organizações (6)

Download organizações (6)

Post on 14-Aug-2015

175 views

Category:

Documents

40 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

CURSO ON-LINE ORGANIZAES BACEN PROFESSOR: VINICIUS OLIVEIRA RIBEIRO

Aula 5 5.1. Cultura e mudana cultural; 5.4. Mudanas sociais, cientficas e organizacionais; 5.5. O indivduo como ator da mudana.

Ol pessoal, vamos seguindo? Coloco abaixo o cronograma revisado com uma ressalva. O item 3.10 foi tratado quando falamos de cultura organizacional, na Aula 1, e o item 5.1 ser tratado agora: Aula 6 (01/04): 1. Teoria das organizaes: organizaes formais e sociedade contempornea; turbulncia e instabilidade do ambiente e desafios da administrao; diferentes focos no estudo das organizaes; tendncias da evoluo do conhecimento sobre o fenmeno organizacional; 3.7. Sistemas de recompensas; Aula 7 (08/04): 3.8. Relaes trabalhistas e sindicalismo; 3.9. RH e os programas de qualidade; 2.1. Teorias clssicas sobre os principais aspectos do comportamento humano nas organizaes: percepo, liderana, motivao, dinmica grupal e desenvolvimento de equipes, conflito (3 parte); 3.2. O processo de mudanas, comprometimento e desempenho (2 parte); 4.1. O conhecimento como ativo estratgico; 4.2. Conhecimento pessoal e organizacional; Aula extra (15/04): 3.3. Liderana e integridade; 2.2. Novos temas que influenciam a compreenso da dimenso humana nas organizaes: 5.3. inteligncias Formao do mltiplas, paradigma emoes nas organizaes e a necessidade de uma viso holstica; 5.2. Paradigmas. newtonianocartesiano e questionamentos atuais

1

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE ORGANIZAES BACEN PROFESSOR: VINICIUS OLIVEIRA RIBEIRO

5.1. Cultura e mudana cultural; 5.4. Mudanas sociais, cientficas e organizacionais. 5.5. O indivduo como ator da mudana.Mudana, segundo Chiavenato, pode ser definida como a transio de uma situao para outra diferente ou a passagem de um estado para outro diferente. Nesse sentido, mudana representa uma ruptura, uma transformao, uma interrupo, e tambm uma perturbao. A habilidade de lidar com mudanas fundamental nos dias de hoje. Tanto as organizaes quanto as pessoas precisam ser geis, flexveis, adaptveis e criativas. preciso reorganizar empresas para lidar com a competitividade existente no mundo globalizado. A nica certeza que temos do futuro que ele ser uma mudana constante. Assim, as empresas precisam estar bem inseridas nesse processo. A teoria de campo um mtodo de anlise de relaes causais e de criao de construes especficas. Campo, para o autor, o espao de vida da pessoa, em que todo o comportamento concebido como uma mudana de algum estado de um campo numa unidade de tempo especfica. Lewin estabelece alguns princpios em que a realidade pode ser compreendida, no seu funcionamento interno ou na sua estrutura dinmica ou na sua relao com o ambiente: Comportamento como funo do campo existente no momento em que ele ocorre; A anlise se inicia com a situao como um todo. A partir da, as partes componentes so diferenciadas;

2

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE ORGANIZAES BACEN PROFESSOR: VINICIUS OLIVEIRA RIBEIRO

A

pessoa

concreta

pode

ser

representada,

de

forma

matemtica, em uma situao concreta. O autor props um processo de mudana que aplicvel tanto a pessoas, quanto a grupos e organizaes. Inicialmente, vejamos a figura.Descongelamento Mudana Recongelamento

Velhas idias e prticas so derretidas (abandonadas e desaprendidas)

Novas idias e prticas so exercidas e aprendidas

Novas idias e prticas so incorporadas no comportamento

Identificao

Internalizao

Suporte

Reforo

Como podemos ver na figura, o modelo do autor divide-se em 3 etapas: 1. Descongelamento: ocorre quando a mudana bvia,

fazendo com que a organizao rapidamente a entenda e a aceite. Sem essa etapa de descongelamento, a tendncia o retorno ao padro habitual de comportamento, ou seja, a mudana no resultaria em nenhuma consequncia. Em suma, o descongelamento permite que as velhas idias sejam derretidas, ou seja, sejam abandonadas e desaprendidas, para que novas idias e prticas possam ser aprendidas. 2. Mudana: o momento em que so descobertas e adotadas novas atitudes, valores e comportamentos. Da a importncia da figura do agente de mudanas, que poder conduzir pessoas no sentido de promover novos valores, atitudes e3

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE ORGANIZAES BACEN PROFESSOR: VINICIUS OLIVEIRA RIBEIRO

comportamentos por meio de processos de identificao e internalizao. preciso que haja a identificao dessas pessoas com as novidades, e a eficcia com o desempenho dessas medidas deve ser percebida. Em suma, a mudana a fase em que as novas idias e prticas so aprendidas de modo que as pessoas passam a pensar e agir de uma nova forma. 3. Recongelamento: a incorporao de um novo padro de comportamento, ocorrido pela mudana. realizado por meio de suporte e reforo, tornando-se a nova norma integrada prtica atual da maneira de realizao de trabalhos. Assim, no basta conhecer as novas prticas, fundamental a incorporao e fixao do comportamento em voga. preciso dizer que esse um processo dinmico, em que foras atuam em vrios sentidos, estabelecendo-se, ao mesmo tempo, obstculos e incentivos. Na implementao de uma mudana, esto presentes foras impulsoras (positivas), que atuam como apoio e suporte, e restritivas (negativas), representando a oposio e a resistncia. Esse sistema funciona, de certo modo, em um equilbrio quaseestacionrio. H o rompimento do equilbrio quando se imprime tentativas de mudana, momento em que agem as foras positivas e as foras negativas. Nesse choque de foras, podemos dizer que quando h prevalncia das impulsoras, temos o xito/efetividade da mudana. Por outro lado, quando imperam as foras negativas, a velha situao vence o jogo. O ideal, portanto, no momento de mudanas, estimular foras de apoio e suporte e minimizar a oposio e resistncia. Vamos ilustrar para facilitar a memorizao.4

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE ORGANIZAES BACEN PROFESSOR: VINICIUS OLIVEIRA RIBEIRO

Foras positivas (apoio e suporte) Tentativa de mudana bem-sucedida

Velha Situao

Foras positivas s mudanas so maiores do que as negativas

Nova situao

Foras negativas s mudanas so maiores do que as positivas

Tentativa de mudana malsucedida

Velha situao

Foras negativas (oposio e resistncia)

Exemplos de foras impulsionadoras: desejo de mudar, vontade de melhorar, novas idias, criatividade, inovao, inconformismo com o presente. Exemplos de foras restritivas ou impeditivas: desejo de ficar, vontade de manter o status quo, velhas idias, conservadorismo, rotina, conformismo com o presente, medo, conforte. Independente da quantidade de foras negativas e foras positivas (ambas sempre existiro), fundamental que o processo seja executado de forma planejada. No h espao para improvisos. Dentro do planejamento, preciso identificar que tipo de mudana est sendo proposto/analisado. Vejamos esses tipos de mudana.

5

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE ORGANIZAES BACEN PROFESSOR: VINICIUS OLIVEIRA RIBEIRO

Questo. 1) (ESAF MPOG 2009) Ao ser designada(o) como responsvel por um processo de mudana organizacional, voc saber ser capaz de faz-lo desde que no incorra no seguinte erro conceitual: a) no mbito da administrao pblica, o marco

legalburocrtico constitui-se em um forte limitador para a implementao de mudanas que, de regra, na administrao privada, dependeriam apenas da viso do agente de mudanas.

6

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE ORGANIZAES BACEN PROFESSOR: VINICIUS OLIVEIRA RIBEIRO

b) mudanas causam os mais diferentes tipos de reao dos atores organizacionais, desde a adeso imediata proposta de mudana at resistncia completa a qualquer tipo de mudana, sendo esta a mais frequente. c) a resistncia mudana pode se dar nos mbitos individual e organizacional. d) embora fundamental em um processo de mudana, o papel da alta gerncia no pode ser considerado como fator determinante de sucesso. e) mudanas que com implicam reflexo em nos alteraes nveis de na estrutura e

organizacional,

autoridade

responsabilidade, decorrem, quase sempre, da introduo de novas tecnologias. Vamos item a item. a) de fato, a administrao pblica enfrenta limitaes legais, enquanto que a mudana da administrao privada depende da viso do agente. b) mais comum as pessoas serem resistentes a mudanas. Entretanto, h pessoas que so favorveis a mudanas. c) a prpria organizao, dada a sua cultura organizacional enraizada, pode ser um entrave para qualquer mudana. d) o papel da alta gerncia fundamental, mas no determinante para o sucesso. A adeso da maioria das pessoas muito mais determinante, pois so elas que sentiro na pele as mudanas. e) Mudanas podem ser tecnolgicas, estruturais, de

produtos/servios e culturais.7

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE ORGANIZAES BACEN PROFESSOR: VINICIUS OLIVEIRA RIBEIRO

Gabarito: E

A gesto da mudana inicia-se a partir da anlise das foras exgenas (exigncias externas da economia globalizada, da tecnologia, dos consumidores, dos concorrentes, etc.) e das foras endgenas (decises e atividades internas, demandas de novos processos e tecnologias, novos produtos ou servios, exigncias dos empregados e sindicatos, etc.), o que cria a necessidade de mudana organizacional. Assim, as foras tanto internas quanto externas so transferidas para necessidades percebidas na organizao. A partir da, temos a chamada lacuna de desempenho (performance gap), que a disparidade entre a situao atual e a situao desejada. A partir da percepo da necessidade de mudana, realizado o diagnstico da mudana, ou seja, a verificao do que precisa ser mudado: estrutura, cultura, tecnologia ou produtos e servios. Finalmente, implanta