ORÇAMENTO EMPRESARIAL Unidade II Prof. Carlos Alexandre.

Download ORÇAMENTO EMPRESARIAL Unidade II Prof. Carlos Alexandre.

Post on 18-Apr-2015

116 views

Category:

Documents

6 download

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • ORAMENTO EMPRESARIAL Unidade II Prof. Carlos Alexandre
  • Slide 2
  • O desafio da implantao de oramento nas organizaes O oramento um instrumento de planejamento e controle que se torna de grande relevncia para as empresas, pois estabelece com antecedncia as aes a serem executadas e os recursos que sero despendidos. A empresa mensura o quanto deseja produzir para alcanar a receita proposta e a partir da tem que analisar quais recursos vai disponibilizar para que consiga produzir o almejado. Isso significa que ela precisa saber qual custo ter com mo de obra, matria prima e se vai precisar investir no imobilizado.
  • Slide 3
  • O desafio da implantao O oramento o plano financeiro para implementar a estratgia da empresa para determinado exerccio. mais do que uma simples estimativa, pois deve estar baseado no compromisso dos gestores em termos de metas a serem alcanadas (Frezatti,2007).
  • Slide 4
  • O desafio da implantao Define oramento como um plano administrativo que abrange todas as fases das operaes para um perodo futuro definido. a expresso formal das polticas, planos, objetivos e metas estabelecidas pela alta administrao para a empresa como um todo, bem como para uma de suas subdivises ( Welsch,1973).
  • Slide 5
  • O desafio da implantao O oramento deve ser acompanhado diariamente e sempre comparando o orado com o executado para que sejam feitos os ajustes necessrios, pois fatores externos como a economia, mercado, moeda, tecnologia, cenrio social, legal, fiscal e concorrncia influenciam diretamente no mesmo.
  • Slide 6
  • O desafio da implantao Anlise externa a maneira pela qual a organizao olha o ambiente externo e identifica as oportunidades que pretende auferir. Serve para os gestores entenderem, coletivamente, o que esperar do ambiente futuro e, a partir da, definirem como se comportar (Frezatti,2007).
  • Slide 7
  • O desafio da implantao Depois de analisado os fatores externos, se torna necessria a anlise interna que avalia os recursos humanos como investimentos, sistemas de informao, equipamentos, tecnologia e capacidade de produo para que tudo favorea a elaborao perfeita do oramento.
  • Slide 8
  • HISTRIA DO ORAMENTO A necessidade de orar to antiga quanto a humanidade. Os homens da caverna precisavam prever a necessidade de comida para os longos invernos, com isso desenvolveram prticas antigas de oramento (Lunkes, 2003)
  • Slide 9
  • HISTRIA DO ORAMENTO As prticas contemporneas de oramento devem-se ao desenvolvimento da Constituio Inglesa em 1869, pois a Lei determinava que o rei e o primeiro ministro, poderiam cobrar impostos ou gastar recursos com a autorizao do Parlamento e posteriormente entregava ao Parlamento os planos de despesas.
  • Slide 10
  • HISTRIA DO ORAMENTO A maioria das polticas, procedimentos e prticas hoje conhecidas teve seu desenvolvimento no sculo XIX. As principais mudanas aconteceram na Frana durante o governo de Napoleo, como parte de um esforo para obter maior controle sobre todas as despesas, inclusive sobre as do exrcito.
  • Slide 11
  • HISTRIA DO ORAMENTO No Reino Unido, as tcnicas oramentrias eram vistas como um modo promissor para controlar finanas do governo. Em 1861, a Inglaterra criou o Comit de Contas Pblico no Parlamento e, em 1866, os escritrios de Controladoria e Auditoria Geral.
  • Slide 12
  • HISTRIA DO ORAMENTO J nos Estados Unidos foi criado o movimento do oramento pblico que compreendia todas as receitas e despesas para um perodo fiscal definido que permitia a flexibilidade administrativa e alcanar os objetivos propostos. A primeira cidade a implementar o oramento pblico foi Nova York em 1907.
  • Slide 13
  • HISTRIA DO ORAMENTO No Brasil, o oramento passou a ser foco de estudos a partir de 1940, mas nem mesmo na dcada seguinte ele foi muito utilizado pelas empresas. O oramento s teve seu apogeu no Brasil a partir de 1970, quando empresas passaram a adot-lo com mais freqncia em suas atividades.
  • Slide 14
  • HISTRIA DO ORAMENTO Ento houve a evoluo do oramento que se deu em 6 etapas e so classificadas da seguinte forma: 1. oramento empresarial: que teve sua nfase na projeo dos recursos baseada nos objetivos e no controle por meio do acompanhamento dos dados contbeis;
  • Slide 15
  • HISTRIA DO ORAMENTO 2. oramento contnuo: que teve nfase na renovao do perodo concludo e acrscimo do mesmo perodo; 3. oramento de base zero: que projeta os recursos da estaca zero com justificativa para todos os novos gastos.
  • Slide 16
  • HISTRIA DO ORAMENTO 4. oramento flexvel: que a projeo dos recursos para vrios nveis de atividade; 5. oramento por atividades: que tem a projeo dos recursos nas atividade por meio de direcionadores; 6. oramento perptuo que tem a projeo dos recursos fundamentada nas relaes de causa e efeito entre os processos correntes.
  • Slide 17
  • Objetivos do Oramento Ordena de forma diferente os objetivos quando afirma que os oramentos so essenciais para o planejamento e o controle da empresa. Eles ajudam a coordenar as aes dos lderes de diferentes reas, estabelecem um compromisso com os objetivos da empresa, conferem autoridade ao gestor de cada rea para fazer despesas e fornecer metas claras de receita ( Brooksin,2000).
  • Slide 18
  • Objetivos do Oramento Dentre os objetivos do oramento destacam-se: 1. o planejamento, que permite programar as atividades de longo prazo da empresa; 2. a coordenao que ajuda a coordenar as atividades das diversas reas; 3. a comunicao que disponibiliza informaes sobre os objetivos da empresa aos gerentes; 4. a motivao que fornece estmulo aos gerentes para que atinjam metas; 5. o controle que nada mais que comparar o planejado com o executado e por fim a avaliao de cada gerente em seus respectivos departamentos.
  • Slide 19
  • Caractersticas do Oramento As caractersticas de um oramento podem ser vistas como a projeo do futuro, flexibilidade na aplicao e participao direta dos responsveis.
  • Slide 20
  • Condicionantes bsicos para implantao O oramento a expresso quantitativa de um plano de ao servindo de instrumento adequado ao controle permanente de sua execuo. Para que se faa um bom oramento necessrio se observar alguns requisitos. Existem alguns condicionantes bsicos para implantao de um sistema oramentrio:
  • Slide 21
  • Condicionantes bsicos para implantao - Apoio efetivo da alta administrao na implantao e utilizao do sistema oramentrio como instrumento de gesto (instrumento de planejamento, coordenao e controle); - Aceitao e colaborao de todas as reas e escales administrativos envolvidos na elaborao, acompanhamento e analise do oramento; - Existncia de uma direo e coordenao geral para o processo oramentrio; - Estrutura organizacional definida e adequada, dotada de boa infraestrutura administrativa e operacional, que oferea reais condies a implantao e desenvolvimento do sistema oramentrio; - Contabilidade aberta e informatizada; - Fixao de objetivos para a empresa; e - Sistema oramentrio dotado de agilidade e flexibilidade.
  • Slide 22
  • VANTAGENS E LIMITAES DE UM ORAMENTO Como vantagens do oramento podemos mencionar: -o oramento obriga a empresa a anlise antecipada das polticas bsicas; - o oramento fortalece a administrao, por meio do aperfeioamento de seus sistemas de registro,anlise, relatrio, entre outros.
  • Slide 23
  • VANTAGENS E LIMITAES DE UM ORAMENTO - o oramento uma forma de obrigar os gestores a quantificarem e datarem as atividades pelas quais so responsveis.
  • Slide 24
  • VANTAGENS E LIMITAES DE UM ORAMENTO A utilizao de um oramento pode gerar alguns obstculos: - Os dados contidos no oramento no passam de estimativas, estando assim sujeitos a erros maiores ou menores, segundo a sofisticao do processo de estimao e a prpria incerteza inerente ao ramo de operaes da empresa. - O custo do sistema. claro que esta tcnica no pode ser usada com a mesma intensidade e complexidade por empresas de todos os tamanhos, ou seja, nem todas as empresas contam com os recursos necessrios para contratar pessoal especializado em superviso de oramentos e desviar tempo do pessoal de linha para planejar e elaborar oramentos. - O uso de um sistema dessa natureza ajusta-se melhor a uma dada filosofia e a um certo estilo de administrao (com participao) que talvez no sejam aceitveis em algumas empresas.
  • Slide 25
  • PRINCIPAIS ORAMENTOS PARA CONTROLE E GESTO ORAMENTO EMPRESARIAL: O oramento o plano financeiro para implementar a estratgia da empresa para determinado exerccio mais que uma simples estimativa, pois deve estar baseado no compromisso dos gestores em termos de metas a serem alcanadas.
  • Slide 26
  • ORAMENTO EMPRESARIAL considerado um dos pilares da gesto e uma das ferramentas fundamentais para que a prestao de contas dos gestores seja objetiva. Isso ocorre pelo fato que os gestores tm o compromisso especificado e definido no plano estratgico, que acabam sendo firmados no momento da montagem do oramento.
  • Slide 27
  • ORAMENTO EMPRESARIAL O oramento surge como seqncia a montagem do plano estratgico, permitindo forar e identificar, num horizonte menor, de um exerccio fiscal as suas aes mais importantes. O oramento existe para programar as decises do plano estratgico.
  • Slide 28
  • ORAMENTO EMPRESARIAL O oramento de uma empresa deve ser elaborado levando-se em conta a seguinte seqncia de etapas: ligao de casa preparatria para o oramento, princpios gerais de planejamento, diretrizes dos cenrios, premissas e pr-planejamento; plano de marketing; plano de suprimento, produo e estocagem (PSPE); plano de recursos humanos; e plano financeiro.
  • Slide 29
  • ORAMENTO EMPRESARIAL Sendo assim uma vez tendo feito um adequado trabalho na montagem do plano Estratgico, o oramento tem muita chance de ser elaborado com coerncia e consistncia.

Recommended

View more >