Oramento Empresarial UNIDADE I RESUMO DE APOSTILA.

Download Oramento Empresarial UNIDADE I RESUMO DE APOSTILA.

Post on 18-Apr-2015

127 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • Oramento Empresarial UNIDADE I RESUMO DE APOSTILA
  • Slide 2
  • Educao a Distncia EaD Professor: Flvio Brustoloni Oramento Empresarial
  • Slide 3
  • Objetivos da Disciplina: Capacitar o(a) acadmico(a) para que ele analise a empresa como um sistema; Conhecer o que so oramentos e como podem ser aplicados nas empresas; Compreender de que forma os oramentos podem ser utilizados na gesto dos recursos financeiros e resultados econmicos da empresa; Conhecer os custos industriais e entender o seu reflexo no processo oramentrio da produo; Possibilitar ao() acadmico(a) a prtica da elaborao do oramento, considerando as diversas reas relacionadas, como o oramento de vendas, o oramento de produo e o oramento das despesas operacionais; Contribuir para o aprendizado do DRE, do Oramento de Caixa, do BP projetado e da anlise de suas variaes;
  • Slide 4
  • Unidade 1 ORAMENTOS
  • Slide 5
  • Objetivos da Unidade: Conhecer de que maneira a empresa percebida como um sistema; Compreender as caractersticas do sistema organizacional de uma empresa; Aprender de que forma uma empresa pode ser vista como um sistema aberto e dinmico; Compreender o que oramento e quais so seus objetivos; Conhecer por que se deve realizar um oramento e qual a sua funo para o administrador; Identificar qual a contribuio do oramento para o trabalho do gestor da empresa; Conhecer os principais tipos de oramentos existentes; Compreender a maneira como o oramento exerce influncia nos administradores da empresa quanto ao seu aspecto comportamental; Avaliar a importncia da gesto para a implantao de um processo oramentrio.
  • Slide 6
  • Sistema Empresa no Oramento Empresarial Tpico 1 1/77
  • Slide 7
  • 1 Introduo Sistema empresa a rea onde estudamos oramentos para a identificao e compreenso das atividades e departamentos que interagem entre si. Uma empresa, ou qualquer outro sistema, apenas consegue atingir a plena eficincia e eficcia nas suas atividades se houver harmonia no sistema de comunicao das mesmas. 2/77 Tpico 1 Unid. 1 3
  • Slide 8
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.1 Conceito de Empresa uma entidade constituda juridicamente, ou no, que exerce atividade econmica de produo, transformao, comrcio ou prestao de servios, podendo ter fins lucrativos, filantrpicos ou sociais. 3/77 Tpico 1 Unid. 1 4
  • Slide 9
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.2 Conceitos de Sistema Empresa O sistema um conjunto de elementos interdependentes, ou um todo organizado, ou partes que interagem formando um todo unitrio e complexo. 4/77 Tpico 1 Unid. 1 4
  • Slide 10
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.2 Conceitos de Sistema Empresa As empresas, de modo geral, possuem as mesmas caractersticas de interatividade de funes, porque elas tambm fazem parte de um macrossistema que fornece seus servios para um conjunto de empresas que agregam seus bens ao produto final. 5/77 Tpico 1 Unid. 1 5
  • Slide 11
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.2 Conceitos de Sistema Empresa As empresas devem estar preparadas para se adequar s constantes mudanas que acontecem no mercado, pois isto fundamental para a sua manuteno e sobrevivncia. Em outras palavras, adequar-se e melhorar sempre. 6/77 Tpico 1 Unid. 1 6
  • Slide 12
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.2 Conceitos de Sistema Empresa Existem dois tipos de comportamentos: o operacional e o estratgico, por meio dos quais a empresa interage com o ambiente que o cerca e que se complementam entre si, dando um carter holstico que toda a organizao deve ter. 7/77 Tpico 1 Unid. 1 6
  • Slide 13
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.2 Conceitos de Sistema Empresa Todos esses fatores podem se constituir em oportunidades e ameaas sobrevivncia da empresa no mercado. Para garantir a sua continuidade, necessrio que a empresa mantenha sua capacidade de mudanas e adaptaes aos diversos fatores que a influenciam tanto internamente quanto externamente. 8/77 Tpico 1 Unid. 1 8
  • Slide 14
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.3 Caractersticas do Sistema Organizacional de uma Empresa Para que o sistema empresa tenha um bom funcionamento, dividido em vrios subsistemas, que so: institucional, gesto, organizao, social, informao e fsico-operacional. 9/77 Tpico 1 Unid. 1 8
  • Slide 15
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.4 Misso da Empresa A misso de cada empresa encontra- se ligada ao seu respectivo motivo bsico de existncia, notadamente correlacionado aos produtos e servios oferecidos por ela junto ao mercado, visando satisfao de seu pblico-alvo. 10/77 Tpico 1 Unid. 1 10
  • Slide 16
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.5 A Empresa como Sistema Aberto No regime de livre comrcio, o alvo da empresa o maior lucro possvel, concilivel com o seu crescimento a longo prazo e tambm com o bem- estar da coletividade, mediante o atendimento das suas necessidades. 11/77 Tpico 1 Unid. 1 12
  • Slide 17
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.5 A Empresa como Sistema Aberto importante ressaltar que cada deciso tomada, inclusive por dirigentes polticos, pode afetar o andamento das empresas e implicar a necessidade de tomadas de decises, mudando estratgias e aes j previstas. 12/77 Tpico 1 Unid. 1 12
  • Slide 18
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.5 A Empresa como Sistema Aberto Por exemplo, se determinadas empresas exportam alguns tipos de produtos e na poltica econmica daquele pas foi aplicada alguma lei protecionista referente a esses produtos, essas empresas devero rever seus planos de expanso, pois assim no tero condies de buscar esses mercados. 13/77 Tpico 1 Unid. 1 12
  • Slide 19
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.6 A Empresa como Sistema Dinmico A palavra Dinmica significa que todas as coisas se transformam com a influncia de outros fatores ou mecanismos, com o poder de deciso. A empresa processa, executa e operacionaliza as suas atividades a partir do momento em que os gestores utilizam a fora decisria para a tomada de decises. 14/77 Tpico 1 Unid. 1 14
  • Slide 20
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.6 A Empresa como Sistema Dinmico Existem diversos fatores externos como o mercado, a poltica econmica, o governo, a concorrncia e a sazonalidade. Esses fatores influenciam tanto as corporaes contratantes de produtos ou servios como as empresas de produo em escala. 15/77 Tpico 1 Unid. 1 16
  • Slide 21
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.6 A Empresa como Sistema Dinmico As grandes corporaes industriais fornecem os insumos necessrios para empresas de menor porte, que transformaro os insumos em produtos acabados, ou prestaro servios s grandes corporaes. 16/77 Tpico 1 Unid. 1 16
  • Slide 22
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.6 A Empresa como Sistema Dinmico Ao encerrar a produo ou a prestao de determinado servio, a empresa de menor porte retorna os produtos elaborados para o seu contratante de servios (as grandes corporaes) e, atravs da entrega, conclui-se o processo produtivo. 17/77 Tpico 1 Unid. 1 16
  • Slide 23
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.6 A Empresa como Sistema Dinmico As grandes corporaes disponibilizam seus produtos ao mercado consumidor. Por sua vez, o mercado consumidor poder ou no consumir estes produtos, dependendo dos estmulos provocados pelos fatores externos como mercado, poltica econmica, governo, concorrncia, sazonalidade dentre outros. 18/77 Tpico 1 Unid. 1 16
  • Slide 24
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.6 A Empresa como Sistema Dinmico Para muitos estudiosos da economia, a empresa responde aos estmulos do mercado exterior. Esses estmulos esto relacionados com a sua produo (compra de insumos), controles internos, venda de produtos, contratao de mo de obra (aspectos sociais), dentre outras, com o objetivo da maximizao dos seus resultados (em busca do lucro). 19/77 Tpico 1 Unid. 1 17
  • Slide 25
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.7 Modelo Conceitual de Sistema Empresa A concorrncia exerce um papel fundamental no sistema empresa, pois ela faz parte dos fatores externos da empresa que podem afetar o resultado econmico, pois as decises que os gestores concorrentes tomarem afetam positivamente ou negativamente. 20/77 Tpico 1 Unid. 1 18
  • Slide 26
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.7 Modelo Conceitual de Sistema Empresa Se o gestor da empresa concorrente decidir baixar o preo e, por conseguinte diminuir a qualidade dos seus produtos, corre o risco de afetar a manuteno da perenidade dos seus negcios no mercado. 21/77 Tpico 1 Unid. 1 19
  • Slide 27
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.7 Modelo Conceitual de Sistema Empresa Ressalta-se que esses resultados so reflexos das movimentaes financeiras geradas pelas decises tomadas, pois com a escassez dos recursos financeiros no mercado preciso tomar decises convenientes para no comprometer os resultados da companhia. 22/77 Tpico 1 Unid. 1 19
  • Slide 28
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.7 Modelo Conceitual de Sistema Empresa Essas decises podem estar relacionadas ao tipo de recurso que a empresa necessita (a forma de financiamento), as habilidades desenvolvidas pelos profissionais e aos recursos tecnolgicos disponveis. 23/77 Tpico 1 Unid. 1 19
  • Slide 29
  • 2 A Empresa como um Sistema 2.7 Modelo Conceitual de Sistema Empresa Isso impacta nos resultados da empresa, e essas decises esto fundamentadas nas ferramentas dos ORAMENTOS, que so suficientemente capazes de fornecer informaes para gerar os melhores resultados. 24/77 Tpico 1 Unid. 1 19
  • Slide 30
  • Tipos de Oramento e suas Aplicaes Tpico 2 25/77
  • Slide 31
  • 2 Aspectos Conceituais Nos tempos atuais, os empresrios tm necessidade de planejar as aes e buscar o controle da empresa, com isso o processo torna- se indispensvel na administrao de qualquer negcio. 26/77 Tpico 2 Unid. 1 23
  • Slide 32
  • 2 Aspectos Conceituais O Oramento pode ser conceituado como um planejamento de operaes detalhado em todas as suas fases para um perodo futuro, buscando retratar formalmente as polticas, planos e metas estabelecidas pelos administradores, expressos em forma quantitativa. 27/77 Tpico 2 Unid. 1 24
  • Slide 33
  • 2 Aspectos Conceituais A importncia do sistema oramentrio est basicamente no modo de conduzir de forma ordenada as ideias e progredir, passo a passo, nas aes. 28/77 Tpico 2 Unid. 1 25
  • Slide 34
  • 2 Aspectos Conceituais Alm disso, est ligado s constantes mudanas que ocorrem no mundo globalizado, especificamente na rea tecnolgica. Dentro deste contexto, importante que as empresas planejem os seus objetivos e suas atividades sempre considerando a necessidade de se adaptar s novas realidades. 29/77 Tpico 2 Unid. 1 25
  • Slide 35
  • 3 Objetivos dos Oramentos Os oramentos possuem objetivos direcionados para o bom funcionamento das empresas, e so constitudos de planos especficos em datas e unidades monetrias que visam atingir objetivos programados. o plano financeiro para implantar a estratgia da empresa em determinado exerccio e, portanto, uma ferramenta bsica de gesto que pode ser de curto ou longo prazo. 30/77 Tpico 2 Unid. 1 27
  • Slide 36
  • 3 Objetivos dos Oramentos Planejamento: um conjunto de metas a serem atingidas, de acordo com as aes individuais e coletivas. Pode ser dividido em trs atividades: * Planejamento Estratgico; * Planejamento Programa; * Planejamento Oramentrio. 31/77 Tpico 2 Unid. 1 28
  • Slide 37
  • 3 Objetivos dos Oramentos Direo: pode ser compreendida como o tomar cuidado para que as aes individuais e grupais estejam sendo coordenadas da melhor forma possvel. E essa direo deve ser bem orientada atravs das reunies dos comits de avaliao. 32/77 Tpico 2 Unid. 1 29
  • Slide 38
  • 3 Objetivos dos Oramentos Controle: o controle um sistema de verificao do desempenho obtido com os objetivos traados, de forma que aes corretivas possam ser implementadas. Sua existncia fundamental tanto para execuo de planejamento de curto como de longo prazo. 33/77 Tpico 2 Unid. 1 29
  • Slide 39
  • 4 Tipos de Oramentos O oramento esttico baseado a partir de um determinado volume de produo e vendas que a empresa deseja atingir. Se ocorrerem mudanas no ambiente do sistema empresa, os oramentos para um determinado perodo perdem sua validade, pois estaro engessados de acordo com o volume de produo e vendas que outrora foram definidos. 34/77 Tpico 2 Unid. 1 31
  • Slide 40
  • 4 Tipos de Oramentos Se ocorrer qualquer incidente no mercado do mundo globalizado, como uma catstrofe natural, ou problemas na economia mundial ou em determinados pases, isso poder afetar de forma negativa os oramentos estticos. 35/77 Tpico 2 Unid. 1 31
  • Slide 41
  • 4 Tipos de Oramentos Mas, se ocorrerem fatores positivos na economia global ou de determinado pas, isso tambm poder afetar de forma negativa os oramentos estticos. Os Oramentos Estticos no podero ser alterados, a prpria palavra j nos coloca isso: ESTTICO -> IMVEL. 36/77 Tpico 2 Unid. 1 31
  • Slide 42
  • 4 Tipos de Oramentos O Oramento Flexvel pode ser ajustado de acordo com as necessidades da empresa e com as mudanas de mercado, envolvendo outros. 37/77 Tpico 2 Unid. 1 32
  • Slide 43
  • 4 Tipos de Oramentos O Oramento de Tendncias uma prtica oramentria que utiliza dados passados para projetar o futuro, pois situaes ocorridas no passado, decorrentes da estrutura organizacional j existente, servem de base para projetar situaes futuras, uma vez que se corre o risco de tais situaes acontecerem novamente. 38/77 Tpico 2 Unid. 1 32
  • Slide 44
  • 4 Tipos de Oramentos A proposta do oramento Base Zero est em rediscutir toda a empresa toda vez que se elabora o oramento. Est em questionar cada gasto, buscando verificar a real necessidade. Resumindo, a questo fundamental permanente para o oramento base zero a seguinte: no porque aconteceu que dever acontecer. 39/77 Tpico 2 Unid. 1 33
  • Slide 45
  • 5 Sistema de Oramentos O Sistema de oramentos o modelo de mensurao que avalia e demonstra, sob um formato contbil, as projees de desempenhos econmicos e financeiros de uma empresa. 40/77 Tpico 2 Unid. 1 36
  • Slide 46
  • 5 Sistema de Oramentos O sistema oramentrio compila as informaes advindas de cada setor da empresa e apresenta os resultados da execuo dos planos de ao que foram aprovados por cada gestor. 41/77 Tpico 2 Unid. 1 36
  • Slide 47
  • 5 Sistema de Oramentos Aps serem aprovados pela administrao da empresa, juntamente com os respectivos planos de ao, so confiados aos responsveis pela execuo dos mesmos. 42/77 Tpico 2 Unid. 1 36
  • Slide 48
  • 6 O que Refletem os Oramentos Os oramentos refletem a necessidade da empresa dos seus administradores em comunicar aos seus gerentes ou responsveis os planos de ao que devem ser executados de acordo com as polticas e diretrizes nele atribudos. 43/77 Tpico 2 Unid. 1 37
  • Slide 49
  • 6 O que Refletem os Oramentos Devero dar origem aos resultados projetados para avaliao e anlise. Portanto, o que os oramentos refletem so as polticas, que esto presentes nas seguintes reas: compras, estoques, vendas, qualidade, etc. 44/77 Tpico 2 Unid. 1 37
  • Slide 50
  • 7 Por que Prever? Quando elaboramos um oramento devemos levar em considerao que o principal objetivo da empresa a venda, mas esta ser efetivada somente se estiver precedida de um conjunto completo de previses. 45/77 Tpico 2 Unid. 1 38
  • Slide 51
  • 8 Como Prever? Perguntas frequentes como: a) Quais so as bases de previso? b) Quais so os limites oramentrios? So perguntas em como prever, que somente tem fundamento na definio dos produtos ou servios nos quais a empresa possa garantir suas vendas. 46/77 Tpico 2 Unid. 1 39
  • Slide 52
  • 8 Como Prever? Garantia de Vendas -> CARRO CHEFE Em seguida, importante que se faa uma previso por produto e por perodo, levando em considerao o que o mercado pode absorver. 46/77 Tpico 2 Unid. 1 39
  • Slide 53
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas Quando se trata de aplicar os oramentos para a sua execuo, muitas vezes nos deparamos com situaes que necessitam ser avaliadas sob a tica comportamental. Podem surgir erros no processo de elaborao e implantao dos oramentos em nveis de superviso. 47/77 Tpico 2 Unid. 1 40
  • Slide 54
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas E quais seriam suas consequncias? 48/77 Tpico 2 Unid. 1 40
  • Slide 55
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas a) Reao s presses: se as presses oramentrias forem excessivas por busca de resultados, que no se est conseguindo cumprir, podem ocorrer desconfiana, hostilidade e, eventualmente, baixa do nvel de desempenho como reao aos controles oramentrios. 49/77 Tpico 2 Unid. 1 40
  • Slide 56
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas Um dos problemas que pode gerar este tipo de hostilidade seria o problema do controle dos custos, pois uma causa comum de tenso entre os gestores, geralmente oriunda da presso de cortar custos. 50/77 Tpico 2 Unid. 1 41
  • Slide 57
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas b) Grande nfase no curto prazo: um dos perigos com que se depara na organizao quando se avalia a efetividade dos gestores na busca dos melhores resultados a nfase na lucratividade de curto prazo. As medidas tomadas para melhorar a lucratividade de curto prazo podem prejudicar as expectativas de longo prazo da organizao. 51/77 Tpico 2 Unid. 1 41
  • Slide 58
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas c) M qualidade das decises do executivo principal: se o executivo da empresa possuir excessiva confiabilidade no desempenho da empresa em lucratividade apenas por confiar nos relatrios oramentrios, pode tambm afetar a qualidade das decises realizadas pelo mesmo. 52/77 Tpico 2 Unid. 1 41
  • Slide 59
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas Se a competncia gerencial dos gestores baseia-se somente na lucratividade de sua respectiva empresa, podem surgir da erros srios de julgamento. O gestor precisa conhecer o mercado. 53/77 Tpico 2 Unid. 1 41
  • Slide 60
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas d) M qualidade da comunicao: quando se adota o estilo de gesto autoritria de liderana, podem surgir atitudes negativas contra os objetivos da organizao, levando falsificao dos resultados oramentrios e falta de boa vontade de transmitir informaes. 54/77 Tpico 2 Unid. 1 41
  • Slide 61
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas Quando um comportamento negativo prevalece numa organizao que pratica o modelo de administrao autoritria, pode acontecer que informaes necessrias para a tomada de deciso no sejam transmitidas adequadamente aos gestores, ou que nem sejam transmitidas. o popular salve-se quem puder ou vou cuidar do meu emprego. 55/77 Tpico 2 Unid. 1 42
  • Slide 62
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas e) Departamentos excessivamente centrados em si mesmos: esse tipo de tendncia de centralizao egosta obscurece a importncia do relacionamento entre todos os departamentos, sendo que muitas vezes o gestor esquece que o resultado global da empresa o resultado total de cada departamento individual. 56/77 Tpico 2 Unid. 1 42
  • Slide 63
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas f) Limitao iniciativa: o gestor acaba perdendo a livre iniciativa de tomar atitudes, criar, liderar e ter motivao. Os oramentos, muitas vezes, so camisas de fora que desencorajam os gestores de se desviarem das previses oramentrias, mesmo quando fatores internos ou externos da empresa podem indicar que aes individuais podem e devem ser desenvolvidas, para melhorar os resultados da empresa. 57/77 Tpico 2 Unid. 1 43
  • Slide 64
  • 9 Os Efeitos do Oramento nas Pessoas g) Desvios no Oramento: os gestores podem aumentar as expectativas das receitas e reduzir custos, quando estabelecem as metas oramentrias, e assegurar que sejam, mais facilmente atingidas. Desta forma, a introduo dos chamados desvios conscientes uma tentativa deliberada de assegurar que seu desempenho como gestor ser mais bem avaliado. 58/77 Tpico 2 Unid. 1 43
  • Slide 65
  • 10 Vantagens e Limitaes do Oramento O oramento auxilia na coordenao e sintonia das aes pertinentes s diferentes reas de acordo com os objetivos da empresa. As principais vantagens podem ser vistas nas pginas 43 e 44 da apostila. 59/77 Tpico 2 Unid. 1 43
  • Slide 66
  • 10 Vantagens e Limitaes do Oramento Da mesma forma, o oramento apresenta algumas limitaes, que podem ser vistas na pgina 45. 60/77 Tpico 2 Unid. 1 45
  • Slide 67
  • Implantao do Oramento Empresarial Tpico 3 61/77
  • Slide 68
  • 2 Plano Oramentrio Quando falamos em plano oramentrio, devemos estar atentos ao oramento e ao processo de gesto como ferramenta para direcionamento das atividades da empresa. Os gestores tambm devem compreender a utilidade das ferramentas oramentrias e implement-las. 62/77 Tpico 3 Unid. 1 49
  • Slide 69
  • 2 Plano Oramentrio 2.1 Oramento e Processo de Gesto Em um processo de gesto, a avaliao das reas de responsabilidades deve ser realizada em concordncia com os objetivos da empresa, sendo que estes objetivos devem atender s premissas do mercado. Por exemplo, se a empresa atua no ramo txtil, o objetivo desta empresa o atendimento do mercado neste segmento. 63/77 Tpico 3 Unid. 1 50
  • Slide 70
  • 2 Plano Oramentrio 2.1 Oramento e Processo de Gesto Imagine voc fazendo a previso de uma receita de recursos financeiros para a sua conta corrente pessoal. Voc, com certeza, planejar onde investir esse dinheiro. Caso isso no ocorra, ficar frustrado, j que havia uma expectativa de obter determinado resultado. 64/77 Tpico 3 Unid. 1 50
  • Slide 71
  • 2 Plano Oramentrio 2.1 Oramento e Processo de Gesto Em um processo decisrio descentralizado acontece a delegao de responsabilidade e autoridade. Isso se chama ACCOUNTABILITY, que consiste na obrigao que tm as pessoas envolvidas no processo decisrio e operacional de prestar contas dos resultados obtidos, em funo das suas responsabilidades vinculadas s suas funes que decorrem da delegao de poder. 65/77 Tpico 3 Unid. 1 51
  • Slide 72
  • 2 Plano Oramentrio 2.1 Oramento e Processo de Gesto Dentro dessa cadeia de accountability, a expectativa ser sempre atingir a gesto eficiente e eficaz dos negcios da empresa. Todos os envolvidos estaro engajados na consecuo dos objetivos e nas metas estabelecidas dentro de seu mbito de autoridade e responsabilidade. 66/77 Tpico 3 Unid. 1 51
  • Slide 73
  • 2 Plano Oramentrio 2.1 Oramento e Processo de Gesto No Quadro 1, na pgina 52, possvel observar a cadeia de accountability dentro do conceito de autoridade e responsabilidade. 67/77 Tpico 3 Unid. 1 52
  • Slide 74
  • 2 Plano Oramentrio 2.1 Oramento e Processo de Gesto Existem dois fatores importantes, que so a motivao e o empreendedorismo. A motivao tem relao com a satisfao pessoal e envolve diversos fatores, inclusive pessoais e familiares, durante a sua vida cotidiana. 68/77 Tpico 3 Unid. 1 53
  • Slide 75
  • 2 Plano Oramentrio 2.1 Oramento e Processo de Gesto A inovao a constante busca de novos valores profissionais e de resultados e est vinculada com o perfil empreendedor. No processo de gesto tem-se a necessidade de estar sempre inovando. 69/77 Tpico 3 Unid. 1 53
  • Slide 76
  • 2 Plano Oramentrio 2.2 Princpios Fundamentais do Sistema de Oramentos Como o processo oramentrio formado por pessoas, cada membro envolvido responde por diversos estmulos e necessidades que o prprio mercado estabelece e a empresa (sistema empresa) deve se adequar. 70/77 Tpico 3 Unid. 1 55
  • Slide 77
  • 2 Plano Oramentrio 2.2 Princpios Fundamentais do Sistema de Oramentos Existem alguns princpios fundamentais que refletem os oramentos e podem ser definidos da seguinte forma: a) Envolvimento dos gerentes; b) Adaptao organizacional; c) Contabilidade por reas de responsabilidade; 71/77 Tpico 3 Unid. 1 55
  • Slide 78
  • 2 Plano Oramentrio 2.2 Princpios Fundamentais do Sistema de Oramentos d) Orientao para objetivos; e) Comunicao integral; f) Expectativas realsticas; g) Oportunidade; h) Aplicao flexvel; i) Reconhecimento dos esforos individuais e de grupos; j) Acompanhamento. 72/77 Tpico 3 Unid. 1 56
  • Slide 79
  • 2 Plano Oramentrio 2.3 Criao de Novas Mentalidades Geralmente, nas empresas as atividades funcionam ao estilo top- down. Se as mudanas partem de cima, do topo da administrao, os demais funcionrios assimilam e acatam, mas no incorporam uma nova mentalidade. 73/77 Tpico 3 Unid. 1 57
  • Slide 80
  • 2 Plano Oramentrio 2.3 Criao de Novas Mentalidades fundamental ressaltar que no sero bem-sucedidas as mudanas propostas com as filosofias oramentrias se no ocorrer a incorporao de uma nova cultura oramentria. 74/77 Tpico 3 Unid. 1 57
  • Slide 81
  • 2 Plano Oramentrio 2.3 Criao de Novas Mentalidades A educao oramentria est voltada para atender necessidade de conscientizao, principalmente dos gestores, na mesma linha de comando, ou seja, conscientizar primeiramente a diretoria, ou no caso, a gerncia. 75/77 Tpico 3 Unid. 1 57
  • Slide 82
  • 2 Plano Oramentrio 2.4 Adequao do Sistema de Oramentos Estrutura Organizacional Para o sistema de oramento alcanar o sucesso na empresa e ser reconhecido como uma ferramenta til gesto de negcios importante que a empresa adote uma estrutura organizacional que seja de fcil visualizao em um organograma. 76/77 Tpico 3 Unid. 1 59
  • Slide 83
  • 2 Plano Oramentrio 2.4 Adequao do Sistema de Oramentos Estrutura Organizacional Os nveis de autoridade e responsabilidade devem apresentar-se na estrutura organizacional de forma simples, objetiva e permitir a identificao de quais so as pessoas responsveis em cada setor da empresa. Desta forma, torna-se mais acessvel o contato com os profissionais, alm de facilitar a comunicao interna. 77/77 Tpico 3 Unid. 1 59
  • Slide 84
  • Parabns!!! Terminamos a Unidade.
  • Slide 85
  • PRXIMA AULA: Oramento Empresarial 2 Encontro da Disciplina 1 Avaliao da Disciplina (Redao com Consulta)