pombal - guia turístico

Download Pombal - Guia Turístico

Post on 08-Mar-2016

226 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Guia Turístico para a Cidade de Pombal

TRANSCRIPT

  • GUIA TURSTICO

    Pomba

    l

  • Como chegarA CidadeA visitarAqui to pertoA conhecerLazerEspaos e EventosGastronomia e ArtesanatoOnde ficarMapa da CidadeMapa do Concelho

    NDICE0102031320242628293032

    EDIO E PROPRIEDADE Municpio de PombalDIRECTORNarciso Ferreira MotaCOORDENAOPelouro do Desenvolvimen-to e Promoo TursticaCOLABORAOPelouro da CulturaPelouro do Ambiente e Espaos Verdes

    EXECUO GRFICA sistema4DISTRIBUIOgratuita TIRAGEM5000 exemplaresISSN N 978-972-99659-7-5DEPSITO LEGAL317511/10

    Largo do Cardal3100-440 PombalT 236 210 500F 236 210 599geral@cm-pombal.ptwww.cm-pombal.pt

    Municpio de PombalGUIA TURSTICO

  • .03

    COMO CHEGAR

    O concelho de Pombal est localizado no centro litoral do pas, repartido por 17 fre-guesias, com uma rea geogrfica de 626,23 km2, confrontando com os concelhos de Ansio, Alvaizere, Ourm, Leiria, Soure e Figueira da Foz.Est situado num eixo de confluncia das principais vias rodovirias do pas, sendo atravessado no eixo norte-sul pela A1, A17, IC2 e no eixo este-oeste pelo IC8. A nvel fer-rovirio, o concelho abrangido pela Linha do Norte e pela Linha do Oeste.A cidade de Pombal (sede do concelho) en-contra-se a cerca de 150 km das cidades de Lisboa e Porto, a 33 km de Coimbra, a 26 km de Leiria e a 30 km da Figueira da Foz. Para circular na cidade de Pombal poder utilizar as linhas do PomBus, os mini-auto-carros municipais, que asseguram as princi-pais ligaes urbanas da cidade.

    Um concelho do mar serra

  • .04

    A CIDADE

    A cidade de Pombal deve a sua formao cons-truo do castelo, uma das estruturas militares melhor preservadas do pas, no morro cimeiro malha urbana, sendo visveis alguns dos seus elementos histricos, como a zona antiga, es-praiada numa das encostas adjacentes.A sua excelente localizao geogrfica, bem como a existncia de variadas vias de comunicao, permitiram que a cidade se desenvolvesse rapi-damente, transformando-se assim numa das ci-dades com os maiores ndices de crescimento da zona centro do pas, possuindo um vasto patri-mnio histrico e cultural, com belezas naturais e paisagsticas nicas, onde o rural e o urbano se cruzam de forma equilibrada.A cidade atravessada pelo rio Arunca com al-gumas zonas frondosas e prazenteiras para passear beira rio, ligando um vasto conjunto de infra-estruturas, desde a zona desportiva, biblio-teca, at central de camionagem e estao de comboios.

    Pombal

  • .05

    Edificado no ano de 1161, por Gual-dim Pais, Mestre da Ordem do Tem-plo, integrou um conjunto de praas militares destinadas a defender Coimbra. Ampliado no reinado de D. Sancho I, voltou a ser objecto de cuidado rgio no reinado de D. Manuel I, beneficiando de melho-rias estruturais e de obras de re-construo nas muralhas, das quais se destaca a abertura da nova porta principal, aberta na muralha dirigida para poente e uma graciosa janela de linhas manuelinas. Estas pro-fundas alteraes deturparam as

    caractersticas de imponente balu-arte militar, chegando a ser residn-cia dos alcaides-mores de Pombal. Aquando da 3 Invaso Francesa, em 1811, foi devastado pelas tro-pas francesas sendo novamente recuperado e reconstrudo em 1940, onde foram encontradas algumas moedas da poca romana. Tem vin-do a sofrer obras de requalificao, tendo passado a dispor de uma ca-fetaria com vista sobre a cidade e de um palco para actividades culturais ao ar livre.

    Castelo de Pombal

    A VISITAR

    Informaes: Tel.: 236 210 540GPS: N 39 54 49.93 W 8 37 28.13

  • .06

    Situada em pleno corao da cidade, esta praa, outrora denominada como Praa do Comrcio, deve o seu nome ao Grande Estadista, Sebastio Jos de Carvalho e Melo que, entre 1777 e 1782, aqui viveu os seus ltimos anos de vida. Durante sculos foi o centro social, econmico e adminis-trativo da antiga Vila de Pombal, local onde tam-bm o Conde de Castelo Melhor optou para fixar a sua residncia. Dominada pela Igreja Matriz de S. Martinho ligada paz de que foi obreira a Rai-nha Santa, esta praa conheceu nova fisionomia com a construo do Celeiro e da Cadeia no stio do antigo pelourinho, por ordem do Marqus de Pombal. Em frente da Igreja existiram, em 1704, duas casas onde pernoitaram D. Pedro II de Por-tugal e Carlos III de Espanha. Uma dessas casas foi reedificada em 1846, conservando, nessa al-tura, uma lpide alusiva ao acontecimento, hoje exposta no Castelo.

    Praa Marqus de Pombal

    A VISITAR

    GPS: N 39 54 50.43 W 08 37 39.62

  • .07

    De construo antiga, a Igreja Ma-triz de Pombal foi objecto de nova reedificao em 1520 e profunda-mente remodelada em 1816 pelo Capito-mor de Pombal, Jorge Co-elho de Vasconcelos Botelho, aps a sua devastao cinco anos antes, provocada pelo vandalismo das tro-pas francesas. O seu exterior apre-senta uma arquitectura simples, contrastando com a beleza do seu interior. Foi nesta Igreja que em 1323 D. Dinis e seu filho D. Afonso celebraram o juramento pblico de paz por intermdio da Rainha Santa Isabel, como se pode constatar num grande painel de azulejos modernos fixados sobre o arco triunfal.

    Realce tambm para a Capela la-teral de N. Sra. da Piedade, espa-o construdo em 1551 e coberto por abbada nervurada, tendo no fecho desta um braso da famlia Freire Botelho. O destaque artstico concentra-se no seu belo retbu-lo de pedra policromada, obra re-nascentista dos meados do sculo XVI, atribuda ao atelier do escultor francs Joo de Ruo. Este belo re-tbulo classicista apresenta epis-dios escultricos versando a vida de S. Martinho, de Cristo e de S. Joo Baptista. Na sua composio pls-tica so ainda visveis os bustos de um elegante apostolado.

    Igreja Matriz de So Martinho

    A VISITAR

    Horrio: 07H30m s 19H30mGPS: N 39 54 50.43 W 08 37 39.62

  • .08

    Instalado na antiga Cadeia Velha de Pombal, edifcio mandado cons-truir pelo Marqus de Pombal em 1776, o Museu teve a sua origem num trabalho de pesquisa, recolha e seleco de um pombalense, o an-tiqurio Manuel Gameiro que doou a coleco Autarquia, sob a condi-o de se criar um Museu Municipal. Atendendo ao desejo expresso pelo doador, o Museu abriu ao pblico,

    no edifcio dos Paos do Concelho, no dia 8 de Maio de 1982, no mbito das comemoraes do Bicentenrio da morte do estadista Sebastio Jos de Carvalho e Melo. Em Julho de 2004, foi transferido para a Cadeia Velha, na Praa Mar-qus de Pombal, aps obras de re-modelao e adaptao do edifcio.

    Museu Marqus de Pombal

    A VISITAR

    Informaes: Tel.: 236 210 564 | museu@cm-pombal.ptHorrio: Seg. a Sex. 10h00-13h00 e 14h00-18h00GPS: N 39 54 50.43 W 08 37 39.62

    Edifcio da Cadeia Velha, Praa Marqus de Pombal, 3100-440 Pombal

  • .09

    Instalado num edifcio pombalino, classificado como Imvel de Interesse Pblico, outrora Celeiro, foi mandado construir em 1776 pelo Marqus de Pombal, para armazenar os cereais que vinham da sua quinta, a Quinta da Gramela. O Museu tem origem numa importante coleco de artesanato, doada Autarquia e resultante de uma permanente procura e seleco criteriosa de Nelson Lobo Rocha, ao longo de mais de 30 anos de convvio com os prprios artesos. Trata-se de uma coleco de arte genuinamente popular que supera pela sua diversidade, qualidade e re-presentatividade da memria de um povo. Conta com um esplio com mais de 2000 peas, prove-nientes das mais diversas regies do pas.

    Museu de Arte Popular Portuguesa

    A VISITAR

    Informaes: Tel.: 236 210 555 | museu@cm-pombal.ptHorrio: Seg. a Sex. 10h00-13h00 e 14h00-18h00GPS: N 39 54 50.43 W 08 37 39.62

    Centro Cultural de Pombal - Praa Marqus de Pombal, 3100-440 Pombal

  • .010

    Mandada construir por D. Pedro I com o intuito de aqui serem recolhidos em dia de S. Martinho, os tributos/impostos devidos pelos judeus e mou-ros. Este edifcio com caractersticas manuelinas situa-se a meio da encosta do castelo, separava o velho burgo de Pombal, a nascente, em direc-o ao Castelo, do novo burgo, a poente, em di-reco ao rio Arunca. Em 1509, durante o reinado de D. Manuel, sofreu obras de beneficiao tendo este mandado colocar-lhe um relgio mecnico e uma sineta, para que o toque das Trindades soasse sempre a horas certas. Este sino marca-va o toque matutino e o pr-do-sol, indicando a hora de recolhimento dos judeus, impedidos de frequentar a alta crist da vila durante a noite e assinalando o perodo em que eles podiam sair da judiaria ou ali receber a visita de cristos.Monumento classificado de Interesse Nacional.

    Torre do Relgio Velho

    A VISITAR

    GPS: N 39 54 48.45 W 8 37 37.40

  • Horrio: 07H30m s 19H30mGPS: N 39 54 56 W 8 37 43.01

    .011

    Fundada em cumprimento de um voto pelo Con-de de Castelo Melhor, Lus de Vasconcelos e Sou-sa, no princpio do sculo XVIII, este edifcio de estilo Barroco foi riscado pelo Arquitecto Rgio Joo Antunes. De slida construo, apresenta uma fachada bem proporcionada e de majesto-sa imponncia. No seu interior concentramos de imediato a nossa ateno no retbulo de ptreas colunas salomnicas, na capela-mor. De realar ainda o belssimo retbulo em pedra de An, do renascimento portugus, atribudo a Joo de Ruo, originrio da destruda Igreja de Santa Maria do Castelo. Tradicionalmente associada s seculares Festas do Bodo e grandiosa Procis-so em Honra de Nossa Senhora do Cardal que atrai anualmente milhares de devotos. Aqui permaneceu o Marqus de Pombal aps a sua morte a 8 de Maio de 1782 e at 1856, data em que o terceiro neto o trasladou para a Ermida da Mercs, em Lisboa.

    Igreja de Nossa Senhora do Cardal

    A VISITAR

  • GPS: N 39 54 57.29 W 08 37 42.24

    A VISITAR

    .12

    Situado junto Igreja do Cardal, aqui podem ser observadas vrias espcies arbreas e arbusti-vas. Destaque para o Coreto do Cardal, a Prgula e o Busto do Marqus de Pombal, primeira es-ttua erigida ao estadista portugus, inaugurada em 1907, e a Casa Cor-de-rosa,