PLANO TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO ?· Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentável e Solidário…

Download PLANO TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO ?· Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentável e Solidário…

Post on 19-Sep-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • PLANO TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO

    SUSTENTVEL E SOLIDRIO DO EXTREMO SUL-

    BAHIA

    BAHIA

    2016

  • Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentvel e Solidrio do Extremo

    Sul da Bahia

    2

    GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA

    SECRETARIA DE PLANEJAMENTO

    SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO RURAL

    COORDENAO DO TERRITRIO DE IDENTIDAE COSTA DO

    DESCOBRIMENTO

    CONSULTORES DO PLANO TERRITORIAL DE

    DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL E SOLIDRIO DO

    TERRITRIO

    DANIELLA SILVA RIBEIRO

    CARO ARAJO DOS SANTOS

  • Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentvel e Solidrio do Extremo

    Sul da Bahia

    3

    APRESENTAO

    O Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentvel e Solidrio do Extremo Sul

    da Bahia - PTDRSS, foi elaborado e aprovado pelo Colegiado Territorial, resultado de uma

    construo coletiva em diversas temticas, realizada ao longo de 2015 e 2016. Este Plano

    uma sntese de diversos estudos e planejamentos feitos na regio como o Plano construdo em

    2011 com os 21 municpios, antes do desmembramento do Territrio: o PTDRS de 2011. O

    Plano Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentvel e Solidrio de 2013, tambm o Plano

    de Desenvolvimento da Costa das Baleias, construdo em 2012; a Conferncia Territorial de

    Segurana Alimentar e Nutricional de 2015, a Conferncia Territorial de Juventude Rural de

    2015, a Conferncia Territorial de Direitos da Mulher 2015, o planejamento do Plano

    Plurianual Participativo PPA Participativo 2015, o planejamento territorial 2015, Plano

    Estadual de Habitao e Regularizao Fundiria do Estado da Bahia e o Plano de Ao

    Territorial da Mandiocultura- BNB.

    Ele um instrumento de gesto dinmico que deve ser retroalimentado. Seu

    horizonte abrange 8 anos, equivalente ao perodo de execuo de dois PPA Participativos,

    podendo ser revisado ao final da execuo do PPA 2016-2019, de acordo com avaliao do

    prprio Colegiado Territorial, por orientao do CEDETER ou do rgo coordenador da

    poltica de desenvolvimento territorial da Bahia.

    Metodologicamente, adotou-se um texto texto-base e um roteiro orientador das

    discusses, permitindo que participantes das diferentes esferas (Municipal, Territorial,

    Estadual e Nacional) se concentrassem na elaborao de um Plano comum adequado a sua

    realidade, contribuindo, assim, para elaborao do Plano Territorial de Desenvolvimento

    Sustentvel e Solidrio.

    Para o Territrio foi importante considerar os diagnsticos existentes. Mas foi

    ressaltada a falta de anlise, sistematizao e apropriao pelo pblico no meio rural. Buscou-

    se ento uma forma participativa de reviso dos dados secundrios e primrios, com o

    objetivo de proporcionar o entendimento da realidade e problemtica local e dos fatores que

    conformam a identidade territorial, alm de dar os subsdios necessrios ao Documento Final.

    O Plano tambm busca reconhecer a diversidade e as especificidades do mundo rural, levando

    em considerao as prticas de promoo de igualdade de gnero, raa, etnia e gerao. Alm

    dos seguimentos ligados ao rural, tambm o urbano e os setores econmicos do Territrio

    participaram desta construo.

  • Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentvel e Solidrio do Extremo

    Sul da Bahia

    4

    O PTDSS, portanto, fruto de intenso dilogo e esforo de elaborao

    conjunta entre a sociedade civil e as trs esferas de governo. Ele

    corresponde, ainda, contribuio do Extremo Sul da Bahia para construo

    de um Desenvolvimento INTEGRADO Sustentvel e Solidrio.

    PRINCPIOS E DIRETRIZES DO PTDRSS

    Em consonncia aos encaminhamentos da 2 CNDRSS, o PTDSS do Extremo Sul

    Baiano, tem como princpios e diretrizes:

    a democracia como fundamento bsico da cultura poltica e das relaes

    sociais; a sustentabilidade, em suas mltiplas dimenses, como orientao

    fundamental para reduzir as desigualdades sociais e regionais; a incluso

    como ampliao dos mecanismos de democratizao poltica, social, cultural

    e econmica da sociedade brasileira, assegurando a participao igualitria

    de todos os segmentos sociais; a diversidade como reconhecimento da

    importncia dos patrimnios ambiental, sociocultural, econmico e poltico

    existente nos espaos rurais; a igualdade como resultado das transformaes

    na dimenso da vida social para superao das desigualdades econmicas, de

    gnero, gerao, raa, cor e etnia na sociedade brasileira; a solidariedade

    como responsabilidade individual e coletiva compartilhada em favor de

    ordem econmica, social, poltica, ambiental e cultural mais justa, tendo por

    base os princpios da autogesto e da cooperao.

    Da mesma forma, definiram-se, ainda, as diretrizes estratgicas do

    processo de desenvolvimento: a potencializao da diversidade ambiental,

    sociocultural, econmica e poltico-institucional e a valorizao das

    mltiplas funes desempenhadas pelos espaos rurais; a dinamizao

    econmica, a incorporao de inovaes e a democratizao do acesso s

    tecnologias voltadas construo de modelo sustentvel de produo

    agropecuria, extrativista, florestal, pesqueira e aqucola; o fortalecimento

    dos fatores de atratividade geradores de qualidade de vida, incluso social e

    igualdade de oportunidades nos espaos rurais; o fortalecimento de um

    arranjo institucional integrador das aes do Estado brasileiro e a

    consolidao dos mecanismos de controle e gesto social, com base no

    protagonismo das organizaes da sociedade civil. PNDSS

    Alm dos Princpios e diretrizes acima mencionados, o PTDSS adota os princpios

    e diretrizes estabelecidas pela Lei N 13.214 de 29/12/2014 para a Poltica de

    Desenvolvimento Territorial do Estado da Bahia e pelo Plano Plurianual Participativo PPA

    2016-2019.

    O artigo 2 da Lei N 13.214 menciona que a Poltica de Desenvolvimento

    Territorial da Bahia dever observar os seguintes princpios: da dignidade humana, do

  • Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentvel e Solidrio do Extremo

    Sul da Bahia

    5

    desenvolvimento sustentvel, da solidariedade, da justia social e ambiental, da funo

    socioambiental da propriedade, da participao social e da cooperao. J o PPA define como

    princpios norteadores: a incluso social, a participao social, a sustentabilidade ambiental, a

    afirmao dos direitos do cidado, o desenvolvimento socioeconmico com equidade, a

    gerao de emprego e renda, a gesto transparente e democrtica e a excelncia na gesto.

    Quanto as diretrizes, o artigo 3 da Lei 13.214 diz que a Poltica de

    Desenvolvimento Territorial observar as seguintes diretrizes: estabelecer estratgias de

    desenvolvimento territorial sustentvel e solidrio, fomentar a coeso social e reduzir as

    desigualdades territoriais, valorizar o potencial de desenvolvimento dos Territrios de

    Identidade, respeitar a diversidade cultural e territorial, promover o uso sustentvel dos

    recursos naturais, promover a insero competitiva dos territrios baianos, estimular o

    desenvolvimento da democracia participativa e promover a ao integrada dos entes

    federados.

    O PPA 2016-2019 define 14 Diretrizes Estratgicas e dentre elas, 04 dialogam

    diretamente com a Poltica de Desenvolvimento Territorial: 1) desenvolvimento sustentvel e

    incluso socioprodutiva, 2) reduo da pobreza extrema, 3) desenvolvimento rural e

    agricultura familiar, e 4) democracia e participao social.

    CAPTULO 1

    HISTRICO

    O Territrio de Identidade Extremo Sul surge, de acordo com Correia, seguindo a

    regionalizao administrativa do Estado. Ainda segundo (Dias, 2006), a Bahia passa a ter no

    PPA 2004/2007 a diviso adotada por Territrios de Identidade. Neste territrio a metodologia

    de criao das Instncias Territoriais foi implantada pela CEPLAC em 2004. O Territrio

    Extremo Sul, naquele momento, fora criado com 21 municpios. Sendo eles os municpios de

    Alcobaa, Belmonte, Caravelas, Eunpolis, Guaratinga, Ibirapo, Itabela, Itagimirim,

    Itamaraj, Itanhm, Itapebi, Jucuruu, Lajedo, Medeiros Neto, Mucuri, Nova Viosa, Porto

    Seguro, Prado, Santa Cruz de Cabrlia, Teixeira de Freitas, Vereda. Desde sua criao, pouca

    informao se tem deste Territrio, diferente dos Territrios Rurais apoiados pelo MDA, onde

    havia uma Instituio contratada que trabalhava como Secretaria Executiva, e com um

    articulador territorial trabalhando como consultor do Territrio; o Territrio Extremo Sul no

    teve uma secretaria executiva. Seus registros de presena das reunies, Atas, Projetos

  • Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentvel e Solidrio do Extremo

    Sul da Bahia

    6

    implantados, dentro outros documentos; esto pulverizados em arquivos pessoais de atores

    locais.

    Segundo relatos do sr. Rubens Leme Farias, membro do Ncleo Diretivo do

    Colegiado, e atuante desde a criao do Territrio, houve momentos de mobilizao desde

    2004 a 2015. Todos eles vindos da demanda do prprio territrio como a elaborao do Plano

    Safra Territorial 2007/2008. A entidade responsvel pela mobilizao e animao do

    Territrio Extremo Sul foi a CEPLAC. Mesmo no sendo reconhecidos como Territrio

    Rural pelo MDA, o Colegiado se reunia periodicamente. Fizeram vrias propostas de

    PROINF, levantamento de demandas de polticas de infraestrutura e participaram do primeiro

    PPA Territorial 2008/2011. Neste primeiro exerccio de levantamento de prioridades do

    Territrio, educao e sade ficaram com mais da metade dos votos. Ali j haviam

    representantes do Territrio no Comit de Acompanhamento do Plano Plurianual (Cappa).

    Em 2010, atravs de um convenio com ING/POLO sindical, Rubens Farias assumiu o papel

    de articulador territorial pelo Plo Sindical. Ali houve liberao de recursos para realizao de

    reunies e oficinas no territrio em todos os Municpios do Extremo sul, onde deram incio

    construo do PTDRS. Naquele mesmo ano foi elaborado e aprovado o regimento interno do

    territrio, e na mesma ocasio foi aprovado o nome de Pedro dos Anjos (representante da

    FETRAF na regio) para coordenador do Colegiado do Territrio de Identidade do Extremo

    Sul. Ainda em 2010 foi construdo o Plano de Desenvolvimento Sustentvel da Costa das

    Baleias pela empresa FUTURA, contratado e custeado pelo Conselho de Desenvolvimento

    Econmico e Social (Codes) da Bahia, e pelas empresas de celulose: ArcelorMittal, Fibria e

    Suzano. Muito questionado pelos seguimentos da sociedade civil organizada, principalmente

    as da rea de agricultura e de meio ambiente, mas com efetiva participao de membros do

    territrio em todo o processo de construo. No foi homologado como o Plano do

    Territrio porque o PTDRS j estava sendo construdo paralelo a ele. Naquele momento

    haviam cerca de 40 entidades no Territrio, poucas homologadas e outras com pouca

    participao. Ainda em 2010 teve incio o debate sobre o desmembramento do Territrio. Em

    2012 foi criado o Territrio Costa do Descobrimento desmembrando do Extremo Sul. Em

    2013, pela RESOLUO N 94 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural

    Sustentvel CONDRAF, o Extremo Sul passa a incorporar o Programa Nacional de

    Desenvolvimento Sustentvel de Territrios Rurais PRONAT.

    Alguns poucos registros foram levantados pelo NEDETES com apoio

    do ADT (Agente de Desenvolvimento Territorial), como um relatrio de 2004,

  • Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentvel e Solidrio do Extremo

    Sul da Bahia

    7

    onde se reuniu como Frum de Desenvolvimento. Segundo arquivos do Territrio

    conseguidos por membros do Colegiado, este Frum se reuniu para Socializao da Poltica

    da Poltica de Desenvolvimento Territorial e Composio deste Frum. Em uma segunda

    reunio (ambas em Itamaraju no Banco do Nordeste) para eleio da coordenao do

    Frum, para levantamentos de demandas regionais e para articulaes com o Ministrio da

    Integrao. H um vcuo de documentos histricos deste perodo at o momento em que o

    Nedetes assumiu. Atualmente, uma secretaria assumida pela CEPLAC, tem tentado organizar

    a documentao histrica do Territrio.

    CARACTERSTICAS

    O Territrio de Identidade Extremo Sul composto por 13 municpios: Alcobaa,

    Caravelas, Ibirapu, Itamaraju, Itanhm, Jucuruu, Lajedo, Medeiros Neto, Mucuri, Nova

    Viosa, Prado, Teixeira de Freitas e Vereda. Ocupa uma rea de 18.514,33 Km2. Limita-se

    com o Territrio de Identidade Costa do Descobrimento, com os Estados de Minas Gerais e

    Esprito Santo, e com o Oceano Atlntico.

    Segundo os dados do Plano Estadual de Habitao e Regularizao Fundiria do

    Estado da Bahia (Governo do Estado da Bahia, 2012) o Territrio abriga uma populao de

    416.859 habitantes, com densidade de 24,81hab/km e crescimento de 12,01% no perodo de

    2000 a 2010.

  • Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentvel e Solidrio do Extremo

    Sul da Bahia

    8

    Tem como polo o municpio de Teixeira de Freitas, que um Centro Sub-Regional

    A e abriga a maior populao com 138.341 habitantes e conta ainda com Itamaraju, sub- polo,

    na categoria Centro de Zona A. Predominantemente rural, tem como principais atividades

    econmicas a agropecuria alm de significativa produo da indstria de celulose. Os nveis

    de renda so baixos e o percentual da populao em situao de extrema pobreza de 9,36%,

    ndice elevado, mas abaixo do percentual do estado da Bahia, que foi de 14,31% em 2010.

    Doze municpios encontram-se em situao de vulnerabilidade econmica e social.

    O clima predominante o mido a submido. Insere-se no bioma Mata Atlntica,

    com Floresta ombrfila densa e Floresta estacional semidecidual, o que atrai a explorao da

    regio pois so potencialmente aptas para plantaes com bom desempenho silvicultural.

    (http://www.dialogoflorestal.org.br/, s.d.).

    Apresenta tambm formaes pioneiras com influncia fluviomarinha (mangue) e

    possui as unidades de conservao: rea de Proteo Permanente (APA) da Ponta da

    Baleia/Abrolhos, Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, Reserva Extrativista de Cassurub,

    APA da Costa Dourada, Parque Nacional do Descobrimento, dentre outras. (Governo do

    Estado da Bahia, 2012)

    Mapa: Territrio de Identidade Extremo Sul e rede de transportes. Fonte: SEI, 2009. Elaborao GTA, 2012.

  • Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentvel e Solidrio do Extremo

    Sul da Bahia

    9

    Diversas reas do territrio se encontram legalmente protegidas, tendo sido

    identificadas 28 unidades de conservao, que esto total ou parcialmente inseridas no

    territrio, sendo a maioria contemplada em Reservas Particulares de Patrimnio Natural. Em

    se considerando reas privadas destinadas conservao, a RPPN criada por iniciativa do

    proprietrio rural sem que haja desapropriao das terras, assumindo o compromisso de uso

    da reserva de maneira sustentvel, com objetivo de fomentar o desenvolvimento de pesquisas

    cientficas e de proteo dos recursos naturais e hdricos. Apesar do nmero expressivo de

    reas protegidas, apenas 5% do territrio est contido em reas destinadas para conservao, o

    que totaliza uma rea de cerca de 95.492 ha. H um predomnio de unidades de conservao

    de uso sustentvel, e dentre estas, se destacam a APA Ponta da Baleia/Abrolhos, localizada

    nos municpios de Nova Viosa, Caravelas e Alcobaa, equivalente a aproximadamente

    37.465 ha da costa do territrio, e a RESEX Cassurub, abrangendo rea equivalente a 32.629

    ha. (Governo do Estado da Bahia, Preliminar)

    Ainda segundo o ZEE (Zoneamento Ecolgico Ec...

Recommended

View more >