planos estratÉgicos municipais de turismo do ?· planejamento e às ações estratégicas da...

Download PLANOS ESTRATÉGICOS MUNICIPAIS DE TURISMO DO ?· planejamento e às ações estratégicas da gestão…

Post on 22-Dec-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PLANOS ESTRATGICOS MUNICIPAIS DE TURISMO DO ESTADO

DE SANTA CATARINA ROTEIROS TURSTICOS REGIONAIS: um

estudo

Susana Sara Severino

suturismo@gmail.com

Ps-Graduao em Turismo: Consultoria, planejamento e marketing (2010) UNIVALI

Graduao em Turismo e Hotelaria (2005) UNIVALI

Simone Batista Tomasulo

Orientadora

tomasulo@univali.br

Mestre em Turismo e Hotelaria - Universidade do Vale do Itaja (2002)

Aperfeioamento em Metodologia do Ensino Superior pela - Universidade do Vale do Itaja (2003)

RESUMO

O desenvolvimento do turismo sustentvel no Brasil e no Estado de Santa Catarina est submetido ao

planejamento e s aes estratgicas da gesto pblica municipal e iniciativa privada. Desta forma,

este artigo tem o objetivo de identificar quais municpios dos roteiros tursticos regionais de Santa Catarina elaboraram o seu plano estratgico municipal de turismo e avaliar o mtodo de planejamento

aplicado nos documentos j concludos. Para avaliar o mtodo de planejamento aplicado, considerou-

se a estrutura sugerida pelos autores Kotler (1998), no que se refere ao planejamento estratgico, e a autora Barretto (2005), no planejamento turstico. Este estudo de caracterstica descritiva, com

abordagem qualitativa e quantitativa. Os procedimentos de pesquisa foram pesquisa bibliogrfica e

pesquisa documental. Na coleta de dados, utilizou-se questionrio com perguntas semi-abertas,

aplicado s secretarias de turismo de municpios pertencentes aos roteiros tursticos regionais de acordo com rgo do governo oficial de divulgao de Santa Catarina Turismo S/A SANTUR.

Pesquisaram-se as cidades de Florianpolis, Balnerio Cambori, Blumenau, Joinville, Laguna,

Ararangu, Dionsio Cerqueira, Fraiburgo, Chapec e Lages. O resultado da pesquisa demonstrou que o planejamento estratgico do turismo no estado ainda necessita ser mais aplicado, pois dos dez

municpios pesquisados, apenas dois apresentaram planos estratgicos e estes, de acordo com o

proposto pelos autores utilizados, necessitam de aprimoramento metodolgico. Os principais resultados obtidos por meio do questionrio demonstraram que h questes a serem solucionadas, tais

como: dependncia de recursos federais e estaduais para planos e projetos, problemas na articulao

entre poder pblico e privado, necessidade de estudos cientficos do turismo e de estudo de mercado,

incipiente participao do setor privado no financiamento do turismo para apoiar os projetos das secretarias de turismo.

Palavras-chave: Turismo. Planejamento Estratgico. Planejamento Turstico.

2

INTRODUO

O turismo de Santa Catarina permanece em destaque no cenrio turstico nacional de

2006 at 2010, ficando entre o Melhor Estado no Prmio Viagem e Turismo, segundo os

leitores da Revista Vigem e Turismo, uma das principais revistas de turismo do pas. O

trabalho das polticas pblicas e do marketing institucional vem atraindo ano aps anos mais

turistas para regio sul do pas. Desta forma, preocupar-se com o crescimento sustentvel do

setor determinante para o planejamento das localidades, buscando qualidade de vida para os

moradores locais e para os turistas.

A competitividade mundial do setor turstico o diferencia dos demais setores

econmicos, pois so inmeras as variveis que influenciam a escolha do turista para uma

determinada cidade, tais como clima, segurana, fatores econmicos, culturais, etc. A

instabilidade destas variveis torna o planejamento estratgico, especificamente, um

instrumento de vantagem competitiva, auxiliando gestores pblicos e privados no processo de

tomada de deciso para o desenvolvimento do turismo. Segundo Holanda (1974, p. 36),

planejamento estratgico pode ser definido como a aplicao sistemtica do conhecimento

humano para prever e avaliar cursos de ao alternativos com vistas tomada de decises

adequadas e racionais, que sirvam de base para a ao futura.

Este artigo pretende contribuir para o estudo cientfico do turismo, pois, segundo

Rejowsky (1998), por meio da investigao cientfica que se deixar da fase de

improvisao e de repetitividade e se passar fase de aplicao e utilizao desses estudos.

A autora tambm apresenta a necessidade de divulgar a aplicabilidade e a pertinncia dos

resultados de pesquisa, mostrando os benefcios desta e da parceria pesquisador/empresrio

para o desenvolvimento e planejamento estratgico do turismo no Brasil.

Atualmente, no Estado de Santa Catarina, o documento de referncia para o

planejamento do turismo est consolidado no Plano Estadual da Cultura, do Turismo e do

Desporto do Estado de Santa Catarina (PDIL) sendo este um documento que apresenta

diagnstico e diretrizes para o estado nas trs reas, ou seja, cultura, esporte e turismo. No

entanto no apresenta de forma mais detalhada e especfica de como cada municpio deveria

agir, para chegar a atingir metas e objetivos de um planejamento central de turismo em Santa

Catarina.

Considerando a relevncia do planejamento estratgico para as cidades tursticas, o

presente artigo pesquisou as 10 regies tursticas consideradas mais relevantes e estas com

3

maior fluxo turstico no Estado de Santa Catarina, de acordo com Santa Catarina Turismo S/A

- SANTUR, com o intuito de saber quais os municpios do estado j possuem um Plano

Estratgico Municipal de Turismo e, dos planos identificados, pretende-se fazer uma

avaliao qualitativa destes documentos. Assim, de cada regio foi indicado um municpio

para ser estudado pela pesquisa. Foram definidas, ento, as regies: Grande Florianpolis

Florianpolis, Costa Verde Mar - Balnerio Cambori, Vale Europeu Blumenau, Caminho

dos Prncipes - Joinville, Encantos do Sul - Laguna, Caminho dos Cnions - Ararangu,

Caminhos da Fronteira - Dionsio Cerqueira, Serra Catarinense - Lages, Vale do Contestado -

Fraiburgo e Grande Oeste - Chapec.

A consequncia da ausncia de estudos do turismo e de planejamento turstico o

crescimento desordenado do setor, causando, muitas vezes, srios problemas, tais como a

degradao do meio ambiente, distoro de valores culturais e sociais, explorao imobiliria

inadequada, inflao, aumento da marginalidade, prostituio, etc. Desta forma, os resultados

desta pesquisa sobre o planejamento estratgico turstico uma oportunidade para avaliar

como os municpios esto planejando e desenvolvendo a atividade turstica.

1 FUNDAMENTAO TERICA

1.1 Polticas e planejamento turstico

O crescimento do turismo no Brasil e no Estado de Santa Catarina requer um processo

de planejamento eficaz, possibilitando que as cidades tursticas possam ter condies

favorveis de infraestrutura bsica e turstica e o uso moderado do meio ambiente.

O ordenamento da atividade turstica garante o desenvolvimento das cidades tursticas

de uma maneira sustentvel, acarretando benefcios para todos os envolvidos. Conforme

Barretto (2005), planejar significa equilibrar o atendimento s necessidades e propiciar o bem-

estar de sujeitos sociais provenientes de outro lugar e, dentro de uma regio receptora e seu

meio ambiente, harmonizar tambm a relao dos turistas com a populao nativa. Implica

recompensar a comunidade que divide seu espao com os turistas, financiando, com dinheiro

proveniente do turismo, obras pblicas requeridas para melhorar seu ndice de

desenvolvimento humano.

As polticas pbicas do turismo estabelecem diretrizes para o crescimento ordenado do

setor, tais direcionamentos abrangem inmeros setores da sociedade: organizao dos

4

territrios, gerao de emprego, proteo do meio ambiente, controle da inflao local,

capacidade de carga, entre outros.

No Brasil, foi a partir da dcada de 1990 que o turismo sofreu ajustes nas estruturas

pblicas federais e estaduais, foi nesta poca que se solidificaram e, com respaldo

governamental, comearam a criar e implantar programas em seus territrios (MINISTRIO

DO TURISMO, 2009).

Nacionalmente, o turismo est fundamentado no Plano Nacional de Turismo elaborado

pelo Ministrio do Turismo, o qual afirma que a multidisciplinaridade do setor, os impactos

econmicos, sociais, ambientais, polticos e culturais gerados pelo turismo exigem um

processo de planejamento e gesto que oriente, discipline e se constitua em um poderoso

instrumento de acelerao do desenvolvimento nos nveis local, regional e nacional. (PNT,

2007 p. 29). Dentro deste contexto, todas as aes a serem desenvolvidas devem estar

embasadas pelas diretrizes estabelecidas pelos governos federal e estadual, visando

promoo de um desenvolvimento adequado do setor.

Para isso, a Lei Geral do Turismo n 11.771 de 2008 traz algumas diretrizes sobre

planejamento nacional do turismo, como no Captulo II DA POLTICA, DO PLANO E DO

SISTEMA NACIONAL DE TURISMO - Subseo II, que estabelece em seu Artigo 5: VI -

promover, descentralizar e regionalizar o turismo, estimulando Estados, Distrito Federal e

Municpios a planejar, em seus territrios, as atividades tursticas de forma sustentvel e

segura, inclusive entre si, com o envolvimento da comunidade local.

Portanto a atividade turstica catarinense s