pib municipal

Download Pib Municipal

Post on 06-Jun-2015

5.849 views

Category:

Education

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

O PIB Municipal abrange um conjunto de informações econômicas, padronizadas e comparáveis por município

TRANSCRIPT

  • 1. PRODUTOINTERNO BRUTO MUNICIPAL Macei Ano 5 n.5 - 2009 2009Secretaria de Estado do Planejamento e do Oramento

2. 3. GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOASSECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO E DO ORAMENTOSUPERINTENDNCIA DE PRODUO E GESTO DA INFORMAODIRETORIA DE ESTATSTICA E CARTOGRAFIA PRODUTO INTERNO BRUTO MUNICIPAL Macei - Ano 5 - n. 5 - 2009ALAGOAS2003-2006 Macei2009 4. GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS G o ve rn ado r - Teo tonio Bra nd o Vilela F ilho V i c e Go ve r na do r - Jos Wander ley N e toSECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO E DO ORAMENTO SEPLANSe cre tr io - J lio S rg io de Ma ya Pedros a More ir a Secretrio Adjunto A n to n io C a r l os S am pa io Qu in t il ia noSUPERINTENDNCIA DE PRODUO E GESTO DE INFORMAO - SUPEGISu pe r int en de nte - J os C n di do do N as c im en t o DIRETORIA DE ESTATSTICA E CARTOGRAFIAD i ret or Ilmo Wan derle y G allindo EQUIPE TCNICA C h r is t ia ne L ou is e L i ma S i l vaI l m o W an de r l e y Ga l lin do R o bers on L ei t e Si l va J ni or G ilvan dro F re i tas T er es a M r c ia d a R oc h a L im a Em er y G io vann i de Almeida Ca lh eiros EQUIPE APOIOM ar ia Te ni a Me lo Amo r i m C as tel o Bra nc o d e Ara jo M ar g ar ida M ar ia Mes s ias d a Si lvaNORMALIZAO E DIVULGAOBiblioteca Luiz Svio de Almeida PRODUTO INTERNO BRUTO MUNICIPAL uma publicao anual da SEPLAN/Al.Disponvel para consultas e download no site http:// www.planejamento.al.gov.br. permitida a reproduo total ou parcial dos textos desta revista, desde que sejaBiblioteca Luiz Svio de Almeidacitada a fonte. Bibliotecria Responsvel: Elisabete Maria M. de Souza CRB-4/546Produto Interno Bruto Municipal. Ano 5, n.5 (2005)- . - Macei: Secretaria de Estado do Planejamento e do Oramento,2009 -v.: il. Color. ; 21cm.AnualOs dados so referentes aos anos 2003 20061. Economia Alagoas. 2. Estatstica - Alagoas CDU 33(813.5)31(813.5) Secretaria de Estado do Planejamento e do Oramento SEPLAN R. Dr. Cincinato Pinto, 503 - Centro - Macei-AlagoasCEP.: 57020-050 - Fone: (82) 3315-1533 - Fax: (82) 3315-1524 http://www.planejamento.al.gov.br biblioteca@planejamento.gov.al.brSecretaria de Estado doPlanejamento e do Oramento 5. SUMRIO APRESENTAO 3NOTA TCNICA METODOLGICA7INTRODUO 7ANLISE DOS RESULTADOS 10PARTICIPAO DOS DEZ MAIORES PIBs MUNICIPAIS DE ALAGOAS11PARTICIPAO DOS DEZ MENORES PIBs MUNICIPAIS DE ALAGOAS20PARTICIPAO DOS DEZ MAIORES PIBs per capita MUNICIPAIS DE ALAGOAS 20ANLISE SETORIAL 22AGROPECURIA 24INDSTRIA29SERVIOS 33ADMINISTRAO PBLICA35ANEXOS 37Tabela I - Posio ocupada pelos 50 maiores municpios em relao ao PIB a preos39 correntes e participaes percentuais relativa e acumulada, segundo os municpios e respectivas UFs 2006 Tabela II - PIB e PIB per capita do Estado, dos municpios da Regio Metropolitana 40 de Macei 2006 Tabela III - PIB de Alagoas, segundo Microregies Geogrficas - 2003-200640Tabela IV - Composio do PIB, Populao e PIB per capita dos municpios 41alagoanos a preos correntes 2003 Tabela V - Composio do PIB, Populao e PIB per capita dos municpios43 alagoanos a preos correntes 2004 Tabela VI - Composio do PIB, Populao e PIB per capita dos municpios 45 alagoanos a preos correntes 2005 Tabela VII - Composio do PIB, Populao e PIB per capita dos municpios47 alagoanos a preos correntes 2006 Grfico I Participao (%) no PIB de Alagoas, segundo Microregies Geogrficas - 49 2006 QUADRO I Informaes das Atividades Econmicas, segundo Indicadores e Fontes 50utilizadas5 6. 7. APRESENTAOA mensurao e o acompanhamento da produo de riqueza de uma sociedade constituem informao relevante para perceber a economia local, considerando a sua estrutura e dinmica. Tais informaes so de grande importncia, sobretudo para os gestores pblicos, enquanto instrumento auxiliar no planejamento regional e municipal, e no processo de desenvolvimento.Com essa conscincia e responsabilidade social, a Secretaria de Estado do Planejamento e do Oramento SEPLAN, atravs da Superintendncia de Produo e de Gesto da Informao SUPEGI, integrou esforos em parceria com Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica - IBGE, rgos estaduais de estatsticas, secretarias estaduais de Governo e Superintendncia da Zona Franca de Manaus, no sentido de produzir e apresentar os resultados do Produto Interno Bruto dos Municpios.Estes dados contm atualizaes metodolgicas totalmente integradas ao Sistema de Contas Nacionais, com reviso e redefinio de indicadores utilizados na distribuio, pelos municpios, do valor adicionado das 17 atividades econmicas das Contas Regionais. Em anexo, no quadro I so apresentadas informaes dessas atividades econmicas.Esta publicao, portanto, representa mais um resultado dos esforos da SEPLAN, que cumpre a sua funo de produzir, sistematizar e divulgar dados estatsticos do Estado, de forma a atender a demanda de vrios segmentos da sociedade. Por fim cumpre registrar a importncia da cooperao disponibilizada pelos tcnicos da SEPLAN, IBGE e em particular as entidades pblicas e privadas que contriburam com a proviso de dados e informaes estatsticas para a mensurao do Produto Interno Bruto Municipal.SRGIO MOREIRA Secretrio 8. 9. NOTA TCNICA METODOLGICA INTRODUOO Produto Interno Bruto dos Municpios Dados da Declarao de Imposto de Renda calculado sob metodologia uniforme para todas as Pessoa Jurdica (DIPJ) para complementar UnidadesdaFederao, e integradoo universo e para a construo das contas conceitualmente aos procedimentos adotados nos das empresas; sistemas de Contas Nacional e Regional, de Dados da Pesquisade Oramentos maneira que os seus resultados sejam coerentes Familiares de 2002, como referncia para o e comparveis, entre si, com o resultado nacionalconsumo das famlias e da Pesquisa Sobre e regional.Seguindo omesmo perodo a Informalidade (ECINF); considerado nas Contas Regionais do Brasil, aDesagregao dos trabalhos por modo de srie do Produto Interno Bruto dos Municpios foiproduo, o que possibilita a realizao de reconstruda a partir do ano de 2002.estimativas considerando determinadas 1 Os novos procedimentos metodolgicos caractersticas das unidades produtivas ; adotados nas Contas Nacionais e RegionaisDesenvolvimento da metodologia de clculo modificaram e atualizaram a composio interna doconsumo decapital fixo pelas do PIB do Brasil e de todas as Unidades da AdministraesPblicas e Instituies Federao.Essas alteraesimpactaram Privadas Sem Fins de Lucro tornando com diretamente no peso relativo das atividades na isso possvel estimar seus valores de gerao de Valor Agregado. Assim, esse novoproduo brutos; vetor de peso das atividades econmicas refletiu,Distribuio dos Servios de Intermediao imediatamente, na composio do PIB dosFinanceira Indiretamente Medidos pelos Municpios.utilizadores, possibilitando a eliminao do As sries das Contas Nacionais e Regionais setor fictcio Dummy Financeiro; divulgadas em maro e em novembro de 2007, Atualizao das metodologias de clculo de respectivamente,incorporaram osseguintes ndices de volume; elementos: Alterao no mtodo de mensurao da Nova classificao de produtos e atividadespecuria, com a substituio do clculo integrada com a CNAE;realizado anteriormente, por algoritmos de Dados das pesquisas anuais contnuas produo, para o atual mtodo, baseado no realizadas pelo IBGE: Pesquisa Anual daciclo de vida dos animais e; Indstria (PIA), Pesquisa Anual de ServiosReclassificao da COFINS, passando de (PAS), Pesquisa Anual de Comrcio (PAC)imposto sobre a produo para imposto ePesquisa Anual da Indstriada sobre produto. Construo (PAIC). Os resultados destas Ao decidir por implementar tais mudanas, pesquisas foram integrados no SCN comobusca-se aconstruodeagregados referncia para os valores correntes da macroeconmicos nacionais e regionais, que parcela da produo coberta por estas possamrefletirde maneiramais atuals pesquisas; 1 Vide Nota Metodolgica n 5 Modo de Produo Sistema de Contas Nacionais do Brasil Referncia 2000.7 10. mudanas que se processam na economia. Trata- quantidade produzida de petrleo e gs se de uma operao necessria e indispensvel,natural, no mar e em terra, de cada tendo em vista a modernizao do sistemamunicpio. estatstico nacional. Segmentao da atividade Construo nos O clculo do PIB dos Municpios baseia-se nasetores formal (obras pblicas e demais distribuio pelos municpios do Valor Adicionado obras) e informal. Empregou-se para a das atividades econmicas obtidos pelas Contasdistribuio da parcela das obras pblicas o Regionais do Brasil. O trabalho fundamenta-se napessoal ocupado na atividade Construo; identificao de variveis que permitam distribuir opara as demais obras, a soma dos Valores2 Valor Adicionado das 17 atividades econmicas Adicionados municipaisdas atividades: de cada unidade da federao, pelos seusProduo e distribuio de eletricidade e respectivos municpios. gs, gua, esgoto e limpeza urbana (exceto O nvel de desagregao necessrio gerao de energia eltrica), Atividades consecuo dos clculos do PIB dos Municpios imobilirias e aluguis, Comrcio e servios requer uma maior abertura das mencionadas de manuteno e reparao, Servios de atividades, chegando-se, especialmente na alojamento e alimentao, Administrao, agropecuria, em nvel de produto.sadeeeducao pblica,Sade e No processo de reviso dos indicadoreseducao mercantis e; para a parcela utilizados na distribuio de tais atividades informal, a populao residente. ressaltam-seas modificaesocorridasemUtilizao das receitas operacionais para relao metodologia anterior. distribuio da atividade correio.Utilizaode todos osprodutosDesagregao da atividade Servios deagropecurios detectadosnoCensoinformao nos segmentos telefonia (fixa eAgropecurio 95/96 em nvel municipal emvel) e outros servios de informao.utilizao dovalor de produopara Empregou-se para a distribuio da parceladistribuiodosvaloresde produode telefonia fixa o nmero de terminaisestadual.fixos; para a parcela de telefonia mvel aAlterao no mtodo de distribuio do estrutura do setor de servios, exclusive asValor Adicionado do petr

Recommended

View more >