davam e onde uns operrios trabalhavam diariamente no alinhamento de um dos canais que carreavam o enxurro da cidade para o mar do golfo.

[Mrio de Andrade]

No perodo acima, o segmento que a ela davam e onde pode ser substitudo, sem prejuzo para o sentido original do perodo, por a) para a cuja iam, nas quais b) que lhe conduziam, aonde c) a qual cortavam, em cuja rua

d) nela terminavam, s quais e) que nela desembocavam, rua em que

19 Observe os termos sublinhados nas seguintes frases: Chegou a hora do pblico se manifestar contra a publicao desse impostor. As palmas do pblico ecoavam pelo teatro, em apoio proposta de Nabuco. Vista do pblico, a cantora parecia bonita: da coxia, percebia-se que era feia. Sobre eles, correto afirmar: a) Para o segundo exemplo, vrios gramticos recomendam a forma de o em lugar de do, porque a preposio est regendo o sujeito. b) Para o terceiro exemplo, vrios gramticos recomendam a forma de o em lugar de do, porque a pre

Recommended

View more >