Pim-Viii Gesto Da Qualidade e Empreendedorismo

Download Pim-Viii Gesto Da Qualidade e Empreendedorismo

Post on 22-Jun-2015

116 views

Category:

Documents

16 download

TRANSCRIPT

UNIP INTERATIVA Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores de Tecnologia GESTO DA QUALIDADE E EMPREENDEDORISMO Cricima Santa Catarina 2012 UNIP INTERATIVA Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores de Tecnologia GESTO DA QUALIDADE E EMPREENDEDORISMO Nome: Aguinaldo da Silva RA: 1139586 Nome: Renan Pereira Freitas RA: 1103479 Nome: Jonatan Bolsoni Vieira RA: 1115499 Curso: Gesto da Tecnologia da Informao Semestre: 2 Semestre Cricima Santa Catarina 2012 RESUMO Afaltademecanismosdecontroleegarantiadequalidadenormalmente geram custos e riscos associados com retrabalho ou com perda de processos, como porexemplo,falhanaexecuodealgumastarefas.AnecessidadedeQualidade emSoftwareestconduzindoomercadoatualaumabuscaincessantepela excelncia no desenvolvimento de projetos Autilizaodeprocessosbemdefinidosebaseadosemmodeloscomoo CMMI (Capability Maturity Model Integration) na construo de softwares colaboram diretamenteparaaqualidadedoprodutofinal.Aorganizaodevetercomofoco principalabuscapelasatisfaodosseusclientesparasobrevivernomercado. Para isto, deve produzir produtos de qualidade. A melhora da qualidade do produto deve ser incorporada no seu processo de desenvolvimento Um dos fatores importantes para a construo de um software de qualidade oprocessodedesenvolvimentoutilizadoecomoesteimplantadona organizao.Ainexistnciaouanoutilizaodeprocessosbemdefinidosede boasprticasdedesenvolvimento,mesmoqueinformais,fazcomqueo desenvolvimentodesoftwarefiquedependentedaexperinciaedoconhecimento das pessoas envolvidas.Estecenrioresultanarealizaodeprojetoscujosresultadosso imprevisveis, onde cada um realiza as suas atividades da forma que lhe convm, e dificulta a reutilizao de boas prticas e de lies aprendidas. Paralidarcomaqualidadedeumsoftwarenecessriolembrarqueo projetodosoftware,oprocessodedesenvolvimentoeoprodutofinaltmqueter qualidade. Palavras chave: CMMI, qualidade, empreendedorismo, ISO/IEC, software. ABSTRACT Thelackofcontrolmechanismsandqualityassurancetypicallygenerate costs and risks associated with rework or loss processes, such as failure to perform sometasks.TheneedforQualitySoftwareisleadingthecurrentmarkettoa relentless pursuit of excellence in project development. TheuseofwelldefinedprocessesandbasedonmodelssuchasCMMI (Capability Maturity Model Integration) software collaborate on building directly to the qualityofthefinalproduct.Theorganizationmusthaveasitsmainfocusthequest forcustomersatisfactiontosurviveinthemarket.Forthis,itmustproducequality products.Theimprovementofproductqualityshouldbeincorporatedintotheir development process. Oneoftheimportantfactorsforbuildingaqualitysoftwaredevelopment process is used and how it is deployed in the organization. The absence or non-use ofwelldefinedprocessesandbestpracticesdevelopment,evenifinformal,makes software development becomes dependent on the experience and knowledge of the people involved. Thisscenarioresultsintherealizationofprojectswhoseresultsare unpredictable,whereeachperformsitsactivitiesinthewaythatsuitsyou,and hampers the reuse of best practices and lessons learned. To deal with the quality of software is necessary to remember that the design of the software development process and the final product must have quality. Keywords: CMMI, quality, entrepreneurship, ISO / IEC software. NDICE 1.INTRODUO ............................................................................................................... 6 2.MPS.BR .......................................................................................................................... 7 3.CMMI ............................................................................................................................... 8 4.ISO 12207....................................................................................................................... 9 5.ISO 15504..................................................................................................................... 10 6.PROJETO DE CONSULTORIA DA CONSULTING PARA A SOFTWARE DEVELOPER ............................................................................................................... 11 6.1.Garantia da qualidade de software ........................................................................... 12 6.2.Ferramentas para gesto da qualidade ................................................................... 14 6.2.1. Grfico de Pareto ........................................................................................................ 14 6.2.2. Diagrama de Ishikawa ................................................................................................ 15 6.2.3. Grfico de Gantt .......................................................................................................... 16 6.2.4. PERT e CPM ................................................................................................................ 17 6.2.5. MS-PROJECT .............................................................................................................. 18 7.EMPREENDEDORISMO ........................................................................................... 19 7.1.Empreendedorismo como vantagem competitiva .................................................. 20 7.2.Intraempreendedorismo ............................................................................................. 21 7.3.Inovao ....................................................................................................................... 22 7.4.Identificao de oportunidades ................................................................................. 22 7.5.Prticas de gesto empreendedora ......................................................................... 23 8.CONCLUSO .............................................................................................................. 25 9.REFERNCIAS ........................................................................................................... 26 6 1.INTRODUO Realizaraimplantaodemelhorespraticasnosprocessosde desenvolvimentodesoftware,deacordocomoGuiadeConhecimentospara GerenciamentodeProjetos(PMBOK)ecomosdocumentosCMMI-DEV,uma difcil tarefa que exige conhecimento e comprometimento de todos os stakeholders. Realizaraidentificaoderiscosdoprojeto,planejarsuamitigaoou contingncia,calcular estimativasdecustos ede esforoparamelhorexecuodo projeto, detalhar os recursos necessrios para as atividades, so tarefas essenciais para determinar o sucesso do projeto. A qualidade essencial para a sobrevivncia da empresa no mercado e tais qualidadessorepresentadasatravsdecertificaescomo:CMMI,MPsBR, ISO15504 entre outras. 7 2.MPS.BR OMPS.BRouMelhoriadeProcessosdoSoftwareBrasileiro simultaneamente um movimento para a melhoria da qualidade (Programa MPS.BR) e um modelo de qualidade de processo (Modelo MPS). Voltado para a realidade do mercadodepequenasemdiasempresasdedesenvolvimentodesoftwareno Brasil,elebaseadonasnormasISO/IEC12207eISO/IEC15504ecompatvel com o CMMI. Essas normas so as mesmas que o CMMI baseado por isso pode se dizer que os dois modelos tem equivalncia. Ambososmodelospossuemnveisdematuridadequedefinema capacidadedaempresaemtrabalharemprojetosgrandesecomplexos.OCMMI variado1ao5eoMPS.BrvariadoGaoA,sendoqueaocontrriodoCMMI,o primeiro nvel j exige que a empresa tenha determinados processos definidos A escala de nveis pode ser expressa da seguinte forma: G Parcialmente Gerenciado F Gerenciado E Parcialmente Definido D Largamente Definido C Definido B Gerenciado Quantitativamente A Em Otimizao. Umadasprincipaisvantagensdomodeloseucustoreduzidode certificao em relao as normas estrangeiras, sendo ideal para micro, pequenas e mdias empresas que so a grande maioria no Brasil. 8 3.CMMI Resumidamente,oCMMI(CapabilityMaturityModelIntegration)um modelo de referncia que contm prticas necessrias maturidade em disciplinas especficas:engenhariadesistemas,engenhariadesoftware,integraode produtoseserviosesuprimentos.OCMMIprocuraestabelecerummodelonico paraoprocessodemelhoriacorporativo,integrandodiferentesmodelose disciplinas. O CCMI est dividido em cinco nveis: Nvel1-Inicial:imaturidadeorganizacional;compromissosdeprazoe custo no so cumpridos; o planejamento no feito com base em estimativas e as chancesdesucessodependemdashabilidadespessoaisdosgerentese desenvolvedores; Nvel2-Gerenciado:polticaseprocedimentosparagerenciaro desenvolvimentodesoftwareestodefinidasesoobedecidas;oplanejamento baseadoemestimativasenaexperinciaanteriordeoutrosprojetos;osprojetos utilizamprocessosdefinidos,usados,disseminados,documentados,medidose fiscalizados com rotinas de melhoria. Nvel3-Definido:osprocessosutilizadossoestabelecidose padronizadosemtodaaorganizao;processostcnicospassamaser considerados ao lado dos processos gerenciais. Nvel4-QuantitativamenteGerenciado:soestabelecidasmetas quantitativasparaosprocessoseprodutos,medidasdequalidadeeprodutividade socoletadasemtodososprojetos;estabelecidocontroleestatsticode processos. Nvel5-Otimizao:aorganizaoestengajadanamelhoriacontnua deseusprocessos;identificaodepontosfracosedefeitos;aespreventivas sobrecausas;mudanasmaissignificativasdeprocessossofeitasapartirde anlise de custo/benefcio com base em dados quantitativos. 9 AutilizaoconjuntadabibliotecaITIL,doCOBITedosnveisde maturidade descritos no CMMI contribuem para alcanar a excelncia na qualidade de servios em TI. 4.ISO 12207 ANormaISO/IECNBR12207foicriadapelaISO(InstituteofOrganization forStandardization)eoIEC(InternationalElectrotechnicalCommission)dentrode umesforoconjuntodessasorganizaescomoobjetivodeestabeleceruma estrutura comum para os processos de ciclo de vida de software. A estrutura contm processos,atividadesetarefasqueservemparaseraplicadasduranteo fornecimento, desenvolvimento, operao e manuteno de produtos de software.BasicamenteaISO/IEC12207abrangetodoociclodevidadesoftware, desde sua concepo at a descontinuidade do projeto de software, e por todos os envolvidoscomproduo,manutenoeoperaodosoftware,sendoqueseus processossoagrupadosdeacordocomseuobjetivoprincipalnociclodevidade software.Existem trs classes de processos: Processos Fundamentais, Processos de Apoio e Processos Organizacionais.10 5.ISO 15504 A ISO/IEC 15504, tambm conhecida como SPICE, a norma ISO/IEC que defineprocessodedesenvolvimentodesoftware.ElaumaevoluodaISO/IEC 12207 mas possui nveis de capacidade para cada processo assim como o CMMI. 11 ANorma ISO/IEC15504paraaavaliaodeprocessosdesoftwaredefine ummodelocujoobjetivoarealizaodeavaliaesdeprocessosvisandoa melhoria dos processos. AISO/IEC15504defineummodeloderefernciaeumguiaparaa orientaodamelhoriadeprocessoEsteguiasugereoitoetapasseqenciais,que inicia com a identificao de estmulos para a melhoria e o exame das necessidades da organizao. 6.PROJETODECONSULTORIADACONSULTINGPARAA SOFTWARE DEVELOPER AempresaSoftwareDeveloperdesenvolvesistemasparaasreasde consrcio, financiamentos e emprstimos tendo como clientes principais instituies financeiras cujo foco de atuao as reas citadas. Apesardeoferecersoftwaresadequadossnecessidadesdosclientes existemfalhasnosprocessosdedocumentao,anlisederiscos,gerenciamento de suporte e disponibilidade de servios. ASoftwareDeveloperpecapelafaltadeorganizaoestratgicae ferramentasquepossamauxiliarnodesenvolvimentodosseusprodutos.A empresa necessita de padres e princpios que iro orientar quais atividades sero executadas e quais as decises sero tomadas. 12 Orientarasaesparaoalcancedosobjetivosnosentidodedirecionaro crescimentodasorganizaesdeformasistmicaeestruturada,nomaisuma questodenecessidade,massimdesobrevivncia.Porissoatravsdeuma metodologia dinmica e flexvel, deve-se desenvolver um processo de planejamento estratgico eficaz e alinhado com as necessidades e caractersticas da empresa.As ferramentas utilizadas primam por uma anlise profunda e detalhada dos processos, estimulando assim a busca pela qualidade total Para que a Software Developer possa se manter nesse mercado competitivo dedesenvolvimentodesoftwarealmdainovaoedemetasespecficas necessrioterumaequipeunidaeumgestorcomfoconoresultadoseviso sistmica da empresa. ParareverteressequadroaEmpresaConsulting,especializadaem consultoriaeimplantaodasmelhoresprticasvoltadaslevantouosproblemase desenvolveu opes para melhorar o gerenciamento da TI consolidando a Software Developer no mercado. 6.1.Garantia da qualidade de software Durante otrabalhodeconsultoria foiverificadofalhas emalguns processos de desenvolvimento. Apesar de no ocorrer uma rotatividade alta no quadro de desenvolvedores, afaltadeumframeworkadequadoedeummodelodedesenvolvimentobaseado emnormascertificadasinternacionalmente,resultouemprocessosfalhosque culminaramcomprodutoscomerrosgerandoretrabalhonacorreo,elevando custos. Nesse sentido foi sugerido a diretoria da Software Developer a implantao dasnormasISO/IEC12207eISO/IEC15504paramelhorianosprocessosde desenvolvimento.NaconsultoriaanteriorjestavasendoempregadooCMMI visandoalcanaramaturidadenvel2.Juntou-seaissoaimplementaoda MPS.BR para complementar as boas prticas no desenvolvimento. 13 Abordagens importantes como normas ISO 9000eaISO/IEC12207,omodeloCMM (Capability Maturity Model), agora evoludo para o CMMI (Capability Maturity Model Integration) e o SPICE(SoftwareProcessImprovementand Capability dEtermination), que foi a base para se constituiranormaISO15504,sugeremque melhorandooprocessodesoftware,poderemos melhoraraqualidadedosprodutos.(Pfleeger, 1998) Otrechoacima,retiradodoartigoAimportnciadaqualidadeno desenvolvimento de software (Ana Ceclia Peixoto Zabeu,Sergio Massao Jomori e Renato Luiz Della Volpe, 2006), nos mostra a importncia da adoo das normas de qualidade. Oprocesso deimplantao das normasinicioucomuma explicaoatoda equipe de desenvolvedores sobre o que eram as normas, onde aplic-las e quais os benefciosqueaadoodessasnormastrariaaempresaeaotrabalho desenvolvido. ComojestavaemprticaadoodoCMMIedosconceitos5s,a implementaodasnormasISO/IECfoibemrecebidapelaequipede desenvolvimento.Asimplementaesdeprogramasdequalidade tmmostradoquetrat-lascomoprojetosreais, complanejamento,monitoramento,definiode marcos, controle de custos e um cronograma pr-estabelecidoumaboaprticaaserseguida, almdepermitiraosenvolvidosenxergaro trabalhorealizadoeoqueaindarestaparao alcance dos objetivos (Raquel Bartz Alves, 2009) Garantiraqualidadedosoftwaregerandomenortempocomretrabalhoe aumentaracredibilidadedoprodutoedaempresacombasenoaumentoda confiana do cliente passou a ser o objetivo central da equipe. 14 Apenasconceitosnoproduzemresultados,aesdecorrentesdosfatos necessitam ser tomadas. Para alcanar os resultados desejados foi sugerido durante aconsultoria,almdasnormasISO/IEC,aadoodealgumasferramentasque auxiliaronodesenvolvimentodosprojetosegerenciamentosdosprocessosem cada etapa. 6.2.Ferramentas para gesto da qualidade Paraconduziroprocessodeintroduodasnormasdequalidade,foi apresentadoalgumasferramentasparaauxiliarnagestodosprojetos.Essas ferramentasfacilitaroocontroledosprocessosenvolvidosnodesenvolvimentodo produto final. 6.2.1.Grfico de Pareto Estaferramentatemsuafuncionalidadegeradaatravsdeumgrficode barrasqueidentificaasfrequnciasdosregistrosouocorrnciasemumprocesso, de maior para menor, permitindo a priorizao no que diz respeito sobre aes. Para o Diagrama ser aplicado, importante seguir seis passos bsicos: Determinaroobjetivododiagrama,ouseja,quetipodeperdavoc quer investigar; 15 Definiroaspectodotipodeperda,ouseja,comoosdadossero classificados; Emumatabela,oufolhadeverificao,organizarosdadoscomas categorias do aspecto definido; Fazerosclculosdefreqnciaeagruparascategoriasqueocorrem combaixafreqnciasobadenominaooutros,calculartambmo total e a porcentagem de cada item sobre o total e o acumulado; Traar o diagrama. Acoletadedadostemcomofunorealizaroregistrodasinformaes levantadasparaodesenvolvimentodogrfico.Aseguirumexemplodogrficode Pareto. 6.2.2.Diagrama de Ishikawa O Diagrama de Ishikawa ou Diagrama de Causa e Efeito uma ferramenta grfica utilizada no controle da qualidade em diversos processos.Osproblemassoclassificadosemseistiposdiferentes:mtodo,matria-prima,mo-de-obra,mquinas,medioemeioambiente.Essesistemapermite estruturarhierarquicamenteascausaspotenciaisdeumdeterminadoproblemaou 16 tambm uma oportunidade de melhoria, assim como seus efeitos sobre a qualidade dos produtos. Esse diagrama envolve todos os agentes do processo em anlise. Depois de identificarqualoproblemaouefeitoaserestudado,lista-seaspossveiscausase depois faz-se o diagrama de causa e efeito. Para criar o diagrama de causa e efeito necessrio: Definir o problema (efeito) a ser analisado;Desenharasetahorizontalescrevendooproblemanointeriordeum retngulo localizado na ponta da seta; Levantar as possveis causas que possam estar gerando o problema;Dividir as causas identificadas em categorias e Definir as sub-causas. 6.2.3.Grfico de Gantt O Grfico de Gantt utilizado para mostrar o avano das diferentes etapas deumprojeto.Nelepodemservisualizadasastarefasdecadamembrodeuma equipe,bemcomootempoutilizadoparacumpri-la.Assim,pode-seanalisaro empenhodecadamembronogrupo,desdequeosestessejamassociados, tarefa, como um recurso necessrio ao desempenho dela. 17 DevidoafacilidadedeleituradogrficodeGantt,essaferramentamuito utilizadaemquasetodososprojetos,sejaeledesenvolvimentoemumprograma especficocomooMS-ProjectoudentrodeumaplanilhaeletrnicacomooMS-Excel.ResumidamenteogrficodeGanttmostraocronogramadasfasesdeum projeto permitindo o controle sobre os prazos de execuo de cada etapa. 6.2.4.PERT e CPM OsmtodosPERTeCOMsoutilizadosemquasetodososprojetos (construo civil, desenvolvimento de software, fabricao de automveis, etc,). PERT e CPM utilizam principalmente os conceitos de Redes para planejar e visualizar a coordenao das atividades do projeto. EnquantoPERToclculoapartirdamdiaponderadade3duraes possveisdeumaatividade(otimista,maisprovvelepessimista),CPMum mtododeapuraodocaminhocrticodadaumasequnciadeatividades,isto, quais atividades de uma sequncia no podem sofrer alterao de durao sem que isso reflita na durao total de um projeto.Visualizandooscaminhosqueseroseguidosnodesenvolvimentodo projetoficafcildeterminarquaisserooscaminhoscrticos(quetemmaior 18 durao, por exemplo) e que necessitaro maiores recursos. Dentro desse contexto podedizerqueocaminhocrticoasequnciadeatividadesquedeveroser concludas nas datas estabelecidas para que o projeto no atrase no final. 6.2.5.MS-PROJECT OMicrosoftProjectpossuirecursosrelacionadosgestodeprojetos. Gestodotempo(cronograma),GrficodeGantt,modeloprobabilstico,diagrama de rede e clculo de custos so alguns dos recursos disponveis. Alm disso possui uma grande quantidade de relatrios. Porserumsoftwarebastantecompletoreunindotodasasprincipais ferramentasdegerenciamentodeprojeto,oMS-Projectfundamentalnocontrole da qualidade. 19 FoisugeridoaSoftwareDeveloperautilizaodoMS-Projectdevidoasua maturidade,quantidadederecursos,documentaoabundanteecentrosde treinamento com cursos em diversos nveis em todo o pas. Alm disso, adotar uma ferramenta conhecida no gerenciamento de projetos, melhora a credibilidade da organizao junto aos stakeholders. Aimplantaodoprogramadequalidadecombasenagestodetempoe recursos e seguindo as normas ISO/IEC iro contribuir para a melhoria dos produtos epermitindoaorganizaoprepararoscolaboradoresparaosprximosnveisde maturidade CMMI. 7.EMPREENDEDORISMO Devido aos casos ocorridos de problemas em alguns Softwares j instalados comosclientesdaSoftwareDeveloper,foireforadoautilizaodopadro5S implantadonaconsultoriaanterior.Essamedidaimportante,poiscomprovado queaaplicaodelaaumentaemuitoorendimentodoGestoredesuaequipe, otimizando o tempo e melhorando a qualidade do servio.20 Pensandonessanecessidadedeorganizao,foisugeridoalgumasdicas baseados emestudos organizacionais. Papel:organizarseusarquivosimpressosporordemalfabticaou cronolgica pode melhorar muito a organizao de seus documentos. Espao: ordenar objetos e definir locais por reas da empresa. Por exemplo: os documentos e objetos da rea de finanas ficam em um canto; os de vendas, em outro. Gesto do tempo: para gerenciar o tempo indispensvel verificar a agenda do dia seguinte verificando os eventos e as tarefas.Essesmtodosdeorganizaocitadossoumimpulsoparamelhoraro rendimentodetodaaequipedaSoftwareDeveloper,promovendoamelhoriana produtividade. 7.1.Empreendedorismo como vantagem competitiva A necessidade de evoluir fundamental para qualquer empresa, e com base nessa necessidade o foco tem que estar ligado na inovao e na criatividade. ParaqueaSoftwareDeveloperpossaestarumpassoafrenteasoutras empresasdoseguimentodedesenvolvimentodesoftwareforamelencadosdois conceitos sobre vantagens competitivas: Aes: fora da Inovao Umainovaoparasereficazprecisasersimplesetemqueser concentrada. A inovao tanto conceitual como percentual. A empresa deve "sair" paraolhar,perguntareescutarparaquesepossaobterumresultadosatisfatrio com foco na melhoria do produto ao cliente. Aes-fraqueza da Inovao Diversificar,dispersaroutentarfazercoisasdemaislogonoincionoso aes fraqueza da inovao. A empresa no deve inovar para o futuro, a inovao deveserparaopresente.Aempresanodevetentarserengenhosademais 21 podendo se comprometer com mtodos ou produtos ao cliente que no podero ser cumpridos ao prazo. Hestudiososquedefendemqueemummundocompetitivoquemuda rpido,nenhumadestasvantagenspodesermantidaalongoprazo.Elesalegam queanicavantagemcompetitivasustentvelconstruirumaempresaqueesteja toalertaegilquesempreirencontrarumavantagem,noimportaque mudanas ocorram. 7.2.Intraempreendedorismo Duranteaconsultoriaverificou-sequeaSoftwareDeveloperdesenvolve seusprodutosdeacordocomasexignciasdosclientes,ouseja,ofatorinovao noestsendoutilizadoparacriarnovassolueserecursosfacilitadoresaos clientes. Combasenessainformaosugeriu-secriarumaequipedirecionadaao intraempreendedorismo.OsintraempreendedoresdaSoftwaredeveloperusaro seus relacionamentos, suas habilidades e criatividade para estar um passo a frente nainovao,descobrindooportunidadesdemelhoraroprodutosurpreendendoos clientes e abrindo novas possibilidades de negcios. Esses profissionais sero de grande importncia para a empresa, pois tero aoportunidadedeintegrartecnologiaeinovaoaoprodutotransformando-oem 22 algo mercadologicamente vivel. Esses colaboradores devero possuir as seguintes competnciaseperfis:habilidadedeconhecereentenderoprodutoeexplor-lo, habilidadederealizaoeoperaoorganizacionais,habilidadedeconheceros segmentosdemercadoesuastendncias,habilidadedeinfluenciaredirecionar subordinados, habilidade de relacionarem-se com pessoas influentes, formadores de opinio e tomadores de deciso, habilidade de planejar estrategicamente, habilidade de reconhecer oportunidades e aproveit-las. 7.3. Inovao ASoftwaredeveloperpreocupadacomaconcorrnciademercado implantar algumas metas que auxiliar o empreendedor a conquistar oportunidades de negcio. Projetos sero desenvolvidos em base na pesquisa, inovao e tendncia de mercado como, por exemplo, a aplicao de softwares como servios; a equalizao docustobenefcioapresentandomaiorqualidadeemenorpreo;incrementode funcionalidadeao software aumentando a percepo de valor agregado; mudanas nos processos organizacionais reduzindo o tempo nas aprovaes dos processos. 7.4.Identificao de oportunidades Naequipedeempreendedoresdaorganizao,serselecionadoum colaboradorcomcapacidadedeobservaoehabilidadedeidentificaras oportunidadesdemercado.Eledeveridentificarchancesnomercadocompetitivo transformando-os em negcios.Faro parte das suas atribuies a identificao de oportunidades nas fontes internasdaempresabaseando-senareduodetempoecustosdeumprocesso; criarvantagemcompetitivaaonegcio;comunicaratodososnveisdaempresaa vozdocliente;estaratentoanovasdemandasamelhorformadeaproveitara oportunidades. Essecolaboradordeveapresentaraequipedeintraempreendedoressuas observaes sobre possibilidades de negcio durante os brainstorms para que todos possam colaborar para o sucesso do empreendimento. 23 Serumempreendedorexecutarossonhos, mesmo que haja riscos. enfrentar os problemas, mesmonotendoforas.caminharporlugares desconhecidos,mesmosembssola.tomar atitudes que ningum tomou. ter conscincia de quequemvencesemobstculostriunfasem glria.noesperarumaherana,masconstruir uma histria. (Augusto Cury) 7.5.Prticas de gesto empreendedora Existemvriosnomesconsagradosqueescreveramsobrepraticasde gestoempresarial,contudoveremosaseguirumdosprincipaisnomes:Henri Fayol, um dos primeiros a analisar a natureza da atividade empresarial e a definir as principais atividades do gestor: planejar, organizar, comandar, coordenar e controlar. Abaixo veremos os 14 princpios gerais sobre gesto que Fayol escreveu: 1. DivisodoTrabalho:dividirotrabalhoemtarefasespecializadase destinar responsabilidades a indivduos especficos;2. AutoridadeeResponsabilidade:aautoridadesendoopoderdedar ordens e no poder de se fazer obedecer. Estatutria (normas legais) e Pessoal(projeodasqualidadesdochefe).Responsabilidade resumindonaobrigaodeprestarcontas,ambassendodelegadas mutuamente;3. Disciplina: tornar as expectativas claras e punir as violaes;4. UnidadedeComando:cadaagente,paracadaaosdevereceber ordens (ou seja, se reportar) a um nico chefe/gerente;5. Unidade de Direo: os esforos dos empregados devem centrar-se no atingimento dos objetivos organizacionais;6. Subordinao: prevalncia dos interesses gerais da organizao;24 7. Remuneraodopessoal:sistematicamenterecompensarosesforos que sustentam a direo da organizao. Deve ser justa, evitando-se a explorao;8. Centralizao:umniconcleodecomandocentralizado,atuandode formasimilaraocrebro,quecomandaoorganismo.Consideraque centralizaraumentaraimportnciadacargadetrabalhodochefee que descentralizar distribuir de forma mais homognea as atribuies e tarefas;9. Hierarquia:cadeiadecomando(cadeiaescalar).Tambm recomendava uma comunicao horizontal, embrio do mecanismo de coordenao;10. Ordem:ordenarastarefaseosmateriaisparaquepossamauxiliara direo da organizao.11. Equidade:disciplinaeordemjustasmelhoramocomportamentodos empregados.12. EstabilidadedoPessoal:promoveralealdadeealongevidadedo empregado.Segurananoemprego,asorganizaesdevembuscar reter seus funcionrios, evitando o prejuzo/custos decorrente de novos processos de seleo, treinamento e adaptaes;13. Iniciativa:estimularemseuslideradosainciativaparasoluodos problemasqueseapresentem.CitaFayol:"ochefedevesaber sacrificaralgumasvezesoseuamorprprio,paradarsatisfaes desta natureza a seus subordinados";14. Esprito de Equipe (Unio): cultiva o esprito de corpo, a harmonia e o entendimentoentreosmembrosde umaorganizao.Conscinciada identidade de objetivos e esforos. Destinos interligados. ( Fonte http://pt.wikipedia.org/wiki/Jules_Henri_Fayol em 08/12/2012) 25 8.CONCLUSO A integrao dos modelos de gesto como CMMI com as normais ISO/IEC, temoobjetivodegarantirqueaempresaterumaperspectivadefuturocom crescimento de clientes e usurios dos seus produtos. As empresas desenvolvedoras devem ser capazes de gerir e controlar todo oprocesso dedesenvolvimentoe manutenodesoftwares,paraentoconquistar uma gesto eficaz da empresa e o sucesso empresarial. Deve-sedestacarquesepodegerenciaraqualidadedoprocessoedo produto dos softwares desenvolvidos, atravs de medies e acompanhamento em todoseuprocesso,obtendoumaeficazcorreodedefeitospelarevises peridicasemcadaetapadoprojeto.Porisso,anecessidadedeseguirestas normas e avanar nos degraus do CMMI. 26 9.REFERNCIAS Comparao do MPS.BR com o CMMI disponvel em http://www.pontodatecnologia.com.br/2006/08/comparao-do-mpsbr-com-o-cmmi.html - acesso em 05/12/2012 Melhoria dos Processos de Software Brasileiro Disponvel emhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Melhoria_de_Processos_do_Software_Brasileiro - acesso em 05/12/2012 ISO/IEC 12207: Principios fundamentais disponvel em http://www.plugmasters.com.br/sys/materias/539/1/ISO%7B47%7DIEC-12207-Processos-Fundamentais - acesso em 05/12/2012 ISO/IEC 15504 http://pt.wikipedia.org/wiki/ISO/IEC_15504 - acesso em 05/12/2012 CMMI para iniciantes disponvel em http://www.linhadecodigo.com.br/artigo/1401/cmmi-para-iniciantes.aspx- acesso em 05/12/2012 A importncia da qualidade no desenvolvimento de software disponvel em http://www.asrconsultoria.com.br/downloads/pdf/A%20importancia%20da%20qualidade%20no%20desenvolvimento%20de%20software.pdf - acesso em 05/12/2012 Planejando a implementao de um programa de qualidade disponvel em http://www.baguete.com.br/artigos/675/raquel-bartz-alves/24/07/2009/planejando-a-implementacao-de-um-programa-de-qualidade - acesso em 05/12/2012 Criando um grfico de Pareto disponvel em http://www.qualidadebrasil.com.br/noticia/qualidade_criando_um_grafico_pareto#.S23Uumdv_ms acesso em 06/12/2012 Diagrama de Ishikawa disponvel em http://www.miguelando.com/consultoria-online/diagrama-de-ishikawa - acesso em 06/12/2012 Grafico de Gantt disponvel em http://pt.kioskea.net/contents/projet/gantt.php3 - acesso em 06/12/2012 27 Caminho critico/PERT disponvel em http://www.portaleducacao.com.br/gestao-e-lideranca/artigos/14556/caminho-critico-rede-pert-com - acesso em 06/12/2012 Microsoft Project disponvel em http://pt.wikipedia.org/wiki/Microsoft_Project - acesso em 06/12/2012 Qualidade no trabalho: vantagens competitivas disponvel em http://www.cic.org.br/gestao_inovacao.html - acesso em 10/12/2012 Ser um empreendedor executar os sonhos disponvel em http://pensador.uol.com.br/frase/MzgwNzY/ - acesso em 10/12/2012