Orçamento público decifrando a linguagem

Download Orçamento público decifrando a linguagem

Post on 24-Jul-2015

48 views

Category:

Government & Nonprofit

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>ORAMENTOPBLICO:</p><p>DECIFRANDOA LINGUAGEM</p></li><li><p>O desafio de promover e garantir os direitos das crianas eadolescentes brasileiros a condies dignas de sade, educao,assistncia social e medidas de proteo contra violaes passanecessariamente por uma maior eficincia,eqidade e efetividadena alocao e implementao do gasto pblico do pas.</p><p>Com a crescente descentralizao e municipalizao das polticaspblicas, a participao e a mobilizao da sociedade civil napreparao e acompanhamento do oramento pblico municipaltornam-se da maior importnciapara incluir projetos d e interesseda comunidade e corrigir eventuais desvios na sua execuo.</p><p>Nessa direo,o UNICEF e a Fundao Joo Pinheiro, de MinasGerais, tm a satisfao de colocar disposio do pblicobrasileiro e das instituies e lideranas que trabalham na questooramentria esta coleo de cinco volumes sobre o</p></li><li><p>GLOSSRIO DETERMOS SOBREORAMENTOS, LICITAES E</p><p>CONTABILIDADE PBLICA</p><p>FUNDAO J O O PINHEIROUNICEF</p></li><li><p>Este glossrio integra a coleo</p><p>. Ele foi conce-</p><p>bido para apoiar a compreenso de termos tc-</p><p>nicos sobre oramento, licitaes e contabilidade</p><p>pblica mais usuais na negociao e execuo</p><p>do oramento, assim como oferecer referncias</p><p>sobre a legislao pertinente, no pretendendo</p><p>abordar toda a terminologia que envolve o tema.</p><p>Termos e expresses constantes dos demais</p><p>volumes da coleo podero ser encontrados nas</p><p>pginas a seguir. Nos verbetes,voc encontrar</p><p>referncia sobre onde eles aparecem nos</p><p>volumes da coleo.</p><p>Em alguns casos,a parece a indicao ,</p><p>mostrando que o significado do verbete procu-</p><p>rado sinnimo de outro.Diversos verbetes tra-</p><p>zem a orientao , buscando</p><p>oferecer ao leitor um entendimento mais com-pleto do termo analisado. Os termos ou expres-</p><p>ses em negrito na descrio de um verbete indi-</p><p>cam que seu significado consta deste glossrio.</p><p>Para melhor identificao dos problemas a</p><p>solucionar,utilize o ndice Remissivo.</p><p>Oramento</p><p>Pblico: construindo a cidadania</p><p>Veja</p><p>Consulte tambm</p></li><li><p>6Decifrandoa linguagem</p><p>[A]</p></li><li><p>A7</p><p>ACOMPANHAMENTO DA EXECUO ORAMENTRIA</p><p>Verificao do cumprimento dos objetivos expressos e quantificados no or-amento e da adequao dos meios empregados, realizada pelos rgoscompetentes da Administrao Pblica, tal como o rgo de Oramento e ode Contabilidade. Deve resultar num sistema de informaes sobre desvioseventuais entre o programado e o executado, em relao a projeto eatividade.</p><p>ADJUDICAO</p><p>Ato administrativo do ordenador de despesa, aps o julgamento da pro-posta tcnica (quando houver) e comercial e sua respectiva homologao,atravs do qual a Administrao Pblica vincula o objeto da licitao aointeressado classificado em primeiro lugar, confirmando-o como o detentorda proposta mais vantajosa dentre os concorrentes (art. 43, IV, Lei 8.666/93) e podendo, na seqncia, firmar o contrato de prestao de serviosou fornecimento de bens.</p><p>ADMINISTRAO PBLICA</p><p>Conjunto de todos os rgos pblicos institudos legalmente para a realizaodos objetivos constitucionais do governo, seja nas esferas federal, estadualou municipal, atravs da prestao de servios, execuo de investimentos,implementao de programas sociais e regulao de atividades de toda na-tureza em benefcio do interesse pblico. integrado pelos servidores p-blicos e deve atuar segundo os princpios de legalidade, impessoalidade,moralidade, publicidade e razoabilidade (art. 37, CF). Difere do conceitode governo, pois, ao contrrio deste, no desenvolve atividade poltica, esim atos administrativos, visando a execuo instrumental da ao gover-namental. Recebe tambm a designao de Poder Executivo, quando sebusca dar significado responsabilidade constitucional para execuo daao governamental. A Administrao Pblica classificada em Adminis-trao Pblica Direta e Indireta.(13, 18, ENTENDENDO)</p></li><li><p>8Decifrandoa linguagem</p><p>ADMINISTRAO PBLICA DIRETA</p><p>Conjunto de rgos pblicos vinculados diretamente ao chefe da esfera go-vernamental que integram, que no possuem personalidade jurdica pr-pria, patrimnio e autonomia administrativa e cujas despesas so realiza-das diretamente atravs do oramento da referida esfera, como, por exem-plo, secretarias, departamentos, sees, setores e coordenadorias.</p><p>Consulte tambm Administrao Pblica.</p><p>ADMINISTRAO PBLICA INDIRETA</p><p>Conjunto de rgos pblicos vinculados indiretamente ao chefe da esferagovernamental que integram, que possuem personalidade jurdica prpria(autarquias, fundaes, sociedades de economia mista, empresas p-blicas e outras entidades de direito privado), patrimnio e autonomia ad-ministrativa e cujas despesas so realizadas atravs de oramento prprio.</p><p>Consulte tambm Administrao Pblica.</p><p>ALIENAO DE BENS</p><p>Processo administrativo de venda de bens mveis e imveis. Significa a trans-ferncia de domnio de bens pblicos a terceiros. Est sujeita prviaautorizao legislativa quando se tratar da alienao de bens imveis. Nasdemais situaes, os bens devem ser alienados obrigatoriamente atravs damodalidade de licitao leilo.</p><p>(50, 56, ENTENDENDO)Consulte tambm Licitao.</p><p>ANULAO DE DESPESA</p><p>Ato administrativo, promovido pelo rgo central de oramento, que cancelaparcial ou totalmente o valor de um crdito oramentrio no nvel de deter-minado elemento de despesa de um projeto/atividade oramentrio, paraaproveitar o saldo para suplementao de outro crdito oramentrio, devi-do a crdito adicional suplementar ou especial. Pode tambm tratar-se docancelamento de despesa em razo da anulao de empenho j realizado.</p><p>(45, ENTENDENDO)</p></li><li><p>A9</p><p>ANULAO DE EMPENHO</p><p>Anulao parcial ou global do empenho, revertendo-se o valor para a do-tao correspondente.</p><p>APLICAO DE 25% NA EDUCAO</p><p>A Unio aplicar, anualmente, nunca menos de 18%, e os estados, o Dis-trito Federal e os municpios 25%, no mnimo, da receita resultante de im-postos, compreendida a proveniente de transferncias, na manuteno edesenvolvimento do ensino (art. 212, CF). Alm disso, nos dez primeirosanos da promulgao da Emenda Constitucional n 14, de 13.09.96, exceo da Unio, os demais entes federados destinaro no menos de 60%desses recursos para a manuteno e desenvolvimento do ensinofundamental, com o objetivo de assegurar a universalizao de seuatendimento e a remunerao condigna do magistrio (art. 5, EC 14/96).Consulte tambm Fundo de Manuteno e Desenvolvimento do Ensino Fundamental eValorizao do Magistrio.</p><p>APROVAO DA LEI DE DIRETRIZES ORAMENTRIAS</p><p>A apreciao e aprovao do projeto de Lei de Diretrizes Oramentriasseguem, de forma geral, o processo previsto para o projeto de Lei do Or-amento Anual. Em princpio, sua aprovao deve ocorrer no primeiro se-mestre da sesso legislativa, visto que a Constituio Federal determina queesta no poder ser interrompida sem a aprovao da LDO (art. 57, 2,CF). Cabe Comisso de Oramento parecer prvio sobre o projeto delei e as emendas propostas, antes delas serem apreciadas pelo Plenrio.</p><p>Consulte tambm Aprovao da Lei do Oramento Anual, Emenda e Publicao da Lei doOramento Anual.</p><p>APROVAO DA LEI DO ORAMENTO ANUAL</p><p>O projeto de Lei do Oramento Anual apreciado e aprovado pela As-semblia Legislativa, Cmara Municipal ou Assemblia Distrital, no caso,respectivamente, de estado, municpio ou Distrito Federal, segundo os prazose critrios definidos nos regimentos internos dessas casas. No caso da</p></li><li><p>10</p><p>Decifrandoa linguagem</p><p>Unio, deve ser apreciado pela Cmara dos Deputados e pelo SenadoFederal (art. 166, 2, CF). Cabe Comisso de Oramento parecer pr-vio sobre o projeto de lei, antes de sua apreciao pelo Plenrio. As emen-das dos parlamentares tambm devem ser apreciadas pela Comisso deOramento, que, sobre elas, emitir parecer (art. 166, 2, CF). O proje-to de lei deve ser apreciado antes do encerramento da sesso legislativa.Uma vez aprovado, com ou sem emendas, ele remetido para o Chefedo Poder Executivo, para sua sano. Na existncia de vetos, o projeto retornaao Legislativo para nova apreciao. Na seqncia, o projeto aprovadodever ser publicado para entrar em vigor.</p><p>Consulte tambm Emenda e Publicao da Lei do Oramento Anual.</p><p>ARO</p><p>Sigla que significa Emprstimo por Antecipao de Receita Oramentria.</p><p>(54, ENTENDENDO)</p><p>ASPECTO QUALITATIVO DO PATRIMNIO</p><p>Qualitativamente, o Patrimnio entendido como um conjunto de bens, cr-ditos, dbitos, dotaes e previses que, em determinado momento, encon-tram-se disposio do ente pblico, concorrendo para a realizao deseus fins.</p><p>Consulte tambm Patrimnio.</p><p>ASPECTO QUANTITATIVO DO PATRIMNIO</p><p>Quantitativamente, o Patrimnio um fundo de valores, constitudo pela ex-presso monetria dos elementos Ativo, Passivo e Situao Lquida.</p><p>Consulte tambm Patrimnio.</p><p>ATIVIDADE</p><p>Conjunto de operaes de natureza contnua, necessrias manuteno daao governamental e operao dos servios pblicos existentes.</p><p>(33, ENTENDENDO; 30, 32, VIABILIZANDO)</p></li><li><p>A11</p><p>ATIVO</p><p>Classificao contbil geral que compreende os valores positivos dopatrimnio de uma instituio, como os bens, valores e crditos sua dis-posio. Subdivide-se em Ativo Financeiro, Permanente e Compensado.</p><p>ATIVO COMPENSADO</p><p>Classificao contbil de contas do balano patrimonial, que compreendeos valores em poder de terceiros ou recebidos de terceiros e os valores no-minais emitidos, contabilizados em contas de compensao apenas paraefeito de registro e controle, no alterando o patrimnio quando do seuregistro, mas com possibilidade de modific-lo no futuro.</p><p>ATIVO FINANCEIRO</p><p>Classificao contbil de contas do balano patrimonial, que compreendeas disponibilidades de recursos realizveis independentemente de autoriza-o oramentria e os valores numerrios (art. 105, 1, Lei 4.320/64). composto pelos grupos de contas do Disponvel (dinheiro em caixa, saldosbancrios etc.), Vinculado (valores numerrios depositados em contas ban-crias cuja movimentao obedece a disposies legais, regulamentares econtratuais) e Realizvel (crditos financeiros da Administrao Pblica juntos diversas pessoas fsicas e jurdicas).</p><p>ATIVO PERMANENTE</p><p>Classificao contbil de contas do balano patrimonial, que compreendeos bens, crditos e valores da Administrao Pblica cuja movimentao oualienao dependa de autorizao legislativa, tais como bens mveis e im-veis, bens de natureza industrial ou militar e crditos a longo prazo (ex.:dvida ativa) (art. 105, 2, Lei 4.320/64).</p><p>AUDITORIA</p><p>Atividade administrativa prpria do Poder Pblico ou contrata-da de empresas especializadas, visando comprovar a legalida-de e legitimidade e avaliar resultados, quanto economicidade,</p></li><li><p>12</p><p>Decifrandoa linguagem</p><p>eficincia e eficcia da gesto oramentria, financeira e patrimonial dosrgos da Administrao pblica, bem como da aplicao de recursos p-blicos por entidades privadas. Busca tambm oferecer subsdios para o aper-feioamento dos procedimentos administrativos e controles internos dos di-versos rgos (Instruo Normativa n 16, de 20.12.91, Secretaria do Te-souro Nacional/Ministrio da Fazenda).</p><p>(21, ENTENDENDO; 58, VIABILIZANDO)</p><p>AUTARQUIA</p><p>Servio autnomo da Administrao Pblica, criado por lei, com perso-nalidade jurdica, patrimnio e receita prprios para executar atividades t-picas, que requeiram, para seu melhor funcionamento, gesto administrativae financeira descentralizada (art. 5, I, Decreto-Lei 200/67). Os oramen-tos das autarquias obedecem s disposies da Lei 4.320/64 (art. 110).Na prtica, os crditos oramentrios para autarquias constam do oramentoda esfera a que se vinculam apenas como transferncias intragovernamentais(3211-Transferncias Operacionais ou 3212-Subvenes Econmicas) eseus oramentos propriamente ditos so aprovados por decreto do PoderExecutivo no incio de cada exerccio financeiro (art. 107, Lei 4.320/64),dentro dos limites dos referidos crditos. Esto sujeitas licitao nos termosda Lei 8.666/93.</p></li><li><p>14</p><p>Decifrandoa linguagem</p><p>[B]</p></li><li><p>B15</p><p>BALANCETE</p><p>Demonstrativo contbil mensal dos resultados gerais do desempenho dasreceitas e despesas, de acordo com a natureza dos resultados.(21, ENTENDENDO; 58, VIABILIZANDO)Consulte tambm Balano</p><p>BALANO</p><p>Demonstrativo contbil dos resultados gerais do desempenho das receitase despesas no perodo de um exerccio completo (um ano). Subdividem-se,de acordo com a natureza dos resultados, em Balano Financeiro, Ba-lano Patrimonial e Demonstrao das Variaes Patrimoniais. Soestruturados conforme as normas da Lei 4.320/64 (art. 101). Devem serpublicados em dirio oficial e enviados apreciao do Poder Legislativodentro de prazos estabelecidos pelas Constituies Federal, Estadual ou LeiOrgnica do Municpio.</p><p>(79, ENTENDENDO)</p><p>BALANO FINANCEIRO</p><p>Demonstrativo contbil que evidencia a receita e a despesa oramentrias,bem como os recebimentos e os pagamentos de natureza extra-oramen-tria, os saldos das disponibilidades do exerccio anterior e aqueles que setransferem para o exerccio seguinte (art. 103, Lei 4.320/64). Visa demons-trar o confronto da movimentao de tesouraria e bancos com os paga-mentos realizados para apurar o dficit ou supervit financeiro.</p><p>BALANO ORAMENTRIO</p><p>Demonstrativo contbil que evidencia o resultado das receitas e despesasprevistas em confronto com as realizadas (art. 102, Lei 4.320/64), visandoapurar o dficit ou supervit oramentrio corrente. O resultado poderindicar alguma das situaes a seguir: receita prevista &gt; receita arrecadada= insuficincia de arrecadao; receita prevista &lt; receita arrecadada =excesso de arrecadao; despesa prevista &gt; despesa realizada = econo-mia de despesas; despesa prevista &lt; despesa realizada = excesso de des-</p></li><li><p>16</p><p>Decifrandoa linguagem</p><p>pesas, no possvel legalmente; receita prevista = despesa fixada = equil-brio oramentrio (na elaborao); receita arrecadada = despesa realiza-da = equilbrio oramentrio (na execuo); receita arrecadada &gt; despesarealizada = supervit; receita arrecadada &lt; despesa realizada = dficit.</p><p>BALANO PATRIMONIAL</p><p>Demonstrativo contbil legalmente exigido, que registra a posio dos bens,direitos e obrigaes da Administrao Pblica atravs das contas do Ativoe Passivo Financeiros; Saldo Patrimonial, representado pela diferena en-tre o Ativo e o Passivo Permanentes; e os saldos das contas do Sistemade Compensao.</p></li><li><p>18</p><p>Decifrandoa linguagem</p><p>][C</p></li><li><p>C19</p><p>CAIXA NICO</p><p>Veja Princpio de Unidade de Caixa.</p><p>CARTA-CONVITE</p><p>Veja Convite.</p><p>CF</p><p>Sigla que designa Constituio Federal.</p><p>CLASSIFICAO FUNCIONAL-PROGRAMTICA</p><p>Classificao instituda atravs da Portaria n 9, de 28.01.74, do Ministriodo Planejamento e Coordenao Geral, e atualizada por diversas outrasportarias, obrigatria na elaborao de oramentos da Administrao Pblicade todas as esferas governamentais. Agrupa os projetos/atividadesoramentrios, sucessivamente, da mais at a menos abrangente classifica-o, por funo, programa e subprograma, visando o agrupamentotemtico das aes governamentais, sobretudo para fins de planejamentoe consolidao das contas nacionais. A esta classificao corresponde umacodificao, criada tambm por portaria do Governo Federal, que acom-panha cada projeto/atividade oramentrio. Ex.: 08.42.024 (Funo: Edu-cao; Programa: Ensino Fundamental; Subprograma: Informtica).(37, ENTENDENDO)Consulte tambm Lei 4.320/64.</p><p>CDIGO TRIBUTRIO NACIONAL</p><p>Lei n 5.172, de 25 de outubro de 1966, que regula o sistema tributrionacional e estabelece as normas gerais de direito tributrio aplicveis Unio, estados, Distrito Federal e municpios. Encontra-se desatualizado noque se refere conceituao dos tributos vigentes, mas contm os princpiosgerais para administrao tributria.</p><p>(79, ENTE...</p></li></ul>