omar khayyam

Download Omar khayyam

Post on 09-Jul-2015

283 views

Category:

Education

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Biografia de Omar khayyam

TRANSCRIPT

  • 18/05/1048. 04/12/1131

  • O Cenrio onde viveu Omar KhayyamOs historiadores ocidentais designam como Imprio Persa os sucessivos Estados surgidos no territrio do que hoje o Ir, governados por diversas dinastias (persas ou estrangeiras) ao longo do tempo. Em geral, considera-se como o primeiro "Imprio Persa" o Imprio Aquemnida (648-330 a.C.), estabelecido por Ciro, o Grande, com origem na regio chamada Parsa (hoje a provncia iraniana de Fars), no Ir.O Planalto Iraniano foi ocupado pela civilizao elamita em 2 700 a.C., cuja capital era a cidade de Anshan e, posteriormente, Susa. Os elamitas controlavam a poro ocidental da regio da Cordilheira de Zagros desde fronteira entre a Turquia estendendo-se pelo Planalto Iraniano.A cultura elamita desempenhou um papel essencial no posterior Imprio Persa, durante o perodo aquemnida, que manteve a lngua elamita como idioma oficial. A civilizao elamita tradicionalmente considerada o ponto inicial da histria do Imprio Persa e, em decorrncia, do Ir que significa terra dos arianos.

    Imprio Corsmio /Khorassn Ciro

  • Durante o perodo aquemnida, o zoroastrismo, fundado por Zoroastro, tornou-se a religio dos governantes e da maior parte dos povos da Prsia.O zoroastrismo e seus lderes msticos, os magi, viriam a ser um elemento que fixou a cultura persa. Uma religio dualista que admitia a existncia de duas divindades independentes, hostis e opostas: Ormuz-Mazda (o Bem) e Arim ( o Mal). Com a fuso entre as crenas populares e os ensinamentos de Zoroastro surgiu o Masdeismo.Os princpios do zoroastrismo foram reunidos num livro, o Zend (comentrio)-Avesta organizado por Zoroastro ou Zaratustra. Com excelentes normas de moral e pensamentos que influenciaram o judasmo e o cristianismo.Embora alguns generais turcos j tivessem alcanado um poder considervel na Mesopotmia e no Egito, durante os sculos X e XI, a chegada dos seljcidas assinalou a penetrao em grande escala dos turcos no Oriente Mdio.

    Imprio AquemnidaBaixo relevo em cermica esmaltada do disco solar de Ahura Mazda (sculo VI ac) Susa - Ir

  • Descendendo de uma tribo nmade liderada por Seljuque, cujas terras ficavam alm do rio Oxus, prximo ao mar Aral, os seljcidas desenvolveram um exrcito poderoso, e atravs dos contatos mais estreitos com a vida da corte na Prsia, no Corassan e na Transoxiana, conseguiram atrair uma equipe de administradores capazes. Essa regio o bero dos povos arianos que se espalharam pela Europa.

    Estendendo-se desde a sia Central at a sia Menor, os governos de seus trs primeiros sultes; Tughril Beg, Alp-Arslan e Malik-Shah, fundaram um estado sunita bem administrado, sob a autoridade nominal dos califas abssidas de Bagd que em750 DC e passaram a governar o Califado desde Bagd. O fundador da dinastia foi Abu al-Abaz, descendente de Abaz, tio de Maom.Um dos administradores, o persa Nizam-al-Mulk, tornou-se um dos maiores estadistas do Islam medieval. Por vinte anos, principalmente durante o governo do sulto Malik-Shah, ele foi o verdadeiro protetor do estado seljcida.

  • Os turcos seljcidas se instalaram perto de Bucara no final dos anos 900. Alguns desses guerreiros partiram para a conquista de novas terras mais ao ocidente.

    Em 1071, Alp Arslan conduziu os seus homens para a Armnia, onde foi atacado por um exrcito bizantino sob o comando do imperador Romano Digenes IV, o que se provou fatal para os Bizantinos. Os Turcos fingiram fugir, cercaram os inimigos e derrotaram-nos, capturando o imperador que acabou por ser libertado aps pagamento de resgate.

    A batalha acabou com o poderio bizantino na sia Menor e os Seljcidas avanaram fundando o que viria a ser o Imprio Turco. Sob o governo de Malik-Shah (X Malik) (1055-1092), os Seljcidas atingiram o auge.

  • O mundo islmico foi abalado pela invaso dos turcos seljcidas que fundaram um enorme imprio no Oriente Mdio que deu continuidade ao florescimento da cultura islmica medieval: construiu-se a Mesquita da Sexta-Feira em Ispao; Omar Khayyam, o poeta persa mais famoso de todos os tempos, escreveu nos Rubayat a sua poesia de amor.A conquista rabe transformou radicalmente a vida na Prsia. O rabe tornou-se a nova lngua franca, e o Isl rapidamente substituiu o zoroastrismo; construram-se mesquitas. Novas lngua, religio e cultura foram acrescentadas ao meio cultural persa. Durante aquela poca, e devido ao vasto alcance do Imprio rabe, muitos cientistas persas viriam a exercer impacto direto sobre o Renascimento europeu, sculos depois.No incio do sculo XIII, os seljcidas perderam o controle da Prsia para outro grupo turco, proveniente da Corsmia (ou Karezm), prximo ao Mar de Aral. Os xs do Imprio Corsmio governaram por pouco tempo pois entraram em confronto com o mais temido conquistador da histria: Gengis Khan numa poca de conflito (1207) quando viveu Rumi e (1325) Hafiz.

  • Omar Khayyam, filsofo, mdico, poeta, matemtico, astrnomo e pensador livre, nascido na cidade de Nishapur nordeste da Prsia, no Khorassn (atual Afeganisto), em 18 de maio de 1048.Seu nome completo era Ghiyath Al Din Abul Fateh Omar Ibn Ibrahim Al Khayyam, ficou conhecido por Omar Khayyam, em persa, Omar o fabricante de tendas, nome adotado em memria do pai que era fabricante de tendas.Passou a maior parte de sua vida nos centros intelectuais persas, como Samarcanda e Bucara, atual Uzbequisto, antigamente integrado ao imprio Persa dos Aquemnidas e onde a cultura persa foi preservada at hoje e onde gozou da simpatia dos sultes seljcidas que governavam a regio.Era famoso em sua poca, ainda que em vrios momentos perseguidos pelos poderosos, que afrontava com suas poesias e escritos, considerados subversivos para a poca. Vivia cada dia como se fosse o ltimo, cultuando as mulheres e os prazeres da vida, especialmente o vinho. Com uma poesia irreverente, no negava diretamente a sua f, mas deixava dvidas e em alguns momentos sabia contest-las como ningum.

  • Famoso em vida como o matemtico e astrnomo essa reputao provavelmente serviu para eclipsar seu talento para a poesia. Calculou como corrigir o calendrio persa atravs de um calendrio solar mais preciso do que o calendrio gregoriano em uso atualmente, desenvolvido a pedido do sulto seljcidas Malik Shah Jalal al-Din, para organizar a coleta de impostos, em 1074. Seu calendrio tinha uma margem de erro de um dia a cada 3770 anos, enquanto que o gregoriano tem um erro de um dia a cada 3330 anos. Se levarmos em conta esta medida ter sido feita em plena Idade Mdia e sem os avanados recursos da tecnologia atual, este valor mostra uma incrvel preciso em relao aos valores atualmente conhecidos. 365,242190 dias visto que calculou um espao de tempo muito grande com seis dgitos depois da vrgula e seu calendrio ainda utilizado em algumas partes do Ir e do Afeganisto (local onde preservou-se a lngua fars e cultura antigas). Era diretor do Observatrio de Merv, quando fez a reforma do calendrio muulmano, alm de numerosas tabelas astronmicas.

  • Sua classificao das equaes algbricas foi fundamental para o progresso da lgebra como uma cincia, da mesma forma que sua obra sobre a teoria das linhas paralelas foi importante para a geometria.Contribuiu em lgebra com o mtodo para resolver equaes cbicas pela interseco de uma parbola por um crculo, que viria a ser retomada sculos depois por Descartes.Dos seus livros de cincia chegaram at ns o Tratado de Algumas Dificuldades das Definies de Euclides e as Demonstraes dos problemas de lgebra.Escreveu dez livros e trinta monografias . Estes incluem quatro livros em matemtica, um em lgebra, um em geometria, trs em fsicas, e trs livros em metafsicas.Fez grandes contribuies no desenvolvimento de matemtica e geometria analtica que beneficiaram a Europa depois vrios sculos.

  • Em seu livro de lgebra, khayyam se refere a outros trabalhos seus que, infelizmente, esto hoje perdidos.

    Nestes trabalhos ele discutia o Tringulo de Pascal, embora j tivesse sido feito pelos Chineses.

    A lgebra de khayyam de natureza geomtrica, tendo resolvido equaes lineares e quadrticas por mtodos que esto presentes na Geometria de Euclides.Descobriu um mtodo para resoluo de equaes cbicas, por meio da interseco de uma parbola com um crculo , em parte descrito por outros autores como Abud al-Jud.

  • Tratado de Demonstrao de Problemas de lgebra (1070)

    Pela ajuda de Deus e com a ajuda preciosa dele, digo eu que a lgebra uma arte cientfica. Os objetos com que ela transaciona so nmeros absolutos e quantidades mensurveis que, entretanto eles sendo desconhecidos, so relacionados a coisas que so conhecidas, sendo que a determinao das quantidades desconhecidas possvel. Tal coisa ou uma quantidade ou uma relao sem igual que s determinada atravs de exame cuidadoso. Nas procuras da arte algbrica esto as relaes das quais conduzem o conhecido ao desconhecido, descobrir que o objeto de lgebra como declarado acima. A perfeio desta arte consiste em conhecimento do mtodo cientfico por qual determina os desconhecidos numricos e geomtricos.

    A matemtica aplicada para encontrar a distancia mais curta entre dois ponto na esfera facilitou a navegao, aliada a astronomia.O conhecimento era necessrio para a construo de mesquitas voltadas para Meca.

  • Khayyam contribuiu com importantes resultados no estudo das relaes e razes entre raios na Geometria de Euclides, incluindo o problema de sua multiplicao. Omar Khayyam escreveu um grande nmero de livros e monografias nestes campos citados acima. Fora estes, 10 livros e trinta monografias foram identificadas. Destes, 4 dedicados a matemtica, 3 a fsica, 3 a metafsica, 1 a lgebra e 1 a geometria.Sua fama como poeta, no ocidente, existe desde 1839, com a traduo de Edward Fitzgerald, para o ingls de seu livro Rubayat (plural da palavra persa rubai), que significa quadras, quartetos, e publicado em 1859, embora seus trabalhos em lgebra tenham sido