pedagogia e pedagogos: inquieta§µes e buscas

Download Pedagogia e pedagogos: inquieta§µes e buscas

Post on 09-Jul-2015

1.805 views

Category:

Education

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Artigos de demanda contnua

  • LIBNEO, J. C. Pedagogia e pedagogos...

    Educar, Curitiba, n. 17, p. 153-176. 2001. Editora da UFPR 3

    Pedagogia e pedagogos:inquietaes e buscas

    Jos Carlos Libneo*

    RESUMO

    Um dos fenmenos mais significativos dos processos sociais contempo-rneos a ampliao do conceito de educao e a diversificao das ativi-dades educativas, levando, por conseqncia, a uma diversificao da aopedaggica na sociedade. Em vrias esferas da prtica social, mediante asmodalidades de educao informais, no-formais e formais, amplia-se aproduo e disseminao de saberes e modos de ao (conhecimentos,conceitos, habilidades, hbitos, procedimentos, crenas, atitudes), levan-do a prticas pedaggicas. Estamos diante de uma sociedade genuina-mente pedaggica, conforme expresso de Beillerot. Nesses termos, mi-nhas consideraes neste artigo procuraram mostrar que a Pedagogia temum papel fundamental na discusso dos rumos da educao brasileira,particularmente nesse momento de implantao da nova LDB.Palavras-chave: Pedagogia, prtica social, formao de professores, LDB.

    Introduo: a sociedade pedaggica

    Um dos fenmenos mais significativos dos processos sociais contem-porneos a ampliao do conceito de educao e a diversificao das ativi-dades educativas, levando, por conseqncia, a uma diversificao da aopedaggica na sociedade. Em vrias esferas da prtica social, mediante asmodalidades de educao informais, no-formais e formais, ampliada a pro-duo e disseminao de saberes e modos de ao (conhecimentos, concei-tos, habilidades, hbitos, procedimentos, crenas, atitudes), levando a prti-cas pedaggicas. Estamos diante de uma sociedade genuinamente pedaggi-

    * Universidade Catlica de Gois.

  • LIBNEO, J. C. Pedagogia e pedagogos...

    Educar, Curitiba, n. 17, p. 153-176. 2001. Editora da UFPR4

    ca, conforme expresso de BEILLEROT (1985).Apesar disso, a Pedagogia como campo de estudos especficos vive,

    hoje, no Brasil, um grande paradoxo. Por um lado, est em alta na sociedade.Nos meios profissionais, polticos, universitrios, sindicais, empresariais, nosmeios de comunicao, nos movimentos da sociedade civil, verificamos umaredescoberta da Pedagogia. Observamos uma movimentao na sociedademostrando uma ampliao do campo do educativo com a conseqente reper-cusso no campo do pedaggico. Enquanto isso, essa mesma Pedagogia estem baixa entre intelectuais e profissionais do meio educacional, com umaforte tendncia em identific-la apenas com a docncia, quando no paradesqualific-la como campo de saberes especficos. Os prprios pedagogos falo especificamente dos que lidam com a educao escolar parecem estarse escondendo de sua profisso ao no fazerem frente s investidas contra aPedagogia e ao exerccio profissional dos pedagogos especialistas, adotandouma atitude desinteressada frente especificidade dos estudos pedaggicos eaos prprios contedos e processos que eles representam. Por razes aindamuito pouco esclarecidas, boa parte dos socilogos da educao, psiclogosda educao, filsofos da educao, que tm seus empregos e suas pesquisasem faculdades de educao, vm se mobilizando pela desativao dos estu-dos especficos da Pedagogia.

    Entretanto, a sociedade atual eminentemente pedaggica, ao ponto deser chamada de sociedade do conhecimento. Vejamos alguns exemplos. Estse acentuando o poder pedaggico dos meios de comunicao: TV, imprensa,escrita, rdio, revistas, quadrinhos. A mdia se especializa em fazer cabeas,no apenas no campo econmico, poltico; especialmente no campo moral,vemos diariamente a veiculao de mensagens educativas, a disseminao desaberes e modos de agir atravs de programas, vinhetas e chamadas sobreeducao ambiental, AIDS, drogas, sade. H prticas pedaggicas nos jor-nais, nas rdios, na produo de material informativo, tais como livros did-ticos e paradidticos, enciclopdias, guias de turismo, mapas, vdeos, revis-tas; na criao e elaborao de jogos, brinquedos; nas empresas, h atividadesde superviso do trabalho, orientao de estagirios, formao profissionalem servio. H uma prtica pedaggica nas academias de educao fsica,nos consultrios clnicos. Na esfera dos servios pblicos estatais, so disse-minadas vrias prticas pedaggicas de assistentes sociais, agentes de sade,agentes de promoo social nas comunidades etc. So prticas tipicamentepedaggicas. Os programas sociais de medicina preventiva, informao sani-tria, orientao sexual, recreao, cultivo do corpo, assim como prticas pe-daggicas em presdios, hospitais, projetos culturais so ampliados. Ano a

  • LIBNEO, J. C. Pedagogia e pedagogos...

    Educar, Curitiba, n. 17, p. 153-176. 2001. Editora da UFPR 5

    ano aumenta o nmero de congressos, simpsios, seminrios. So desenvol-vidas, em todo o lugar, iniciativas de formao continuada nas escolas, nasindstrias. As empresas reconhecem a necessidade de formao geral comorequisito para enfrentamento da intelectualizao do processo produtivo.

    Considerando, ainda, os vnculos entre educao e economia, as mu-danas recentes no capitalismo internacional colocam novas questes para aPedagogia. O mundo assiste hoje 3.a Revoluo Industrial, caracterizadapela internacionalizao da economia, por inovaes tecnolgicas em vrioscampos, como a informtica, a microeletrnica, a bioenergtica. Essas trans-formaes tecnolgicas e cientficas levam introduo, no processo produ-tivo, de novos sistemas de organizao do trabalho, mudana no perfil profis-sional e novas exigncias de qualificao dos trabalhadores, o que acaba afe-tando o sistema de ensino. No casual que parcela do empresariado, surpre-endentemente, esteja redescobrindo o papel da escola na formao geral,para alm do interesse pela requalificao profissional. De fato, com aintelectualizao do processo produtivo, o trabalhador no pode mais serimprovisado. So requeridas novas habilidades, mais capacidade de abstra-o, de ateno, um comportamento profissional mais flexvel. Para tanto, anecessidade de formao geral se repe, implicando reavaliao dos proces-sos de aprendizagem, familiarizao com os meios de comunicao e com ainformtica, desenvolvimento de competncias comunicativas, de capacida-des criativas para anlise de situaes novas e cambiantes, capacidade depensar e agir com horizontes mais amplos. Estamos frente a exigncias deformao de um novo educador.

    Verificamos, assim, uma ao pedaggica mltipla na sociedade, emque o pedaggico perpassa toda a sociedade, extrapolando o mbito escolarformal, abrangendo esferas mais amplas da educao informal e no-formal,criando formas de educao paralela, desfazendo praticamente todos os nsque separavam escola e sociedade.

    Natureza e identidade da Pedagogia. O que a Pedagogia, quem opedagogo?

    A idia de senso comum, inclusive de muitos pedagogos, a de que Peda-gogia ensino, ou melhor, o modo de ensinar. Uma pessoa estuda Pedagogiapara ensinar crianas. O pedaggico seria o metodolgico, o modo de fazer, o

  • LIBNEO, J. C. Pedagogia e pedagogos...

    Educar, Curitiba, n. 17, p. 153-176. 2001. Editora da UFPR6

    modo de ensinar a matria. Trabalho pedaggico seria o trabalho de ensinar, demodo que o termo pedagogia estaria associado exclusivamente a ensino.

    H, de fato, uma tradio na histria da formao de professores noBrasil segundo a qual pedagogo algum que ensina algo. Essa tradio teriase firmado no incio da dcada de 30, com a influncia tcita dos chamadospioneiros da educao nova, tomando o entendimento de que o curso dePedagogia seria um curso de formao de professores para as sries iniciaisda escolarizao obrigatria. O raciocnio simples: educao e ensino di-zem respeito a crianas (inclusive porque peda, do termo pedagogia, dogrego paids, que significa criana). Ora, ensino se dirige a crianas, entoquem ensina para crianas pedagogo. E para ser pedagogo, ensinador decrianas, preciso fazer um curso de Pedagogia. Foi essa idia que permane-ceu e continua viva na experincia brasileira de formao de professores.Alis, a aceitar esse raciocnio, no sabemos porque os cursos de licenciaturatambm no receberam a denominao de cursos de Pedagogia.

    A idia de conceber o curso de Pedagogia como formao de professo-res, a meu ver, muito simplista e reducionista, , digamos, uma idia desenso comum. A Pedagogia se ocupa, de fato, com a formao escolar decrianas, com processos educativos, mtodos, maneiras de ensinar, mas, an-tes disso, ela tem um significado bem mais amplo, bem mais globalizante.Ela um campo de conhecimentos sobre a problemtica educativa na suatotalidade e historicidade e, ao mesmo tempo, uma diretriz orientadora daao educativa. O didata alemo SCHIMIED-KOWARZIK (1983) chama aPedagogia de cincia da e para a educao, portanto a teoria e a prtica daeducao. Ela tem um carter ao mesmo tempo explicativo, praxiolgico enormativo da realidade educativa, pois investiga teoricamente o fenmenoeducativo, formula orientaes para a prtica a partir da prpria ao prticae prope princpios e normas relacionados aos fins e meios da educao.

    Pedagogia , ento, o campo do conhecimento que se ocupa do estudosistemtico da educao do ato educativo, da prtica educativa como com-ponente integrante da atividade humana, como fato da vida social, inerenteao conjunto dos processos sociais. No h sociedade sem prticas educativas.Pedagogia diz respeito a uma reflexo sistemtica sobre o fenmeno educativo,sobre as prticas educativas, para poder ser uma instncia orientadora do tra-balho educativo. Ou seja, ela no se refere apenas s prticas escolares, mas aum imenso conjunto de outras prticas. O campo do educativo bastantevasto, uma vez que a educao ocorre em muitos lugares e sob variadas mo-dalidades: na famlia, no trabalho, na rua, na fbrica, nos meios de comunica-o, na poltica, na escola. De modo que no podemos reduzir a educao ao

  • LIBNEO, J. C. Pedagogia e pedagogos...

    Educar, Curitiba, n. 17, p. 153-176. 2001. Editora da UFPR 7

    ensino e nem a Pedagogia aos mtodos de ensino. Por