parte 6 - palestra caf

Download Parte 6 - Palestra CAF

Post on 25-Jul-2015

452 views

Category:

Travel

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Resistnciade Fungosa Fungicidaswww.frac-brasil.org.br

  • Qualquer populao de fungo contm indivduos naturalmente capazes de sobreviver aplicao de um determinado fungicidaResistncia a fungicidas a capacidade de um patgeno causador de doenas em plantas de sobreviver a doses de fungicidas antes letaisFalha no ControleErro de dosepoca de aplicaoFormulaoDiagnose da doenaRESISTNCIA

  • Longo perodo de exposio do produto (grande nmero de aplicaes, aplicaes tardias)Uso de fungicidas com modo de ao especfico Overdose/Subdoserea extensa tratada com o mesmo produtoFatores de risco no manejo do produto

  • Orientao do CAF Na safra 2007/08 foram observadas populaes menos sensveis de ferrugem a triazis em regies do MT, MS e GO. Em decorrncia desse fato o CAF orienta que nessas regies sejam utilizadas preferencialmente misturas de triazis e estrobilurinas. Nas demais regies do Pas, onde no foram observadas populaes menos sensveis, tanto a mistura de estrobilurina e triazol ou triazol isoladamente podem ser utilizadas. Deve-se evitar aplicaes em situao de alta presso de doena e de forma curativa.

    Para todas situaes seguir as estratgias anti-resistncia recomendadas pelo FRAC.

  • Utilizar o fungicida somente na poca, na dose e nos intervalos de aplicao recomendados;Utilizar a rotao/misturas de fungicidas com mecanismos de ao distintos Estratgias recomendas pelo FRAC-BRIncluir outros mtodos de controle de doenas (ex. resistncia gentica, controle cultural, biolgico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenas (MID), quando disponveis e apropriados.Sempre consultar um Engenheiro Agrnomo para orientao sobre as recomendaes locais para o manejo de resistncia.

  • N.S. AlmeidaTecnologia de Aplicao

  • Aplicar o fungicida no alvo correto, com cobertura adequada (mnimo de 60 gotas/cm2)Tecnologia de aplicao fundamental para eficincia do controle qumicoJ.T. YorinoriIMPORTANTETecnologia de Aplicao

  • utilizar gotas finas (abaixo de 220 m)na pulverizao tratorizadamanter a barra a uma altura mdia de 30 cm acima do dossel da culturapreferncia por volume de calda entre 140 a 180 L/hana pulverizao areapreferncia por volume de calda entre 30 a 40 L/hBVO: seguir as recomendaes de cada caso

    EVITAR APLICAES SOB CONDIES CLIMTICAS ADVERSAS(temperatura acima de 30 C, umidade do ar abaixo de 55 % e ventos superiores a 8 km/h)Aspectos a considerar na aplicao

  • Essa palestra foi elaborada com informaes gerais sobre ferrugem da soja no Brasil, podendo ocorrer variaes em funo das especificidades de cada regio produtora.OrganizaoEmbrapa Soja (C.V. Godoy / C.D.S. Seixas / R. M. Soares)

    Layout:UFRGS (E.M. Del Ponte / E.J. Martins)http://www.consorcioantiferrugem.net

  • * muito importante considerar a maneira como so usados os fungicidas. Eles so a grande arma para o controle da ferrugem. Caso surjam populaes do fungo resistentes a esses produtos, pode-se ficar mais vulnervel aos danos que a doena pode causar. No caso dos triazis, pode ser necessrio aumentar doses, o que onera ainda mais o custo de produo e, no caso de produtos base de estrobilurinas, vo deixar de ser efetivos contra a doena. Quando ocorre falha no controle, isso pode ser devido a erro na dose, ou seja, dose menor do que a recomendada, a poca de aplicao pode ter sido inadequada, pode ter havido algum erro no momento do preparo da calda, em funo do tipo de formulao, pode ter havido engano no diagnstico e o produto aplicado ser ineficiente para a doena que est ocorrendo de fato, ou podem ter sido selecionadas populaes do organismo em questo resistentes quele produto. A resistncia a fungicidas a capacidade de um patgeno, causador de doenas em plantas, sobreviver a doses de fungicidas antes letais. Qualquer populao de fungo contm indivduos naturalmente capazes de sobreviver aplicao de um determinado fungicida. Ento, se o fungicida for usado de maneira inadequada, vai promovendo a seleo desses indivduos que, com o tempo, passam a se maioria na populao e o fungicida passa a no ter efeito.***Essas orientao foram propostas na reunio do CAF, em 2008, a partir da apresentao de resultados de monitoramento, realizado pela Embrapa Bayer Cropscience.

    *Mistura nesse caso so as misturas prontas com fungicidas com modo de ao diferentes (mistura de tanque proibida por lei)**Cartes referentes a aplicao com bico duplo leque. Um aspecto fundamental para o sucesso no controle de doenas com fungicidas a tecnologia de aplicao. necessrio atingir o alvo, no caso as folhas das plantas, e ter boa cobertura, que considerada adequada quando tiver pelo menos, 60 gotas/cm2. A foto indica que o produto deve atingir toda a planta e as trs fotos pequenas mostram o que seria a cobertura ideal, em cada tero da planta (superior, mdio e inferior). *BVO (baixo volume oleoso) uma modalidade de aplicao onde se usa como veculo o leo e aplica-se volumes de no mximo 10 litros/ha. Baixo volume considerada uma tecnologia de alto risco, sendo importantssimo que a aplicao resulte em boa cobertura, que aliado a boa eficincia na absoro do leo, pode resultar em uma aplicao de boa qualidade. **O Consrcio Antiferrugem, conta com a participao da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuria (Embrapa), fundaes de apoio pesquisa, empresas estaduais de pesquisa, de transferncia de tecnologias, cooperativas, universidades e da Associao Nacional de Defesa Vegetal (Andef). O objetivo a conscientizao junto a tcnicos, produtores e empresrios do setor que compem a cadeia produtiva da soja para divulgar questes que envolvam a preveno e o controle da ferrugem.