planejamento tributrio conceitual e prtico 1 turma

Download Planejamento Tributrio Conceitual  e  Prtico 1 Turma

Post on 02-Jan-2016

21 views

Category:

Documents

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Realização: LL CURSOS E TREINAMENTOS GERENCIAIS (www.lltreinamentos.zip.net) Promovido pelo: CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DE GOIÁS Patrocínio: HMS Consultoria e Negócios INSTRUTOR: Prof. Esp. PEDRO ROBERTO SILVA PINTO Outubr o/2013. Planejamento Tributário Conceitual e Prático - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

  • Realizao: LL CURSOS E TREINAMENTOS GERENCIAIS (www.lltreinamentos.zip.net)

    Promovido pelo: CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DE GOIS

    Patrocnio: HMS Consultoria e Negcios

    INSTRUTOR: Prof. Esp. PEDRO ROBERTO SILVA PINTOOutubro/2013

    Planejamento Tributrio Conceitual e Prtico1 Turma

  • Prof. Esp. Pedro Roberto Silva Pinto=> Bacharel em Cincias Contbeis, Ps-graduado no curso de Planejamento Tributrio, Auditoria e Controladoria, Ex-Professor de curso superior na PUC-Gois e em outras instituies de ensino superior, palestrante de cursos de atualizao profissional em empresa especializada e in company. Proprietrio das empresas LL Cursos e Treinamentos e LL Consultoria Contbil e Tributria, Consultor Contbil e Tributrio, Pesquisador autodidata da legislao nacional e internacional. Atua tambm com planejamento tributrio para todos os ramos de atividade. Ampla experincia na rea tributria, e contabilidade industrial e comercial. Consultoria em gesto administrativa empresarial e na implantao de sistemas ERP corporativos. Consultoria para implantao e manuteno do SPED Contbil, Fiscal e Contribuies (PIS/COFINS). Consultoria para implantao e acompanhamento do projeto PRODUZIR/GOIS.

  • INTRODUOPara iniciar qualquer trabalho de planejamento tributrio, imprescindvel que se tenha o seguinte conhecimento:a) Conhecer e entender todos os processos da empresa, como seja: compra, venda, transferncia, clientes, fornecedores, quais Estados onde tem filiais, produtos que comercializa, produtos que consome, atividades principais e secundrias, e quaisquer outro processo que possa ensejar em pagamento ou crdito de tributos;b) Conhecer a legislao pertinente ao Setor em que a empresa atua, nos mbitos, Federal, Estadual e Municipal,c) Conhecer todas as estratgias da empresa,d) Conhece outros ramos de atividade,e) Conhecer rgos reguladores: ambientais, transporte, combustvel, etc...f) Ter um imenso networkg) Participar de reunies em associaes: Adial, Fieg, Acieg, CDL, Sindicatos, preferencialmente como associados.

  • INTRODUODiante de tais conhecimentos, o profissional pode se considerar apto para realizar um trabalho de Planejamento Tributrio, obtendo ganhos significativos para a empresa em que atua como colaborador ou como profissional liberal.Atualmente o Planejamento Tributrio tem sido alvo da fiscalizao, que a todo custo quer desencorajar os profissionais e os empresrios de um direito lquido e certo, mas ao contrrio, tem crescido em todo o territrio nacional e com muito xito.

  • PLANEJAMENTO TRIBUTRIO: PAGUE MENOS, DENTRO DA LEI! de notrio conhecimento que o nvel de tributao sobre as empresas e pessoas fsicas no Brasil absurdo, chegando a inviabilizar certos negcios. Empresas quebram com elevadas dvidas fiscais, e nem as recentes renegociaes, como REFIS, PAES e PAEX, trouxeram alguma tranquilidade ao contribuinte.Se o contribuinte pretende diminuir os seus encargos tributrios, poder faz-lo legal ou ilegalmente. A maneira legal chama-se eliso fiscal ou economia legal (planejamento tributrio) e a forma ilegal denomina-se sonegao fiscal.O planejamento tributrio um conjunto de sistemas legais que visam diminuir o pagamento de tributos. O contribuinte tem o direito de estruturar o seu negcio da maneira que melhor lhe parea, procurando a diminuio dos custos de seu empreendimento, inclusive dos impostos. Se a forma celebrada jurdica e lcita, a fazenda pblica deve respeit-la.

  • PLANEJAMENTO TRIBUTRIO: PAGUE MENOS, DENTRO DA LEI! sabido que os tributos (impostos, taxas e contribuies) representam importante parcela dos custos das empresas, seno a maior. Com a globalizao da economia, tornou-se questo de sobrevivncia empresarial a correta administrao do nus tributrio.Segundo o IBPT, no Brasil, em mdia, 33% do faturamento empresarial dirigido ao pagamento de tributos. Somente o nus do Imposto de Renda e da Contribuio Social sobre o Lucro das empresas pode corresponder a 51,51% do lucro lquido apurado.Da somatria dos custos e despesas, mais da metade do valor representada pelos tributos. Assim, imprescindvel a adoo de um sistema de economia legal.O princpio constitucional no deixa dvidas que, dentro da lei, o contribuinte pode agir no seu interesse. Planejar tributos um direito to essencial quanto planejar o fluxo de caixa, fazer investimentos, etc.

  • PLANEJAMENTO TRIBUTRIO: PAGUE MENOS, DENTRO DA LEI!TIPOS DE ELISOH duas espcies de eliso fiscal:1. aquela decorrente da prpria lei , e2. a que resulta de lacunas e brechas existentes na prpria lei.

    No caso da eliso decorrente da lei, o prprio dispositivo legal permite ou at mesmo induz a economia de tributos. Existe uma vontade clara e consciente do legislador de dar ao contribuinte determinados benefcios fiscais. Os incentivos fiscais so exemplos tpicos de eliso induzida por lei, uma vez que o prprio texto legal d aos seus destinatrios determinados benefcios. o caso, por exemplo, dos Incentivos Inovao Tecnolgica (Lei 11.196/2005).

  • PLANEJAMENTO TRIBUTRIO: PAGUE MENOS, DENTRO DA LEI!

    J a segunda espcie (lacunas ou brechas na Lei), contempla hipteses em que o contribuinte opta por configurar seus negcios de tal forma que se harmonizem com um menor nus tributrio, utilizando-se de elementos que a lei no probe ou que possibilitem evitar o fato gerador de determinado tributo com elementos da prpria lei. o caso, por exemplo, de uma empresa de servios que decide mudar sua sede para determinado municpio, visando pagar o ISS com uma alquota menor. A lei no probe que os estabelecimentos escolham o lugar onde exercero atividades, pois os contribuintes possuem liberdade de optar por aqueles mais convenientes a si, mesmo se a definio do local for exclusivamente com objetivos de planejamento fiscal.

  • Programa RECUPERARFicar atento aos benefcios autorizados pelo Governo, tambm uma forma de Planejamento Tributrio, como o parcelamento especial "RECUPERAR". Atualmente temos em vigor mais um parcelamento, que as empresas devem aproveitar a oportunidade para quitar as suas dvidas junto ao fisco Estadual.

    Funcionalidade e tabelas na apostila.

  • Programa REFIS18/10/2013 15h07- Atualizado em18/10/2013 15h19Prazo de opo pelo Refis da Crise comea na segunda-feiraOs contribuintes que desejarem ingressar no Refis da Crise, cuja reabertura foi autorizada pelo Congresso Nacional e sancionada pela presidenteDilma Rousseff, podero fazer a opo entre a prxima segunda-feira (21) e 31 de dezembro de 2013, segundo informou o Ministrio da Fazendanesta sexta-feira (18).As regras constam na portaria conjunta da Receita Federal e da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) de nmero 7, publicada no "Dirio Oficial da Unio" de hoje.Ao todo, at R$ 580 bilhes em dvidas de pessoas fsicas e de empresas junto ao governo federal podero ser parcelados em at 180 meses.http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/10/prazo-de-opcao-pelo-refis-da-crise-comeca-na-segunda-feira.html

  • A CONTABILIDADE COMO BASE DO PLANEJAMENTO TRIBUTRIOA base de um adequado planejamento tributrio a existncia de dados regulares e confiveis, sendo encontrados na contabilidade, que um sistema de registros permanentes das operaes,constituindo portanto um pilar para se alcanar tal finalidade.Por contabilidade, entende-se um conjunto de escriturao das receitas, custos e despesas, bem como de controle patrimonial (ativos e passivos), representado por diversos livros, dentre os quais:1. Livro Dirio2. Livro Razo3. Inventrio e Controle de Estoques4. Livro de Apurao do Lucro Real (LALUR)5. Apurao do ICMS6. Apurao do IPI7. Apurao do ISS, etc.

  • A CONTABILIDADE COMO BASE DO PLANEJAMENTO TRIBUTRIOA Contabilidade ir gerar os dados preliminares para anlise tributria. Obviamente, se desejamos reduzir tributos, temos que saber quanto estamos gastando com eles na atualidade. Partimos de um fato real (quanto gastamos) para compararmos com estimativas econmicas (quanto pagaremos).Sem contabilidade, o planejamento tributrio ficar dependente de informaes avulsas, no regulares, sujeita a estimativas, erros e avaliaes equivocadas.Para que a contabilidade se preste ao planejamento, a mesma dever refletir a situao real do patrimnio e das receitas e despesas.

  • A CONTABILIDADE COMO BASE DO PLANEJAMENTO TRIBUTRIOO planejador de sucesso, na rea tributria, ir buscar, basicamente:1. Informaes precisas sobre os tributos (base de clculo, alquotas, prazos de recolhimento, fato gerador, etc.)2. Dados internos e externos do contribuinte (lucratividade, volume de negcios, forma de operaes, entre outros).A partir desses dados, comear a comparar, analisar, verificar, deduzir, pressupor e idealizar alternativas lcitas para reduo fiscal.

  • A CONTABILIDADE COMO BASE DO PLANEJAMENTO TRIBUTRIOUm exemplo:Se o contribuinte est no lucro presumido, onde est dispensado de escriturao contbil, porm a mantm, poder avaliar, periodicamente, a vantagem/desvantagem deste regime, com base nos resultados gerados nos perodos a que se submeteu a esta forma de tributao, comparativamente ao regime do Lucro Real.

  • A CONTABILIDADE COMO BASE DO PLANEJAMENTO TRIBUTRIOQuando se aplicar o planejamento tributrio, a sua execuo precisa ser avaliada, luz de critrios objetivos.Novamente a contabilidade se prestar para tal, pois seus registros evidenciaro, entre outros:a) A execuo do planejamento tributrio trouxe reduo de impostos? Quanto?b) Houve custos adicionais (administrativos, consultoria) nesta implantao? Quais foram estes custos e seu respectivo montante?c) Baseado nos resultados j alcanados pode-se afirmar que o planejamento fiscal foi aplicado de forma eficaz, econmica?

  • O QUE GESTO TRIBUTRIA o processo de gerenciamento dos aspectos tributrios de uma determinada empresa, com a finalidade de adequao e planejamento, visando controle das operaes que tenham re