O Uso do Nim no Caf e em outras Culturas - iapar.br ?· Diversas pragas do cafeeiro, como o bicho-mineiro,…

Download O Uso do Nim no Caf e em outras Culturas - iapar.br ?· Diversas pragas do cafeeiro, como o bicho-mineiro,…

Post on 18-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Revista Agroecologia Hoje, n. 4., p. 13-14, 2003. </p><p> O Uso do Nim no Caf e em outras Culturas </p><p>por SUELI SOUZA MARTINEZ </p><p>A rvore nim, ou Azadirachta indica, pertence famlia Meliaceae, que apresenta diversas espcies com </p><p>ao inseticida e repelente, como a santa-brbara e a triqulia. Seu principal composto, a azadiractina, encontra-se </p><p>principalmente nos frutos, embora todas as partes da planta possuam compostos txicos aos insetos. </p><p>Todos os inseticidas naturais de nim so produzidos por extrao da planta e so biodegradveis, portanto </p><p>no deixam resduos txicos nem contaminam o ambiente. Possuem ao repelente, anti-alimentar, reguladora de </p><p>crescimento e inseticida, alm de acaricida, fungicida e nematici-da. Por sua natureza, os extratos de nim so </p><p>mundialmente aprovados para uso em cultivos orgnicos. Alm do efeito inseticida as folhas e frutos tm diversos </p><p>usos, podendo ser usados em produtos medicinais, ou como anti-sptico, curativo ou vermfugo; e no preparo de </p><p>sabes medicinais, cremes e pastas dentais.Tem ao tambm contra piolhos e carrapatos. A rvore usada </p><p>para sombra e possui madeira de qualidade para a produo de mveis, construo, batentes e portas, caixas e </p><p>caixotes, lenha, carvo, etc. </p><p>0 nim possui mais de trinta compostos txicos em sua </p><p>composio, com ao semelhante, sendo o mais potente a azadiractina. </p><p>Esses compostos tm ao inseticida e afetam o desenvolvimento de </p><p>muitos insetos de diferentes modos. So semelhantes ao hormnio da </p><p>ecdise, que provoca a troca da pele, ou esqueleto externo do inseto e, </p><p>portanto, permite seu crescimento. Assim, quando presentes no corpo do </p><p>inseto, os compostos perturbam a produo desse hormnio, prejudican-</p><p>do a troca de pele e provocando deformidades nos insetos. Em altas </p><p>concentraes podem interromper ou impedir totalmente a troca de pele, </p><p>causando a morte do inseto. Por essa razo, as formas jovens de insetos </p><p>so mais sensveis aos extratos de nim e, portanto, mais fceis de </p><p>controlar. Os extratos no causam a morte do inseto imediatamente, </p><p>dado o seu efeito fisiolgico, porm reduzem o consumo de alimento, retardam o desenvolvimento do inseto, </p><p>repelem os adultos e reduzem o nmero de ovos nas reas tratadas.Tambm tm maior ao por ingesto, de </p><p>modo que os insetos mastigadores so mais facilmente afetados. </p><p>Para o controle de pragas pode-se utilizar tanto o leo das sementes quanto os extratos preparados pela </p><p>triturao dos frutos ou das folhas em gua. A eficincia dos extratos de frutos e folhas vantajosa, pois permite </p><p>ao agricultor produzir seu prprio inseticida. No caso das folhas, possibilita o uso do nim nas pocas ou regies </p><p>em que os frutos no ocorrem. Embora as folhas no contenham azadiractina, outros compostos semelhantes </p><p>esto presentes, normalmente exigindo concentraes um pouco mais altas. </p><p>De modo geral, o leo emulsionvel de nim, a 5 ml/l gua, pode controlar bem os insetos mastigadores, </p><p>especialmente as lagartas, em vrias culturas. Extratos de sementes a 5 g/l gua e folhas a 10g/l gua tambm </p><p>podem reduzir drasticamente a populao de lagartas. Outros insetos, como os pulges e percevejos, que so </p><p>sugadores, exigem doses um pouco mais altas, como 10 ml de leo emulsionvel /l gua. Ainda so necessrios </p><p>mais estudos para se determinar as doses exatas para controle das muitas espcies de pragas das lavouras. </p><p>Diversas pragas do cafeeiro, como o bicho-mineiro, a broca-do-caf, a cochonilha branca, a mosca-das-</p><p>frutas e o caro-da-leprose, mostraram-se sensveis ao do nim em laboratrio. A pulverizao do leo </p><p>emulsionvel (dose acima de 1,25 ml/L gua) ou de extratos de sementes (acima de 15 g/l gua) ou de extratos </p></li><li><p>Revista Agroecologia Hoje, n. 4., p. 13-14, 2003. </p><p>de folhas (acima de 40 g/L gua) sobre folhas de caf reduziu cerca de 50% o nmero de ovos colocados pelo </p><p>bicho-mineiro, minador de folhas. 0 leo emulsionvel </p><p>tambm causou mortalidade dos ovos depositados. A </p><p>pulverizao do leo emulsionvel a 10 ml/l gua </p><p>tambm causou a mortalidade das lagartas minadoras </p><p>(Fig. 1), reduzindo as reas minadas. Alm disso, </p><p>algumas lagartas apresentaram deformidades e no </p><p>conseguiram produzir puprio para se abrigar, </p><p>prejudicando seu completo desenvolvimento. </p><p>0 leo emulsionvel a 5 ml/l gua, pulverizado </p><p>sobre ninfas e adultos do caro-da-leprose, causou cerca </p><p>de 67% de mortalidade. Adultos de mosca-das-frutas </p><p>alimentados com iscas contendo 1% de leo emulsionvel de nim tiveram fertilidade e fecundidade reduzidas, ou </p><p>seja, menor nmero de ovos postos e germinao mais baixa dos ovos postos, reduzindo a populao seguinte. O </p><p>dano causado pela broca-do-caf tambm pode ser reduzido com a ao do nim. A pulverizao de leo </p><p>emulsionvel a 10 ml/l gua sobre os frutos reduziu o nmero de brocas vivas e de frutos brocados. A </p><p>pulverizao de extratos de frutos e folhas tambm causou reduo do nmero de frutos brocados. Frutos a 20 g e </p><p>40 g/l gua causaram 40% e 70% de reduo. Folhas a 15 g /l gua causaram 40% de reduo e a 150 g/l gua, </p><p>causaram 60% de reduo dos frutos brocados. </p><p>Quando pulverizado sobre a cochonilha branca, o leo emulsionvel de nim causou repelncia, inativao </p><p>dos indivduos, com posterior mortalidade. Em consequncia, reduziu e atrasou o desenvolvimento de novas </p><p>geraes. A concentrao de 4,5 ml/1 gua causou cerca de 95% de mortalidade. </p><p> Preparo de Extratos </p><p>A planta se desenvolve bem a temperaturas acima de 20C, em solos bem drenados, no cidos e altitudes </p><p>de preferncia abaixo de 700 m. Nessas condies, pode iniciar a produo de frutos em cerca de dois anos, </p><p>podendo atingir 10 kg de semente seca/planta, sendo que cada quilograma de sementes secas contm aproxima-</p><p>damente 3000 sementes. As sementes devem ser plantadas o mais rpido possvel, dado que o poder </p><p>germinativo, de cerca de 80%, se reduz em cerca de dois meses a praticamente zero. Sementes mantidas em </p><p>geladeira podem manter o poder germinativo por mais tempo. </p><p>Para se armazenar sementes para preparar o extrato posteriormente, os frutos (Fig. 2) devem ser colhidos, </p><p>secos ao sol por dois a trs dias, e mais uns dois dias sombra e despolpados manualmente em gua ou </p><p>utilizando-se mquina despolpadora. Deixar secar bem e armazenar, de preferncia baixa temperatura. </p><p>Os extratos podem ser preparados com a simples triturao das sementes ou frutos frescos, em gua, </p><p>deixando-se a mistura descansar por 12 horas, filtrando-se o lquido e pulverizando-se sobre as reas infestadas </p><p>na diluio necessria. O mesmo procedimento pode ser usado para folhas, frescas ou secas, embora a </p><p>azadiractina a ocorra em menor concentrao. </p><p>0 leo inseticida extrado pela prensagem das sementes, obtendo-se no mximo 47% de leo, que </p><p>contm cerca de 10% da azadiractina existente no fruto. A torta restante , pois, muito rica em azadiractina, tem </p><p>efeito nematicida e serve como adubo orgnico. Pode, tambm, ser secada e utilizada posteriormente para </p><p>preparo-de extratos inseticidas, em mistura com gua e filtrao. </p></li></ul>

Recommended

View more >