plano de manejo da reserva extrativista marinha .iii equipe de planejamento/icmbio: •andrei tiego

Download PLANO DE MANEJO DA RESERVA EXTRATIVISTA MARINHA .iii Equipe de Planejamento/ICMBio: •Andrei Tiego

If you can't read please download the document

Post on 16-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAO DA BIODIVERSIDADE (ICMBio)

PLANO DE MANEJO DA RESERVA EXTRATIVISTA

MARINHA DE SOURE - PA

Braslia

Julho de 2018

ii

Presidente da Repblica

Michel Temer

Ministro do Meio Ambiente

Edson Duarte

Presidente do Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade

Paulo Henrique Marostegan e Carneiro

Diretor de Criao e Manejo de Unidades de Conservao, substituto

Ricardo Brochado Alves da Silva

Coordenador Geral de Criao, Planejamento e Avaliao de Unidades de Conservao

Ricardo Brochado Alves da Silva

Coordenadora de Elaborao e Reviso do Plano de Manejo

Erica de Oliveira Coutinho

Reserva Extrativista Marinha de Soure

Lisngela Aparecida Pinheiro Cassiano

iii

Equipe de Planejamento/ICMBio:

Andrei Tiego Cunha Cardoso Analista Ambiental, Chefe da Reserva Extrativista Marinha de

Soure (Resexmar Soure) at 02/2018

Carina Tostes Abreu Analista Ambiental, Coordenao de Elaborao e Reviso do Plano de

Manejo (Coman)

Gabriella Calixto Scelza Analista Ambiental, Resexmar Soure

Leide Jane Vieira Abrantes, Tcnica Administrativa, Coman

Maria Goretti de M. Pinto Analista Ambiental, Coman

Patrick Rabelo Analista Ambiental, Resex Arica-Pruan

Mapas finais:

William Fernandes Analista Ambiental, Coordenao Regional 4 Belm/PA

Patrick Rabelo Analista Ambiental, Resex Arica-Pruan

iv

Figura 1. Mapa de localizao da Reserva Extrativista Marinha de Soure.

v

SUMRIO

Misso do ICMBio ......................................................................................................1

Introduo ....................................................................................................................1

PARTE 1: COMPONENTES FUNDAMENTAIS .....................................................4

Ficha tcnica ................................................................................................................5

Breve descrio ........................................................................................................... 5

Propsito ......................................................................................................................8

Declaraes de significncia ........................................................................................9

Recursos e valores fundamentais ...............................................................................10

PARTE 2: COMPONENTES DINMICOS..............................................................12

Subsdios para interpretao ambiental ......................................................................12

Atos legais e administrativos ......................................................................................15

Levantamento das necessidades de dados e planejamento .........................................15

Anlise dos recursos e valores fundamentais .............................................................16

Priorizao das necessidades de dados e planejamento ............................................ 34

Identificao e priorizao das questes-chave..........................................................40

PARTE 3: ZONEAMENTO E NORMAS ................................................................42

Zona de comunidades.................................................................................................45

Zona de uso intensivo ................................................................................................47

Zona de uso extensivo ...............................................................................................48

Zona de Preservao ..................................................................................................49

Proposta de zona de amortecimento ..........................................................................50

Normas gerais ............................................................................................................50

PARTE 4: CONTRIBUIES...................................................................................55

Glossrio.....................................................................................................................57

ANEXOS ...................................................................................................................58

Anexo 1: Decreto de criao da Reserva Extrativista Marinha de Soure...................58

Anexo 2: Atos legais e administrativos.......................................................................60

1

Misso do Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade - ICMBio

A misso do Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade (ICMBio)

proteger o patrimnio natural e promover o desenvolvimento socioambiental.

Criado em 2007 pela Lei 11.516, o ICMBio uma autarquia em regime especial vinculada

ao Ministrio do Meio Ambiente (MMA) e integrante do Sistema Nacional do Meio Ambiente

(SISNAMA).

Cabe ao Instituto executar as aes do Sistema Nacional de Unidades de Conservao da

Natureza (SNUC), podendo propor, implantar, gerir, proteger, fiscalizar e monitorar as unidades

de conservao (UC) institudas pela Unio.

Entre as atribuies do ICMBio esto, ainda, fomentar e executar programas de pesquisa,

proteo, preservao e conservao da biodiversidade e exercer o poder de polcia ambiental para

a proteo das UC federais.

Atualmente1 so 324 UC federais sob gesto do ICMBio, perfazendo uma rea total de

aproximadamente 79 milhes de hectares do territrio brasileiro. Essa rea total protegida

corresponde a cerca de 9% do territrio brasileiro, sem contar as Reservas Particulares do

Patrimnio Natural (RPPN), as quais totalizam 516.787 ha.

Introduo

De acordo com a Lei 9.985/2000 (Sistema Nacional de Unidades de Conservao da

Natureza SNUC), o Plano de Manejo (PM) o documento tcnico no qual se estabelece o

zoneamento e as normas que devem presidir o uso da rea e o manejo dos recursos naturais,

inclusive a implantao das estruturas fsicas necessrias gesto da UC. O PM um dos

principais instrumentos de gesto da UC, pois constitui o seu documento oficial de planejamento,

definindo quais usos sero desenvolvidos na UC, bem como onde e de que forma os usos podero

ocorrer. Tambm descreve a relevncia da UC ao identificar o seu propsito, a sua significncia e

os seus recursos e valores fundamentais (RVF), fornece subsdios para interpretao ambiental,

avalia as necessidades de planejamento e dados para a UC e identifica seus atos legais (ou regras

especficas) e seus atos administrativos previamente existentes.

1 Fonte: ICMBio. 2017. Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade (ICMBio). Disponvel em:

http://qv.icmbio.gov.br/QvAJAXZfc/opendoc2.htm?document=painel_corporativo_6476.qvw&host=Local&anony

mous=true> Acessado em 04/11/2017.

2

Para a elaborao deste Plano de Manejo foi utilizada uma nova abordagem, baseada no

Foundation Document do Servio de Parques Nacionais Norte-Americano (NPS). A nova

abordagem foi identificada pela Coordenao de Elaborao e Reviso do Plano de Manejo

(Coman) do ICMBio como uma tima estratgia de construo de novos Planos de Manejo e foi

adaptada ao contexto legal brasileiro para atender as UC federais.

Nesse processo de adaptao e desenvolvimento do mtodo, a Coman selecionou duas UC

como pilotos, sendo uma de proteo integral, o Parque Nacional de So Joaquim (PNSJ) e uma

de uso sustentvel, a Reserva Extrativista Marinha de Soure (RESEXMAR Soure). Assim, este

o primeiro Plano de Manejo de Resex elaborado na nova abordagem.

A caracterstica principal desse mtodo a realizao de uma oficina participativa

(atividades em grupos e na plenria) para construo do contedo do plano de manejo, apoiada

por um guia do participante, um caderno de orientaes sobre a oficina com informaes

especficas da UC, previamente preparado.

A oficina da RESEXMAR Soure ocorreu em outubro de 2016 (16 a 21/10) na sede do

municpio de Soure/PA (entorno imediato da UC) com a durao de seis dias, sendo o primeiro

dia uma visita de campo. Nos cinco dias seguintes, a oficina seguiu um mtodo participativo, com

facilitao de servidores do NPS e da Coman/ICMBio, e contou com a participao de 26

convidados (atores-chave) com amplo conhecimento da Resex, dentre representantes do conselho

deliberativo, comunidades extrativistas, servidores do ICMBio lotados na RESEXMAR Soure e

na coordenao de uso pblico, representantes de rgos estaduais, secretarias municipais,

proprietrios ou ocupantes de reas sobrepostas UC e pesquisadores.

Para a elaborao das normas gerais e das zonas, o ponto de partida foi as regras construdas

previamente pela equipe da UC e pela populao tradicional da Resex para o Acordo de Gesto,

no mbito do Projeto Manguezais do Brasil (GEF Mangue), resultado de 14 oficinas setoriais e

uma ampliada no primeiro semestre de 2015, envolvendo cerca de 700 pessoas.

Aps a oficina, a consolidao da verso preliminar do plano de manejo ficou a cargo da

equipe da Coman, que a submeteu equipe da UC, ao