penas e gozos futuros

Download PENAS E GOZOS FUTUROS

Post on 14-Jan-2016

86 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

PENAS E GOZOS FUTUROS. O Livro dos Espíritos Livro Quarto Capítulo II Questões 958 a 1018. O que estou fazendo aqui? Qual o sentido da vida?. De onde eu vim?. Para onde eu vou?. Perguntas que nos fazemos. O Nada. A vida futura Intuição das Penas e Gozos Futuros - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

PENAS E GOZOS FUTUROS

PENAS E GOZOS FUTUROSO Livro dos EspritosLivro QuartoCaptulo IIQuestes 958 a 1018Perguntas que nos fazemos

O que estou fazendo aqui?Qual o sentido da vida?Para onde eu vou?De onde eu vim?Temas de indagao de KardecO Nada. A vida futuraIntuio das Penas e Gozos FuturosInterveno de Deus nas Penas e RecompensasNatureza das Penas e Gozos FuturosPenas TemporaisExpiao e ArrependimentoDurao das Penas FuturasRessurreio da CarneParaso, Inferno, Purgatrio. Paraso Perdido. Pecado OriginalO nada. A vida FuturaEm todos os tempos o homem se preocupou com o futuro alm tmulo.O sentimento de uma existncia melhor est no foro ntimo de todos os homens.A vida futura implica na conservao da nossa individualidade.O nada no existe. Ningum foge realidade da vida. Mesmo negando-a, ela existe. (Joanna de Angelis)

A vida continua!

O papel do Perisprito O Esprito eterno, perfectvel e progride atravs das reencarnaesPERISPRITOArquiva as experincias vividasRegistra ocorrncias morais e mentaisModela o novo corpo fsico

6Intuio das Penas e Gozos FuturosA crena dos homens nas penas e recompensas futuras, ou seja, na continuidade da vida um pressentimento da realidade.

No momento do desencarne o sentimento que domina a maioria dos homens a dvida para os cticos, o medo para os culpados e a esperana para os homens de bem.O modo como vivemosInfluencia a forma como morremos?

Tal Vida, tal Morte!Tal Morte, tal vidaPENSAMENTO

fora criadora do Esprito veculo de comunicaoCrescimento individualEnergia em movimento no UniversoAuxilia no progressoSintonia Positiva Negativa

Somos ResponsveisO que pensamos seguido ou no de atitude, incorpora-se ao patrimnio espiritual.Colheita obrigatriaFatalismo da colheita o nico meio para que as virtudes ntimas venham tona.Corpo a) gentica (DNA) Material b) sinais impressos e programados por ns

Morte e Renascimento fazem parte da Vida e um completa o outroEm nossa trajetriaestamos abandonadospor Deus?Interveno de Deus nas Penas e RecompensasDeus cuida de todos os seus filhosAs leis divinas regem nossas aesLivre arbtrioLei de ao e reaoDeus envia Espritos para nos advertir e orientar.Reencarnao representa oportunidades novas

Natureza das Penas e Gozos FuturosAs penas e gozos da alma so de natureza espiritualOs sofrimentos dos espritos inferiores so variados e proporcional ao grau de inferioridade.A felicidade dos bons espritos consiste em conhecer todas as coisas, estar livre dos defeitos e revestidos de virtudes, principalmente o amor.A Lei do progresso impulsiona para a perfeio

Os sofrimentos e os gozos pertencem ao prprio Esprito

Na balana divina o bem e o mal so rigorosamente considerados.

As conseqncias das imperfeies so sofridas no mundo corporal ou espiritual, na encarnao presente ou em futuras.

Inexiste uniformidade de regras quanto a formas e durao das expiaes.

Inferioridade impede de vislumbrar o trmino da provao.

A durao da expiao ou prova depende da melhoria do Esprito.

A responsabilidade das faltas pessoal, ningum responde por erros alheios

Penas TemporaisAs Penas FuturasRelatos dos prprios espritosPor vrios mdiunsDe vrios lugares do mundoImpresses e TransformaesSituao Feliz ou DesgraadaNo h privilgios

Cdigo Penal da vida Futura

Felicidade ou Desgraa inerente ao grau de pureza ou impureza.

A completa felicidade depende da perfeio e purificao completa do EspritoExpiao e Arrependimento Arrependimento pode ocorrer tanto no estado corpreo como no estado espiritualQuando no estado espiritual > anseia por nova reencarnao = oportunidadeQuando no estado corpreo > condies de melhorar-se na vida presenteTodos iro se arrepender um dia

Condies para o Reequilibrio da BalanaArrependimento Expiao Reparao

Suaviza os traos da expiaoEsperana ao caminho da reabilitaoPode ocorrer em qualquer parteEm qualquer tempo.Sofrimento fsico ou moral decorrentes da faltaVida atualVida espiritual aps a morteOutra encarnaoFazer o bem quem fez o malFazer o que deixou de fazer por inrciaCumprir deveres desprezadosTransformando defeitos em virtudes

Ressurreio da CarneDogma da ressurreio da carne a consagrao da reencarnao ensinada pelos espritos.Ressurreio = Impossibilidade cientficaReencarnao = Comprovada. Espelha a justia de Deus.Preldios do RetornoReencarnao:SabePressenteIgnora quandoAbreviar: solicitandoRetardar: recuo ante a provaSempre existir a necessidade de elevar-se.Designao do Corpo se faz com antecednciaEsprito, se tiver condies pode escolher o corpo adequadoPode haver imposioExiste perturbao antes da encarnaoIncerteza gera aflioAcompanhamento de espritos amigos

Paraso PerdidoPerda de oportunidade de certos espritos de reencarnarem no Planeta Terra, quando este atingir a condio de planeta de regenerao, pelo fato de estacionar no degrau da inferioridade.

Pecado OriginalCondio de inferioridade dos espritos que devido ao grau evolutivo em que se encontram descumprem as leis divinas.O pecado original se refere a natureza ainda imperfeita do homem que s responsvel por si mesmo e por suas prprias faltas, e no pelas dos seus pais.

O cu e o Inferno

Viso Tradicional da ReligioCUPessoas muito boas

PURGATRIOPessoas mais ou menos

INFERNOPessoas ruinsPenas eternasConsequnciasAs pessoas do cu e do inferno no se encontram. Nunca mais vo se verPurgatrio depende de favorCu = tdio, marasmoAs afirmaes so contrariadas pela cinciaDeus seria imparcial, interesseiro e vingativoDvidas sobre o futuro, levam a usufruir s o presenteDescrena leva ao materialismo.

INFERNO CRISTOREI = SATLEGIO DE DEMNIOSPRAZER EM ATORMENTAR AS VTIMASFOGO MATERIALSOFRIMENTO ETERNOLIMBOSHABITAO DAS CRIANASNO FIZERAM O BEM, NO MERECEM O CU SELVAGENS SEM BATISMOINFERNO PAGOLUGAR LGUBREGEMIDOSAUSNCIA DE PUDORCASTIGOS OFENSASINFERNO

Defesa das Penas EternasOlho por olho, dente por dente (Moiss)Sendo Deus infinito infinita a ofensa contra Ele e assim a pena deve ser eterna.Se a recompensa ao bem a eterna felicidade, aos maus tambm cabem o eterno castigo.O temor das penas um freio para impedir que os homens pratiquem excessos.

Oposio s penas eternasAmai-vos uns aos outros e fazei bem aos que vos odeiam. (Jesus)Se Deus fosse vingativo, se se ofendesse, se no perdoasse, no seria Deus, no seria Soberanamente Justo e Bom.Fomos criados para sermos felizes, com possibilidade de arrependimento e progresso.O freio ocorre quando h crena e medo. Sem isso no h freio.

VISO ESPRITA DO INFERNODeus Justia e BondadeInexiste inferno materialCondio de sofrimento interiorAs idias so criadas pelas mentesPenas eternas no existemReencarnao p/ aprendizado

UMBRALComea na crosta terrestre. a zona obscura de quantos no mundo no se resolveram a atravessar as portas dos deveres sagrados, a fim de cumpri-los, demorando no vale da indeciso ou no pntano dos erros numerosos (...) regio destinada a esgotamento de resduos mentais, zona onde se queima prestao o material deteriorado das iluses que a criatura adquiriu por atacado, menosprezando o sublime ensejo de uma existncia terrena. (Palavras do orientador Lsias no Livro Nosso Lar de Andr Luiz, Psicografia de Chico Xavier) Cena do Filme Nosso Lar

Localiza-se em um universo paralelo que ocupa um espao invisvel aos nossos sentidos, que vai do solo terrestre at a algumas dezenas de metros de altura na nossa atmosfera.PURGATRIOPara o CatolicismoDogma criado no ano de 593.Mais conforme com a justia divina.Depende das preces para sair Negcio rentvel p/ Igreja Para o EspiritismoTerra (Mundos de Expiao e Provas)Expurgo das imperfeiesA cada um segundos a suas obras.Erros e acertos

Planeta Terra sob a gide de JesusHospital para os doentesEscola para os ignorantesOficina para os trabalhadores de boa vontade

35O CuLatim = Coelum do grego coilos (oco, cncavo)Stimo Cu = crena antiga, Terra seria o centro, seguida por diversas camadas. (Suprema Felicidade)Ptolomeu astrnomo antigo, acreditava em 11 cus.Catolicismo afirma existir 3 cus:Ar e NuvensEspao com os astrosMorada de DeusOnde est o cu?ParbolasRevelao adequada ao tempoO Reino dos Cus est dentro de nsO cu representa trabalho e no inrcia necessrio coragem para atingir essa paz de esprito.

38A Terra Regenerada

Melhoria:Atenuao/extino de molstias.Descoberta de reservas nutritivas.Refertilizao de zonas ridas

Depurada a Terra dos perturbadores, expurgados para outros mundos onde continuaro a jornada evolutiva, estando tambm purificado o espao que envolve a Terra e ela deixa de ser mundo de expiao e prova, em virtude da lei do progresso, a que toda a criao est subordinada, o planeta purificado ser mais um Reino de Deus.

Nossa tarefaOs filhos da Terra so convidados a modificar a situao atual do planeta, comeando pelo mundo ntimo e ampliando a renovao em torno de si.

A Doutrina Esprita apresenta a proposta renovadora da vivncia plena de amor, do despertamento das potncias adormecidas da alma, da plenificao do ser pela elevao do padro vibratrio, que se d pela prtica incondicional do bem.

A Justia DivinaPatenteia-se pela igualdadeTodos criados simples e ignorantesAmor de Deus: conquistas por mrito prprioA misericrdia divina infinita, mas no cega.Bem aventurados os aflitos, porque sero consolados.A cada um segundo as suas obras.Deus faz da felicidade o prmio do trabalho e no do favoritismo.Jesus est no comando do Planeta

Se queremos o melhor futuro...

Sigamos Jesus Presena em todos os instantesPromove a segurana e a felicidadeEsperana sem limitesLuz do mundo43

Recommended

View more >