operaأ§أ£o de migraأ§أ£o para o novo data center da celepar - autor 2016-08-16آ ...

Download Operaأ§أ£o de migraأ§أ£o para o novo data center da Celepar - Autor 2016-08-16آ  Baden-Powell (2000,

Post on 31-Jul-2020

0 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Título: As atividades escoteiras como ferramenta metodológica no ensino da Geografia

    Autor Rosa Hoepers Ferreira

    Disciplina/Área Geografia

    Escola de Implementação

    do Projeto e sua localização

    Colégio Estadual Pedro Macedo Ensino de 1º e 2º

    Graus. Avenida República Argentina, 2376 - Portão,

    Curitiba - PR, 80610-260 - Telefone: (0xx)41 3345-3993

    Município da escola Curitiba/PR

    Núcleo Regional de

    Educação

    Curitiba

    Professor Orientador Olga Lúcia Castreghini de Freitas Firkowski

    Instituição de Ensino

    Superior

    Universidade Federal do Paraná-UFPR

    Relação Interdisciplinar Todas as áreas de conhecimento

    Resumo

    A escola deve fazer uso de outras linguagens e de outras formas de

    expressão para procurar se aproximar mais da realidade dos

    educandos, utilizando variadas ferramentas de apoio pedagógico

    visando auxiliar no processo ensino-aprendizagem. A proposta do

    caderno pedagógico pretende através de um trabalho diferenciado,

    buscando por meio dos Princípios e Propósitos do Movimento

    Escoteiro, contribuir para inserir na escola e, em particular na

    disciplina de Geografia, práticas advindas do método escoteiro. O

    método escoteiro é formado por um conjunto de métodos

    educacionais, que buscam orientar o jovem a desenvolver suas

    capacidades, interesses, experiências e que considera um projeto

    para o seu futuro. O objetivo é aplicar o método escoteiro como

    facilitador através das atividades escoteiras agregadas a diversos

    conteúdos do currículo da disciplina de Geografia, na perspectiva de

    que os alunos fiquem mais interessados e passem a discutir

    assuntos com abordagem mais intensa.

    Palavras-chaves Palavra chave: método escoteiro; ensino e

    aprendizagem; movimento escoteiro; práticas educativas.

    Formato do Material

    Didático

    Unidade Didática/Caderno Pedagógico

    Público Alvo Professores de Geografia e demais disciplinas

  • 1.INTRODUÇÃO

    Este trabalho se apresenta como um Caderno Pedagógico, proposto pelo

    Programa de Desenvolvimento Educacional da Secretaria de Educação do

    Estado do Paraná (PDE), turma 2012-2013, vinculado a Universidade Federal

    do Paraná, Departamento de Geografia, e será o material utilizado durante o

    processo de implementação do Projeto de Intervenção Pedagógica, realizado

    no Colégio Estadual Pedro Macedo Ensino de 1º e 2º Graus, em Curitiba, tendo

    o Titulo “As atividades escoteiras como ferramenta metodológica no ensino da

    Geografia”, e o Tema “O escotismo como ferramenta facilitadora no processo

    ensino-aprendizagem para a formação integral do aluno”.

    As atividades deste Caderno Pedagógico estão voltadas para o profissional da

    educação, mas a intenção é que, a partir da aplicação das mesmas, seus

    efeitos cheguem aos alunos, através da melhoria do trabalho docente.

    Pretende-se mobilizar os professores, a refletir sobre seu verdadeiro papel no

    processo educativo, de forma articulada e compromissada com a qualidade do

    ensino na escola pública.

    Sabe-se que a escola tem a função principal de formar cidadãos críticos,

    competentes com perspectivas de fazer com que os alunos possam ter

    liberdade de construir seu próprio conhecimento. Nesse sentido, a utilização do

    método escoteiro com seus desafios, vem ao encontro dessa perspectiva, para

    propor a construção de uma escola onde professor-aluno caminhe sempre

    junto para que possam buscar novos conhecimentos, ajudando-os no seu

    próprio crescimento, tornando-se sujeitos competentes e que estão sempre em

    busca de algo para si.

    A relevância destes apontamentos determina-se na asserção de que na

    educação não formal, presente no Movimento Escoteiro, existe um

    complemento educacional favorecendo o diálogo entre a formalidade e a

    informalidade pedagógica enquanto difusão de práticas que contribuem para a

    compreensão de diferentes situações e contextos no processo de ensino-

    aprendizagem e para a formação do cidadão.

    Segundo a União dos Escoteiros do Brasil - UEB (2000, p. 14)

  • O Programa Escoteiro tem um propósito bastante estimulador de quebra de paradigmas na formação de jovens, enquanto contribuição para que este jovem assuma o seu próprio desenvolvimento, seja do caráter, do físico, intelectual ou social, incentivando-o a realizar suas plenas potencialidades como sujeitos responsáveis, participantes e úteis, conforme definição do Proposito Educativo da União dos

    Escoteiros do Brasil.

    A necessidade de redimensionar os olhares pedagógicos para o

    processo educacional, passando pelo reconhecimento de um trabalho

    diferenciado, busca nos princípios e propósitos do Movimento Escoteiro um

    aprimoramento no processo de ensino e aprendizagem.

    Segundo Ávila:

    [...] O escotismo é, essencialmente, método educacional e forma de vida. [...] com milhões de adeptos em todo o mundo, o escotismo continua em plena expansão, apesar das duas guerras mundiais e da violenta hostilidade que sofreu dos governos totalitários. Seu valor educativo, demonstrado nestes decênios, estriba-se essencialmente no seu realismo sadio, tomando o menino e o rapaz, tais quais eles são e no seu idealismo sincero, apresentando como metas o domínio de si mesmo e a dedicação aos outros, através de uma vida simples e plena de contato com a natureza (ÁVILA, 1967, p. 196-197).

    A educação é um ato de busca, de interação, de troca e de apropriação

    de conhecimentos, e esta é sustentada por um tripé que consiste na escola,

    nos educadores e nos alunos.

    Como afirma Almeida (1998, p.13): “A nós, educadores, cabe o

    compromisso de garantir a educação do aluno”.

    Entretanto ensinar não é apenas transmitir um conteúdo, tornando o aluno um

    agente passivo da aprendizagem e o professor um transmissor. Os educandos,

    ao iniciarem a vida acadêmica, possuem um conhecimento a priori, não são

    apenas “caixas vazias” no qual cabe ao professor “enchê-las” de conceitos e

    matérias; este então se torna o grande desafio do educador: aproveitar os

    conhecimentos prévios dos alunos e utilizá-los como alicerces para a

    construção de novos conceitos (FREIRE, 1987).

    Faz-se necessário que a Escola, apesar dos inúmeros obstáculos que

    dificultam práticas educativas verdadeiras, busque alternativas para tornar o

    processo de ensino-aprendizagem mais interessante, acessível e efetivo, para

    que os alunos possam participar e aprender mais.

    A Escola deve fazer uso de outras linguagens e de outras formas de expressão

    para procurar se aproximar mais da realidade dos educandos, sobretudo num

    mundo em acelarada transasformação como o atual.

  • A Escola é também o espaço onde a criança ou o jovem pode exercitar a

    autonomia e conviver com as diversidades culturais e étnicas, ações

    fundamentais para o reconhecimento dos direitos e deveres exigidos pela vida

    em sociedade.

    Com efeito, pensar em educação de forma sistemática e com a

    participação da sociedade são elementos decisivos para a sua qualidade. É

    dentro deste escopo que se situa a proposta do Movimento Escoteiro,

    enquanto contribuição para a melhoria da qualidade da educação, da inclusão

    social e da construção de numa cultura de paz no caminhar para a educação

    integral, onde os arranjos pedagógicos se apresentam com maior flexibilidade

    na busca por alternativas que possam reforçar a melhoria da qualidade

    educacional.

    2 - MOVIMENTO ESCOTEIRO - GEOGRAFIA EM DESTAQUE

    A Geografia é uma ciência rica em seu conteúdo, sendo o espaço

    geográfico seu campo de abrangência. Assim, cabe aos educadores

    aprimorarem suas formas de ensinar, a fim de satisfazer os anseios dos

    alunos.

    Nota-se a existência de possibilidade de aplicação de atividades

    escoteiras agregadas a diversos conteúdos do currículo da disciplina de

    Geografia onde a aprendizagem é percebida de forma mais eficiente, nas

    perspectivas em que os alunos ficam mais interessados e passam a discutir

    assuntos com abordagem mais intensa.

    Baden-Powell (2000, p.31) aponta que o escotismo oferece aos jovens

    um sistema de jogos e práticas que correspondem a seus desejos, instintos e

    aspirações e que são ao mesmo tempo, educativos.

    Segundo Kimura “a Geografia constitui-se em um campo fértil de

    oportunidades para experimentar de maneira muito rica e estimulante várias

    habilidades e, desta forma, possibilitar ao aluno desenvolver competências

    criativas de percepção e cognição a serem incorporadas ao seu crescimento”.

    (KIMURA, 2001, p. 26).

    A proposta do Movimento Escoteiro pretende contribuir para a melhoria

    da qualidade das aulas de Geografia, onde os arranjos pedagógicos se

  • apresentam com maior flexibilidade na busca por alternativas que possam

    reforçar a melhoria

Recommended

View more >