Padrão Celesc

Download Padrão Celesc

Post on 15-Oct-2015

54 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • PA D R O N I Z A O D E E N T R A D A D E E N E R G I A E L T R I C A D E U N I D A D E S C O N S U M I D O R A S D E B A I X A T E N S O | E - 3 2 1 . 0 0 0 1 C E L E S C D I S T R I B U I O1

    PADRONIZAO DE ENTRADA DE ENERGIA ELTRICA

    DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA TENSO

    E - 3 2 1 . 0 0 0 1

    N O V E M B R O 2 0 0 7

  • A P R E S E N T A O

    Orientar e uniformizar os procedimentos

    A Especificao E-321.0001 - Padronizao de Entrada de Energia Eltrica de Unidades Consumidoras de Baixa Tenso substitui e

    cancela a Norma Tcnica DPSC/NT-01-BT Fornecimento de Energia Eltrica em Tenso Secundria de Distribuio.

    Ela tem por finalidade determinar os requisitos tcnicos para a execuo das instalaes de entrada de energia eltrica de unida-

    des consumidoras de baixa tenso na rea de concesso da Celesc. Os princpios que nortearam a sua elaborao foram: legalida-

    de das exigncias, economicidade na especificao dos materiais e racionalidade na definio de procedimentos.

    Como novidade em relao norma anterior, a unidade consumidora que tenha carga instalada superior a 75kW poder ser

    atendida em tenso secundria de distribuio, desde que o circuito secundrio ao qual ser ligada suporte a sua demanda. Isto

    favorece o consumidor que deseja reduzir investimentos, evitando construir subestao transformadora particular.

    Aos eletricistas que executam instalaes de entrada de energia eltrica solicitamos que, em caso de dvidas sobre esta Especifi-

    cao, procurem esclarecimentos em nossas lojas de atendimento.

    Recomendamos aos profissionais que trabalham com eletricidade que utilizem equipamentos de proteo e observem procedi-

    mentos de segurana a fim de evitar acidentes e em especial a Norma Regulamentadora NR-10 Segurana em Instalaes e

    Servios em Eletricidade, revisada atravs da Portaria n 598 de 07/12/2004 do Ministro de Estado do Trabalho e Emprego.

    Como material de consulta complementar, esta publicao contm, alm da Especificao E-321.0001, trs apndices: Especi-

    ficaes de componentes da entrada de energia eltrica, a Instruo I-321.0023 - Fatores de carga e de demanda e a Instruo

    I-321.0024 - Critrios gerais de acesso ao sistema de distribuio de energia eltrica.

    Florianpolis, setembro de 2007.

    Carlos Alberto MartinsDiretor Comercial da Celesc Distribuio

  • DIRETORIA COMERCIAL - DCL

    DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA COMERCIAL - DPEC

    DIVISO DE MEDIO - DVMD

    CONSULTAS E INFORMAES

    DIVISO DE MEDIO DVMD

    AV. Governador Ivo Silveira, 2389 Capoeiras

    Fone (48) 3271-8311 - Fax (48) 3271-8319

    Caixa Postal 480

    CEP 88.085-001 FLORIANPOLIS SC

    dvmd@celesc.com.br

    Esta Especificao E-321.0001, encontra-se em www.celesc.com.br

  • E-321.0001 - PADRONIZAO DE ENTRADA DE ENERGIA ELTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA TENSO

    7

    1. FINALIDADE 92. MBITO DE APLICAO 93. ASPECTOS LEGAIS 94. CONCEITOS BSICOS 95. DISPOSIES GERAIS 9

    5.1. Consideraes Iniciais 95.2. Campo de Aplicao 10

    5.2.1. Limites 105.2.2. Condies No Permitidas 105.2.3. Condies Especiais 10

    5.3. Condies Gerais de Fornecimento 105.3.1. Limite de Fornecimento 105.3.2. Classificao dos Tipos de Fornecimento 10

    5.3.2.1. Tipo Monofsico a Dois Fios 105.3.2.2. Tipo Monofsico a Trs Fios 105.3.2.3. Tipo Bifsico a Trs Fios 105.3.2.4. Tipo Trifsico a Quatro Fios 11

    5.3.3. Dimensionamento dos Componentes da Entrada de Energia

    11

    5.4. Entrada de Energia Eltrica 115.4.1. Ramal de Ligao 115.4.2. Estrutura de Fixao do Ramal de Ligao 125.4.3. Ramal de Entrada e Ramal de Sada 12

    5.4.3.1. Condutores 125.4.3.2. Eletrodutos 12

    5.4.4. Ramal de Carga 125.4.5. Poste 13

    5.4.5.1. Tipos de Poste 135.4.5.2. Localizao 135.4.5.3. Outras Condies 13

    5.4.6. Pontalete 135.4.7. Ramal de Entrada de Energia Eltrica Subterrneo 13

    5.4.7.1. Condies Gerais 135.4.7.2. Condutores 135.4.7.3. Caixa de Passagem 135.4.7.4. Eletroduto Junto ao Poste 145.4.7.5. Eletroduto Enterrado 14

    5.4.8. Proteo Geral 145.4.9. Posto de Medio 14

    5.4.9.1. Tipos de Posto 155.4.9.1.1. Medio Individual 155.4.9.1.2. Medio Agrupada 155.4.9.1.3. Notas para Medio Agrupada 15

    5.4.9.2. Localizao 155.4.10. Aterramento 16

    5.4.10.1. Condutor de Proteo 165.4.10.2. Conexes 165.4.10.3. Eletrodo de aterramento 16

    5.5. Fornecimento e Instalao dos Materiais da Entrada de Energia

    16

    5.6. Atendimento a Especificaes 165.7. Disposies Transitrias 16

    6. ANEXOS DA E-321.0001 176.1. Dimensionamento de Componentes - Tabelas 17

    6.1.1. Dimensionamento de Componentes - tenso de fornecimento 380/220 Volts

    17

    6.1.2. Dimensionamento de componentes - tenso de fornecimento 220 Volts (sem neutro)

    18

    6.1.3. Dimensionamento - Conector Cunha - Ramal de Entrada (Singelo)

    19

    6.2 Desenhos Normativos 206.2.1. Condies gerais para o Ramal de Ligao 206.2.2. Sugestes para instalao da caixa de

    medio 21

    6.2.3. Definies: Ramais de ligao, de entrada, de sada, de carga e ponto de entrada

    22

    6.2.4. Medio em parede, muro ou mureta - Entrada de energia subterrnea

    23

    6.2.5. Entrada de energia com medio em parede - Vista lateral

    24

    6.2.6. Entrada de energia com medio em parede (vista frontal)

    25

    6.2.7. Medio em poste com uma caixa monofsica ou polifsica - Ramal de carga com cabo multiplexado

    26

    6.2.8. Medio com instalao embutida em parede e ramal entrada em pontalete

    27

    6.2.9. Medio em poste com uma caixa monofsica ou polifsica - Ramal de carga com condutores singelos

    28

    6.2.10. Medio em poste com duas caixas monofsicas na horizontal - Ramais de carga com cabos multiplexados

    29

    6.2.11. Medio em poste com duas caixas monofsicas na horizontal - Ramais de carga com condutores singelos

    30

    6.2.12. Medio em poste com uma caixa monofsica e uma caixa bifsica - Ramais de carga com cabo multiplexado

    31

    6.2.13. Medio em poste com uma caixa monofsica e uma caixa bifsica - Ramais de carga com condutores singelos

    32

    6.2.14. Medio em poste com duas caixas monofsicas na vertical - Ramais de carga com cabos multiplexados

    33

    6.2.15. Medio em poste com duas caixas monofsicas na vertical - Ramais de carga com condutores singelos

    34

    6.2.16. Medio em poste com uma caixa monofsica ou polifsica - Ramal de carga subterrneo

    35

    6.2.17. Medio em poste com duas caixas monofsicas na horizontal - Ramal de carga subterrneo

    36

    6.2.18. Medio em poste com uma caixa monofsica e uma caixa bifsica - Ramal de carga subterrneo

    37

    6.2.19. Ligao temporria para canteiros de obras e eventos (monofsica ou polifsica) - Sada para tomada

    38

    6.2.20. Medio em mureta com at trs caixas monofsicas na horizontal - Ramais de carga com cabos multiplexados

    39

    6.2.21. Medio em mureta com uma caixa monofsica e uma caixa bifsica - Ramais de carga com cabos multiplexados

    40

    SUMRIO

  • 6.2.22. Medio em mureta com trs caixas monofsicas na horizontal - Ramais de carga com condutores singelos

    41

    6.2.23. Medio em mureta com uma caixa monofsica e uma caixa bifsica - Ramais de carga com condutores singelos

    42

    6.2.24. Medio em mureta com trs caixas monofsicas na horizontal - Ramais de carga subterrneos

    43

    6.2.25. Medio em mureta com uma caixa monofsica e uma caixa bifsica - Ramais de carga subterrneos

    44

    6.2.26. Medio em mureta com quadro para at trs medidores - Ramais de carga com cabos multiplexados

    45

    6.2.27. Medio em mureta com quadro para at trs medidores - Ramais de carga com condutores singelos

    46

    6.2.28. Medio em mureta com quadro para at trs medidores - Ramais de carga subterrneos

    47

    6.2.29. Medio com lente em poste da Celesc 486.2.30. Esquema de ligao de uma caixa de

    medio bifsica e uma caixa de medio monofsica

    49

    6.2.31. Esquema de ligao de trs caixas de medio monofsicas

    50

    6.2.32. Esquema de ligao de duas caixas de medio monofsicas agrupadas na vertical em poste

    51

    6.2.33. Amarrao na armao secundria 526.2.34. Esforos em postes duplo T (DT) - Posies

    da face em funo do ngulo de chegada do ramal de ligao

    53

    6.2.35. Ancoragem e conexes em cabos multiplexados

    54

    APNDICES 55Apndice I - Especificaes dos componentes da entrada de energia eltrica

    56

    Especificao 01 | Abraadeiras para caixa de medio. 57Especificao 02 | Caixa de passagem subterrnea (corpo)

    58

    Especificao 03 | Conector Cunha 59Conector Cunha - Tabelas de dimensionamento 60Especificao 04 | Conector de aterramento 61Especificao 05 | Conector terminal de cobre estanhado

    62

    Especificao 06 | Caixas de medio em material polimrico

    63

    Especificao 07 | Caixas e quadros de medio metlicos

    64

    Especificao 08 | Fita de alumnio ou ao inoxidvel 65Especificao 09 | Haste de aterramento ao-cobre 66Especificao 10 | Isolador roldana de porcelana ou vidro

    67

    Especificao 11 | Parafuso de cabea quadrada 68Especificao 12 | Pontalete de ao-carbono 69Especificao 13 | Poste de concreto de seo duplo T (DT) 70Especificao 14 | Poste metlico 71Especificao 15 | Tampa de ferro fundido 72Especificao 16 | Ala pr-formada 73Especificao 17 | Armao secundria e parafuso em material polimrico

    74

    Especificao 18 | Armao secundria de ao-carbono 75Especificao 19 | Cabos de alumnio e de cobre multiplexados

    76

    Especificao 20 | Condutores de cobre 77Especificao 21 | Disjuntores termomagnticos 78Especificao 22 | Eletroduto rgido de ao-carbono, PVC e duto corru