paradiplomacia comércio logística e dinâmicas produtivas no mato grosso do sul - lisandra...

Download Paradiplomacia   comércio logística e dinâmicas produtivas no mato grosso do sul - lisandra lamoso

Post on 02-Nov-2014

12 views

Category:

Investor Relations

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Conteúdo do mini-curso apresentado na UFGD sobre “A paradiplomacia e o Mato Grosso do Sul – o potencial do estado no ambiente internacional” – 20/9/2011LISANDRA LAMOSO

TRANSCRIPT

  • 1. COMRCIO, LOGSTICA E DINMICAS PRODUTIVAS NOMATO GROSSO DO SUL*
    • Lisandra Lamoso
  • Equipe:
  • Gustavo Pinheiro da Silva Amorim
  • Herbert Maldonado
  • Larissa Sangalli
  • Naman de Moura Brito
  • Maurcio Martorelli Galera
  • Rafael Gonalves Alexandre
  • Valdimri Machado Cavalcante
  • Wiliam Moreno

*Contedo do mini-curso apresentado na UFGD sobre A paradiplomacia e o MatoGrosso do Sul o potencial do estado no ambiente internacional 20/9/2011 2. Conjuntura nacional / internacional

  • Valorizao cambial;
  • Dependncia do crescimento chins;
  • Aumento da produtividade da agricultura e uso das vantagens comparativas;
  • Rebaixamento dos preos dos manufaturados;
  • Uso das vantagens comparativas;
  • Sinais pontuais de desindustrializao.

3. Efeitos da poltica industrial - PDP:

  • Poltica de Desenvolvimento Produtivo:
  • a arte da poltica industrial e de comrcio exterior reside precisamente em combinar a captura de novas oportunidades sem abandonar as bases da competitividade j adquiridas nascommoditiesintensivas em recursos naturais, escala, energia e trabalho
  • (Luciano Coutinho Presidente do BNDES,2003).

4. Plano Brasil Maior

  • Incorpora poltica industrial, tecnolgica, de servios e de comrcio exterior;
  • Inovar para competir. Competir para crescer;
  • Prev desonerao tributria de cerca de R$ 25 bilhes em dois anos;
  • Aes para comrcio exterior:
  • Promoo comercial
  • Financiamento e garantia para exportaes
  • Defesa comercial
  • Desonerao das exportaes
  • Instituio do Reintegra: - Devoluo ao exportador de bens industrializados de 3% sobre valor exportado.
  • Ampliar o ressarcimento de crditos aos exportadores: - Mais agilidade aos pedidos de ressarcimento no valor de R$ 19 bilhes - Processamento automtico dos pedidos de ressarcimento e pagamento em 60 dias a empresas com escriturao fiscal digital, a partir de outubro de 2011. - Escriturao fiscal digital obrigatria, a partir de maro de 2012.
  • http://www.brasilmaior.mdic.gov.br/oplano/

5. Perspectivas

  • Valorizao dascommodities :conjuntural ou estrutural?
  • Criao da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovao Industrial (Embrapii);
  • Interveno via poltica fiscal;
  • Comportamento da remessa de dlares;
  • Oportunidade para Mato Grosso do Sul?

6. BRASIL Principais produtos exportados em 2010 Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Larissa Sangalli 7. BRASIL Principais empresas exportadoras em 2010 Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Larissa Sangalli 8. BRASIL Principais destinos das exportaes em 2010 Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Larissa Sangalli 9. Definio de fator agregado

  • a) Produtos bsicos: produtos de baixo valor, normalmente intensivo em mo-de-obra,cuja cadeia produtiva simples e que sofrem poucas transformaes. Por exemplo, minrio de ferro, gros, agricultura, etc.
  • b) Produtos industrializados: Dividem-se em semi-manufaturados e manufaturados, uma vez mais considerando o grau de transformao
    • b.1) semimanufaturados produto que passou por alguma transformao. Ex: suco de laranja congelado; couro.
    • b.2) manufaturado produto normalmente de maior tecnologia, com alto valor agregado, Ex: televisor, chip de computador, automvel, CD com programa de computador, etc.

10. Fonte: MDIC, 2011 11. Importaes de feijo preto pelo Brasil em 2011 (jan-ago) Fonte: Jornal Valor Econmico, 15 set. 2011 12. MATO GROSSO DO SUL Exportaes por fator agregado Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Lisandra Lamoso 13. Poltica pblica de incentivo industrializao

  • PROGRAMA MS EMPREENDEDOR -LEI COMPLEMENTAR N 93/01:
  • Benefcios ou incentivos fiscais concedidos s indstrias que se instalarem ou ampliarem suas instalaes, de at 67% do ICMS devido, pelo prazo de at 5 anos, prorrogvel por igual perodo, conforme perfil do empreendimento.
  • Possibilidade de: dispensa do pagamento do ICMS incidente sobre as entradas interestaduais ou sobre aimportao de mquinas e equipamentos , destinados ao ativo fixo da empresa;
  • Diferimento do ICMS incidente sobre importaes de matrias-primas

Fonte: www.seprotur.ms.gov.br 14. MATO GROSSO DO SUL Principais destinos das exportaes em 2010 Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Lisadra Lamoso 15. MATO GROSSO DO SUL Principais empresas exportadoras em 2010 Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Wiliam Moreno 16. Campo Grande: Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Herbert Maldonado 17. CAMPO GRANDE Principais produtos exportados em 2010 Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Herbert Maldonado 18. MATO GROSSO DO SUL Principais produtos exportados em 2010 Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Wiliam Moreno 19. DOURADOS: Principais produtos exportados em 2010 Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Gustavo Amorim 20. DOURADOS: Principais destinos das exportaes em 2010 Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Gustavo Amorim 21. Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Rafael Gonalves Alexandre 22. TRS LAGOAS: Principais produtos exportados em 2010 Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Rafael Gonalves Alexandre 23. Fonte: MDIC, 2011Organizado por: Lisandra Lamoso 24. Morro do Urucum Foto: Lisandra Lamoso, vrios anos 25. Fonte: MCR, 2007 Fonte: Vale, 2009 Fonte: AHIPAR, 2010 Fonte: Vale, 2010 26. Eucalipto Ribas do Rio Pardo Foto: Lisandra Lamoso, 7 de setembro de 2011 27. Reflorestamento em Ribas do Rio Pardo Foto: Lisandra Lamoso, 7 de setembro de 2011 28. Ponte sobre o Rio Paran (Brasilndia-MS) Foto: Lisandra Lamoso, 7 de setembro de 2011 29. 30. Localizao das CooperativasExportadoras Em 2009. 31. Concentrao vizinhana com Estado de So Paulo 32. 33. Territorialidade das tradings de gros 34. 35. Implicaes para Mato Grosso do Sul

  • Cenrio de oportunidades;
  • Utilizao da poltica fiscal para fomento da industrializao;
  • Mercado decommodities ;
  • Importaes de bens de capital;
  • Peso do mercado chins e possibilidade de diversificao;
  • Gerao de novos fluxos de circulao;

36.

  • Potencial da produo familiar pouco explorada;
  • Possibilidades para integrao em rede e integrao regional;
  • Fragilidade na origem de capital;
  • Campo para parcerias pblico-privadas?
  • Urgncia na prospeco de mercados e Paradiplomacia.

37. Dicas de leitura:

  • COMRCIO EXTERIOR BRASILEIRO: A TESE DA REPRIMARIZAO DA PAUTA EXPORTADORA E SUAS REPERCUSSES PARA MATO GROSSO DO SUL
  • http://www.agb.org.br/evento/download.php?idTrabalho=2477
  • DINMICAS PRODUTIVAS DA ECONOMIA DE EXPORTAO NO MATO GROSSO DO SUL - BRASIL
  • http:://www.mercator.ufc.br/indez.php/mercator/article/view/418
  • OPAPEL DO COMRCIO EXTERIOR DE MATO GROSSO DO SUL NA INTEGRAO REGIONAL COM O MERCOSUL
  • http://www.ufgd.edu.br/fch/mestrado-geografia/dissertacoes/dissertacao-valdinei

38. Contato:

  • [email_address]