Pense Bicho Slide Show

Download Pense Bicho Slide Show

Post on 12-Jun-2015

1.082 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Apresentao em power point da ONG Pense Bicho de Curitiba - Paran - Brasil.

TRANSCRIPT

<p>PROJETOS URBANOS DE INTERAO HOMEM-ANIMAL</p> <p>Quem somos A PENSE BICHOProjetos Urbanos de Interao Homem-Animal uma ONG de cunho exclusivamente educativo e se fundamenta na convivncia saudvel entre homens e animais</p> <p>Nossa Misso</p> <p>Nossa misso alertar, orientar e conscientizar os cidados quanto: - guarda responsvel de animais domsticos; - Ao respeito a todos os seres vivos; - interao cada vez mais saudvel e tica entre homem, animal e meio-ambiente.</p> <p>OS ANIMAIS SO TEIS SOCIEDADE Os animais, inclusive os abandonados nas ruas, podem ser resgatados e adestrados para atuar em benefcio dos seres humanos.- O contato entre animal e paciente ajuda a melhorar o estado de sade de quem est hospitalizado por levar alegria e quebrar a rotina hospitalar.- Ces e gatos ajudam doentes de depresso, cncer e at mesmo Alzheimer. A presena dos animais muda o humor e exercita a memria.</p> <p>- O afeto dos animais pode inclusive recuperar criminosos. Ces, gatos e at pssaros conseguem mudar o comportamento at de presos de alta periculosidade.- Os ces-guia tambm prestam um servio importante comunidade. Ces que vivem nas ruas podem ser treinados para estas e outras finalidades, por terem inteligncia inata.</p> <p>Um dos exemplos da utilidade dos animais para os homens a Equoterapia. O cavalo, por exemplo, ajuda na reabilitao fsica e mental de crianas e adultos com mongolismo, paralisia cerebral e outros problemas motores. Os cavalos resgatados das ruas podem realizar esta tarefa, devido sua docilidade.</p> <p>Graas s capacidades sensoriais dos ces, em particular o olfato, eles podem ser treinados para encontrar objetos roubados, farejar bombas, minas terrestres ou explosivos e at drogas camufladas em bagagens ou cargas. Esta tarefa pode ser desempenhada inclusive por ces abandonados, desde que resgatados das ruas e devidamente treinados.</p> <p>Estatsticas denunciam grave problema</p> <p>Curitiba tem mais de 225.000 animais abandonadosnas ruas ou semi-domiciliados (vivem nas ruas mas tm dono) Recente pesquisa feita pela UFPR (Universidade Federal do Paran) comprovou que existe uma populao estimada</p> <p>superior a 225 mil ces abandonados ou que vivem nas ruas deCuritiba, mas possuem dono. No total, existem cerca de 450 mil animais domsticos na capital.</p> <p>Uma nica fmea de co pode gerar 67.000 novos animais em 6 anos Uma das mais graves conseqncias da guarda irresponsvel a multiplicao descontrolada de ces e gatos nas ruas. Estima-se que uma nica fmea de co pode gerar cerca de 67 mil descendentes em apenas seis anos, considerando-se toda sua descendncia. No caso dos gatos, o problema ainda mais grave porque as fmeas podem ter at 4 cios por ano.</p> <p>Somente ces e gatos abandonados provocam pelo menos 9 tipos de zoonosesOs ces e gatos abandonados provocam pelo menos nove tipos diferentes de zoonoses que atingem os seres humanos. Entre elas: - a raiva (hidrofobia), - o bicho geogrfico (larva migrans cutnea), - a sarna (escabiose), - a toxosplamose, - a dermatomicose.</p> <p>Ces abandonados nas ruas podem atacar e ferir pessoasOs constantes ataques de animais a seres humanos so provocados, muitas vezes, por ces que so jogados prpria sorte nas ruas, principalmente por empresas de aluguel de ces para guarda. Os maus-tratos enfrentados por estes animais so brutais: 1- No recebem gua ou alimento por muitos dias 2- No tem como se abrigar, ficando expostos ao frio, calor ou chuva 3- So obrigados a conviver com a falta de limpeza dos locais onde so mantidos e com o conseqente mau cheiro 4- Ficam doentes e no recebem assistncia 5- Morrem por envenenamento 6- So abandonados quando envelhecem e no so mais desejados 7- So espancados e mutilados quando se defendem</p> <p>AS CAUSAS DO PROBLEMA</p> <p>1- Ausncia de regulamentao dos criadores, das feiras de animais e dos pet shopsUma das causas principais da multiplicao de animais nas ruas so os criadores, as feiras de filhotes e a venda indiscriminada de ces e gatos nos pet shops. Estes comerciantes no seguem nenhuma regulamentao e lanam milhares de ces e gatos nas ruas, quando eles no so vendidos. A PENSE BICHO respeita o direito livre iniciativa de todos os empresrios mas, considerando a gravidade do problema que apontamos acima, defende um controle rigoroso da venda destes animais, evitando que aumente ainda mais o nmero de ces e gatos abandonados nas ruas.</p> <p>2-</p> <p>Compra de animais domsticos sem a preocupao com o seu bem estar</p> <p>Animais no so objetos de consumo e nem brinquedos. So seres vivos. Precisam de gua, alimento, abrigo, assistncia mdicoveterinria e ateno. Muitos no consideram estas exigncias na hora da compra, que muitas vezes feita por impulso. Quando os animais sujam a casa, ficam velhos, doentes e necessitam de atendimento mdico, comum serem abandonados. A Pense Bicho considera que os animais no podem ser tratados como mercadorias e defende a adoo imediata de uma grande campanha em defesa da guarda responsvel e da compra orientada de animais.</p> <p>3- Maus-tratos impostos aos animais pelos seus prprios donos Muitos dos animais que perambulam pelas ruas so vtimas de maus-</p> <p>tratos por parte de seus antigos proprietrios. Entre outras coisas, estas pessoas confinam os animais em minsculos canis, sem sol e sem o convvio com seres humanos. Alm disso, muitos deles so vtimas de espancamentos, mutilaes, enforcamentos, afogamentos e at estupro. Isto provoca graves conseqncias quando estes ces fogem ou so abandonados. Para resolver o problema, a PENSE BICHO defende a conscincia na compra de animais domsticos.</p> <p>4- Adestramentos brutais O adestramento de animais para defender propriedades outra</p> <p>causa do problema da multiplicao de ces nas ruas. Muitas vezes, estes animais tornam-se to agressivos que seus</p> <p>prrios donos sentem medo de aliment-los ou de cuidar deles. O resultado disto que, com frequncia, estes ces so jogados</p> <p>nas ruas, o que pode provocar srias ameaas integridade fsica das pessoas.</p> <p>Leis Brasileiras e normas da OMS punem maus-tratos OMS recomenda medidas para o controle populacional de ces e gatos, mas propostas no so cumpridasDesde 1992, a OMS (Organizao Mundial de Sade) recomenda como medidas para o controle populacional de ces e gatos : - Educao para a guarda responsvel e o respeito a todas as formas de vida; - Rigorosa fiscalizao e controle de criadouros e comrcio; - Implantao de um eficiente sistema de identificao e registro de animais; - Esterilizao em massa (e no a matana, considerada pela OMS como um mtodo cruel e ineficaz de controle da populao animal)</p> <p>Maltratar animais crime, de acordo com a LegislaoAs leis brasileiras so bem claras sobre o assunto. Prevem punio rigorosa a quem maltrata os animais. - O Artigo 225 da Constituio Federal de 1988 estabelece que compete coletividade e ao Poder Pblico a proteo dos animais. - A Lei Federal 9.605/1998 tipifica os maus-tratos a animais como crime. - Em 2005 foi sancionada em Curitiba a Lei 11.472, que criou um programa de esterilizao de ces e gatos, acompanhado de aes educativas para a guarda e posse responsvel de animais.</p> <p>A PENSE BICHO cumpre a Lei e as Normas da Organizao Mundial da Sade A PENSE BICHO se identifica plenamente com as normas de convivncia e respeito com os animais estabelecidas pela OMS. A ONG tambm atua no sentido de garantir o cumprimento das leis que tratam do assunto, por entender que o avano tcnico e material, assim como o consumo exagerado, levaram a uma coisificao da vida e dos animais, que se tornaram descartveis, objetos de consumo, mercadorias que so usadas e depois jogadas fora.</p> <p>Os projetos da PENSE BICHO A PENSE BICHO desenvolve vrios projetos de educao e guarda responsvel</p> <p>de animais teis sociedade.A misso fundamental da PENSE BICHO , por meio da Educao, combater as causas dos problemas apontados.Conhea, agora, quais so os projetos desenvolvidos pela PENSE BICHO,</p> <p>que podem ter o apoio da sua empresa.</p>