painel social - junho- .com cras municípios sem cras total de cras municípios com creas...

Download PAINEL SOCIAL - JUNHO- .com CRAS Municípios sem CRAS Total de CRAS Municípios com CREAS Municípios

Post on 11-Dec-2018

218 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PAINEL SOCIAL SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Junho de 2014.

O Painel Social chega a sua quinta edio, perseguindo sempre o objetivo de divulgar ndices e dados da rea social, com o recurso de grficos e breves comentrios voltados a auxiliar o entendimento dos dados por parte de todos que se interessam pelo tema da assistncia e do desenvolvimento social, em especial tcnicos e gestores que atuam em mbito estadual e municipal.

Em caso de dvidas, sugestes ou qualquer outra informao, entre em contato com a equipe responsvel atravs do e-mail: infosocial@sp.gov.br

Boa leitura!

O IDH-M a mdia geomtrica dos ndices das dimenses Renda, Educao e

Longevidade. Considerando o clculo que estabelece um nmero final entre 0 e 1,

sendo que quanto mais prximo a 1 melhor o desenvolvimento verificado, o Estado

de So Paulo situa-se na faixa de alto ndice de desenvolvimento humano

(classificada entre 0,700 a 0,799).

No tocante populao, o Sistema nico de Assistncia Social - SUAS se utiliza da

diviso de municpios por porte para propor aes de proteo bsica e/ou especial

de mdia e alta complexidade, que devem levar em conta a realidade local, e assim

organizada por nmero de habitantes: at 20.000 - Pequeno Porte I; de 20.001 a

50.000 - Pequeno Porte II; entre 50.001 a 100.000 - Mdio Porte; entre 101.000 e

900.000 - Grande Porte; e com mais de 900.000 - Metrpoles.

Populao1 41.262.199 3,2

IDHM2 0,783 645

DADOS GERAIS

DADOS POPULACIONAIS

N de Municpios

Mdia de Pessoas / Domicl io (IBGE)

FONTES: 1IBGE, Censo 2010; 2PNUD - Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil: Atlas Brasil 2013. SIGLAS: IDHM, ndice de Desenvolvimento Humano Municipal; IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica.

IPVS IVSF

Grupo 1 Baixssima vulnerabilidade Insuficincia de renda

Grupo 2 Vulnerabilidade muito baixa Insuficincia de renda e necessidades habitacionais

Grupo 3 Vulnerabilidade baixa Insuficincia de renda e condies habitacionais precrias

Grupo 4 Vulnerabilidade mdia - setores urbanosInsuficincia de renda, necessidades habitacionais e

vulnerabilidade infanto-juvenil

Grupo 5 Vulnerabilidade alta - setores urbanosInsuficincia de renda, necessidades habitacionais e alta

vulnerabilidade familiar

Grupo 6Vulnerabilidade muito alta -

aglomerados subnormais

Insuficincia de renda, necessidades habitacionais, alta

vulnerabilidade familiar e vulnerabilidade infanto-juvenil

Grupo 7 Vulnerabilidade alta - setores rurais NA

GRUPOS DE VULNERABILIDADE

O ndice Paulista de Vulnerabilidade Social

(IPVS) um indicador que fornece a

quantidade de populao do Estado de

So Paulo por grupo de vulnerabilidade

social, de acordo com as dimenses:

renda, escolaridade e ciclo de vida

familiar. J o ndice de Vulnerabilidade

Social-Familiar (IVSF), fornece a

quantidade de pessoas cadastradas no

Sistema Pr-Social de acordo com a

situao de vulnerabilidade social,

levando em conta as seguintes

dimenses: renda, condies habita-

cionais, composio familiar e vulnerabili-

dade infanto-juvenil. Importante ressaltar

que enquanto o IPVS trabalha com dados

de abrangncia mais geral (censo

populacional do IBGE), o IVSF considera

basicamente dados da populao mais

vulnervel, isto , exatamente aquela que

foco principal do cadastro Pr-Social.

Para melhor identificao a tabela ao lado

apresenta o significado dos grupos de

vulnerabilidade de cada ndice.

FONTES: 1Fundao Seade, 2010; 2Seds, junho/2014 (Obs.: do total de cadastrados no Pr- Social, 4,2% no puderamser classificados nos critrios do IVSF). SIGLAS : IPVS , ndice Paulista de Vulnerabilidade Social; IVSF , ndice deVulnerabilidade Social- Familiar; NA , No se Aplica.

FONTE: Pr-Social, jul/ 2014. NOTA: As Unidades Prestadoras de Servio so vinculadas juridicamente s mantenedoras, portanto o nmero de mantenedoras expressa a

quantidade de entidades de assistncia social no Estado. *As quantidades de Recursos Humanos so provenientes dos cadastros das entidades ativas.

O Programa Renda Cidad um programa estadual de transferncia de renda associado a aes complementares, com objetivo de promover o desenvolvimento e a autonomia das famlias beneficiadas. Visa atender famlias com renda per capita de at meio salrio mnimo. O Benefcio Idoso um benefcio direcionado aos idosos do Estado com idade a partir de 80 anos e com renda mensal per capita de at meio salrio mnimo. O Programa Ao Jovem um programa estadual de transferncia de renda com objetivo de estimular a concluso da educao bsica e preparar o jovem para o mercado de trabalho. Visa atender estudantes de 15 a 24 anos, com renda familiar de at meio salrio mnimo por pessoa. J o Programa Bolsa Famlia um programa federal de transferncia de renda, voltado a famlias mais vulnerveis e com renda mensal de at R$140,00 por pessoa.

FONTE: Pr-Social, jun/2014; SIGLA: IVSF, ndice de Vulnerabilidade Social-Familiar;

FONTE: 1Renda Cidad - folha de pagamento, mai/2014; 2Renda Cidad - Benefcio Idoso - folha de pagamento, jun/2014; 3Ao Jovem, jun/2014; 4MDS, SAGI, Bolsa Famlia - mai/2014. SIGLAS: NA, No se Aplica. *Cadastros com status "fechado"; **Cadastros com status "fechado" e atualizados nos ltimos 3 anos.

FONTE: Ministrio do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS) e DATAPREV/Sintese, mai/2014. SIGLA:BPC, Benefcio de Prestao Continuada.

O Sistema Pr-Social foi desenvolvido como um sistema corporativo, com tecnologia Web, para reunir e organizar as informaes das famlias em situao de vulnerabilidade social bem como das aes sociais executadas no Estado de So Paulo. Ele est estruturado em trs mdulos de cadastro, a saber: cadastro de Famlias e Beneficirios, cadastro de Instituies e cadastro de Programas/Projetos/Aes. J o Cadnico um cadastro do Governo Federal voltado a identificar e caracterizar famlias de baixa renda (consideradas como aquelas com renda mensal de at meio salrio mnimo por pessoa, ou renda mensal total de at trs salrios mnimos).

FONTES: Pr-Social, jun/2014; Ministrio do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS), abr/2014.

*Foram considerados apenas os cadastros "fechados" e atualizados nos ltimos 3 anos.

RENDA CIDAD1 181.273 NA 1.144.597

BENEFCIO IDOSO2 NA 3.734 NA

AO JOVEM3 NA 103.819 1.144.597

BOLSA FAMLIA4 1.343.153 NA NA NANA

NA NA

N F AM LIA S C OM PER F IL P/

R EN D A C ID A D **

315.996

NA

NA

301.886

TRANSFERNCIA DE RENDA

PROGRAMAS N DE FAMLIASN DE

PESSOAS

N FAMLIAS

CADASTRADAS

NO PR-SOCIAL*

N JOVENS COM

PERFIL P/ AO

JOVEM**

PR-SOCIAL1

Famlias

Total Cadastros 2.125.892

Total Cadastros Fechados 1.144.597

Total Cadastros em Aberto 981.295

Total Cadastros Atualizados* 512.685

Total Cadastros - Renda 1/2 Salrio Mnimo* 490.920

CADASTRO SOCIAL

CLASSIFICAO CADASTRAL CADNICO2

Famlias-

-

2.655.777

2.261.297

3.514.957

A Proteo Social Bsica tem como objetivo a preveno de

situaes de risco e destina-se populao que vive em situao

de fragilidade decorrente da pobreza, ausncia de renda, acesso

precrio ou inexistente aos servios pblicos e ainda a fragilizao

de vnculos afetivos, seja por discriminaes etrias, tnicas, de

gnero ou por deficincias, dentre outras. Conforme a

identificao de vulnerabilidade so desenvolvidos servios,

programas e projetos para acolhimento, convivncia e

socializao de famlias e indivduos. O equipamento social da

ateno bsica na assistncia social o CRAS.

A Proteo Social Especial destina-se a famlias e indivduos em situao de risco pessoal ou social, cujos direitos tenham sido violados ou ameaados por ocorrncia de violncia fsica ou psicolgica, abuso ou explorao sexual; abandono, rompimento ou fragilizao de vnculos ou afastamento do convvio familiar devido aplicao de medidas. Os servios de PSE atuam diretamente ligados com o sistema de garantia de direitos, exigindo uma gesto mais complexa e compartilhada com o Poder Judicirio, o Ministrio Pblico e com outros rgos e aes do Executivo. Os equipamentos sociais de ateno especial na assistncia social so o CREAS e o Centro Pop. Os nmeros apresentados acima espelham a previso de atendimento, por proteo, apresentada pelos municpios por ocasio do preenchimento do sistema PMAS.

FONTE: Plano Municipal de Assistncia Social - PMAS, jun/2014, da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, SEDS. SIGLAS: CRAS, Centro de Referncia de Assistncia Social; CREAS, Centro de Referncia Especializado de Assistncia Social; Centro POP, Centro de Referncia Especializado para Populao em Situao de Rua; FEAS, Fundo Estadual de Assistncia Social; FMAS, Fundo Municipal de Assistncia Social; FNAS, Fundo Nacional de Assistncia Social; MSE-PSC/LA, Servio de Proteo Social Especial a Adolescentes em Cumprimento de Medida Socioeducativa, Prestao de Servio Comunidade e Liberdade Assistida, respectivamente; PAEFI, Servios de Proteo e Atendimento Especializado a Famlias e Indivduos; PAIF, Servio de Proteo e Atendimento Integral Famlia. Servios Outros: Especificados de Acordo com a Tipificao Nacional. NOTA: nos valores de repasse foram desprezados os centavos.

PorteMunicpios

com CRAS

Municpios

sem CRASTotal de CRAS

Recommended

View more >