Oramento Participativo - Bicos Mais Perto

Download Oramento Participativo - Bicos Mais Perto

Post on 13-Mar-2016

214 views

Category:

Documents

1 download

DESCRIPTION

Proposta em votao para o oramento participativo. Construo de uma ciclovia e via pedonal

TRANSCRIPT

  • Proposta

    para

    Oramento

    Participativo

    Bicos mais Perto

    Ana Lcia Loureno

    Proposta

    ramento

    Participativo

    Bicos mais Perto

  • OORRAAMMEENNTTOO PPAARRTTIICCIIPPAATTIIVVOO:: PPRROOPPOOSSTTAA BBIICCOOSS MMAAIISS PPEERRTTOO

    CCOONNCCEELLHHOO DDEE OODDEEMMIIRRAA

    ANA LCIA R. C. LOURENO QUARTA-FEIRA, 29 DE JUNHO DE 2011

    2

    NDICE

    Nota Introdutria ...................................................................................................................... 3

    Enquadramento da proposta no oramento participativo ........................................................... 3

    Fundamentao da proposta ........................................................................................................ 4

    I. Objectivos: ......................................................................................................................... 5

    II. Especificidade da opo: Ciclovia ...................................................................................... 5

    III. Especificidade da opo: Via Pedonal ........................................................................... 5

    Oramento .................................................................................................................................... 6

    Concluso ...................................................................................................................................... 8

    Bibliografia .................................................................................................................................... 9

    Cibergrafia ..................................................................................................................................... 9

  • OORRAAMMEENNTTOO PPAARRTTIICCIIPPAATTIIVVOO:: PPRROOPPOOSSTTAA BBIICCOOSS MMAAIISS PPEERRTTOO

    CCOONNCCEELLHHOO DDEE OODDEEMMIIRRAA

    ANA LCIA R. C. LOURENO QUARTA-FEIRA, 29 DE JUNHO DE 2011

    3

    NOTA INTRODUTRIA

    O oramento participativo deve ser visto como uma ferramenta de poltica pblica para gerar

    desenvolvimento econmico e aproximar a tomada de deciso dos cidados envolvendo-os na

    oramentao municipal.

    A repartio das opes de oramento pode vir a ser desigual, devido a factores como a

    litoralizao ou inclusive as taxas de desenvolvimento das prprias localidades. No entanto,

    compete aos cidados contriburem para a descentralizao de poderes e para a tomada de

    deciso que envolva melhoria da qualidade de vida.

    Deste modo, a opo de promover uma proposta de oramento participativo passa pela

    necessidade de incluir cada vez mais os muncipes da freguesia de Bicos nas aces municipais.

    ENQUADRAMENTO DA PROPOSTA NO ORAMENTO PARTICIPATIVO

    A proposta aqui apresentada enquadra-se no campo das Infra-estruturas virias, Mobilidade e

    Transportes, relacionando a implementao de um projecto de infra-estrutura com a Natureza

    e com o ambiente, e vem no encontro de prticas actualmente existentes na Freguesia e que

    se devem incitar (passeios pedonais e a adopo da bicicleta como meio de transporte).

    A proposta localiza-se na Sede de Freguesia de Bicos1, no entanto, o projecto pode estender-

    se, de futuro, e essa inteno fica presente j nesta proposta, para os lugares da freguesia

    (Fornalhas Novas, Vales e Caiada).

    A tomada de deciso na participao do OP surgiu na medida em que se pretende incentivar a

    relao entre os habitantes desta freguesia com o municpio e permitir o aumento do

    significado de identidade e pertena cultural.

    Esta proposta desenvolve a prtica de justia social (atribuindo mais importncia s freguesias

    do interior do concelho), visando uma melhor qualidade de vida do espao rural por meio da

    aplicao do OP, enquanto ferramenta de aplicao e viabilidade da justia e autonomia social

    aos muncipes urbanos das freguesias de cariz rural, j que estes geralmente esto menos

    esclarecidos e apresentam-se menos activos nas competncias que possuem para intervir no

    poder pblico. Considera-se que incrementando a participao da comunidade rural em

    assembleias ou outra forma de integrao democrtica que incite a participao cvica, o

    sentido de cooperao entre a populao das localidades rurais aumente, permitindo

    igualmente o desenvolvimento de solues que emancipem o aumento da qualidade de vida.

    A deciso da proposta que vai ser adiante apresentada passou por diferentes factores,

    pretendia-se que a proposta:

    1 No ser elaborada uma caracterizao freguesia de Bicos, por se considerar que a fundamentao

    da proposta deve ser a mais sinttica possvel e por se dirigir aos muncipes do Concelho de Odemira, onde se insere a mesma.

  • OORRAAMMEENNTTOO PPAARRTTIICCIIPPAATTIIVVOO:: PPRROOPPOOSSTTAA BBIICCOOSS MMAAIISS PPEERRTTOO

    CCOONNCCEELLHHOO DDEE OODDEEMMIIRRAA

    ANA LCIA R. C. LOURENO QUARTA-FEIRA, 29 DE JUNHO DE 2011

    4

    1 Inclui-se o maior nmero de habitantes (se enquadra-se portanto, todas as faixas etrias);

    2- Enquadra-se o valor mximo estipulado para a sua concretizao;

    3- Fosse tecnicamente vivel;

    4 Identifica-se as necessidades de outras freguesias do interior do concelho;

    5- Caractersticas actuais da via sem espao para circulao no rodoviria

    FUNDAMENTAO DA PROPOSTA

    Promover a circulao pedestre e de bicicleta, uma forma de melhorar a qualidade

    ambiental, a qualidade de vida, a actividade para os turistas e a competitividade econmica.2

    Considerando os pressuposto que levaram escolha da proposta, principalmente, o valor

    destinado proposta do oramento participativo e o facto de que as freguesias do interior do

    concelho tm uma maior necessidade de dinamizao.

    A proposta para oramento participativo a criao de um percurso pedonal e uma ciclovia na

    sede de freguesia de Bicos, qual se atribui o lema: Bicos mais Perto.

    A localidade de Bicos apresenta um permetro urbano fragmentado, existem essencialmente

    dois ncleos urbanos que se interligam por uma estrada de cerca de 1,1 km (Rua Antnio

    Mateus Alves), esta muito frequentada pela populao, no s porque temos de um lado a

    Junta de Freguesia, o Campo de Futebol, o Bairro Municipal e de outro, a Igreja, o Cemitrio, e

    equipamentos como Bombas de Gasolina3. No entanto, as deslocaes efectuam-se no s

    com objectivos pessoais de aquisio de bens ou de servios, como para actividades ldicas.

    Tem-se verificado nos ltimos dois anos, o aumento de habitantes que efectuam este percurso

    de bicicleta, ou a p com o intuito de fazer exerccio fsico ou apenas para aumentar o convvio

    com outros habitantes.

    Deste modo, considera-se que por questes de segurana e pelas referidas no enquadramento

    da proposta, que a concretizao de um passeio pedonal e de uma ciclovia ao longo desta via,

    iria de encontro com as necessidades da populao, aumentando a oferta para uma procura j

    existente.

    A proposta passa pelas seguintes fases:

    1. Limpeza e entubamento da valeta da via Rua Antnio Mateus Alves, no percurso: Bairro

    Municipal at aos Apartados Sul.

    2 Transportation Alternatives (s/d), Bicycle Parking Solutions: a resource for installing indoor bicycle

    parking, New York Metropolitan Transportation Council, www. Translalt.org 3 Segue anexo candidatura o ficheiro kmz*, para que seja possvel a visualizao do percurso no

    Google Earth. Uma vez descarregado basta inserir o ficheiro e verificar a delimitao.

  • OORRAAMMEENNTTOO PPAARRTTIICCIIPPAATTIIVVOO:: PPRROOPPOOSSTTAA BBIICCOOSS MMAAIISS PPEERRTTOO

    CCOONNCCEELLHHOO DDEE OODDEEMMIIRRAA

    ANA LCIA R. C. LOURENO QUARTA-FEIRA, 29 DE JUNHO DE 2011

    5

    2. Delimitao de uma via pedonal e de uma ciclovia, com separador da via rodoviria, atravs

    da diferenciao de tipo de piso. Sendo que a primeira teria 1,5 metros de largura, por sua vez

    a ciclovia teria 2 metros de largura e considera-se significativa a implementao de um

    separador de 0,5 metros desta rede rodoviria;

    Esta pode vir a servir de mote para as outras freguesias apostarem em infra-estruturas

    simples, que aproximem a natureza ao muncipe e que permitam o aumento da segurana.

    Para alm da fundamentao, importa definir os objectivos da implementao deste projecto:

    I. OBJECTIVOS:

    - Melhorar a acessibilidade no rodoviria;

    - Aproximar os muncipes da natureza;

    - Melhorar a segurana;

    - Incrementar estilos de vida mais saudveis;

    - Servir de exemplo para outras freguesias do concelho.

    II. ESPECIFICIDADE DA OPO: CICLOVIA

    Segundo o Guia de Boas Prticas para a concepo de Ciclovias a bicicleta particularmente

    competitiva nas curtas distncias

    O primeiro passo para adoptar uma ciclovia passa pela caracterizao geomorfolgica do

    terreno. Numa primeira abordagem verifica-se que o troo proposto apresenta um declive

    entre 0 a 3% (terreno considerado plano), e que se traduz como excelente para a circulao da

    bicicleta4. Outros dos critrios definidos e que se enquadram nesta proposta, so a

    sobreposio da rede rodoviria, o factor continuidade e funcionalidade. Neste caso a ciclovia

    contnua com outras vias e apresenta funcionalidade relacionando-se com os equipamentos

    colectivos existentes.

    III. ESPECIFICIDADE DA OPO: VIA PEDONAL

    Os pees-alvo desta proposta no so um grupo homogneo, pelo que existem pessoas com

    especial vulnerabilidade (crianas, idosos, pessoas com mobilidade reduzida) que efectuam

    actualmente o percurso proposto, sem usufrurem das condies de segurana necessrias.

    Para alm das especificidades existentes em termos tcnicos para definir uma via pedonal,

    considere-se a velocidade dos pees, a largura da via, entre outros, existe a necessidade de

    demonstrar as vantagens da implementao da prpria via, enquadrando-a com a realidade

    existente.

    4 Rede Ciclvel de Lisboa (www.isa.utl.pt)

  • OORRAAMMEENNTTOO PPAARRTTIICCIIPPAATTIIVVOO:: PPRROOPPOOSSTTAA BBIICCOOSS MMAAIISS PPEERRTTOO

    CCOONNCCEELLHHOO DDEE OODDEEMMIIRRAA

    ANA LCIA R. C. LOURENO QUARTA-FEIRA, 29 DE JUNHO DE 2011

    6

    Numa primeira abordagem importa ressalvar que a via deve ser um espao exclusivamente

    dedicado aos pees, deve ter includas zonas de atravessamento da rede viria, e zonas de

    interface modal, bem como a ligao aos equipamentos colectivos existentes. Esta deve ir ao

    encontro da noo de percursos pedonais acessveis so contnuos, desobstrudos ou livres de

    barreiras fsicas que fazem a ligao a outros elementos igualmente sem o mesmo tipo de obstculos e que

    obedecem s presentes normas (por exemplo edifcios, espaos verdes ou de diverso, etc.)5

    Considerando que inevitavelmente a velocidade automvel um grande constrangimento

    para os transeuntes do espao pblico, importa referir que a criao de uma via pedonal para

    alm de alterar o tipo de pavimento e estabelecer uma demarcao promove a diminuio do

    uso automvel pela introduo da variante alternativa.

    ORAMENTO

    O oramento foi elaborado com base no desenho e nos clculos efectuados. Admite-se que

    esta parte do projecto foi elaborada de forma genrica e pouco precisa. Apenas com a

    finalidade de apresentar um valor aproximado do custo da proposta.

    Para a concretizao das opes foi seleccionado o seguinte tipo de piso, quer para a via

    pedonal, quer para a ciclovia, sendo diferenciado pela colorao:

    Beto Betuminoso (Colorido Superficialmente)

    Vantagens: Baixa necessidade de manuteno para situaes de pouco trfego automvel e

    em condies de desgaste normais; Preo acessvel comparativamente com a oferta existente.

    Desvantagens: Com o betuminoso convencional, so poucas as cores do espectro possveis,

    sendo geralmente utilizado o vermelho ou o azul. A generalidade das cores desaparece no

    negro do betuminoso.

    O desgaste hdrico, da passagem dos rodados e pela aco da luz podem degradar e alterar a

    uniformidade do pavimento, conduzindo a resultados menos estticos com o passar do tempo

    Construo: Aplicao de uma camada de desgaste com 0.015m compactada sobre camada

    de beto betuminoso convencional de 0.025m de espessura, e sobre base de granulometria

    extensa de 0.15m de espessura. A pintura executada superfcie ou o pigmento misturado

    na camada de desgaste;

    Custo: Entre 9,0 e 20,0EUR/m2

    5 Jorge Falorca; Silvia Gonalves Projectar e construir com Acessibilidade. Coimbra: J. Falorca, 2008, pp.

    49.

  • OORRAAMMEENNTTOO PPAARRTTIICCIIPPAATTIIVVOO:: PPRROOPPOOSSTTAA BBIICCOOSS MMAAIISS PPEERRTTOO

    CCOONNCCEELLHHOO DDEE OODDEEMMIIRRAA

    ANA LCIA R. C. LOURENO QUARTA-FEIRA, 29 DE JUNHO DE 2011

    7

    Figura 1 Pormenor de pavimentao em beto betuminoso, com colorao superficial6

    Para o clculo, mesmo que aproximado do valor para a proposta, para alm da escolha do tipo

    de piso necessrio ter em conta a fase de implementao da rede de drenagem, com a

    colocao de sumidouros, os atravessamentos de faixa, e as estruturas complementares como

    os balizadores, pinos, guardas de proteco e controle de velocidade.

    Preo/unidade Quantidade Total

    Red

    e d

    e D

    ren

    agem

    Limpeza e terraplanagem 1000

    Material 2000

    Pis

    o

    Beto betuminoso 9e/m2 3300 m2 29700

    Estr

    utu

    ras

    Co

    mp

    lem

    enta

    res

    Sinalizao 3000

    Guardas de proteco 3000

    Outros 2000

    Valor aproximado 40700

    6 Centro de arquitectura paisagista (www.isa.utl.pt)

  • OORRAAMMEENNTTOO PPAARRTTIICCIIPPAATTIIVVOO:: PPRROOPPOOSSTTAA BBIICCOOSS MMAAIISS PPEERRTTOO

    CCOONNCCEELLHHOO DDEE OODDEEMMIIRRAA

    ANA LCIA R. C. LOURENO QUARTA-FEIRA, 29 DE JUNHO DE 2011

    8

    CONCLUSO

    Com o aumento significativo do transporte automvel, a circulao sustentvel, to

    imprescindvel hoje em dia para a harmonia e desenvolvimento do espao pblico foi entrando

    em decrscimo. Os nossos antepassados percorriam quilmetros para participarem em

    actividades festivas ou at para visitarem familiares. Hoje em dia muitas pessoas optam por

    utilizar o automvel para distncias muito curtas, como o caso da distncia do percurso da

    proposta em questo. Admitindo que as questes de sade relacionadas com o sedentarismo

    tem vindo a aumentar e que o uso de automvel provoca a libertao de CO2, uma das

    principais causas do aumento do efeito estufa e consequentemente das alteraes climticas,

    importa promover junto das comunidades locais o retorno a vivncias ecologicamente

    positivas, sendo que para isso necessrio criar as condies necessrias.

    A implementao de uma via pedonal e uma ciclovia, na especificidade que o permetro

    urbano de Bicos, conduz a que a populao fique cada vez mais unida e mais perto, pelo que

    esta proposta Bicos mais perto pode servir de mote implementao de projectos

    semelhantes noutras localidades, noutras freguesias do concelho de Odemira, contribuindo

    para um desenvolvimento municipal economicamente e ambientalmente sustentvel.

  • OORRAAMMEENNTTOO PPAARRTTIICCIIPPAATTIIVVOO:: PPRROOPPOOSSTTAA BBIICCOOSS MMAAIISS PPEERRTTOO

    CCOONNCCEELLHHOO DDEE OODDEEMMIIRRAA

    ANA LCIA R. C. LOURENO QUARTA-FEIRA, 29 DE JUNHO DE 2011

    9

    BIBLIOGRAFIA

    Decreto-Lei n 123/97, de 22 de Maio

    Pita, F. V., 2003 Estratgias e Planeamento da Mobilidade e Segurana de Pees, Tese de

    Mestrado em Transportes, Instituto Superior Tcnico, Lisboa

    Transportation Alternatives (s/d), Bicycle Parking Solutions: a resource for installing indoor

    bicycle parking, New York Metropolitan Transportation Council, www.transalt.org

    CIBERGRAFIA

    http://www.futurosustentavel.org

    http://www.estv.ipv.pt

    https://dspace.ist.utl.pt

    http://www.op.cm-odemira.pt

    http://lisboaparticipa.cm-lisboa.pt