O RITO DA PRIMAVERA VISÕES DA NATUREZA NA ARTE MODERNISTA.

Download O RITO DA PRIMAVERA VISÕES DA NATUREZA NA ARTE MODERNISTA.

Post on 17-Apr-2015

104 views

Category:

Documents

1 download

TRANSCRIPT

<ul><li> Slide 1 </li> <li> O RITO DA PRIMAVERA VISES DA NATUREZA NA ARTE MODERNISTA </li> <li> Slide 2 </li> <li> Slide 3 </li> <li> Slide 4 </li> <li> BELL 1. Por que razo a forma significante nos comove (move us) esteticamente? No uma questo esttica, mas metafsica. 2. O artista sente pela beleza material (material beauty) o que ns sentimos pela obra de arte. Deste modo, o artista apreende um objecto material como pura forma. </li> <li> Slide 5 </li> <li> BELL 3. Um objecto de inspirao artstica no perspectivado como meio, mas como fim em si mesmo. Percepcionar os objectos como puras formas v-los em si mesmos. 4. Os objectos percepcionados como fins em si mesmos suscitam uma enorme emoo que nunca sentiramos se eles fossem perspectivados como meios. A contemplao da forma pura conduz a um estado de exaltao e de completa distncia em relao s preocupaes da vida. </li> <li> Slide 6 </li> <li> BELL 5. Por que razo a percepo do fim em si mesmo proporciona uma emoo peculiar? Ser que acedemos ao que se chama coisa em si ou realidade ltima? 6. Se esta hiptese for verdadeira, a forma significante poder ser o modo atravs da qual apreendemos a realidade ltima. Em vez de se reconhecer o carcter acidental e condicionado de algo, apreendemos a sua realidade essencial, o seu ritmo, a sua significao individual. </li> <li> Slide 7 </li> <li> BELL 7. A tese metafsica mera hiptese. Poder-se-ia usar, em vez de realidade, palavras mais simples como, por exemplo, o ritmo que perpassa a nossa experincia. Deste modo, o objecto ltimo da emoo artstica permanecer para sempre incerto. </li> <li> Slide 8 </li> <li> BELL 8. Na sua relao com a forma ou com a realidade, muito artistas precisam de canalizar a sua energia para a resoluo de um problema, mais do que estarem preocupados com a correco (right) esttica. Os problemas artsticos no se referem primordialmente obteno da semelhana, mas esto associados a um tipo especfico de emoo sentido pela realidade atravs da forma. Se a semelhana fosse um critrio a obra de Shakespeare seria inferior de John Galsworthy. </li> <li> Slide 9 </li> <li> BELL 9. Os problemas imediatos do artistas podem ser o acto de se expressar a si mesmo no interior de um quadrado, de um crculo ou de um cubo, de obter determinadas harmonias, de reconciliar certas dissonncias, de obter certos ritmos, de superar certas dificuldades do seu meio de expresso e de captar eventualmente uma semelhana. </li> </ul>

Recommended

View more >