planejamento tributrio - fesdt.org.br .planejamento tributrio miguel reale conclama a autoridade

Download Planejamento Tributrio - fesdt.org.br .Planejamento Tributrio Miguel Reale conclama a autoridade

Post on 14-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Planejamento Tributrio:Anlise da Jurisprudncia sobre o Planejamento Tributrio

    Paulo Ayres Barreto Doutor PUC/SP e Livre docente USP

  • Planejamento Tributrio

    Pesquisa emprica realizada por pesquisador da FGV Walter Pedrosa Barreto Jnior

    - Decises de 2006 a 2008- Tema genrico: planejamento, eliso, evaso

    - Temas especficos: Ganho de capital (casa e separa) Incorporao s avessas Pessoa fsica x Pessoa jurdica Planejamento internacional: controladas no exterior Operaes com interpostas pessoas

    - Resultado: operaes no oponveis ao fisco - Situao de extrema insegurana jurdica.

  • Planejamento Tributrio

    Eficcia positiva do princpio da capacidade contributivaPrincpio da solidariedadePrevalncia da substncia sobre a formaNecessidade de um propsito negocialAbuso de forma Abuso de direitoImpossibilidade de se estruturar operao com o nico propsito de reduzir a carga tributria.

  • Planejamento Tributrio

    Planejamento tributrio no direito positivona doutrinano Direito ComparadoPlanejamento Tributrio e limites normativosSimulao e Sonegao Fiscal

  • Planejamento Tributrio

    Corrente Tradicional- legalidade- tipicidade

    Corrente Moderna- eficcia positiva do princpio da capacidade contributiva- solidariedade social

    Dupla refutao por parte do legislador- art. 74 do projeto que deu origem ao CTN- MP 66/2002, convertida na Lei 10.637/2002

  • Planejamento Tributrio

    Espanha: - conflito normativo em face de negcios notoriamente artificiais

    - Art. 15 da L.G.E.- Art. 16 da L.G.E.

    EUA: - business purpose test 1.935 - Gitlitz v. Comissioner novo milnio

    Prejuzo fiscal, sem o correspectivo prejuzo societrio. Legitimidade.

  • Planejamento Tributrio

    Art. 149 do CTNO lanamento efetuado e revisto de ofcio pela autoridade administrativa nos

    seguintes casos:VII- quando se comprove que o sujeito passivo, ou terceiro em benefcio daquele, agiu com dolo, fraude ou simulao

  • Planejamento Tributrio

    Pargrafo nico do art. 116 do CTNA autoridade administrativa poder desconsiderar atos ou negcios jurdicos

    praticados com a finalidade de dissimular a ocorrncia do fato gerador do tributo ou a natureza dos elementos constitutivos da obrigao tributria, observados os procedimentos a serem estabelecidos em lei ordinria.

  • Planejamento Tributrio

    Exposio de motivos da L.C. 104/2001

    - abuso de forma e abuso de direito

    O novo Cdigo Civil brasileiro

    - abuso de direito como ilcito- princpios da eticidade, socialidade e boa-f

  • Planejamento Tributrio

    Previso constitucional

    Matria reservada lei complementar

    Matria regrada por lei especial tributria

    Relevncia do Direito Civil na matria e Conceitos de Direito Privado. Simulao e dissimulao.

  • Planejamento Tributrio

    Direitos e garantias individuais como clusula ptrea

    Rgida demarcao da competncia

    Capacidade contributiva como garantia individual

    Legalidade isonmica

  • Planejamento Tributrio

    Problemas no Campo das Normas Gerais e Abstratas- Regras com carter subincludente- Regras com carter sobreincludente

    Princpio Republicano- A fora das regras- Carter subtimo das regras

  • Planejamento Tributrio

    Problema no Campo das Provas

    Eficcia Social

    Ato perlocucionrio de fala

    Dois fatos vertidos em linguagem

    Teoria das provas

    Procedimento (ineficcia tcnico-sinttica)

  • Planejamento Tributrio

    (...) A mesma norma pode incidir sobre acontecimentos diferentes, produzindo, com isso, fatos jurdicos distintos. Paralelamente, normas diferentes podem incidir sobre o mesmo suporte fctico, engendrando tambm fatos juridicamente diversos. Um nico fato social comparece aos olhos do jurista como dois fatos jurdicos distintos porque objeto da incidncia de normas jurdicas diversas.________________________Direito Tributrio Linguagem e Mtodo, p. 153

  • Planejamento Tributrio

    E1 Fj1N1 E2 Fj2

    E3 Fj3

    N2 Fj4 E4

    N3 Fj5________________________Direito Tributrio Linguagem e Mtodo, p. 153

  • Planejamento Tributrio

    Tem-se simulao se os fatos relatados (i) aparentarem conferir ou transmitir direitos a pessoas diversas daquelas s

    quais realmente se conferem ou transmitem; (ii) contiverem declarao, confisso, condio ou clusula no-verdadeira; ou (iii) estiverem suportados por instrumentos particulares antedatados ou ps-

    datados.

  • Planejamento Tributrio

    Na dissimulao, h dois fatos vertidos em linguagem: o simulado, construdo por aqueles que intentaram o ato ou negcio jurdico e o fato que se pretendeu ocultar, a ser construdo por aquele que deseja comprovar a simulao. Tal comprovao haver de evidenciar a ocorrncia deste segundo fato (que se buscou ocultar) e a inocorrncia do primeiro (meramente aparente).

  • Planejamento Tributrio

    A diferena semntica que se verifica entre a simulao e a dissimulao que justifica a insero do pargrafo nico do artigo 116 do Cdigo Tributrio Nacional. Na dissimulao, h dois fatos: o construdo pelo contribuinte e o que se pretendeu ocultar. H duas manifestaes de linguagem possveis para reportar um nico acontecimento. Cabe ao fisco provar a ocorrncia do fato jurdico tributrio que alega ter sido ocultado. Compete ao contribuinte demonstrar que nada foi dissimulado. H que se estabelecer um procedimento para a verificao da verdade lgica: que relato lingstico prevalecer aps o cotejo das provas de sua ocorrncia.

  • Planejamento Tributrio

    No h enunciado prescritivo que proba, direta ou indiretamente, a estruturao, por meios lcitos, de operao tributria com o nico propsito de reduzir ou mesmo no pagar tributos. No h regra especfica que vede tal procedimento, nem qualquer princpio que possa servir de fundamento para impedir esse comportamento. O ordenamento jurdico brasileiro no positivou a regra do propsito negocial (business purpose).

  • Planejamento Tributrio

    Enquanto lei ordinria no disciplinar o procedimento de desconsiderao dos negcios jurdicos realizados com a finalidade de dissimular a ocorrncia do fato gerador, ser inaplicvel o pargrafo nico do artigo 116 do Cdigo Tributrio Nacional. H ineficcia tcnica, de natureza sinttica.

  • Planejamento Tributrio

    A simulao relativa ou dissimulao ilcito meramente civil, no se enquadrando no conceito de sonegao fiscal. Esta ltima caracteriza ilcito penal contra a ordem tributria. Em face de sua matriz diferenciada, as penalidades correspectivas devem tambm ser distintas. A multa agravada s aplicvel s hipteses de sonegao fiscal.

  • Planejamento Tributrio

    Miguel Reale conclama a autoridade administrativa, o advogado, o jurista, a proclamar a ilegitimidade das leis, dos programas ticos que delas possam surgir, mas lembra tambm uma lio de Scrates que, condenado pena de morte, se recusou a deixar de cumprir a pena que lhe fora imposta, dizendo o seguinte: preciso que os homens bons cumpram as leis ms para que os maus no deixem de cumprir as boas. Ou seja, deve se proclamar a legitimidade das leis, mas exaltando-se as boas, e enquanto nenhuma alterao vier a lume, que se cumpram ambas.

    Slide 1Planejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento TributrioPlanejamento Tributrio