português jurídico

Download Português jurídico

Post on 07-Jun-2015

510 views

Category:

Education

5 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. ESTILSTICA JURDICA: FIGURAS DE LINGUAGEM. EQUIPE : BRENA ARMNIO TAMARAFaculdade RS

2. O que so Figuras de Linguagem ?_ Figuras de Linguagem,so certos recursos noconvencionados que o emissor cria para dar maior expressividade sua mensagem.Existem vrias figuras de linguagem,dentro da lngua portuguesa, que se dividem em figuras de palavras, de pensamento e de construo . 3. Figuras de palavras Comparao: a comparao direta de qualificaes entre seres, com o uso do conectivo comparativo (como, assim como, bem como, tal qual, etc.). Exemplo: Naquele domingo, trabalhou como um cavalo. 4. Figuras de palavras Metfora: assim como a comparao, consiste numa relao de semelhana de qualificaes. Mais sutil, exige muita ateno do leitor para ser captada, porque dispensa os conectivos que aparecem na comparao. Exemplo: Naquele domingo, ele era um cavalo trabalhando. 5. Figuras de palavras Sinestesia: a figura que proporciona a iluso de mistura de percepes, mistura de sentidos. Exemplo: Aquele olhar doce realava sua voz morna. 6. Figuras de palavras Perfrase (ou antonomsia): um tipo de apelido que se confere aos seres, com o intuito de valorizar algum de seus feitos ou atributos. Exemplo: Todos gostaram da Ilha da Magia 7. Figuras de palavras Metonmia: a utilizao de uma palavra por outra. Essas palavras mantm-se relacionadas de vrias formas: - O autor pela obra: Todos leram machado para a prova. - O instrumento pela pessoa que dele se utiliza: Todos sabiam que Adamastor era bom de copo. 8. Figuras de palavras Orecipiente (continente) pelo contedo: Todos queriam, naquele instante, um bom copo dgua.Olugar pelo produto: O que mais mefascinava era fumar um Havana. 9. SintaxeH diversas formas de repetir : Anadiplose; Anfora; Dicope; Epanadiplose Epanalepse Epanstrofe; Epnodo; Epstrofe; Epizeuxe; Ploce; Quiasmo; Smploce. 10. EXEMPLOS:Anadiplose Li um livro, livro este que interessante; anfora Condenar um inocente macular o ordenamento legal. Condenar quem no cometeu um crime destruir o princpio da justia. Dicope Se chegava em casa, os olhos da mulher estava sempre lembrando que fora ela, s ela, ningum mis do que ela, o general do triunfo. Epanadiplose A liberdade deste homem deve ser assegurada porque bem maior no existe a um inocente seno a liberdade. Epanalepse Estavamos ambos os acusados no local do crime e foram ambos os acusados que atacaram a indefesa vtima. Epanstrofe A lei o direito; O direito a lei. Epnodo - A prudncia a filha do tempo e da razo; da razo pelo discurso; do tempo pela experincia. Epstrofe Pede-se aos senhores a justia. Espera-se deste conselho apenas a justia. Epizeuxe- Condenar, condenar, O promotor de justia s pensa um inocente na masmorra. Ploce Pede-se justia no pelo o esprito de caridade. o dever , senhores, que exige a justia. Quiasmo - justia o ideal do direito. O direito expresso da justia. Smploce - O que dizer daqueles que violam a lei? O que dizer daqueles que no aplicam a lei? 11. Elipse: ocorre quando se omite algum termo ou palavra de um enunciado. sempre bom lembrar que essa omisso deve ser captada pelo leitor, que pode deduzi-la a partir do contexto, da situao comunicativa. Exemplo: (ns) Samos da confeitaria com um pedao de felicidade 12. Figuras de sintaxe Zeugma: um tipo de elipse. Ocorre zeugma quando duas oraes compartilham o termo omitido. Isto , quando o termo omitido o mesmo que aparece na orao anterior. Exemplos: Todos querem dinheiro; eu, amor. 13. Figuras de sintaxe Assndeto: Sndeto significa conjuno, portanto assndeto nada mais que ausncia de conjuno. Exemplos: Ele tocava, bulia, arfava e ela dormia. 14. Snquise: essa palavra vem do grego (sgchysis) e significa confuso. a inverso muito violenta na ordem natural dos termos. Exemplo:"Ouviram do Ipiranga as margensplcidas de um povo herico o brado retumbante" (ordem natural: As margens plcidas do Ipiranga ouviram o brado retumbante de um povo herico) 15. Silepse : a concordncia ideolgica que fcil perceber, se trata de uma exigncia semntica antes de incumbir-se da funo de realar a idia. Ex: Sua excelncia foi muito severa em seu parecer. 16. Figuras de pensamento Anttese: a aproximao de palavras ou expresses que exprimem idias contrrias, adversas. Exemplo: Aquele fogo em sua face apagava-se com o glido corao 17. Figuras de pensamento Eufemismo: uma espcie de abrandamento, uma maneira de, por meio de palavras mais polidas, tornar mais suave e sutil uma informao de cunho desagradvel e chocante. Exemplo: O nobre verdadedeputadofaltoucoma 18. Figuras de pensamento Gradao: a maneira ascendente ou descendente como as idias podem ser organizadas na frase. Exemplo: Respirou e ps um p adiante e depois o outro, olhou para o lado e o caminhar virou trote, que virou corrida, que virou desespero. 19. Figuras de pensamento Ironia: figura que consiste em dizer, com intenes sarcsticas e zombadoras, exatamente o contrrio do que se pensa, do que realmente se quer afirmar. Exige, em alguns casos, bastante percia por parte do receptor (leitor ou ouvinte). Exemplo:O presidente Lula o mais culto e bem formado de todos os presidentes 20. Figuras de pensamento Hiprbole: modo exagerado de exprimir uma idia. Exemplos: Eu nunca mais vou respirar, se voc no me notar, eu posso at morrer de fome se voc no me amar (Cazuza) 21. Figuras de pensamento Prosopopia (ou personificao): a atribuio de caractersticas humanas a seres no-humanos. Exemplo: Seus olhos corriam pela enquanto a lua lhe sorria.fazenda 22. PONTUAO 23. Pontuao: indica, na escrita, as vrias possibilidades de entonao da fala, alm de ajudar na expresso de pensamentos, sentidos e emoes, tornando mais clara e precisa a compreenso do texto.Os sinais de pontuao apontam para a questo do ritmo da escrita. 24. 2.1 A VRGULA Uma vrgula muda tudo Vrgula pode ser uma pausa ou no. NO, ESPERE. NO ESPERE. Ela pode sumir com seu dinheiro 23,4 2,34 Pode ser autoritria! ACEITO, OBRIGADO. ACEITO OBRIGADO. 25. Pode criar heris ISSO S, ELE RESOLVE. ISSO S ELE RESOLVE. e viles. ESSE, JUIZ, CORRUPTO. ESSE JUIZ CORRUPTO. 26. Ela pode ser a soluo! VAMOS PERDER, NADA FOI RESOLVIDO. VAMOS PERDER NADA, FOI RESOLVIDO. Pode tambm mudar uma opinio. NO QUEREMOS SABER. NO, QUEREMOS SABER. 27. Em que lugar voc colocaria anessa construo? Se o homem soubesse o valor que tem a mulher andaria de quatro a sua procura. 28. 2.2 O PONTO-E-VRGULA Indica uma pausa mais longa que a vrgula.EX: J tive muitas chuvas, mas acabei perd-los; h anos abrigos e tambm, chapu.capas e infinitos guardame cansando de t-los e vivo sem nenhum desses como toda a gente, sem 29. 2.3 OS DOIS PONTOS Funes:(a) Introduzem fala / discurso direto. A aeromoa disse: - Os passageiros devem permanecer sentados at o pouso da aeronave. (b) Introduzem citao. Diz Mnica Rector em Manual de Semntica: A acelerao do mundo moderno impe o repensar da cincia. 30. 2.4 AS RETICNCIAS Empregam-se as reticncias:(a) Para indicar que o sentido vai alm do que dito. Roberta imaginou-se com Paulo: os dois em uma ilha, comendo uvas, dando risada (b) Para indicar hesitao / dvida. E a prova, filho? Bem a prova no fui muito bem. 31. 2.5 OS PARNTESES Funes: (a) Fazer comentrios ou intercalaes acessrias. 32. 2.6 AS ASPAS Empregam-se as aspas: (a) Para indicar incio e final de uma citao. 33. 2.7 TRAVESSO Empregado para: (a) Indicar a fala (comeo ou fim) e a mudana de interlocutor. - Voc no precisa de plulas? - Que plulas? - Essas para acalmar. - Eu sou calma disse Luciana com meio sorriso. 34. 2.8 PONTO DE INTERROGAOEmpregado em frases interrogativas diretas. 35. 2.9 PONTO DE EXCLAMAO Usado aps interjeio ou frase exclamativa para expressar chateamento, emoes, ordem ou pedido. 36. 3.0 PONTO FINAL Indicador de pausa mxima. empregado no final do perodo simples (orao absoluta) ou de um perodo composto. muito utilizado em textos publicitrios como recurso estilstico.