plano pedag“gico do curso de belas artes .3.1. tipos de laborat³rio/atelieres e...

Download PLANO PEDAG“GICO DO CURSO DE BELAS ARTES .3.1. Tipos de laborat³rio/atelieres e estimativa de gastos

Post on 02-May-2019

222 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Instituto de Cincias Humanas e Sociais

Departamento de Letras e Cincias Sociais Comisso para Elaborao do curso de Belas Artes (Licenciatura)

POJETO DE REESTRUTURAO E EXPANSO DA UFRRJ - 2007

PLANO PEDAGGICO DO CURSO DE BELAS ARTES (LICENCIATURA)

Seropdica, 2008

2

N D I C E

COMISSO PARA CRIAO DO CURSO DE LIC. EM BELAS ART ES................3 1. JUSTIFICATIVA .......................................................................................................4

1.1. Pertinncia socioeconmica e cultural.......................................................... 4 1.1.1.Mapeamento da demanda....................................................................... 5 1.1.2.Perfil do egresso e seu papel social......................................................... 6 1.1.3. Demanda social e empregabilidade....................................................... 7

1.1.3.1. O Que faz o Profissional.......................................................................8 1.1.3.2. Onde atua...............................................................................................8

1.1.4. Contribuio acadmica do curso para a UFRRJ............................... 8

2. IMPLEMENTAO ................................................................................................9

2.1. Diretrizes Curriculares Nacionais................................................................. 9 a) Carga horria mnima de durao......................................................................12 b) Eixos de formao e carga horria prevista em cada eixo................................12 c) Copo docente previsto para cada eixo.................................................................13

2.2. Numero de docentes da UFRRJ que potencialmente poderiam participar do curso, tendo em vista a sua formao (Institutos e departamentos envolvidos).................................................................................. 14 2.3. Numero de docentes novos bem como o seu perfil que devero ser contratados para atender ao curso proposto..................................................... 15 2.4 Servidores Tcnicos..............................................................................................17

3. INFRA-ESTRUTURA BSICA INDISPENSVEL ..................................18

3.1. Tipos de laboratrio/atelieres e estimativa de gastos com material permanente e equipamentos para cada laboratrio......................................... 18

3.2. Livros e peridicos bsicos - estimativa de investimentos......................... 24 4. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE BELAS ARTES ............... 25

4.1. Complementao da Matriz Curricular..................................................... 27 4.2. Eixos Temticos e seus Co-Requisitos......................................................... 28

4.2.1. Optativa Condicionada A...........................................................................28 4.2.2. Optativas Livres (Sugeridas)..........................................................................28

4.3. Organograma............................................................................................................29

3

COMISSO PARA CRIAO E IMPLANTAO DO CURSO DE

BELAS ARTES (LICENCIATURA) Designada pelo Magnfico Reitor da UFRRJ atravs da

Portaria no 733 de 25 de agosto de 2008 IT DAU FABIO RICARDO REIS DE MACEDO 0387051 macedo.faber@hotmail.com DLSON LIMA FILHO 0387094 delima@ufrrj.br ICHS- DED CARMEN OLIVEIRA FRADE - 4206731 carmen@ufrrj.br

NICAS ALENCAR DA SILVA 0387669 nalencars@gmail.com

EDILENE LAGEDO TEIXEIRA 0386834 elagedo uol.com.br

GISELE MARIA COSTA SOUZA 0387430 souzagisele@hotmail.com e gmcsouza@ufrrj.br

DLCS JOS CLUDIO SOUZA ALVES jclaudioalves@uol.com.br IB - DENF MARIANGELA DA SILVA GUAJAR 0386259 mguajara@oi.com.br IM - DTL GIANE LESSA 1488654 giane.lessa@terra.com.br

4

PROPOSTA DE CURSO DADOS GERAIS Denominao do Curso: BELAS ARTES Tipo: LICENCIATURA PLENA Habilitao Opcional: EXPRESSO GRFICA Modalidade: PRESENCIAL Local de Oferta: CAMPUS SEDE - SEROPDICA Nmero Total de Vagas: 50/ANO (25/SEMESTRE) Carga Horria: 3.280 horas Turno de Funcionamento: NOTURNO Nome do Coordenador: FABIO RICARDO REIS DE MACEDO Regime de Trabalho: DEDICAO EXCLUSIVA

1. Justificativa

1.1 Pertinncia socioeconmica e cultural

A UFRRJ possui o seu Campus principal localizado em uma regio bastante peculiar na geografia do Estado do Rio de Janeiro. Est situado aproximadamente a 80 km da Capital do Estado. Situado em terras que formaram no passado colonial a antiga Fazenda Jesutica, o permetro da Universidade compreende uma vasta regio a partir do municpio de Seropdica, recente desmembramento da antiga Vila, atual municpio, de Itagua. Todavia, com a criao de seus dois novos Campus, nos Municpios de Nova Iguau e Trs Rios, a rea de influncia da Universidade abrange vastos e importantes setores do Estado do RJ, tanto na regio metropolitana quanto no interior do Estado. Podemos dizer que a UFRRJ atualmente a principal possibilidade de oferta de ensino superior publico para regies como a Baixada Fluminense, Zona Oeste do Municpio do Rio de Janeiro, Vale do Paraba, Costa Verde, Sul Fluminense e parte significativa da Regio Serrana.

significativo recordar que, h pelo menos quatro ou cinco dcadas, essa grande rea poderia realmente ser considerada um "Serto Carioca"1, pois era zona eminentemente rural. No passado, essas regies estiveram voltadas para o desenvolvimento das economias aucareira, cafeeira e, mais recentemente, no sculo XX, o chamado "ciclo da laranja". Entretanto, a realidade atual apresenta um quadro completamente diverso, pois a configurao econmico-social desses espaos tem sofrido intensas transformaes. Com o Segundo o Plano Nacional de Desenvolvimento, que previa o fim de rea rural na cidade do Rio de Janeiro em favor de um desenvolvimento industrial, ampliaram as desigualdades sociais locais. Bairros como Campo Grande e Santa Cruz tiveram seus antigos stios substitudos por grandes conjuntos habitacionais para atender a demanda das indstrias que, num processo muito lento, aos poucos vem sendo implantadas.

Hoje, os indicadores populacionais, apontam para uma populao de aproximadamente 8 milhes de habitantes em toda essa regio. Nos ltimos anos, os investimentos na modernizao do porto de Sepetiba, na Industria Naval, em Energia Nuclear, a construo de

1 CORRA, Magalhes. O Serto carioca. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1936.

5

indstrias siderrgicas, como previsto para os prximos anos em Itagua e Santa Cruz, o plo petroqumico localizado no municpio de Duque de Caxias, a modernizao das estradas que atravessam a regio a partir da construo do Anel Rodovirio que ligar o recncavo da Guanabara ao porto de Sepetiba, articulando a regio onde ser construda uma grande refinaria de petrleo no municpio de Itagua, o crescimento significativo do setor de servios, dentre outros investimentos pblicos e privados, evidenciam novo cenrio para as regies vizinhas UFRRJ. Entretanto, observemos que em quase todas essas regies so constatados as menores taxas de desenvolvimento humano do Estado, sendo gravssimos problemas como falta de saneamento bsico, habitao, transporte de massas, educao de qualidade e segurana pblica.

E, notemos que todo esse processo tem causado um extraordinrio impacto. O primeiro fator que assinala essa mudana a crescente e a intensa urbanizao da periferia da Regio Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro. Recordemos que durante boa parte do sculo passado esse processo ocorreu em localidades constitudas por bairros e municpios dormitrios, os quais viviam permanentemente o movimento dirio dos caminhos entre a casa e o trabalho. Essa posio de periferia em relao ao centro da cidade do Rio de Janeiro, apesar de ser ainda uma realidade, apresenta, hoje, demandas notadamente novas, fruto do processo de acelerada e desordenada urbanizao. Assim, as crescentes necessidades por servios pblicos bsicos e por educao de qualidade so os principais pontos de uma agenda social para essas regies. O panorama desse diagnstico geral no setor educacional a carncia de professores e profissionais bem qualificados em diversas reas. A procura pelo Ensino Superior , sem dvida, parte importante desse compromisso de melhoria da qualidade de vida da populao que habita a regio.

O curso de Licenciatura em Belas Artes da UFRRJ seria o nico em uma IES de toda extenso geogrfica fora da capital do Estado do Rio de Janeiro. Dessa forma, a criao do citado curso melhorar as possibilidades de acesso a essa populao ao redor da universidade, no que diz respeito s atividades artsticas em diferentes nveis de formao, do fundamental ao mdio, com o advento da opo da qualificao em nvel superior, melhorando em muito os nveis cultural e econmico dessa populosa regio carente de nosso estado.

1.1.1 Mapeamento da demanda (oferta e procura) em IES publicas e privadas do Rio

de Janeiro, zona oeste, baixada Fluminense, Costa verde, Sul Fluminense:

Na rea de abrangncia da UFRRJ existem cursos similares oferecidos por algumas instituies, segundo listagem abaixo. Mesmo assim, destacamos a notria carncia de Licenciados em Artes em toda a Educao Bsica do nosso Estado, como demonstrado no ltimo concurso pblico para o Magistrio realizado pela Secretaria Estadual de Educao. Das 3.391 vagas disponveis, 568 foram reservadas para Artes, ficando abaixo somente para Matemtica que atingira a cifra de 663, o que indica a alta demanda pelo presente curso, segundo quadro abaixo. Tambm para averiguar a situao n