Orçamento público básico para servidores do CBMMG

Download Orçamento  público básico para servidores do CBMMG

Post on 23-Jun-2015

2.306 views

Category:

Education

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Obra tcnica com conceitos bsicos para oramento pblico em organizao especfica.

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. ORAMENTO PBLICO BSICO PARA SERVIDORES DO CBMMG ABEL MOURA FONSECA BELO HORIZONTE-MG 2012 </li></ul><p> 2. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 2 ABEL MOURA FONSECA ORAMENTO PBLICO BSICO PARA SERVIDORES DO CBMMG 1 edio Belo Horizonte Abel Moura da Fonseca 2012 3. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 3 EMBORA CONTENHA FORTE FUNDAMENTO NORMATIVO, ESTE LIVRO DIGITAL NO REPRESENTA O POSICIONAMENTO INSTITUCIONAL DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE MINAS GERAIS-CBMMG, ENQUANTO NO APROVADO POR NORMA INTERNA DA CORPORAO. A PRESENTE OBRA POSSUI CARATER DIDTICO, SENDO FONTE DE PESQUISA E APRENDIZADO AOS INICIANTES NA REA DE GESTO ORAMENTRIA DA INSTITUIO. Livro digital, em formato pdf, gratuito e disponvel para download em sites de publicao eletrnica. Este livro digital pode ser solicitado no e-mail: abel.oficial@gmail.com Respeitada a autoria em citaes, permitida a impresso, reproduo total ou parcial da obra, em especial, aos servidores do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais CBMMG. ISBN 978-85-915768-0-7 Fonseca, Abel Moura Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG/ Abel Moura Fonseca- Belo Horizonte, 2012. 110p. ISBN 978-85-915768-0-7 1. 1. Oramento pblico 2. Finanas pblicas. 3. Despesa pblica. 4.Militar CDD 350 4. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 4 Na complexidade dos infindveis procedimentos burocrticos da administrao pblica brasileira, seus servidores no podem esquivar-se da pesquisa doutrinria e normativa constante, pois palpiteiros e falaciosos no assinam termo de responsabilidade. Abel Moura Fonseca 5. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 5 SUMRIO I Introduo gesto oramentria e conceitos dentro do oramento pblico ..08 II As leis de oramento e a elaborao da proposta oramentria ..............12 III O Processo de despesa pblica no CBMMG ....................................................15 IV Funcional programtica no CBMMG segundo as Normas de Execuo de Recursos Oramentrios- NERO ..........................................................................21 V Fontes de Recursos do CBMMG e suas aplicaes e origens ..................29 VI Fluxograma oramentrio do CBMMG, competncias gerenciais e Norma de Execuo de Recursos Oramentrios - NERO ..............................................30 VII A Seo de Oramento e Finanas- SOFI e os Agentes de Atividade/Projeto na Unidade Executora do CBMMG........................................................................47 VIII Das responsabilidades dos agentes e autoridades pblicas na gesto financeira e oramentria .....................................................................................65 Glossrio elementar ............................................................................................85 Anexos .................................................................................................................95 Referncia Bibliogrfica ....................................................................................107 6. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 6 SIGLAS PRINCIPAIS DA OBRA * AAS : Assessoria de Assistncia Sade ABM: Academia de Bombeiro Militar B/4: Designao genrica do setor, dentro da Unidade Executora Batalho, responsvel pela gesto logstica e oramentria no relativa a pessoal CBMMG : Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais CPARM : Comisso Permanente de Avaliao e Recebimento de Material CSM : Centro de Suprimento e Manuteno DAI : Diretoria de Assuntos Institucionais DAL : Diretoria de Apoio Logstico DCF : Diretoria de Contabilidade e Finanas DD/QOD : Detalhamento e Desdobramento do Quadro de Organizao e Distribuio DRH : Diretoria de Recursos Humanos DTS : Diretoria de Tecnologia e Sistemas EMBM: Estado Maior Bombeiro Militar N-AFCA/BM : Normas de Administrao Financeira Contabilidade de Auditoria do CBMMG NERO-BM: Normas de Execuo dos Recursos Oramentrios do CBMMG SEPLAG: Secretaria de Estado de Planejamento e Gesto de Minas Gerais SIAFI: Sistema Integrado de Administrao Financeira SOFI: Seo de Oramento e Finanas ( setor dentro do organograma da Unidade Executora) UE : Unidade Executora USDO: Unidade setorial descentralizadora oramentria * H glossrio de termos conceituados ao final da obra 7. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 7 NOTA DO AUTOR O presente trabalho fundamenta-se em previses legais e na experincia do autor como professor de Gesto oramentria e financeira aos Cursos de Formao de Oficiais do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais - CBMMG, de Formao de Sargentos, curso de Aperfeioamento de Sargentos. Quanto fundamentao acadmica, o presente trabalho de cunho tcnico de reviso bibliogrfica e normativa, advm da constatao, em nvel cientfico, de que existe uma lacuna considervel entre ensino/formao e prtica dos profissionais das Unidades Executoras do CBMMG que desempenham funes da rea oramentria e controle patrimonial. Tal fato exorta o autor a buscar iniciativas para minimizar o problema. Alerto que no se trata de um trabalho tcnico acabado, mas sim o incio de uma poltica de produo de conhecimento voltada para o ensino de gesto oramentria a iniciantes nesta rea e que contenha elementos de cunho prtico e acadmico servindo como fonte de consulta tcnica, normativa e bibliogrfica. A presente obra no representa a doutrina institucional do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, enquanto no aprovada por norma interna da corporao. Abel Moura Fonseca * Aes de gesto para o interesse pblico (*) Especialista em Gesto Pblica pela Escola de Governo- Fundao Joo Pinheiro Graduado, em 2005, no Curso de Formao de Oficiais Bombeiro Militar de Minas Gerais Experincia profissional em gesto logstica e de compras pblicas 8. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 8 CAPTULO I Introduo gesto oramentria e conceitos dentro do oramento pblico Caros profissionais do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais - CBMMG, para iniciar a presente obra, trabalharemos alguns conceitos sobre o oramento dentro da esfera pblica e entender como se processa, de forma elementar, o oramento dentro de todo o complexo sistema de controle e de execuo oramentria do Estado. Preliminarmente, cabe diferenciar a temtica de aplicao de recursos financeiros do setor pblico em relao ao mbito das entidades privadas e dos entes particulares. Para o a execuo da despesa pblica, necessrio um aporte de procedimentos administrativos de planejamento, obedincia a requisitos legais e controle contbil constante que pressupem a participao legislativa, do poder executivo acompanhada por uma de rigorosa classificao do oramento pblico. De modo sinttico, pode-se dizer que o gasto de recursos financeiros por parte da iniciativa privada ou pelo particular inicia-se pela simples e livre vontade dos mesmos, enquanto os recursos financeiros pblicos exigem, necessariamente, um complexo rito de controle e de procedimentos legalmente constitudos em funo da busca de eficincia e aplicao justa no alcance de seus objetivos finalsticos. O oramento funciona como um instrumento de planejamento, gesto de negcios do Estado concebido inicialmente como um mecanismo de controle poltico dos rgos pblicos. O oramento pode ser constitudo de um relatrio, uma estimativa e uma proposta que garantam a criao de renda e disposio dos crditos do tesouro pblico fazendo com que as aes de Governo no sejam isoladas e sim parte de um programa abrangente. O Oramento pblico um documento de previso de receitas e estimativa de despesas a serem realizadas em determinado perodo de tempo, no Brasil o perodo de 01 de janeiro a 31 de dezembro sendo este 9. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 9 perodo chamado de exerccio financeiro. Giacomoni (2009) cita o conceito de Manvel (1944) para o oramento como: um plano que expressa em termos de dinheiro, para um perodo de tempo definido, o programa de operaes do governo e os meios de financiamento desse programa. (GIACOMONI, 2009, p. 58) O oramento pblico decorre do aumento constante da atuao do Estado na sociedade em funo do crescimento das despesas com o surgimento das funes administrativas e de segurana, das crescentes demandas por maior bem estar social ( sade, educao, habitao, transporte etc) e a maior interveno direta e indireta dos governos no processo de produo e ajuste econmico. Nesta tica, os fatores geradores de despesa do Estado revelam atribuies econmicas especficas do ente pblico ao qual, segundo Giacomoni (2009), citamos as seguintes funes econmicas do Estado: Funo Alocativa: Promove os ajustamentos na alocao de recursos, ou seja, investir os recursos em prol das demandas, preferencialmente coletivas. Essencial nos casos em que no houver a necessria eficincia por parte do mecanismo de ao dos entes privados (sistemas de mercado, empresariado ou entidades que objetivam lucro). Os investimentos na infra-estrutura ( transportes, produo de energia, comunicaes etc) e a proviso de bens pblicos que promovem o desenvolvimento coletivo. Funo Distributiva: Promover os ajustamentos na distribuio de renda da populao. O oramento, assim como na funo Alocativa, o principal instrumento para a viabilizao das polticas pblicas de distribuio de renda atravs dos tributos progressivos para cobrir subsdios aos programas de alimentao, transporte e moradias populares etc. 10. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 10 Funo Estabilizadora: Manter a estabilidade econmica do pas. A poltica fiscal, materializada pelo oramento pblico, possui quatro objetivos macroeconmicos: a) manuteno de elevado nvel de emprego, b) estabilidade nos nveis de preos, c) equilbrio no balano de pagamentos ( de modo simples: o pas exportar mais produtos que importar ) e d) razovel taxa de crescimento econmico. Para o estudo dos aspectos do processo oramentrio, apresenta-se, segundo Giacomoni (2009), alguns dos Princpios do Oramento considerados importantes, porm no so seguidos risca por muitos governos. So eles: Princpio da Unidade: Na expresso mais simples desse princpio, o oramento deve ser uno, isto , cada unidade governamental deve possuir apenas um oramento. A unidade oramentria neste caso, tende a reunir em um nico total, todas as receitas do Estado, de um lado, e todas as despesas de outro lado. Princpio da Universalidade: O oramento agrega todas as receitas e despesas dos Poderes, fundos, entidades diretas ou indiretas. A Lei Oramentria deve incorporar todas as receitas e despesas, ou seja, nenhuma instituio pblica deve ficar fora do oramento. Princpio do Oramento Bruto: Todas as parcelas da receita e da despesa devem aparecer no oramento em seus valores brutos, sem qualquer tipo de deduo. Princpio da Anualidade: O oramento cobre um perodo limitado de um ano. No Brasil, este perodo corresponde ao exerccio financeiro, de 01/01 a 31/12. Estabelece um perodo limitado no tempo para as estimativas de receita e fixao da despesa, ou seja, o oramento dever compreender o perodo de um exerccio, que corresponde ao ano fiscal. 11. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 11 Princpio da no Afetao das Receitas: vedada a vinculao de impostos a rgo, fundo ou despesa, exceto as transferncias constitucionais, para manuteno e desenvolvimento do ensino, sade, Fundo de Participao de Municpios etc. Princpio da Discriminao ou Especializao: As receitas e as despesas devem aparecer no oramento de maneira discriminada, de tal forma que se possa saber, pormenorizadamente, a origem dos recursos e sua aplicao. Princpio da Exclusividade: A lei oramentria dever conter apenas matria financeira, excluindo-se dela qualquer dispositivo estranho estimativa da receita e fixao da despesa para o prximo exerccio. Princpio do Equilbrio: As despesas autorizadas no Oramento devem ser sempre iguais s Receitas Previstas (se possvel). No pode haver um desequilbrio acentuado nos gastos. 12. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 12 CAPTULO II As leis de oramento e a elaborao da proposta oramentria O Plano Mineiro De Desenvolvimento Integrado PMDI o plano que estabelece as linhas gerais a serem seguidas pelo governo, constituindo um planejamento de longo prazo. Em Minas Gerais, o PMDI, de previso constitucional, procura conduzir o Estado a um parmetro de situao desejada, embora a Constituio Estadual no defina o perodo do PMDI, hoje, o atual PMDI abrange o perodo de 2011 a 2030 compreendendo 20 anos ao qual pode-se passar por revises. Lei do Plano Plurianual - PPA: Em Minas Gerais, o PPA possui o nome de PPAG ( Plano Plurianual de Ao Governamental) cujo perodo de quatro anos. De acordo com o art. 165 da Constituio Federal, a lei que institui o PPA ( Plano Plurianual ) estabelece que este seja: a) De forma regionalizada; b) As diretrizes, objetivos e metas da administrao pblica; c) Para as despesas de capital e outras delas decorrentes e d) Para os programas de durao continuada. Lei de Diretrizes Oramentrias - LDO: uma inovao no sistema oramentrio brasileiro, a LDO representa uma colaborao positiva no esforo de tornar o processo oramentrio mais transparente ( acessvel ao conhecimento da populao) e, especialmente, contribui para ampliar a participao do Poder Legislativo ( Assemblia legislativa ou Cmara municipal com a atuao dos Deputados/Vereadores) no disciplinamento das finanas pblicas. A LDO compreende as metas e prioridades da administrao pblica estadual e estabelece diretrizes para a elaborao do oramento. A Lei de Diretrizes Oramentrias compreender tambm: a) Alteraes na legislao tributria; b)Poltica de aplicao das agncias oficiais de fomento. c) Limites para elaborao das propostas oramentrias do Poder Judicirio e do Ministrio Pblico. 13. Abel Moura Fonseca Aes de gesto para o interesse pblico Oramento pblico bsico para servidores do CBMMG 13 Lei Oramentria Anual - LOA: a lei oramentria deve acompanhar-se de um demonstrativo que especifique as aes governamentais, servindo como instrumento do poder Legislativo. A LOA deve conter no mnimo: a) Objetivos e metas; b) Fontes de recursos c) Natureza da despesa d) Identificao dos investimentos por regio do Estado. De acordo com a autorizao legislativa, os decretos, com atos do poder executivo, promovem os ajustes do oramento que compreendem as suplementaes de crdito entre rgos do Estado. O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais - CBMMG, por meio de resoluo, emite anualmente as Normas de Execuo dos Recursos Oramentrios NERO, para um determinado exerccio financeiro,...</p>