o maranhão entra na rota da erradicação da extrema pobreza ... ?ão-pobreza... · o panorama...

Download O Maranhão entra na rota da erradicação da extrema pobreza ... ?ão-Pobreza... · O panorama social…

Post on 09-Nov-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social / SEDES

    O Maranho entra na rota da erradicao da pobreza extrema

  • 02

    O MARANHO ENTRA NA ROTA DA ERRADICAO DA POBREZA EXTREMA

    O Estado do Maranho compreende uma rea de aproximadamente 332 mil

    km e possui 217 municpios, ocupando o lugar de 8 Estado brasileiro de maior extenso.

    Segundo dados do CENSO/IBGE-2010, a populao total do Estado de 6.424.340 habitantes,

    com uma populao rural de 2.427.640 habitantes(36,9%) e uma populao urbana de

    3.996.700 habitantes (63,1%), constituindo-se o 4 Estado mais populoso do Nordeste.

    Entretanto, configura-se como um dos Estados mais pobres da Federao, ocupando o

    segundo lugar (55,9%), superado apenas por Alagoas (56,6%).

    O panorama social do Maranho apresenta indicadores de pobreza extrema

    muito desfavorvel, principalmente no meio rural. Relativamente populao absoluta, o

    Maranho possui trs vezes mais pobres que a mdia da pobreza extrema no Brasil.

    Os dados preliminares do Censo 2010 mostram que no Brasil h 16,2 milhes

    de pessoas sem rendimento ou com rendimento nominal mensal domiciliar per capita de 1 a

    70 reais. Destes, 1,7 milhes est no Maranho, o que representa 9,5% (o Maranho o

    segundo maior Estado com a populao nesta situao ficando atrs somente da Bahia).

    A situao de segurana alimentar no Estado um dos aspectos que explica o

    mau desempenho no ranking do IDH nacional. Embora o ndice de insegurana alimentar do

    Maranho tenha se reduzido de 69,1% em 2004, para 64,6% em 2009, a situao do

    Maranho ainda preocupante quando se admite que o ndice de insegurana alimentar

    grave, que se caracteriza pela situao de fome, perfazia 14,8% da populao do Estado em

    2009.

    Este documento apresenta aes prioritrias que esto sendo implementadas

    no exerccio de 2011, contempladas no Plano Estadual de Erradicao da Pobreza Extrema,

    que a verso maranhense do Plano Nacional, com aes definidas para o perodo de 2011 a

    2014, aliceradas em trs eixos principais: transferncia de renda, acesso a servios pblicos

    e incluso produtiva.

    O objetivo do documento informar as aes governamentais destinadas

    populao maranhense que se encontra em situao de pobreza extrema, e espera-se que,

    uma vez realizadas as aes propostas, resultados significativos possam ser atingidos para

    melhoria dos indicadores atuais.

  • 03

    Incluso ProdutivaGarantia de RendaAcesso a Servios Pblicos

    4 4 4

    EIXOS DO PLANO ESTADUAL

    DE ERRADICAO DA

    POBREZA EXTREMA

    ARRANJO INSTITUCIONAL

    PARA A GESTO DO PLANO

  • 04

    AES DO GOVERNO PARA

    O PLANO ESTADUAL

    DE ERRADICAO DA

    POBREZA EXTREMA NO

    PERODO 2011/2012

  • 05

    Secretaria de Estado de Desenvolvimento

    Social - SEDES

  • 06

    ESTRATGIA PARA IDENTIFICAR A POPULAO EM SITUAO DE POBREZA EXTREMA

    Busca Ativa no Maranho ser coordenada pela Secretaria de Estado de

    Desenvolvimento Social SEDES, em parceria com as Secretarias Municipais de AAssistncia Social, entidades no governamentais e outros agentes institucionais. AES PARA A BUSCA ATIVA

    Realizao de Seminrio de Mobilizao para socializar as informaes sobre a

    implantao/implementao do Plano Estadual de Erradicao da Pobreza Extrema. O

    evento ser destinado aos gestores municipais das reas de assistncia social, educao,

    sade, agricultura e trabalho.

    Constituio do Comit Municipal de Erradicao da Pobreza Extrema, responsvel

    pelo acompanhamento, monitoramento e avaliao das aes da Busca Ativa no municpio.

    Estabelecimento de parcerias com rgos governamentais, no gover-namentais e

    outros agentes institucionais para atuao no trabalho de identificao das famlias.

    Identificao das famlias extremamente pobres, constantes no Cadastro nico atravs

    de:

    Cruzamento das bases de dados do Programa Bolsa Famlia - PBF com o Cadastro nico;

    Seleo das famlias constantes no Cadastro nico, no beneficiadas com o Programa

    Bolsa Famlia, as quais sero consideradas como pblico prioritrio.

    Capacitao dos agentes institucionais parceiros para atuao no trabalho de

    identificao das famlias.

    Visitas domiciliares s famlias cadastradas e no atendidas pelo PBF, para verificao da

    sua situao de pobreza extrema, atualizao dos dados cadastrais, a fim de inclu-las nos

    diversos programas sociais.

    Busca ativa das famlias no cadastradas no Cadastro nico mediante as seguintes

    aes:

    Reunio com gestores municipais das secretarias envolvidas e outros parceiros

    institucionais como: Sindicatos de Trabalhadores Rurais, Associaes de Moradores,

    Colnias de Pescadores, dentre outros, visando formao dos grupos de trabalho;

    Capacitao dos agentes institucionais parceiros para atuao no trabalho de

    identificao das famlias;

    Visitas domiciliares com aplicao de instrumento de coleta de dados;

    Anlise dos dados coletados nas visitas domiciliares para a devida insero das famlias

    no Cadastro nico e nos programas sociais, a exemplo do Bolsa Famlia e BPC.

    4

    4

    4

    4

    4

    4

    4

    4

    4

    4

    4

    4

    4

    BUSCA ATIVA

  • 07

    AES DA SEDES PARA ERRADICAO DA POBREZA EXTREMA

    egurana Alimentar e Nutricional para comunidades quilombolas, com incluso

    produtiva, educao alimentar e nutricional e preservao ambiental.SREA DE ABRANGNCIA:

    Municpio de Colinas - 200 Famlias remanescentes de quilombo residentes nas

    comunidades: Peixe, Cambiriba e Jaguarana, prioritariamente os usurios do Programa Bolsa

    Famlia e/ou inscritos no CADUNICO.

    OBJETIVO GERAL:

    Promover o direito humano alimentao adequada s populaes de

    comunidades tradicionais quilombolas na comunidade Peixe, Cambiriba e Jaguarana, em Colinas-

    MA, beneficirios do Programa Bolsa Famlia e/ou no CADUNICO do governo federal.

    OBJETIVOS ESPECFICOS:

    Implantar e orientar a instalao de horta comunitria irrigada;

    Promover a pesca artesanal no Lago do Peixe;

    Restaurar a mata ciliar e realizar a limpeza ecolgica do Lago do Peixe;

    Capacitar multiplicadores em Educao Alimentar e Nutricional - EAN.

    4

    4

    4

    4

    Projeto QUILOMBOSAN

  • 08

    METODOLOGIA:

    O projeto contar com trs eixos de aes:

    Eixo de Produo de Alimentos;

    Eixo Ambiental;

    Eixo Educao Alimentar e Nutricional.

    4

    4

    4

  • 09

    o a ser coordenada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social

    SEDES, e consiste na concesso de auxlio financeiro mensal no valor de R$ A50,00 (cinqenta reais), durante o perodo da capacitao, aos beneficirios do Programa Bolsa Famlia - PBF, a partir de 18 anos, com condicionalidade vinculada

    sua participao integral nos cursos de qualificao profissional, oferecidos pelo

    Governo do Estado do Maranho e outros parceiros institucionais.

    OBJETIVO:

    Garantir auxlio financeiro ao membro da famlia beneficirio do PBF

    que participe de curso de qualificao profissional para insero no mercado de

    trabalho.

    META:

    Apoio financeiro a 01 (um) membro, a partir de 18 anos, de cada famlia

    beneficiada pelo Programa Bolsa Famlia, no mbito do Estado do Maranho, que

    participe integralmente dos cursos de qualificao profissional.

    REA DE ABRANGNCIA:

    217 municpios do Estado.

    ESTRATGIAL OPERACIONAL:

    Ficar sob a responsabilidade das Secretarias Municipais de Assistncia

    Social:

    Identificao e encaminhamento do beneficirio aos cursos de

    qualificao profissional, oferecidos pelo Governo do Estado e outros

    parceiros institucionais;

    Acompanhamento e avaliao da participao do beneficirio durante

    o processo de capacitao;

    Encaminhamento do beneficirio ao Sistema Nacional de Emprego -

    SINE, para cadastro e insero no mercado de trabalho.

    Ficar sob a responsabilidade da Secretaria de Estado de

    Desenvolvimento Social - SEDES:

    Garantia do repasse da Bolsa Capacitao ao beneficirio;

    Assessoramento s Secretarias Municipais de Assistncia Social:

    Intermediao junto ao SINE, no que se refere ao cadastro do

    beneficirio para insero no mercado de trabalho.

    4

    4

    4

    4

    4

    4

    4

    4

    BOLSA CAPACITAO

  • 10

    o a ser coordenada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social SEDES, e consiste na construo de reservatrios hdricos (cisternas para consumo humano Ae para produo de alimentos e de audes para produo de alimentos).

    OBJETIVO:Beneficiar famlias de baixa renda com dificuldade de acesso gua para

    consumo humano e produo de alimentos mediante a construo de cisternas e de audes, bem como proporcionar capacitao e formao das famlias beneficiadas em gesto da gua, contribuindo para a garantia da sua Segurana Alimentar e Nutricional.

    META:

    Construo de 11.300 cisternas de 16 mil litros para consumo humano.

    Construo de 900 cisternas de 52 mil litros para consumo humano e para produo

    de alimentos.

    Construo de 1.450 audes para produo de alimentos.

    REA DE ABRANGNCIA:A primeira etapa do Projeto ir contemplar os municpios abrangidos pela

    Agncia Intermunicipal de Consrcios da Regio do Litoral Ocidental Maranhense, denominado Consrcio da Floresta dos Guars (CONGUARAS), que so: Apicum-Au, Mirinzal, Serrano do Maranho, Porto Rico do Maranho, Guimares, Bacuri, Cururupu, Cedral e Central do Maranho.

Recommended

View more >