plano de desenvolvimento institucional - ape.unesp.br ?· pdi, delineados conjuntamente pelos...

Download plano de desenvolvimento institucional - ape.unesp.br ?· PDI, delineados conjuntamente pelos Pró-Reitores…

Post on 09-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

So Paulo2016

plano de desenvolvimento

institucional2016

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JLIO DE MESQUITA FILHO

ReitorJulio Cezar Durigan

Vice-ReitoraMarilza Vieira Cunha Rudge

Pr-Reitor de Administrao - PRADCarlos Antonio Gamero

Pr-Reitor de Ps-graduao - PROPgEduardo Kokubun

Pr-Reitor de Graduao - PROGRADLaurence Duarte Colvara

Pr-Reitora de Extenso Universitria e Assuntos Comunitrios - PROEXMaringela Spotti Lopes Fujita

Pr-Reitora de Pesquisa - PROPeMaria Jos Soares Mendes Giannini

Secretria Geral - SGMaria Dalva Silva Pagotto

Chefe de Gabinete do ReitorRoberval Daiton Vieira

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2016

REALIZAOAssessoria Especial de Planejamento Estratgico - APERua Quirino de Andrade, 215 - 9 Andar - CEP 01049-010 - So Paulo - SPTel.: (011) 5627-0293 - e-mail: ape@reitoria.unesp.br

Assessor-ChefeRogrio Luiz Buccelli

Equipe TcnicaEcila Alves de Oliveira Migliori, Helber Holland, Luis Eduardo Domingos da Roz,Maria Elisabete Lima Rosani e Srgio Lopes

Projeto Grfico e DiagramaoMaria Elisabete Lima Rosani

Arte da capa e Pginas capitularesProjetado por Freepik.com

Comisso PDI

Julio Cezar DuriganPresidncia

Tnia Regina de LucaCoordenao

Cristiane Yumi Koga Ito

Joo Lima Santanna Neto

Jorge Roberto Pimentel

Jurema Garbin Vieira de Souza Leite

Leila Trevisan Braz

Mrio de Bene Arrigoni

Mrio Srgio Vasconcelos

Rogrio Luiz Buccelli

Apresentao do ReitorO Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da Unesp o resultado da participao decisiva de toda a comunidade unespiana por meio de seus rgos colegiados, em todos os nveis, o que garante a ins-titucionalidade de seus objetivos e aes, nortean-do o futuro da Universidade. A efetiva colocao em prtica do Plano teve incio com a organizao, ao longo do ano de 2009, dos primeiros Programas PDI, delineados conjuntamente pelos Pr-Reitores e pela Comisso Permanente do PDI. A experincia acumulada, os resultados alcanados assim como as novas demandas e desafios colocados para a universidade pblica, indicavam a necessidade de adequar o documento, de modo a retirar aes j contempladas, eliminar repeties, precisar formu-laes, sempre respeitando-se rigorosamente o es-prito que presidiu a sua elaborao.

Para proceder a essas adequaes, vrios seminri-os, com a participao de todos os gestores envolvi-dos com Programas do PDI, bem como de especia-listas externos universidade, foram organizados ao longo de 2014 pela Escola Unesp de Liderana e Gesto. Foi assim elaborado um documento com essas adequaes. Amplamente debatido pelo con-junto dos envolvidos, foi apresentado ao Frum de Diretores, que nomeou uma comisso para acom-panhar de perto cada uma as adequaes feitas em cada uma das dimenses e verificar a sua natureza.

Cuidadosa comparao entre os dois documentos, acompanhada da justificativa das adequaes, est disponvel na pauta da reunio do Conselho Univer-sitrio, realizado em 25 de fevereiro de 2016, que aprovou integralmente as sugestes apresentadas. Cumpriu-se, desta forma, importante etapa pois a universidade tem disposio um documento que orientar a elaborao de planos estratgicos locais (PDU - Plano de Desenvolvimento das Unidades). Para colaborar com esta importante tarefa, a Co-misso do PDI, juntamente com a Escola Unesp de Liderana e Gesto (EULG) promoveu em abril e maio de 2016 workshops em So Paulo, Araraquara

e Bauru, que forneceram elementos prticos para a redao do PDU das Unidades e dos Cmpus Ex-perimentais.

Ao publicar a edio adequada do PDI, espera-se contribuir com o processo de consolidao do planejamento na universidade, o que implica em al-terar nossas prticas culturais no mbito da gesto acadmica. O PDU constitui-se numa oportunidade para mapear os desafios regionais e incentivar aes especficas das unidades universitrias, em consonncia com a misso e viso de futuro da ins-tituio.

As adequaes do PDI so mais um desafio a ser atingido e que se coloca num momento especial, quando completamos 40 anos de vida. A Unesp, nessa caminhada rumo aos prximos 40 anos, pre-cisa continuar a sua trajetria tendo como refern-cia os valores que a nortearam at aqui: formao de recursos humanos altamente qualificados, produo de conhecimentos e inovao, compro-metimento com as questes sociais, num ambiente marcado pelo respeito pluralidade e diversidade de opinies e pela liberdade acadmica.

Julio Cezar Durigan Reitor

O Plano indica objetivos e aes em seis dimenses: Ensino de Graduao; Ensino de Ps-graduao; Pesquisa; Extenso Universitria; Planejamento, Finanas e Infraestrutura; e Gesto e Avaliao Acadmico-Administrativa.

01Introduo

02Conceitos

03Estrutura

04Planejamento

Uma universidade para o Interior paulista 09

Histria da Unesp 10

Princpios, Misso e Viso de futuro 12

Sumrio

Desafios estratgicos 13

Dimenses 14

Um conceito de planejamento 25

Sistema de planejamento 26

A Unesp, criada em 1976, resultou da aglutinao dos Institutos Isolados de Ensino Superior do Es-tado de So Paulo, unidades universitrias situadas em diferentes pontos do Interior paulista abran-gendo diversas reas do conhecimento e que tiver-am origens diferenciadas, de conformidade com os momentos de sua criao, com as aspiraes de seus criadores e com os objetivos a que se presta-ram cumprir. [...]

[...] Alm das Faculdades de Filosofia, o conjunto das unidades universitrias era constitudo por faculdades que j desfrutavam de prestgio no In-terior do Estado [...] Na medida que os Institutos Isolados comeavam a adquirir corpo e uma atu-ao prpria, suas dificuldades tornaram-se mais evidentes. [...]

Estudos feitos pela Secretaria da Educao, com a finalidade de identificar tais problemas, vieram demonstrar as dificuldades em que se encon-travam em matria de infraestrutura, como edi-ficaes, de organizao e manuteno de labo-ratrios e bibliotecas, de aquisio e manuteno de equipamentos para ensino e pesquisa, alm da grande dificuldade de aprimoramento do pessoal docente para a complementao de sua carreira acadmica. [...]

[...] A criao da Universidade resultou de uma ini-ciativa externa aos Institutos Isolados. Foi um atoda Secretaria da Educao para a soluo de seus problemas administrativos. A Secretaria havia at-ingido um ponto tal de crescimento no atendi-mento a praticamente todo o ensino pblico do Estado de So Paulo, chegando-se concluso de que suas tarefas deveriam estar restritas ao ensino primrio e secundrio. [...]

[...] A criao, em 1967, da Coordenao da Ad-ministrao do Ensino Superior (Cases) integrou os Institutos Isolados, que passaram, no entanto, a partir de 1969, para a administrao da Coorde-nadoria do Ensino Superior do Estado de So Pau-lo (Cesesp). [...] O modelo que se apresentou foi de uma universidade multicmpus, sem qualquer

similar no Pas, sendo lembrado o exemplo norte-americano da Universidade do Estado da Califr-nia.

[...] Esboada no interior da Cesesp, com o apoio do governo do Estado, a proposta de criao da Universidade com essas caractersticas foi apre-sentada ao Conselho Estadual de Educao a 7 de outubro de 1975, tendo sua aprovao a 15 de ou-tubro. O sistema contava com 1.700 docentes, 78% em regime de dedicao integral docncia e pesquisa, 50% com titulao de doutor, contando com aproximadamente 11 mil alunos. A Univer-sidade deveria ser constituda por uma adminis-trao superior formada por uma Reitoria e por um Conselho Universitrio. Os antigos Institutos Isolados passavam a ser unidades universitrias. [...]

A Lei de criao da Unesp foi promulgada a 30 de janeiro de 1976 sob o nmero 952, sendo a Uni-versidade uma autarquia de regime especial. Pro-punha implantar o Cmpus de Ilha Solteira, onde deveria ser instalada a Reitoria. No ato de criao da Unesp foram incorporados os antigos Institutos Isolados: Faculdade de Filosofia Cincias e Letras de Araraquara; Faculdade de Filosofia, Cincias e Letras de Assis; Faculdade de Filosofia, Cincias e Letras de Marlia; Faculdade de Filosofia, Cincias e Letras de Presidente Prudente; Faculdade de Filosofia, Cincias e Letras de Rio Claro; Faculdade

Uma universidade para o Interior paulistaUnesp representa modelo de instituio multicmpus, sem similar no Pas

O ento governador Paulo Egydio Martins (quinto da esq. para a dir.) entre-ga Assemblia Legislativa de So Paulo o projeto que propunha a criao da Unesp, em outubro de 1975

8 | Plano de desenvolvimento institucional 2016

de Filosofia, Cincias e Letras de So Jos do Rio Preto; Faculdade de Farmcia e Odontologia de Araraquara; Faculdade de Odontologia de Araa-tuba; Faculdade de Odontologia de So Jos dos Campos; Faculdade de Cincias Mdicas de Botu-catu; Faculdade de Engenharia de Guaratinguet; e Faculdade de Medicina Veterinria e Agronomia de Jaboticabal.

[...] Dando incio administrao da nova Uni-versidade, o presidente do Conselho Estadual de Educao Moacyr Expedito Marret Vaz Guimares passou a responder pela Reitoria da Universidade [...]. [...] Na reunio de 17 de fevereiro, o Conselho Provisrio procedeu escolha dos nomes para compor a lista trplice a ser apresentada ao gov-ernador para a escolha do primeiro reitor. [...] Luiz Ferreira Martins, escolhido pelo governador comoprimeiro reitor, tomou posse a 10 de maro de 1976 [...].

A 8 de abril, procedeu-se indicao do vice-reitor, recaindo a escolha no professor Armando Octvio Ramos, da Faculdade de Cincias Mdicas de Botucatu. Assim composto, o Conselho Univer-sitrio Provisrio, conforme determinao supe-rior, deveria contar ainda com uma representao discente, no havendo, no entanto uma represen-tao docente nem de funcionrios. [...]

Ao dar incio a seus trabalhos,