o papa continua pop - a espetacularização da notícia na vinda do papa ao brasil

Download O papa continua pop - A Espetacularização da notícia na vinda do papa ao Brasil

Post on 01-Nov-2014

1.726 views

Category:

Documents

30 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Todos os dias, os indivíduos são submetidos a uma intensa gama de imagens, textos e áudios que revelam acontecimentos, eventos e notícias transformados em espetáculos. É a lógica da Sociedade do Espetáculo e da espetacularização da notícia que se tornaram características inerentes da contemporaneidade. Jornais impressos, emissoras de televisão e sites utilizam com freqüência recursos comuns ao espetáculo para tornar a informação mais atrativa para o público e, conseqüentemente, mais rentável. Através da análise do conteúdo do hotsite Papa Bento XVI no Brasil, procura-se evidenciar o uso da linguagem do espetáculo, do entretenimento, dos fait-divers e a utilização das características da internet como estratégias de comercialização de notícias.

TRANSCRIPT

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIOSA CURSO DE COMUNICAO SOCIAL/JORNALISMO O Papa continua pop:A espetacularizao da notcia na vinda do Papa ao Brasil. Viviane de Carvalho Orientador: Prof. Juliano Oliveira Pires VIOSA Dezembro de 2007
  • 2. VIVIANE DE CARVALHO O Papa continua pop:A espetacularizao da notcia na vinda do Papa ao Brasil. Monografia apresentada ao Curso de Comunicao Social do Departamento de Artes e Humanidades da Universidade Federal de Viosa - UFV, como requisito parcial para a obteno do ttulo de bacharel em Jornalismo. Orientador: Prof. Juliano Oliveira Pires VIOSA Dezembro de 2007
  • 3. O PAPA CONTINUA POP:A ESPETACULARIZAO DA NOTCIA NA VINDA DO PAPA AO BRASIL. VIVIANE DE CARVALHO Aprovada em ____/____/_____. BANCA EXAMINADORA _________________________________________________ Juliano Oliveira Pires Professor adjunto na UFV/DAH Mestre em Estudos Lingsticos pela UFMG _________________________________________________ Ivi Pereira Monteiro Graduada em Comunicao Social pela Faculdade Ubaense Ozanan Coelho. Cursando Mestrado em Comunicao e Tecnologia _________________________________________________ Soraya Maria Ferreira Vieira Professora Doutora adjunta na UFV/DAH
  • 4. meus pais e irmo. Sem vocs talvez viver fosse possvel, mas jamais faria sentido. turma de comunicao de 2004 da UFV que me proporcionou tantos momentos especiais que jamais sero esquecidos.E a Tati por ter procurado o livro Showrnalismo que foi o que despertou o meu interesse pelo assunto desta monografia- em trs Estados e o encontrou somente na Bahia.
  • 5. Agradecimentos: impossvel que se conclua qualquer coisa nesta vida sem o apoio de pessoas queestejam sempre ao nosso lado nos ajudando. Foram inmeros os amigos que contriburam deforma decisiva para a concluso deste trabalho. Porm, agradecer pode no ser tarefa fcil,nem justa. Para no correr o risco da injustia, agradeo de antemo a todos que de algumaforma passaram pela minha vida e contriburam para a construo de quem sou hoje. Primeiramente e principalmente agradeo a Deus que a razo de toda a existncia equem me proporciona todas as conquistas. Agradeo ao meu orientador, amigo e professor, Juliano Oliveira Pires, pelo apoio econstante incentivo, sempre indicando a direo a ser tomada nos momentos de maiordificuldade, co-autor em vrios trechos desta monografia. Os demais professores e funcionrios do Departamento de Artes e Humanidades daUFV pelo conhecimento e apoio durante o curso. memria de meu av, que foi um grande incentivador na minha profisso everdadeiro amigo. memria dos meus avs maternos que sempre so lembrados com carinho e amor. Ao meu pai Carlos, minha me Suzana e irmo Thiago, pelo apoio e amorincondicional recebido durante toda minha jornada acadmica e em toda minha vida. A toda minha famlia que sempre acreditou em mim e me incentivou. Obrigada pelocarinho av, tios, tias, primos e primas. A todos os amigos e a turma de Comunicao Social da UFV de 2004 os melhorescaras do mundo - agradeo pelas conversas jogadas fora, pelo aprendizado eamadurecimento em conjunto, pelos risos e choros proporcionados, enfim, por me deixaremparticipar da vida de vocs e iluminarem a minha. O que realmente importa na vida aquiloque podemos carregar dentro de nossos coraes por isso digo que vocs estaro semprecomigo. Muito Obrigada a todos!
  • 6. O espetculo a aparncia que confere integridade e sentido a uma sociedade esfacelada e dividida. Arbex Jnior
  • 7. ResumoTodos os dias, os indivduos so submetidos a uma intensa gama de imagens, textos e udiosque revelam acontecimentos, eventos e notcias transformados em espetculos. a lgica daSociedade do Espetculo e da espetacularizao da notcia que se tornaram caractersticasinerentes da contemporaneidade. Jornais impressos, emissoras de televiso e sites utilizamcom freqncia recursos comuns ao espetculo para tornar a informao mais atrativa para opblico e, conseqentemente, mais rentvel. Atravs da anlise do contedo do hotsite PapaBento XVI no Brasil, procura-se evidenciar o uso da linguagem do espetculo, doentretenimento, dos fait-divers e a utilizao das caractersticas da internet como estratgiasde comercializao de notcias. Palavras-chave: Sociedade do Espetculo, espetacularizao da notcia, estratgias deseduo, caractersticas da internet.
  • 8. SUMRIOIntroduo ........................................................................................................................... 091. O site O Globo Online e o Hotsite ................................................................................ 13 1.1. O Globo Online .................................................................................................... 13 1.2. O Hotsite Papa Bento XVI no Brasil ................................................................... 182. Caractersticas da Web .................................................................................................... 21 2.1. Hipertextualidade.................................................................................................. 21 2.2. Interatividade ........................................................................................................ 22 2.3. Customizao do contedo ou personalizao ..................................................... 22 2.4. Multimidialidade ou convergncia....................................................................... 23 2.5 Memria................................................................................................................. 23 2.6 Atualizao contnua.............................................................................................. 243. O Mundo do Espetculo ................................................................................................. 25 3.1. Sociedade do Espetculo ...................................................................................... 25 3.2. Espetacularizao da Notcia................................................................................ 284. Espetacularizao da notcia no Hotsite Papa Bento XVI no Brasil ...................... 32 4.1. O espetculo e as mudanas ................................................................................. 32 4.2. O Hotsite e seu contedo como objeto de seduo .............................................. 33 4.3. A seleo das notcias e a busca de audincia...................................................... 35 4.4. O processo de espetacularizao das notcias...................................................... 40 4.4.1. Sees, ferramentas e o movimento espetacular............................................... 41 4.4.2. Caractersticas do espetculo nas notcias......................................................... 43 4.4.3. Espetculo, Internet e Multimdia...................................................................... 54Consideraes Finais ......................................................................................................... 59Referncias Bibliogrficas...................................................................................................61ANEXOS.................................................................................................................................65ANEXO A................................................................................................................................66ANEXO B .............................................................................................................................. 70
  • 9. Introduo As discusses sobre a espetacularizao da notcia so recorrentes dentro e fora domeio acadmico. Todavia, a vulgarizao do termo torna pertinente a conceituao do mesmo.De acordo com o dicionrio, espetculo tudo que chama a ateno, atrai e prende o olhar;representao teatral ou semelhante, funo; cena ridcula ou escandalosa (FERREIRA,2001:288). A origem semntica do termo vem do latim, spectaculum, que, segundo Mello(2007) um conceito que envolve determinada cena e um pblico que a assista. Nada sercriado, recriado ou copiado sem que haja um consumidor que o aprove. Assim, pode-seentender que a utilizao da espetacularizao na produo de notcias, nada mais do que aadoo de algumas caractersticas imanentes ao espetculo nas prticas jornalsticas. No entanto, a espetacularizao da notcia consti