Oramento Participativo Jovem - Proposta Regulamento JS Pvoa de Varzim

Download Oramento Participativo Jovem - Proposta Regulamento JS Pvoa de Varzim

Post on 06-Apr-2016

212 views

Category:

Documents

0 download

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • REGULAMENTO - ORAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM

    PVOA DE VARZIM

    Prembulo

    O afastamento dos cidados, em particular dos mais jovens, da participao activa na

    vida dos rgos da democracia local e nos respectivos processos de tomada de deciso

    uma realidade que deve ser combatida por todos os meios disponveis.

    A implementao no concelho de um Oramento Participativo Jovem (OPJ), onde estes

    sejam chamados a escolher directamente a afectao de parte dos recursos oramentais

    disponveis, um importante instrumento para os envolver mais directamente na vida

    da comunidade local, sendo uma prtica recomendada pela Organizao das Naes

    Unidas e que j conta com experincias bem-sucedidas no nosso pas.

    O OPJ potencia um melhor exerccio da cidadania, porque empodera os jovens poveiros

    num processo de tomada de deciso que, colocando-os em contacto com a

    complexidade dos problemas inerentes gesto de recursos pblicos, torna este

    exerccio mais informado e responsvel. Por outro lado, torna a actividade dos rgos

    municipais mais transparente e mais sensvel s aspiraes deste grupo de cidados.

    Captulo I - Disposies Gerais

    Artigo 1

    Misso

    O Oramento Participativo Jovem (doravante designado OPJ) tem por misso essencial

    envolver os jovens do concelho, activa, informada e responsavelmente nos processos

    de tomada de deciso dos rgos democrticos locais, potenciando assim os valores da

    democracia participativa constantes dos artigos 2 e 48 da Constituio da Repblica

    Portuguesa.

  • Artigo 2

    Objectivos

    O OPJ visa atrair a participao dos cidados jovens nos processos decisrios das

    estruturas democrticas e tem como objectivos:

    a) Adequar as polticas municipais s expectativas e necessidades dos jovens do

    concelho, melhorando assim a qualidade de vida na cidade;

    b) Contribuir para a educao cvica, permitindo aos cidados integrar as suas

    preocupaes pessoais com o bem comum, compreender a complexidade dos

    problemas e desenvolver atitudes, competncias e prticas de participao;

    c) Reforar a qualidade da democracia ao promover maior transparncia na

    actividade da autarquia e assim elevar o nvel de responsabilizao das suas

    estruturas;

    d) Incentivar o dilogo entre eleitos, tcnicos municipais e jovens na procura das

    melhores solues tendo em conta os recursos disponveis.

    Artigo 3

    Modelo

    O OPJ um processo de carcter simultaneamente consultivo e deliberativo.

    a) Na sua dimenso consultiva, os jovens so chamados a apresentar as suas

    propostas de investimento.

    b) Na sua dimenso deliberativa, estes votam nas propostas existentes.

    Artigo 4

    Recursos afectos

    A percentagem do oramento municipal a afectar ao OPJ dever ser definida

    anualmente pela Cmara Municipal.

    Artigo 5

    mbito territorial

    O OPJ incide sobre a totalidade do territrio do concelho da Pvoa de Varzim.

  • Artigo 6

    mbito temtico

    Podem ser apresentadas propostas nas diferentes reas de atribuies do municpio,

    designadamente:

    a) Urbanismo;

    b) Espao Pblico e Espaos Verdes;

    c) Proteco Ambiental e Energia;

    d) Saneamento e Higiene Urbana;

    e) Infraestruturas rodovirias, Trnsito e Mobilidade;

    f) Turismo, Comrcio e Promoo Econmica;

    g) Educao;

    h) Juventude;

    i) Desporto;

    j) Aco Social;

    k) Cultura;

    l) Modernizao Administrativa.

    Captulo II - Funcionamento

    Artigo 7

    O Ciclo de Participao

    1) O OPJ segue um ciclo anual dividido em cinco fases consecutivas:

    a) Fase de avaliao do ciclo anual anterior;

    b) Fase de apresentao de propostas;

    c) Fase da anlise tcnica das propostas;

    d) Fase da votao;

    e) Fase da incorporao dos projectos mais votados, at ao limite da verba

    disponvel, no plano de actividades e oramento municipal do ano seguinte.

    2) A calendarizao anual de cada uma das fases ser determinada anualmente pelos

    organismos competentes da Cmara Municipal.

    Artigo 8

  • Avaliao do ciclo anual anterior

    1) Da elaborao, publicao e promoo da discusso dos relatrios resultar a

    introduo das melhorias que se entendam convenientes no novo ciclo.

    2) No incio de cada ciclo, a existncia e funcionamento do OPJ devem ser divulgados

    junto do seu pblico-alvo os jovens pelos organismos municipais, atravs de

    diversas iniciativas pblicas e outras formas de comunicao.

    Artigo 9

    Apresentao das propostas

    1) Esto habilitados a apresentar proposta os jovens entre os 16 e os 35 anos,

    residentes, estudantes e trabalhadores na Pvoa de Varzim ou naturais do concelho,

    mediante registo prvio na plataforma online disponvel para o efeito.

    2) Cada jovem poder apresentar apenas uma proposta.

    3) Quando provier de um grupo, ser registada em nome de um dos seus elementos,

    mantendo a referncia ao carcter colectivo da proposta.

    4) As propostas podero ainda surgir na sequncia de discusso e aprovao no

    plenrio do Conselho Municipal de Juventude.

    5) O registo das proposta ser feito electronicamente atravs do preenchimento do

    formulrio disponibilizado para o efeito, devendo as mesmas serem claras e

    detalhadas quanto ao seu mbito, objectivo e pertinncia, devendo ainda incluir os

    elementos anexos que se revelem necessrios.

    6) O custo de cada proposta no pode exceder metade da verba global anual destinada

    ao OPJ.

    Artigo 10

    Anlise tcnica das propostas

    1) Ser criada uma Comissso de Anlise Tcnica da autarquia, composta por trs

    tcnicos municipais nomeados pelo Presidente da Cmara e por um elemento

    nomeado por cada partido representado na Assembleia Municipal, que tem como

    funo analisar as propostas.

    2) As propostas que forem consideradas exequveis sero submetidas votao na fase

    seguinte, se necessrio com melhorias nos seus aspectos tcnicos.

    3) As que no forem consideradas exequveis nem susceptveis de melhoramento sero

    rejeitadas, com comunicao pblica da fundamentao da deciso.

    4) Constituem fundamento de rejeio as propostas:

  • a) cujo custo de execuo exceda a verba disponvel;

    b) que estejam em execuo;

    c) que contrariem planos municipais ou legislao em vigor;

    d) cuja execuo seja tecnicamente invivel;

    e) que no sejam inequivocamente claras quanto ao mbito e objectivo;

    f) que configurem vendas de servios a entidades concretas ou visem beneficiar

    interesses privados em detrimento do interesse pblico;

    g) que no caibam no mbito das atribuies municipais.

    5) Os servios municipais devero prestar assistncia na formulao tcnica das

    propostas quando solicitado pelos proponentes.

    6) Realizada a anlise das propostas, elaborada uma lista provisria, havendo lugar a

    um prazo de reclamao de 5 dias, sendo que aps este prazo a lista torna-se

    definitiva e submetida fase da votao.

    Artigo 11

    Votao

    1) Esto habilitados a votar os jovens entre os 16 e os 35 anos, residentes, estudantes

    e trabalhadores na Pvoa ou naturais do concelho, mediante registo prvio na

    plataforma online onde previamente decorreu o registo de propostas e o debate

    sobre as mesmas.

    2) Cada jovem pode votar uma vez.

    3) Sero aprovadas as propostas mais votadas at ao limite da verba anual atribuda ao

    OPJ.

    Artigo 12

    Incorporao das propostas

    As propostas aprovadas sero incorporadas no plano anual de actividades e oramento

    municipal do ano seguinte.

    Captulo III Disposies Finais

  • Artigo 13

    Transparncia na prestao de contas

    A prestao de contas aos cidados ser efectuada de forma permanente com a

    disponibilizao de toda a informao relevante, atravs de plataforma electrnica

    criada para o efeito.

    Artigo 14

    Gesto

    A gesto das vrias etapas do OPJ competem ao Vereador com competncias no

    domnio das polticas municipais de juventude, podendo este delegar em gabinete

    municipal.

    Artigo 15

    Dvidas e Omisses

    As dvidas ou omisses surgidas na interpretao das normas previstas neste

    regulamento sero resolvidas pelo Presidente da Cmara Municipal, que dar

    conhecimento das respectivas decises Cmara Municipal.

    Artigo 16

    Aperfeioamento contnuo

    Cada avaliao do ciclo anterior dever contribuir para aperfeioar o funcionamento dos

    ciclos anuais seguintes, imprimindo assim uma dinmica de melhoria contnua ao servio

    dos cidados do concelho.

    Artigo 17

    Entrada em vigor

    Este regulamento entra em vigor cinco dias aps a sua publicitao via edital nos locais

    de estilo e na pgina electrnica da Cmara Municipal.