politicas educacionais pronto

Post on 29-Mar-2016

3 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

trabalho sobre Politicas Educacionais.Anhanguera, 2015

TRANSCRIPT

  • UNIVERSIDADE ANHANGUERA UNIDERPCENTRO DE EDUCAO A DISTNCIACURSO DE PEDAGOGIA

    POLITICAS EDUCACIONAIS

    JANAINA MIRANDA DOS REIS RA 2810689141

    TUTOR PRESENCIAL JUNIOR DANTAS

    SO SEBASTIO / DF2015

  • INTRODUONesse trabalho abordaremos o tema POLITICAS EDUCACIONAIS, falaremos sobre as leis que regem a Educao Brasileira e tentaremos esclarecer as eventuais dvidas que cercam o tema.Para iniciar a abordagem vamos explicar o que significa cada palavra que compe a LDB, que a mais importantelei brasileira que se refere educao:LEI regra de direito ditada pela autoridade e tornada obrigatria para manter a ordem e desenvolvimento;DIRETRIZ linha reguladora do traado de um caminho. Conjunto de instrues ou indicaes para se levar termo um plano;BASES que serve de fundamento, apoio;EDUCAO processo de desenvolvimento da capacidade fsica, intelectual e moral do ser humano, visando melhor integrao individual e social.

    A LDB - Lei de Diretrizes e Bases da Educao Nacional um conjunto de leis que definem e normatizam o Sistema Educacional em relao a todo o seu funcionamento em todos os seus setores.A LDB vigente atualmente do ano de 1996 e foi estabelecida para organizar e trabalhar assuntos que no eram levados em considerao at o momento de sua promulgao.Nesses prximos slides trataremos sobre o Capitulo II e Sees I, II e III da nossa LDB.Fonte: http://www.escolaxdiscriminacaoracial.blogspot.com.br/

  • Destacaremos agora alguns pontos que consideramos relevantes sobre organizao da Educao Bsica segundo a LDB, mais especificamente a organizao do Ensino Infantil e Fundamental.Primeiro ponto a ser destacado a organizao em anos:LDB 9394/96, embora mantivesse a obrigatoriedade de oito anos de escolarizao, acenou para a possibilidade da ampliao para nove anos. O Plano Nacional de Educao, de 2001, em sua meta 2, prope a implantao progressiva do Ensino Fundamental com nove anos de durao, atravs da incluso das crianas aos seis anos de idade. Em 2005 foi promulgada a primeira lei especfica do Ensino Fundamental de nove anos, a lei 11.114/05, que altera o artigo 6 da LDB, tornando obrigatria a matrcula da criana aos seis anos de idade no Ensino Fundamental. Enquanto esta lei modifica a idade de ingresso neste nvel de ensino, a lei 11.274/06 trata da durao do Ensino Fundamental, ampliando-o para nove anos, com matrcula obrigatria aos seis.O cuidado na sequncia do processo de desenvolvimento e aprendizagem das crianas de seis anos de idade implica o conhecimento e a ateno as sua caractersticas etrias, sociais, psicolgicasA LDB demonstra a preocupao que o Brasil tem para que todos tenham uma educao de qualidade que atenda todos os nveis de ensino da melhor forma possvel.

    Fonte: http://www..blogdaebi.blogspot.com.br/

  • Citaremos a seguir outros pontos importantes da organizao da Educao Bsica encontrados no Captulo II da LDB:

    Diviso do perodo letivo pode ser dada anualmente, semestralmente, ciclos alternados ou com base na idade do educando. Conforme disposto no artigo 23.Fica a critrio da instituio de ensino a reclassificao de alunos quanto a sua idade como a transferncia para outra instituio de ensino se assim desejar.O calendrio da instituio de ensino deve ser adequada conforme as necessidades de locais.Conforme o artigo 24, o ano letivo deve ter 200 dias de trabalho escolar e o aluno deve ser reclassificado ou no conforme o aproveitamento das aulas mediante avaliao por notas e/ou outra forma equivalente.A escola deve disponibilizar formas de nivelamento para novos alunos. de responsabilidade da instituio de ensino o controle de frequncia do aluno, devendo ser respeitado a porcentagem mnima necessria para a reclassificao ou no no ano letivo seguinte. O artigo 26 no mostra que a grade curricular e os contedos das instituies de ensino devem seguir um padro nacional, oferecendo o estudo de ensino de lngua portuguesa e matemtica, o conhecimento do mundo fsico, natural e da realidade social e poltica, especialmente do Brasil. Fonte: http://www.blogs.odiario.com/

  • ALGUNS DESTAQUES SOBRE CONTEDOS OBRIGATRIOS SEGUNDO A LDBO ensino de Arte obrigatrio nos diversos nveis de Educao Bsica.O ensino de Educao Fsica obrigatrio, sendo sua prtica facultativa em casos particulares.O ensino da histria do brasil levar em conta as contribuies das diferentes culturas e etnias para a formao do povo brasileiro, especialmente das matrizes indgena, africana e europeia. O estudo da histria e cultura afro-brasileira e indgena obrigatrio no ensino fundamental e mdio.A partir da quinta srie obrigatrio o ensino de lngua estrangeira. A educao musical na grade escolar obrigatria a instituio, mas facultativa ao educando.A educao em reas rurais deve ter contedo adequado a realidade do educando.Os currculos do ensino fundamental e mdio devero ter uma base nacional comum, a ser complementada por uma parte diversificada, de acordo com caractersticas regionais.

    Observaes:A Educao Infantil ser oferecido em creches para crianas at trs anos e a partir dos quatro anos at os seis ser oferecido em pr-escolas.Educao Infantil a primeira etapa da Educao Bsica.Na Educao Infantil a avaliao ser de forma diferente das outras modalidades de ensino, ser feita mediante acompanhamento e registro de desenvolvimento.Ao sair da Educao Infantil a criana dever ingressar no Ensino Fundamental, obrigatoriamente aos seis anos de idade.

  • A entrevista escolhida foi da americana Patrcia Mota Guedes ao site Zero Hora

    Perfil da entrevistada:

    Heloisa Lck doutora em Educao pela Universidade Columbia EUA, e ps-doutora em Pesquisa e Ensino Superior pela Universidade de Goerge Washington - EUA, Educadora paranaense, diretora educacional do Centro de Desenvolvimento Humano Aplicado (Cedhap), em Curitiba, e consultora do Conselho Nacional de Secretrios de Educao (Consed).

    Os pontos mais relevantes da entrevista segue nos prximos slides com as perguntas e respostas na integra:APONTAMENTOS DA ENTREVISTA COM HELOSA LCKFoto: Marcelo Almeida Site: http://www.educarparacrescer.abril.com.br/

  • EDUCAR PARA CRESCER (EC) Quando o conceito de liderana, antes restrito ao mbito empresarial, migrou para a Educao?HELOSA LCK H algumas dcadas, o ensino pblico era destinado a poucos e orientado por um sistema administrativo centralizador. Nesse modelo, a qualidade era garantida com mecanismos de controle e cobrana. A sociedade mudou e passou a exigir a Educao para todos. Com isso, o ser humano se tornou o elemento-chave no desenvolvimento das organizaes educacionais, tanto como alvo do trabalho educativo como na conduo de processos eficientes e bem-sucedidos. nesse contexto que surgiu a necessidade de haver uma ou mais pessoas para dirigir as aes que encaminham a escola para a direo desejada.EC Como diferenciar uma escola que conta com essas pessoas de outra que no tem? HELOSA fcil perceber isso. Onde no existe liderana, o ritmo de trabalho frouxo e no h a mobilizao para alcanar objetivos de aprendizagem e sociais satisfatrios. As decises so orientadas basicamente pelo corporativismo e por interesses pessoais. Geralmente, so instituies cujos estudantes apresentam baixo desempenho. Alm dessas caractersticas, h outras menos visveis, mas que tm grande impacto. Uma estrutura de gesto debilitada contribui para a formao de pessoas indiferentes em relao sociedade. alarmante observar como os apelos destrutivos esto cada vez mais fortes, com os jovens se envolvendo em arruaas e gangues e usando drogas. Isso se d pela absoluta falta de modelos. A escola deveria oferec-los, pois a primeira organizao formal, depois da famlia, que as crianas conhecem. Sem a canalizao de esforos para que a aprendizagem ocorra e haja melhoria e desenvolvimento contnuos, o ambiente escolar se torna deseducativo.

  • EC possvel aprender a liderar?HELOSA Com certeza. Existem indivduos que despontam naturalmente para exercer esse papel e certamente o faro se o ambiente favorecer. Mas mesmo eles precisam de orientao para empregar essa habilidade e toda a energia em nome do bem coletivo. Trata-se de um exerccio associado conscincia de responsabilidade social. Onde a gesto democrtica e participativa, h a oportunidade de desenvolver essa caracterstica em diversos agentes. Somente governos e organizaes autoritrios e centralizadores no permitem isso. E a escola, claro, no deve ser assim.EC Quais so as principais caractersticas de um lder?HELOSA Geralmente, uma pessoa empreendedora, que se empenha em manter o entusiasmo da equipe e tem autocontrole e determinao, sem deixar de ser f lexvel. importante tambm que conhea os fundamentos da Educao e seus processos - pois desse conhecimento que vir sua autoridade -, que compreenda o comportamento humano e seja ciente das motivaes, dos interesses e das competncias do grupo ao qual pertence. Ele tambm aceita os novos desafios com disponibilidade, o que influencia positivamente a equipe.

    EC O diretor deve ser o principal orientador das diretrizes da escola?HELOSA Sim. Mas, apesar disso, essa atuao no deve ser exclusividade dele. A escola precisa trabalhar para se tornar ela prpria uma comunidade social de aprendizagem tambm no quesito liderana, tendo em vista que a natureza do trabalho educacional e os novos paradigmas organizacionais exigem essa habilidade. Para que isso acontea, primordial a atuao de inmeras pessoas, mediante a prtica da coliderana e da gesto compartilhada. Em vista disso, atuar como mentor do desenvolvimento de novas lideranas na escola uma das habilidades fundamentais para um diretor eficiente.

  • EC Que questes do cotidiano costumam assustar o gestor que lder de sua comunidade?HELOSA Os dirigentes que desenvolveram as competncias de liderana nunca se deixam paralisar diante dos desafios. Os que no as tm, contudo, se sentem imobilizados diante de pessoas que resistem s mudanas, so