pina madalena td 2007.pdf

Download Pina Madalena TD 2007.pdf

Post on 09-Jan-2017

229 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 2

    Autor | Madalena Gouveia Esperana Pina Kreiseler Albuquerque

    Capa | Pormenor do azulejo comemorativo do XV Congresso Internacional de Medicina, realizado em Lisboa, em Abril de

    1906, Coleco J. A. Esperana Pina

    Composio grfica | Sofia Pavia Saraiva

    Impresso | Euroscanner

    Tiragem | 50 exemplares

    MadalenaEPRectangle

  • 3

    Dissertao de Doutoramento no ramo de Cincias da Vida, na especialidade de

    Histria das Cincias da Sade, apresentada Faculdade de Cincias Mdicas da

    Universidade Nova de Lisboa.

    MadalenaEPRectangle

  • 4

    MadalenaEPRectangle

  • 5

    Dissertao de Doutoramento no ramo de Cincias da Vida, na especialidade de

    Histria das Cincias da Sade, apresentada Faculdade de Cincias Mdicas da

    Universidade Nova de Lisboa, realizada sob a orientao do Professor Doutor Lus

    Nuno Ferraz de Oliveira, Professor Jubilado da Faculdade de Cincias Mdicas e a

    co-orientao do Professor Doutor Francisco Caramelo, Professor Auxiliar da

    Faculdade de Cincias Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa.

    MadalenaEPRectangle

  • 6

    MadalenaEPRectangle

  • 7

    memria do meu Av Antnio.

    MadalenaEPRectangle

  • 8

    MadalenaEPRectangle

  • 9

    Mdico que s sabe de Medicina, nem de Medicina sabe.

    Abel Salazar

    - Mas e ento os azulejos?

    - Com os azulejos tenho conscincia de ter feito uma coisa boa.

    Maria Keil do Amaral

    MadalenaEPRectangle

  • 10

    MadalenaEPRectangle

  • 11

    NDICE

    Agradecimentos 15

    Resumo 19

    Introduo 25

    PARTE I. Arte e Medicina

    1. Arte e Cincia. Medicina e Azulejaria 31

    1.1. A Medicina e a Arte 33

    1.2. O azulejo em Portugal apontamento histrico 39

    2. Azulejos, higiene e assistncia 47

    2.1. Azulejo e higiene 49

    2.2. Azulejo decorativo em aspectos de assistncia 57

    PARTE II. Aluses Medicina na Azulejaria em Lisboa

    1. Os quatro elementos e os cinco sentidos 77

    2. Representaes em Azulejaria ligadas ideia de morte 94

    3. A Medicina na Azulejaria de iconografia religiosa 103

    3.1. Representao de episdios bblicos com interpretao mdica 103

  • 12

    3.2. Representao de Santos e de passos das suas vidas 119

    4. Representaes mdicas em azulejos de Lisboa 139

    4.1. Aco mdica, patologia e acessrios complementares de teraputica 139

    4.2. O Hospital de Marinha 157

    4.3. O XV Congresso Internacional de 1906 164

    4.4. A Sala dos Passos Perdidos da Faculdade de Cincias Mdicas 170

    Consideraes finais 189

    Bibliografia 197

  • 13

    AGRADECIMENTOS

    Ao Professor Doutor Lus Nuno Ferraz de Oliveira agradeo tudo o que me

    transmitiu nos ltimos anos, no que diz respeito Histria da Medicina e no que diz

    respeito sua forma de estar na vida. De facto, pegando em palavras de um dos seus,

    ser simples no custa nada, ser-se o que se e deixar as coisas correr como elas

    so.

    A minha gratido para com o Professor Doutor Francisco Caramelo expressa-se pelo

    apoio incondicional que me deu no decorrer deste trabalho e pelo exemplo de

    excelncia que me transmite, desde os meus tempos de aluna, do que o rigor

    acadmico e o respeito pelo aluno.

    Ao Director do Departamento de Histria da Medicina, Professor Doutor Jos

    Antnio Esperana Pina, agradeo a confiana que depositou em mim, enquanto

    Assistente de Histria da Medicina, e o exemplo que me transmitiu, do acadmico de

    excepo.

    Presidente do Conselho Cientfico, Professora Doutora Maria da Graa Morais,

    agradeo o estmulo e o apoio que me demonstrou desde a minha chegada

    Faculdade de Cincias Mdicas. Expresso aqui a minha admirao pelo seu sentido

    profissional, que prima pela seriedade e pelo rigor.

    Ao Professor Doutor Antnio Rendas, estou grata por me ter recebido de braos

    abertos na Faculdade de Cincias Mdicas, instituio ento por si dirigida de forma

    notvel e qual tanto me orgulho de pertencer.

    Ao Dr. Jos Lus Doria, agradeo a sua amizade e a generosidade com a qual me

    transmitiu o seu saber e me acolheu no ambiente da Histria da Medicina.

    Ao Dr. Lus da Silveira Botelho estou grata por me ter orientado na escolha deste

    tema de estudo.

  • 14

    minha amiga Luisa Villarinho Pereira, agradeo o exemplo que me deu da

    persistncia e do rigor na investigao agradeo a pacincia com a qual atendeu as

    minhas solicitaes no decorrer desta pesquisa.

    Ao Jos Meco, agradeo as ideias que me deu e as imagens de livros seus que me

    cedeu. Ao Dr. Antnio Barros Veloso agradeo a cedncia de uma das imagens

    alusivas a Santo Anto. Ao fotgrafo Nicolas Lesmonier agradeo a cedncia de duas

    imagens da sua autoria.

    Professora Alexandra Gago da Cmara, agradeo o interesse que manifestou por

    esta dissertao e as ideias orientadoras que me foi dando ao longo da sua

    elaborao.

    Um agradecimento ao Museu Nacional do Azulejo, ao Museu da Cidade, Fundao

    das Casas de Fronteira e Alorna, ao Metropolitano de Lisboa, Universidade Aberta,

    ao Palcio do Correio-Mor, Fundao Medeiros e Almeida, Ordem Hospitaleira

    de So Joo de Deus, de forma especial ao Dr. Augusto Moutinho Borges, ao Servio

    Religioso da Marinha Portuguesa, ao Hospital de Marinha e a todas as restantes

    instituies que permitiram o meu acesso e autorizaram a reunio do arquivo

    fotogrfico presente nesta Dissertao.

    Dra. Maria Alexandre Bettencourt Pires, agradeo o convvio dirio e a troca de

    ideias referentes a este estudo.

    Teresa Sousa, de forma especial, Isabel Coelho, Natasha Feij e Maria Emlia

    Oliveira, expresso o maior agradecimento pelo seu apoio quotidiano.

    queles meus amigos que me acompanham em todos os momentos, expresso a minha

    gratido pela ateno com a qual seguiram este trabalho. A Susana Maia e Silva, a

    Mariana Castro Henriques, a Carla Castro e a Ana Penha merecem, neste contexto,

    referncia especial, bem como a Sofia Pavia Saraiva, a quem agradeo muito o

    cuidado, o rigor e a pacincia com que se encarregou da parte grfica deste trabalho.

  • 15

    Paula Aresta e ao Fernando Quaresma agradeo o convvio dirio e sempre

    benfico.

    Para os meus pais nunca vo chegar quaisquer palavras de agradecimento.

    Agradeo-lhes acima de tudo pelos valores que me incutiram e por me terem

    ensinado a no gostar de viver sem livros.

    Aos meus irmos, Miguel e Margarida, agradeo o peso de referncia que tiveram na

    minha formao. Por isso e pelos fortes laos que nos unem, considero que este

    trabalho tambm deles.

    Ao meu marido Miguel agradeo a sua sensatez, a sua capacidade de lidar com as

    adversidades e os desafios, agradeo a amizade, o interesse e a curiosidade que

    pontuaram estes Traos da Medicina na Azulejaria de Lisboa.

    Aos meus filhos Antnio e Maria, agradeo o desafio que me trazem todos os dias,

    agradeo as crianas extraordinrias que so e agradeo simplesmente o facto de

    existirem.

    Joana, resta-me agradecer a proteco que, acredito, me d todos os dias.

  • 16

    MadalenaEPRectangle

  • 17

    RESUMO

    A presente abordagem procura estabelecer uma relao entre a Medicina e a

    Azulejaria. Um conjunto de composies produzidas entre o sculo XVII e a dcada

    de 90 do sculo XX, localizado na rea de Lisboa e seus arredores, organiza-se em

    torno de oito vectores que ilustram a presena de aluses Medicina na Azulejaria

    da referida rea. So estes, aspectos relacionados com a higiene, marcos da histria

    da assistncia, ciclos temticos relacionados com os quatro elementos primordiais e

    com os cinco sentidos, representaes ligadas ideia de morte, episdios bblicos,

    referncias hagiogrficas e elementos ligados aco mdica, como objectos,

    patologias, instituies ou acontecimentos, associados Medicina, que atestam esta

    relao entre Arte e Cincia, de forma geral, e entre a Azulejaria e a Medicina, de

    forma particular. anlise destes vectores, antecede uma resenha histrica relativa

    ligao entre Arte e Cincia e um apontamento histrico acerca da histria da

    Azulejaria. Pretende-se demonstrar esta conexo interdisciplinar e reforar a

    importncia da vertente humanista da Medicina, na sua histria, na sua

    aprendizagem e na sua prtica.

    PALAVRAS-CHAVE

    Medicina, Histria, Azulejaria, Azulejo, Arte.

  • 18

    ABSTRACT

    The present approach aims at establishing a relation between Medicine and Tile Art.

    A group of compositions produced between the 17th century and the 1990s, located

    in the Lisbon area and its surroundings, is organized around eight vectors that

    illustrate the presence of allusions to Medicine in the Tile Art in the mentioned areas.

    These are related with hygiene aspects, landmarks in the history of assistance,

    thematic cycles related with the four main elements and with the five senses,

    representations connected to the idea of death, biblical episodes, hagiographic

    references and elements connected to the medical intervention, such as objects,

    pathologies, institutions or events related to Medicine that testify this relation

    between Art and Science in a broad context, and between Tile Art and Medicine in a