o papel das construtoras no cumprimento da norma de ... o papel das construtoras no cumprimento da...

Download O papel das construtoras no cumprimento da Norma de ... O papel das construtoras no cumprimento da Norma

Post on 01-Aug-2020

0 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Escritório Central São Paulo, SP: Rua das Rosas, 300 – Mirandópolis São Paulo, SP – CEP:04048-000 ckc@ckc.com.br

    AEAPG

    O papel das construtoras no cumprimento da Norma de Desempenho

    (NBR15.575) para requisitos de proteção passiva contra incêndio

    10/04/19 Goiânia, GO

  •  Fundada em 28/set/2017

     Lista com 250+ empresas já mapeadas e convidadas (12 categorias diferentes)

     Preocupação em ser ampla e democrática

     Sem fins lucrativos, orientada a elevar o nível técnico da Prevenção e Segurança Contra Incêndio, através de medidas de proteção passiva contra incêndio

     Aberta a qualquer categoria e classe que tenha algum envolvimento com Proteção Passiva Contra Incêndio

  • Estrutura ABPP Diretoria Executiva e assistente

     Rogerio Lin (CKC do Brasil) – Diretor-Presidente

     Roberto Ramos (STI Firestop) – Diretor Vice-Presidente

     Paulo Penna Moraes (Vetrotech-Saint-Gobain) – Diretor Financeiro

     Vitor Augusto Moraes Carvalho – Atendimento ABPP

  • Diretorias e CTs ABPP

     Francieli Lucchetti (Promat) – Coordenadora CT de Compartimentação e Firestop

     Silvio Piga (Maker Engenharia) – Coordenador CT Segurança das Estruturas

     Jeffery Lin (CKC do Brasil) – Coordenador CT de Controle de Materiais de Acabamento e Revestimento (CMAR) e Diretor de Desenvolvimento da ABPP

     Hamilton Coelho Servare – Diretor de Pesquisa da ABPP

     Profa. Carla Costa – Diretora de Relações Institucionais da ABPP

  • Classes de Associados • Membro Mantenedor Master • Membro Mantenedor • Seguradoras • Laboratórios / Certificadoras • Fabricantes • Distribuidores • Construtoras/Incorporadoras • Instaladores/Aplicadores • Projetistas/Consultores • Instituições de Ensino • Outras Empresas • Estudantes • Associações de Classe • Membro Honorário

  • Website: abpp.org.br

  • FAÇA PARTE DESTA MUDANÇA!

  • • 250 participantes • 2 dias • 12 palestrantes • 4 painéis de debate

  • Membros Honorários

    Nossos Mentores

    Marcelo Lima Antônio Fernando Berto Rosaria Ono

    Silvio Bento Cássio Roberto Armani Valdir Pignatta e Silva

  • CTs Comitês Técnicos

    Compartimentação e Selagem Corta-Fogo (Firestop)

    Segurança das Estruturas em Situação de Incêndio

    CMAR

  • CTs Comitês Técnicos

    Selagem Corta-Fogo

    (Firestop)

    Segurança das Estruturas em Situação de Incêndio

    CMAR

    Compartimentação

    Uma dúvida sua pode salvar vidas!

    Consulte-nos:

    atendimento@abpp.org.br

    Portas Corta-Fogo e Acessórios

    Sinalização e

    Saídas de Emergência

  • 12

    ATIVA PASSIVA

    Medidas que dependem de uma

    ativação (automática ou manual) com o

    objetivo de extinguir ou reduzir o risco

    potencial de um incêndio estabelecido

    em uma edificação.

    Medidas incorporadas a uma edificação

    capazes de limitar a rápida propagação

    do fogo e da fumaça, confinar o

    incêndio em compartimentos e proteger

    as estruturas do colapso em situação de

    incêndio.

    COMPARTIMENTAÇÃO

    REVESTIMENTO ESTRUTURAL

    CMAR

    SAÍDAS DE EMERGÊNCIA CHUVEIROS

    AUTOMÁTICOS

    DETECÇÃO DE INCÊNDIO LUZES DE EMERGÊNCIA

    EXTINTORES

    SINALIZAÇÃOEXTRAÇÃO DE FUMAÇA

  • 13

    ATIVA PASSIVA

    OBJETIVO:

    Proteger a vida dos ocupantes Reduzir ao máximo a propagação do incêndio

    Auxiliar as operações de resgate e combate Proteger o patrimônio

    COMPARTIMENTAÇÃO

    REVESTIMENTO ESTRUTURAL

    CMAR

    SAÍDAS DE EMERGÊNCIACHUVEIROS AUTOMÁTICOS

    DETECÇÃO DE INCÊNDIO LUZES DE EMERGÊNCIA

    EXTINTORES

    +

    SINALIZAÇÃOEXTRAÇÃO DE FUMAÇA

    CORTINAS AUTOMATIZADAS

    PORTAS AUTOMATIZADAS

    DAMPER CORTA-FOGO

  • Controle de

    Materiais de

    Acabamento e

    Revestimento

  • Curva de Temperatura x Tempo – Incêndio Padrão

    15

  • 17

    RESISTÊNCIA AO FOGO

    REAÇÃO AO FOGO

    X

  • REAÇÃO AO FOGO

    Avalia o COMPORTAMENTO de um determinado material/sistema perante o fogo, devendo sempre avaliar dois requisitos:

    Propagação das chamas

    NBR 9442 BS 476 Parte 6&7 EN 13823 (SBI) EN 11925-2 NBR 8660

    Emissão de fumaça

    ASTM E 662 EN 13823 (SBI)

    Propagação das chamas

    Emissão de fumaça+

  • RESISTÊNCIA AO FOGO O sistema é testado no quesito TEMPO.

    Aplicáveis a elementos estruturais e compartimentações.

    ASTM E119 BS 476 Parte 22 NBR 6479 NBR10.636 NBR 5628

  • Museu da Língua Portuguesa - São Paulo - Brasil (2015)

  • Museu da Língua Portuguesa - São Paulo - Brasil (2015)

  • 22

    IT-10 do CBMESP

  • 23

    Tabela A.2 – IT-10

  • Tecidos e CarpetesMadeira Fibra Natural / Lonas

    Verniz retardante Tinta intumescente Solução retardante

    Onde: Forros, Mezaninos, Escadas, Portas.

    Solução retardante Manta intumescente

    Onde: Telhados de piaçava Quiosques de piaçava Fibras de decoração Lonas vinílicas e plásticas

    Solução retardante

    Onde: Tecidos e fibras sintéticas de poliéster, lycra, nylon para eventos e decoração

    24

    Fibras Vidro/Celulósica Forro PVC

    Tinta intumescente Solução retardante

    Onde: Parques temáticos, Forros acústicos, obras de arte, forro de PVC.

  • Verifica:

    1) Índice de Propagação de chamas por método do painel radiante (resultado do fator de propagação e evolução de calor). Segundo normativa este Ip < 25

    Corpos de prova: 150mm x 460mm

    Verifica:

    1) Densidade óptica, através da câmara fechada é possível mensurar a densidade óptica pelo feixe de luz que se atenua conforme a queima e emissão da fumaça. O resultado é interpretado como Dm, que segundo normativa, não pode atingir Dm > 450

    Corpos de prova: 75 mm x 75mm

    CONTROLE DE MATERIAIS DE ACABAMENTO E REVESTIMENTO

    ASTM E 662NBR 9442 (ASTM E162)

    EXIGÊNCIAS MATERIAIS GERAIS

  • Verifica:

    1) Propagação superficial das chamas em teste horizontal, simulando piso.

    Corpos de prova: 115cm x 32cm

    CHF>8Kw/m²

    CONTROLE DE MATERIAIS DE ACABAMENTO E REVESTIMENTO

    NBR 8660

    EXIGÊNCIAS MATERIAIS GERAIS

  • Notas Genéricas – IT-10

  • 28

    NBR 16.626

  • VOC

  • Compartimentação

  • Compartimentação horizontal NBR 6479 - Porta e vedadores – Determinação do tempo de resistência ao fogo

    31

    PORTAS COMUMS EM MADEIRA NÃO RESISTEM AO FOGO

  • IT-43 – Adaptação às normas de segurança contra incêndio – edificações existentes

    32

  • IT-09 – Compartimentação Vertical e Horizontal

    33

  • Tiras Intumescentes Tinta Intumescente P-30/60

    Aplicação ao redor das portas para a vedação de vãos, impedindo a passagem de fogo e fumaça.

    Utilização de tinta intumescente, sem a necessidade de substituição da porta convencional pela porta de madeira maciça. Atendendo a P-30 ou P-60.

    34

    Compartimentação horizontal NBR 6479 - Porta e vedadores – Determinação do tempo de resistência ao fogo

    Selante Corta-Fogo

    Aplicado nos vãos da fechadura, evitando a transmissão térmica pelos elementos metálicos.

  • Compartimentação Portas de Madeira com Tinta Intumescente + Selante Corta Fogo na Fechadura + Tira Corta-Fogo NBR 6479 – Portas e Vedadores – Determinação do Tempo de Resistência ao Fogo – Porta P-60 com Folha Simples.

    Teste de Fogo: 60 min

    35

  • Compartimentação

    Tinta para Alvenaria e Drywall

    Economia financeira e física com eficácia na substituição das placas rosas (RF) pela utilização da placa ST com a tinta intumescente em drywall.

    UL 723 | ASTM E84 | ASTM E119 | NBR10.636

    36

  • 37

  • Compartimentação de Paredes de Alvenaria (Blocos de Concreto não-estrutural) com Tinta Intumescente de Alvenaria NBR 10.636 –Paredes Divisórias sem função estrutural – Determinação da Resistência ao Fogo

    Teste de Fogo: 180 min CF 240 min PC

    38

  • Compartimentação

    Vertical em

    Fachadas

  • Abas

  • Peles

    de

    Vidro

  • A realidade

    das peles de

    vidro

  • ASTM E 2037

    Selagem

    perimetral

  • 44

    0. Sem elemento

    1. Tubo metálico

    2. Tubo plástico

    3. Grupo de cabos

    4. Eletrocalha

    5. Tubo térmico

    6. Barramento

    7. Duto de Ar

    8. Multiplos

    9. Juntas multiplas