os parceiros que alimentam

Download Os parceiros que alimentam

Post on 01-Jan-2017

213 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Quem cuida dos alimentosQuem cuida dos alimentos

    1. Shirlei, dona da padaria Benjamin Abraho. 2. Erica, da Casa do Po de Queijo. 3. Jos Borges, proprietrio da lanchonete que tem seu sobrenome.

    N o v a p r a a d e a l i m e n t a o

    Eles servem qualidade, com higiene e bonspreos, no campus Mackenzie So Paulo,ganham a simpatia geral e despertam o interesse de outras universidades

    Mackenzie10

    Apartir de 1998 cresceu consi-deravelmente o sistema de ali-mentao do campus Mac-kenzie So Paulo,obedecendo a planoelaborado pelo Departamento deProjetos, atualmente sob a chefia deVagner Perton, gerente administrativodo Instituto Presbiteriano Mackenzie.Casas de lanche de tipos diferentes sejuntaram ao restaurante instalado nosegundo andar do Edifcio ReverendoAmantino Adorno Vasso, cobrindotodo o campus, de modo a facilitar aalimentao de alunos, em nmerosempre crescente, durante os pero-dos diurno e noturno, alm de dire-tores, professores e funcionrios. Aescolha das empresas fornecedorasseguiu severo critrio de qualidade,

    produtos oferecidos, e preos em ge-ral mais baixos que os da mesma em-presa em outra rea da cidade.

    Hoje so 14 lojas de alimentao,dispostas no antigo campus, formadopelas ruas Itamb, Maria Antonia,Consolao e Piau e nos novos pr-dios do Mackenzie, Rua Maria Borba.No corao do campus, onde antesexistia velho restaurante,foi construdaagradvel e bem instalada rea deConvivncia, onde se agrupam osrestaurantes Candy Place e ItalianExpress, uma das duas unidades dalanchonete School Cook a outra ficana Rua Maria Borba , Padaria Benja-min Abraho,Doceria Laffriole,Sorve-teria Mack Break, Casa do Po deQueijo e Mr.Pretzels.Em rea prxima

    est instalada a Editora Cultura Crist.A rea de Convivncia,dotada de com-pleta infra-estrutura para acesso inter-net, pode receber a qualquer tempo aconexo de notebooks, para trabalhose pesquisas de alunos e professores.

    Alm do espao fechado, outraslojas de alimentao foram dispostasestrategicamente pelo campus, demodo a atender demanda. Assim,quem entra pela portaria da Rua daConsolao encontra, poucos passosadiante, no andar trreo do EdifcioReverendo Amantino Adorno Vasso,a Lanchonete do Z e, seguindo emfrente, prxima do prdio 12, a Lan-chonete do Borges. Pela entrada daRua Piau, no prdio 35, fica o esta-belecimento da Pastel & Amor. Bemperto dessa portaria,nos prdios 27 e29, esto as Lanchonetes Fama, quetambm tm acesso pela Rua Itamb.Juntas, as casas de lanche atendem asturmas do Ensino Fundamental I e II.

    Jos Eduardo Verglio Gonalez, ad-ministrador da rea de Convivncia,afirma: A implantao da Praa deAlimentao um servio de qualidadeque o Mackenzie est oferecendo aalunos, professores e funcionrios.Segundo ele, estudo feito pela consul-toria Geomarket revelou que a deman-da reprimida apontava as principaisnecessidades dos alunos, o tamanhodos estabelecimentos e a maneira

    Os parceiros que alimentam

    1 2 3

  • 4. Alan, gerente da Pastel e Amor. 5. Missilene, atende na Mr. Pretzel's. 6. Rosemary, aluna de Pedagogia e funcionria da Editora Cultura Crist.

    Mackenzie 11

    como deveriam ser dispostos no cam-pus.Com base nas informaes, foramescolhidas lojas que oferecem produ-tos de boa qualidade, revela.

    O compromisso com a equaoqualidade versus benefcio faz partedo vocabulrio dos lojistas instaladosno Mackenzie. Carlos Robercio Perei-ra, o franqueado da casa de massasItalian Express, que trabalha no localcom a famlia, garante:Temos busca-do qualidade de maneira permanen-te, inclusive adotando procedimentosde fabricao altamente sofisticados.

    A mesma garantia dada porElisabeth Faria Leite, proprietria doself-service Candy Place. Ela afirma:Qualidade e limpeza so preocu-paes constantes dos lojistas e doMackenzie.Todas as lojas tm estrutu-ra bem montada e cuidam com ca-rinho da qualidade e da higiene. NasLanchonetes Fama I e II no dife-

    rente. Os cuidados com qualidade ehigiene so constantes, revela a nutri-cionista Maristela Gravalos Marinhei-ro.Temos controle rgido, afirma.

    Em alguns estabelecimentos comoo Bar do Z, inaugurado recentementeno campus, as premissas envolvem opreparo dos alimentos.Eu no esquen-to salgadinhos.Asso e frito aqui mesmo,na hora, diz Jos Lopes, comercianteportugus da provncia do Minho. Taisprocedimentos evitam futuras dores decabea e outras mais incmodas einconvenientes, lembra Gersione doCarmo, o comerciante da Pastel &Amor, que h 20 anos atende macken-zistas e h cinco est dentro da institui-o:Com tanto tempo de Mackenzienunca tivemos problemas em relao sade, revela com orgulho.

    O novo planejamento das lojas noMackenzie trouxe vantagens no scom a variedade, a higiene e a quali-

    dade dos produtos. Refletiu tambmno pblico que transita pelo campusporque deu-lhes boas opes de ali-mentao, de fcil alcance. Todos sesentem mais vontade. Quanto segurana fantstico, destaca JosCarlos Paranhos, proprietrio da Sor-veteria Mack Break.Elogia:Consideroestar aqui um privilgio.A caracters-tica no existe por acaso, salienta oadministrador Eduardo Gonalez.Tanto os pais quanto os alunos tmmaior tranqilidade sabendo que ocampus dispe de infra-estrutura pr-pria para dar boa alimentao aos quenele vivem o dia-a-dia., pondera.

    Regina Helena Thompson, antigadona da Casa do Po de Queijo contaque quando se instalou na universi-dade achava que fosse tratar com alu-nos bagunceiros. Enganei-me, de-fende-os. Aqui voc lida com a espe-rana de quem tem o futuro pela fren-te, cujas preocupaes limitam-se aestgio, provas, entrega de trabalhos,diz, com a experincia de ter em casadois mackenzistas formados o mari-do, economista, e a filha, advogada.Agora a Casa do Po de Queijo res-ponsabilidade de Erica Parrillo.

    No delicioso universo, a forma-o de preos um quesito que gera

    Lanche tranqilo, em hora de poucomovimento na nova rea de convivncia.

    4 5 6

  • alguma polmica. Existe maleabili-dade para tornar os custos competi-tivos, diz Joo Marcos Batista, antigogerente da Street Cook.Dos preos,80% esto na mdia, 20% abaixo doque praticado. Ele diz ter recebidoelogios dos alunos tanto pela quali-dade dos produtos, quanto peloatendimento e pelos preos. ShirleyAbraho, uma das proprietrias daPadaria Benjamin Abraho h 63anos no mercado, 26 s em Higie-npolis orientou-se pela experin-cia: Tentamos fazer mais ou menosos mesmos preos da loja externa(Rua Maranho), aqui com vriositens mais baratos, conta.

    Eu tenho o melhor preo!, ex-clama com bom humor o propriet-rio da lanchonete que leva seu sobre-nome Jos Borges.Meu estabeleci-mento muito procurado e respeita-do pelos alunos e isso torna o dia cor-rido, explica, sem reclamar. Se parauns o dia de muito trabalho, nadoceria Laffriole a correria noite. quando acontecem as choradinhaspor causa dos preos, brinca Da-niella Alencar de Oliveira, a gerente:Nosso preo bom e as pessoas sa-bem que,em relao a outros lugares, o mais acessvel, justifica.

    Uma ilha no meio do mundo gas-tronmico, por estar fora desse con-texto, destaca-se a Editora Cultura

    N o v a p r a a d e a l i m e n t a o

    Mackenzie12

    Crist, que, alm de livros, comer-cializa camisetas, bermudas e mo-chilas entre outros produtos da grifeMackenzie, explica Rosemary Tm-bara de Oliveira Mendes, vendedora ealuna do curso de Pedagogia doMackenzie.So bons, tanto o espaodestinado Editora, quanto o movi-mento que temos, porque as pessoasque passam para ir s outras lojas vmconhecer nossos produtos. Afinal,temos o alimento espiritual.

    Alm da satisfao com as insta-laes, o movimento permanente declientes e a distribuio de itens co-mercializados, h, entre os lojistas,consenso em torno da competnciada administrao do Mac-kenzie e da facilidade embuscar entendimentos.Segundo eles as tratativasso feitas em alto nvel,sempre com educao erespeito. Tanto a rea deConvivncia quanto aslojas espalhadas peloscampi agradam aos alu-nos, que no precisam sair do cam-pus Mackenzie So Paulo ou dos

    edifcios da Rua Maria Borba parafazer suas refeies. Suzanne Baruh,aluna do stimo semestre de Enge-nharia Eltrica, que estuda no Mac-kenzie desde o primrio, atesta quan-to melhorou:A praa de alimentaofoi a melhor coisa que poderiam terfeito.Tudo o que tem nela est mara-vilhoso. As lanchonetes no cobrampreos exorbitantes. Comparandocom outros lugares que conheo somuito bons, corrobora Renata daSilva, aluna do primeiro semestre dePublicidade e Marketing.

    Daniela Cororato, aluna do oitavosemestre de Engenharia Eltrica, categrica:Com a implantao da rea

    Quem cuida dos alimentosQuem cuida dos alimentos

    7. O sorriso acolhedor de Lopes, dono do Bar do Z. 8. Andria substituiu Daniella, na doceria. 9. Jos Paranhos vende sorvetes.

    Professores, funcionrios, alunos evisitantes procuram o restaurante emhorrios diferentes no almoo, das

    11h30 s 14h, e no jantar, das 17h45 s19h15 (foto maior). Acima, Renata eAlessandra, com o habitual sorriso.

    7 8 9

  • Mackenzie 13

    de Convivncia tudo ficou fcil para osalunos e mais acessvel para todomundo.Ana Marini, que cursa o nonosemestre de Arquitetura, concorda eacrescenta:Agora tem mais variedadede alimentos e o ambiente agrad-vel.O melhor foi ver a aproximaodas pessoas,que esto interagindo,con-vivendo e conhecendo outras de cur-sos diferentes, revela Fbio FiorottoCastaglioni, futuro administrador deempresas, atualmente cursando o ter-ceiro semestre. Seu xar,Fbio AdrianoFerreira de Almeida, do segundosemestre do curso de Sistemas daInformao,tambm elogia a iniciativa,embora discorde: Os preos fora darea de Convivncia so melhores.

    Parceria saborosaMack Megnata

    Desde setembro de 1998, o res-taurante Megnata das scias RenataZambon Monteiro e Eliana Galembeck

    Toscano Mitev, atende a diretores, pro-fessores, visitantes, alunos e funcio-nrios do Mackenzie,bem como a seusfilhos.A idia surgiu quando a direodo Mackenzie consta