orÇamento pÚblico participativo: um estudo no ?· orÇamento pÚblico participativo: um estudo...

Download ORÇAMENTO PÚBLICO PARTICIPATIVO: UM ESTUDO NO ?· orÇamento pÚblico participativo: um estudo no…

Post on 08-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • ORAMENTO PBLICOPARTICIPATIVO: UM ESTUDO NO

    MUNICPIO DE GUAU-ES

    ALEX VARGASalex.vargas46@yahoo.com.br

    FACEC

    FERNANDA MATOS DE MOURA ALMEIDAfernandamoura15@gmail.com

    FACEC

    JOSELIA RITA DA SILVAjoseliaamaral@gmail.com

    FACEC

    Resumo:Este trabalho investiga o nvel de participao da sociedade de Guau/ES no oramentoparticipativo, tendo em vista a importncia da participao da sociedade e de seus representantes noplanejamento e distribuio dos investimentos pblicos, sendo que estes levaro em conta as reaisnecessidades dos muncipes. A partir de um melhor conhecimento da sociedade e da convocao dosrepresentantes da sociedade para a discusso e deliberao sobre o planejamento do oramento pblico,existe um processo no qual os representantes so inseridos numa discusso mais ampla sobre aestruturao do municpio e sua prioridade que ser melhor atendida. Quanto metodologia, realizou-seuma pesquisa bibliogrfica, descritiva, e de levantamento de dados. O instrumento utilizado para coletade dados foi um questionrio aplicado para 40 representantes da sociedade. Os resultados obtidos napesquisa demonstram que existe participao da sociedade nos planos oramentrios como o PPA Plano Plurianual, LDO Lei de Diretrizes Oramentrias e a LOA Lei de Oramento Anual, emborano seja efetiva. Os representantes da sociedade esto em busca de aumentar tal participao.

    Palavras Chave: Oramento Pblico - Representao - Participao - -

  • 1. INTRODUO

    As distores administrativas do executivo colocam empecilhos nos planejamentos,

    trazendo condies indesejveis para a coletividade, no viabilizando objetivo e metas de

    maior necessidade (LIMA; CASTRO, 2007).

    A Constituio Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal vm buscando uma

    melhoria no que diz respeito aos processos de planejamentos oramentrios, trazendo a

    participao da populao atravs de seus representantes nas elaboraes dos planos

    (BOTELHO, 2011; OLIVEIRA, 2010)

    A constituio de 1988 apresentou trs peas fundamentais para o processo

    oramentrio como principais instrumentos, que so o PPA Plano Plurianual, LDO Lei de

    Diretrizes Oramentrias e a LOA Lei de oramento Anual (SILVA, 2009).

    Portanto, o objetivo geral da pesquisa identificar o nvel de participao da sociedade

    no planejamento oramentrio do municpio de Guau-ES.

    Quanto metodologia, realizou-se uma pesquisa bibliogrfica, descritiva, e de

    levantamento de dados. O instrumento utilizado para coleta de dados foi um questionrio

    aplicado para os representantes da sociedade de Guau-ES.

    2. REVISO BIBLIOGRFICA

    2.1. CONTABILIDADE PBLICA

    Segundo Slomski (2008), no Brasil o conceito de contabilidade pblica foi

    regulamentado em 17 de maro de 1964 pela lei complementar 4.320, que estabelece as

    normas gerais de direito financeiro para elaborao e controle dos oramentos e elaborao

    dos balanos para com a administrao pblica.

    Segundo Lima e Castro (2007, p. 01):

    A contabilidade pblica o conhecimento especializado da Cincias contbeis que

    aplica no processo gerador de informaes os conceitos, princpios e normas

    contbeis na gesto patrimonial de uma entidade governamental, de sorte a oferecer

    sociedade informaes amplas e acessveis sobre a gesto da coisa pblica

    Para Andrade (2007), a contabilidade no setor pblico deve ser caracterizada como

    uma pea fundamental, apresentado legitimamente a figura do oramento pblico, estimando

    as receitas e fixando as despesas, e que atravs dos planos de PPA, LDO e LOA

    estabelecendo um melhor planejamento. No tem por finalidade visar lucro financeiro mais

    sim social.

    2.2. ADMINISTRAO PBLICA

    A administrao pblica uma estrutura do poder executivo tendo como incumbncia

    coordenar e implementar as polticas pblicas, com a finalidade de apresentar um conjunto de

    atividades organizacionais bem estruturadas para que proporcionem as condies exigidas nas

    demandas da sociedade com maior eficincia e eficcia (PEREIRA, 2008).

    De acordo com Paula (2008), a administrao pblica tem por finalidade gerir a

    economia governamental em direo ao interesse pblico e democracia, focalizando mais os

    aspectos instrumentais da gesto do que os sociopolticos, enfatizando-se na eficincia dos

    processos gerenciais e delegando a analise de seus impactos para as cincias polticas. O

    resultado vem delimitando trs peas fundamentais para a construo de uma gesto pblica

  • democrtica que so a dimenso econmico-financeira, dimenso institucional-administrativa

    e a dimenso sociopoltica.

    Tendo a administrao pblica o objetivo de corrigir os erros indesejveis para a

    coletividade, removendo obstculos institucionais e garantindo a viabilizao de objetivos e

    metas que se pretende cumprir, considerando que se trata das funes do administrador,

    planejar o ponto de partida para eficincia e eficcia da mquina pblica, pois com um

    correto planejamento resultar em uma boa gesto, refletindo diretamente ao bem estar da

    populao (ANDRADE, 2008).

    Portanto, a administrao pblica vem buscando atravs da Lei de 4.320/64 e com o

    auxilio da Lei 101/00 (Lei de Responsabilidade Fiscal), o saneamento geral das finanas dos

    governos em todas as suas esferas, a importncia e a necessidade de um bom planejamento

    das aes governamentais e o equilbrio das contas pblicas so preocupaes efetivas da

    sociedade (ANDRADE, 2008).

    2.3. ORAMENTO PBLICO

    O oramento vem sendo melhorado com o passar do tempo, a grande revoluo

    comeou no inicio do Estado liberal clssico e trmino do Estado absolutista, primeiro foi na

    Unio Europia e logo aps no tempo colonial no Brasil. Com as Constituies Federais e

    suas reformulaes o oramento vem melhorando expressivamente ganhando um papel

    importante com a Lei 4.320/64 seguido pela Constituio Federal de 1988 e fortalecido pela

    Lei 101/2000.

    O significado de Oramento Pblico segundo Kohama (2009), que o governo tem

    como responsabilidade fundamental o melhor nvel eficaz de bem-estar coletividade. Para

    isto, utiliza-se de tcnicas de planejamento e programao de aes que so colocadas no

    sistema de planejamento integrado, buscando, analisar a situao em que vivemos na

    atualidade, para conseguir atingir o que desejamos por meios de identificao ou alterao das

    aes desenvolvidas.

    O oramento um instrumento de controle preventivo, assinalando o caminho a

    seguir pela administrao e dando-lhe necessria autorizao para arrecadar e gastar,

    dentro dos limites que se contm no prprio oramento. (VIANA, 1976, p. 26).

    Segundo Oliveira (2010), um oramento bem elaborado pode ser um alicerce quando

    acontecer choques econmicos que possam resultar de desacertos internos ou externos. Crises

    econmicas, polticas, variao do preo do barril do petrleo, problemas com pases com

    quem o Brasil faz limites podem balanar a estrutura econmico-financeiro do pas. Tendo

    assim, importante elaborar um plano ligado s mutaes econmicas para que possa se

    prevenir os altos e baixos em cada exerccio.

    De acordo com Giacomoni (2005), o processo oramentrio nomeado como ciclo

    oramentrio, corresponde quando se inicia na elaborao da proposta oramentria passando

    pela discusso, votao e aprovao da lei oramentria, depois pela Execuo oramentria

    at seu final no controle da execuo.

    De acordo com Slomski (2008), oramento pblico uma lei que se inicia pelo Poder

    Executivo e que estabelece as polticas pblicas para o ano a que se referir; ter o plano

    plurianual como base e ser elaborado respeitando-se a lei de diretrizes oramentrias

    aprovada pelo poder legislativo. Seu teor ser feito em forma de partidas dobradas no aspecto

    contbil com estimativa da receita e a autorizao das despesas.

    Botelho (2011) Andrade (2008), diz que na constituio de 1988 no art. 165 h trs

    instrumentos de planejamento da administrao pblica, que so o PPA - Pano Plurianual a

  • LDO - Lei de Diretrizes Oramentrias e a LOA - Lei Oramentria Anual, compondo assim,

    o sistema oramentrio e que o art. 166, as emendas da LDO e a LOA s podero ser

    aprovadas se estiverem previstas no PPA; que o art. 167 probe o incio de qualquer

    investimento que ultrapasse o exerccio financeiro se no estiver previsto no PPA e

    disponibiliza em seu art. 35. 2, inciso I, do Ato das Disposies Constitucionais

    Transitrias os prazos para elaborao e aprovao do PPA, LDO e LOA.

    Tambm Botelho (2011), relata que, o PPA um planejamento a mdio prazo e busca

    dar continuidade para os planejamentos, enquanto a LDO e a LOA so de curto prazo. A LDO

    define as metas mais importantes no decorrer de um exerccio enquanto a LOA o

    instrumento para que se realize de fato o que foi planejado pelo governo, sendo uma pea de

    execuo.

    Botelho (2011), diz tambm que o municpio deve criar antecipadamente um

    regulamento para que a participao popular funcione e deve ainda tomar providncias como:

    - Definir fontes e os valores dos recursos que sero disponibilizados para os programas

    do oramento popular;

    - Critrios de participao;

    - Prioridades e metas;

    - Prazo para apresentao das propostas.

    2.4. ORAMENTO PBLICO PARTICIPATIVO

    A edio da lei de responsabilidade fiscal (LRF) significou um marco no trato da coisa

    pblica, considerando as exigncias expressas no que diz respeito ao planejamento, equilbrio

    fiscal e transparncia, alm da melhoria dos processos contbeis que envolvem a coleta,

    produo e fornecimento de informaes acerc