planejamento 2013 sme (sem vídeos)

Download Planejamento 2013   sme (sem vídeos)

Post on 09-Jul-2015

5.707 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Quando perguntaram ao filsofo Francs Oliver Reboul (1925 1992) o que deve ser ensinado nas escolas, ele respondeu citando o filsofo ingls Hebert Spencer (1820 1903): Tudo o que une e tudo o que liberta. O que une so as razes e o que liberta o mundo. O que une so as culturas a que pertencemos e o que liberta so as cincias e as outras disciplinas.

  • Igualdade de condies para o acesso e permanncia na escola: independentemente de classe social, raa, credo, condies fsicas e psicolgicas, histricas e contexto familiar;

  • Garantir uma escola de qualidade para todos. Qualidade de ensino / aprendizagem, das relaes interpessoais, garantir valores condizentes com uma sociedade mais justa e igualitria;

  • Gesto democrtica como princpio sagrado da Constituio Federal de 1988 e da LDB de 1996, que abrange as dimenses pedaggica, administrativa e financeira. Ser democrtico sem deixar de ser lder;Liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber;

  • Respeito liberdade e apreo tolerncia;

  • Valorizao e respeito pela experincia extraescolar do aluno;

  • Dar oportunidade de participao, mas exercendo sempre o papel de mediador, ponderador das melhores decises para o futuro da Instituio;

  • Autonomia consciente, significando a possibilidade de a escola se orientar a partir de suas prprias necessidades desde que em consonncia com as regras e princpios da SME. Autonomia no se adquire, se conquista;

  • Valorizao do magistrio oferecendo na medida do possvel boas condies de trabalho (infraestrutura fsica e material, relaes humanas) oportunidade de formao continuada dentro e fora do ambiente escolar (com apoio da SME);

  • Colaborar de maneira consciente, sistemtica e intencionada na construo de uma sociedade mais justa, solidria e humana;

  • Por formao humanstica, deve estar prevista a formao da pessoa na sua afetividade, sensibilidade, valores e princpios e emoes;

  • Romper prticas de relaes hierrquicas de poder autoritrio e centralizador, do professor, do diretor, dos agentes da SME e outros;

  • Os Conselhos de Escola esto amparados por lei e devem ser constitudos em prtica na escola para dar vez ao exerccio da democracia escolar, so eles: os colegiados, os grmios estudantis, as assembleias, os conselhos de classe, os seminrios, as reunies, enfim, os espaos e tempos coletivos para o debate e discusso do trabalho pedaggico na escola;

  • Nas relaes de trabalho, o importante considerar o trabalho coletivo. A solidariedade, o respeito, a reciprocidade e a participao de todos devem servir de base para relaes mais cordiais;

  • Educao um processo voltado para a formao, antes que a informao;

  • Docentes bem preparados no so somente aqueles que dominam contedos e mtodos de ensino, precisam tambm de uma viso compartilhada, uma cultura e ambiente que sustentem a sua prtica pedaggica;

  • Velar pela dignidade da criana e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatrio ou constrangedor.

  • Compromisso tico profissional todos somos responsveis pela concretizao dessas intenes;

  • Anlise:A relao interpessoal a forma como o indivduo lida com o seu meio social, seja na famlia, na escola ou no trabalho. Como a escola um espao social de grande nmero de pessoas, normal que aconteam os conflitos. O que no pode ser comum o desprezo em relao aos incmodos, pois esses devem ser trabalhados a fim de tornar os sujeitos mais tolerantes com o seu prximo.Algumas atividades podem auxiliar os alunos (ou mesmo a equipe de profissionais) a perceberem as diferenas entre as pessoas, alm de mostrar que cada um deve ser respeitado e valorizado em suas caractersticas prprias. Para uma anlise mais detalhada da questo torna-se necessrio, segundo nosso ponto de vista:

    ItenstimoMuito bomBomPrecisa melhorarN%N%N%N%Relaes interpessoais internas e externas.36834,936534,725424,1666,3

  • Separar o item avaliativo relaes interpessoais em: relaes interpessoais internas e relaes interpessoais externasNas relaes interpessoais internas avaliar:Relao direo / funcionrioRelao professor / alunoRelao professor / professorRelao coordenador / professorRelao aluno / alunoNas relaes interpessoais externas avaliar:Relao escola / comunidadeRelao direo / paisRelao professor / paisRelao funcionrios / paisRelao escola SMES desta maneira teremos condies de fazer uma anlise mais minuciosa e detalhada e pensar as melhores estratgias para superao das dificuldades detectadas.

  • Anlise:O que qualidade em educao? Uma educao de qualidade pode significar tanto aquela que possibilita o domnio eficaz dos contedos previstos nos planos curriculares; como aquela que possibilita a aquisio de uma cultura cientfica ou literria; ou aquela que desenvolve a mxima capacidade tcnica para servir ao sistema produtivo; ou, ainda, aquela que promove o esprito crtico e fortalece o compromisso para transformar a realidade social, por exemplo. De que qualidade estamos falando? Acreditamos que esse o primeiro ponto a definir e ou retomar no planejamento escolar e concretiz-lo durante todo o ano letivo para que ao final do processo todos os segmentos envolvidos tenham clareza do que se trata e sejam capazes de avaliar consciente e objetivamente.

    ItenstimoMuito bomBomPrecisa melhorarN%N%N%N%Qualidade do ensino50948,33693516015,2161,5

  • Sugesto: Substituir o termo qualidade de ensino, por qualidade do trabalho pedaggico;Separar o item avaliativo qualidade de ensino na escola e qualidade de ensino na rede municipal. (Se no considerar conveniente realizar essa distino, pelo menos especificar que est se avaliando a escola, pois, da forma como est proposto pode gerar diferentes interpretaes).Eficincia: capacidade administrativa de produzir o mximo de resultados com o mnimo de recursos, energia e tempo; Eficcia: [...] o critrio institucional que revela a capacidade administrativa para alcanar as metas estabelecidas ou os resultados propostos (vinculados, especificamente, aos aspectos pedaggicos da educao.);Efetividade: reflete a capacidade administrativa para satisfazer as demandas concretas feitas pela comunidade externa;

  • Relevncia: [...] o critrio cultural que mede o desempenho administrativo em termos de importncia, significao, pertinncia e valor, (est diretamente relacionado atuao da educao para a melhoria do desenvolvimento humano e qualidade de vida dos indivduos e grupos que participam do sistema educacional e da comunidade como um todo.Esses quatro critrios no so excludentes na gesto da educao, porquanto, se complementam. Segundo Sander (1995, p. 67),

    [...] embora distinguveis, so dimenses dialeticamente articuladas de um paradigma abrangente e superador de administrao da educao. No paradigma multidimensional de administrao da educao a eficincia subsumida pela eficcia; a eficcia e a eficincia so subsumidas pela efetividade; a efetividade, a eficcia e a eficincia so subsumidas pela relevncia.

  • Anlise:A organizao da escola corresponde a modos especficos de organizar espaos, tempos, agrupamentos de alunos e os modos de relao com o conhecimento.

    Separar o item avaliativo organizao quanto ao funcionamento da escola e organizao pedaggica;

    Funcionamento: Projeto arquitetnico / espaos disponveisDiviso das tarefas / horriosQuantidade de funcionrios

    ItenstimoMuito bomBomPrecisa melhorarN%N%N%N%Organizao da escola46644,233531,821620,5373,5

  • Pedaggica: Curricular Reforo escolarNmero de alunos por classeAtendimento dos alunos com Necessidades Educacionais EspeciaisAtendimento dos professores e funcionriosAtendimento dos pais

  • Anlise:Yves de La Taille: "Nossos alunos precisam de princpios, e no s de regras". Para o psiclogo, a escola deve investir em formao tica no convvio entre alunos, professores e funcionrios para vencer a indisciplina. O caminho para chegar l passa pela formao tica - no necessariamente como contedo didtico, mas principalmente no convvio dirio dentro da instituio. Antes de tudo o professor tem de eleger seus prprios princpios, coerentes com a Constituio Brasileira: liberdade, respeito, igualdade, justia, dignidade... fundamental,ainda, deixar claro aos estudantes e pais quais so esses princpios, defendendo-os com unhas e dentes. "A dimenso moral da criana tem de ser trabalhada desde a pr-escola. tica se aprende, no uma coisa espontnea.

    ItenstimoMuito bomBomPrecisa melhorarN%N%N%N%Disciplina28827,334933,130028,511711,1

  • Separar o item avaliativo disciplina dos alunos e disciplina dos funcionrios:

    Disciplina dos alunos: Na sala de aulaEm outros espaos escolares

    Disciplina de funcionrios e professoresPontualidade Entrega de documentosCumprimento de deveres

  • Anlise:A educao perpassa tanto o ambiente escolar quanto o familiar. A interao entre ambos muito importante para o sucesso do processo ensino-aprendizagem. Mas de que forma deve ocorrer a participao da famlia na escola? De que maneira a escola pode estimular a participao dos pais? Quais os principais resultados trazidos por essa participao? Temos clareza disso? Temos trabalhado para que de fato essa participao acontea?Discriminar as diversas formas de participao:Nas reunies de pais e mestresNos eventos promovidos pela escolaNas convocaes realizadas pela direoParticipao espontnea Nos colegiados da escola: APM e Conselho de Escola

    ItenstimoMuito bomBomPrecisa melhorarN%N%N%N%Participao dos pais16115,331329,83673520919,9

  • No acompanhamento da vida escolar do (a) filho (a): tarefas trabalhos, estudos para avaliaes, cadernos, etc.Quais so os principais resultados trazidos pela participao dos pais?Tnia Zagury Primeiro a revalorizao do saber;