pdca - o "p" do processo

Download PDCA - O

Post on 15-Jun-2015

1.356 views

Category:

Education

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Foco no Planejamento do PDCA

TRANSCRIPT

  • 1. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r .

2. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . 3. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . CICLO DE CONTROLE DO PDCA (PLAN, DO, CHECK E ACTION) 4. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . O ciclo PDCA foi idealizado por Shewart e mais tarde aplicado por Deming no uso de estatsticas e mtodos de amostragem. O Ciclo PDCA nasceu no escopo do TQC (Total Quality Control) como uma ferramenta que melhor representava o ciclo de gerenciamento de uma atividade. 5. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . O ciclo PDCA foi idealizado por Shewart e mais tarde aplicado por Deming no uso de estatsticas e mtodos de amostragem. O Ciclo PDCA nasceu no escopo do TQC (Total Quality Control) como uma ferramenta que melhor representava o ciclo de gerenciamento de uma atividade. 6. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . 7. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva 8. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . COMO FUNCIONA o PDCA relativizadas com a QUALIDADE? Cada vez que um PROBLEMA IDENTIFICADO E SOLUCIONADO, o sistema produtivo passa para um patamar superior de qualidade, pois os problemas so vistos como oportunidades para melhorar o processo. Para soluo de PROBLEMAS? 9. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . COMO FUNCIONA o PDCA NO CASO DE BUSCA DE METAS? O ciclo tambm pode ser usado para induzir melhoramentos das diretrizes de controle. Neste caso, na etapa inicial planeja-se uma meta a ser alcanada e um plano de ao para atingi-la, onde a ao executada segundo a nova diretriz e feita a verificao da efetividade do atendimento da meta. Em caso afirmativo, esta nova sistemtica de ao padronizada; em caso de no atendimento da meta, volta-se a etapa inicial e um novo mtodo deve ser planejado. Planejando-se uma META 10. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . COMO FUNCIONA o PDCA NO CASO DE BUSCA DE METAS? O ciclo tambm pode ser usado para induzir melhoramentos das diretrizes de controle. Neste caso, na etapa inicial planeja-se uma meta a ser alcanada e um plano de ao para atingi-la, onde a ao executada segundo a nova diretriz e feita a verificao da efetividade do atendimento da meta. Em caso afirmativo, esta nova sistemtica de ao padronizada; em caso de no atendimento da meta, volta-se a etapa inicial e um novo mtodo deve ser planejado. Planejando-se uma META 11. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . COMO FUNCIONA o PDCA NO CASO DE BUSCA DE METAS? O ciclo tambm pode ser usado para induzir melhoramentos das diretrizes de controle. Neste caso, na etapa inicial planeja-se uma meta a ser alcanada e um plano de ao para atingi-la, onde a ao executada segundo a nova diretriz e feita a verificao da efetividade do atendimento da meta. Em caso afirmativo, esta nova sistemtica de ao padronizada; em caso de no atendimento da meta, volta-se a etapa inicial e um novo mtodo deve ser planejado. Planejando-se uma META 12. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . COMO FUNCIONA o PDCA NO CASO DE BUSCA DE METAS? O ciclo tambm pode ser usado para induzir melhoramentos das diretrizes de controle. Neste caso, na etapa inicial planeja-se uma meta a ser alcanada e um plano de ao para atingi-la, onde a ao executada segundo a nova diretriz e feita a verificao da efetividade do atendimento da meta. Em caso afirmativo, esta nova sistemtica de ao padronizada; em caso de no atendimento da meta, volta-se a etapa inicial e um novo mtodo deve ser planejado. Planejando-se uma META 13. P Planejamento PLAN - PLANEJAMENTO Estabelecer metas; Estabelecer o mtodo para alcanar as metas propostas. 14. P Planejamento D Execuo DO - EXECUO Executar as tarefas exatamente como foi previsto na etapa de planejamento e coletar os dados que sero utilizados na prxima etapa de verificao. 15. P Planejamento D Execuo DO - EXECUO Na etapa de Execuo so essenciais a educao e o treinamento no trabalho. DO - EXECUO Executar as tarefas exatamente como foi previsto na etapa de planejamento e coletar os dados que sero utilizados na prxima etapa de verificao. 16. P Planejamento D Execuo C Checar CHECK VERIFICAO A partir dos dados coletados na execuo, comparar o resultado alcanado com a meta planejada. 17. P Planejamento D Execuo A Ao Corretiva ACTION AO / ATUAO Adotar como padro o plano proposto, caso a meta tenha sido alcanada. 18. P Planejamento D Execuo A Ao Corretiva ACTION AO / ATUAO Agir corretivamente sobre as causas do no alcance da meta, caso o plano no tenha sido efetivo. 19. P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva 20. P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva 21. P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva Demonstrar que o problema que est sendo tratado importante; Apresentar o histrico do problema e como foi a sua trajetria at o presente momento; Expressar, em termos concretos, os resultados indesejveis provocados pelo problema 22. P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva Demonstrar que o problema que est sendo tratado importante; Apresentar o histrico do problema e como foi a sua trajetria at o presente momento; Expressar, em termos concretos, os resultados indesejveis provocados pelo problema 23. P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva Demonstrar que o problema que est sendo tratado importante; Apresentar o histrico do problema e como foi a sua trajetria at o presente momento; Expressar, em termos concretos, os resultados indesejveis provocados pelo problema 24. P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva Demonstrar que o problema que est sendo tratado importante; Apresentar o histrico do problema e como foi a sua trajetria at o presente momento; Expressar, em termos concretos, os resultados indesejveis provocados pelo problema 25. P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva Demonstrar as perdas decorrentes da existncia do problema e quanto se poderia ganhar/ economizar com a eliminao do problema; 26. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . 27. P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva Investigar os quatro elementos bsicos de um problema : tempo, local, tipo e efeitos; Adotar diferentes pontos-de-vista para especular sobre as causas do problema; Buscar no prprio local onde o problema se manifesta evidncias que enriqueam a definio do problema. 28. P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva Investigar os quatro elementos bsicos de um problema : tempo, local, tipo e efeitos; Adotar diferentes pontos-de-vista para especular sobre as causas do problema; Buscar no prprio local onde o problema se manifesta evidncias que enriqueam a definio do problema. 29. P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva Investigar os quatro elementos bsicos de um problema : tempo, local, tipo e efeitos; Adotar diferentes pontos-de-vista para especular sobre as causas do problema; Buscar no prprio local onde o problema se manifesta evidncias que enriqueam a definio do problema. 30. P Planejamento D Execuo C Checar A Ao Corretiva Investigar os quatro elementos bsicos de um problema : tempo, local, tipo e efeitos; Adotar diferentes pontos-de-vista para especular sobre as causas do problema; Buscar no prprio local onde o problema se manifesta evidncias que enriqueam a definio do problema. 31. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . Para melhor se trabalhar o BRAINSTORMING, estaremos utilizando outra ferramenta que auxilia na identificao da meta ou problema, que se chama DIAGRAMA DE ISHIKAWA (diagrama de causa e efeito ou espinha de peixe). DIAGRAMA DE ISHIKAWA EFEITO CAUSAS 32. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO Tambm conhecido como Espinha de Peixe ou DIAGRAMA ISHIKAWA, em homenagem a quem o desenvolveu, o prof. Kauro Ishikawa. Organiza as sugestes/idias referentes s possveis causas de um determinado efeito, EM GRUPOS E SUBGRUPOS DE IDIAS Possibilita o registro e a anlise de todos os fatores influentes no assunto A caracterstica que est sendo analisada o efeito Os fatores que conduzem ao efeito so as causas 33. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO Tambm conhecido como Espinha de Peixe ou DIAGRAMA ISHIKAWA, em homenagem a quem o desenvolveu, o prof. Kauro Ishikawa. Organiza as sugestes/idias referentes s possveis causas de um determinado efeito, EM GRUPOS E SUBGRUPOS DE IDIAS Possibilita o registro e a anlise de todos os fatores influentes no assunto A caracterstica que est sendo analisada o efeito Os fatores que conduzem ao efeito so as causas 34. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO Tambm conhecido como Espinha de Peixe ou DIAGRAMA ISHIKAWA, em homenagem a quem o desenvolveu, o prof. Kauro Ishikawa. Organiza as sugestes/idias referentes s possveis causas de um determinado efeito, EM GRUPOS E SUBGRUPOS DE IDIAS Possibilita o registro e a anlise de todos os fatores influentes no assunto A caracterstica que est sendo analisada o efeito Os fatores que conduzem ao efeito so as causas 35. P r o f e s s o r E s p e c i a l i s t a R i c a r d o L a u b J r . DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO Tambm conhecido como Espinha de Peixe ou DIAGRAMA ISHIKAWA, em homenagem a quem o desenvolveu, o prof. Kauro Ishikawa. Organiza as sugestes/idias referentes s possveis causas de um determinado efeito, EM GRUPOS E SUBGRUPOS DE IDIAS Possibilita o registro e a anlise de todos os fatores influentes no a