O Livro Tibetano Dos Mortos

Download O Livro Tibetano Dos Mortos

Post on 10-Aug-2015

9 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>~ o manual do ~ A da experincia de Psychedelic baseado no livro tibetano dos mortos por Timothy Leary, Ph.D., Ralph Metzner, Ph.D., &amp; Richard Alpert, Ph.D. Os autores foram acoplados em um programa das experincias com LSD e outras drogas psychedelic na universidade de Harvard, at que o publicity nacional do sensational, concentrando unfairly no interesse do estudante nas drogas, conduziu suspenso das experincias. Desde ento, os autores continuaram seu trabalho sem auspices academic. Esta verso DO LIVRO TIBETANO DOS MORTOS dedicada, a ALDOUS HUXLEY Julho 26, 1894 - novembro 22, 1963 com admiration profundo e gratitude. "se voc comeou na maneira errada," I disse na resposta s perguntas do investigator, "tudo que aconteceu seria uma prova do conspiracy de encontro a voc. Tudo self-estaria validando. Voc no poderia extrair uma respirao sem sab-la era parte do lote." "assim voc pensa de voc sabe onde a loucura se encontra?" Minha resposta era convencido e heartfelt, "sim." "e voc no poderia control-la?" "nenhum eu no poderia control-la. Se um comeasse com o medo e o dio como a premissa principal, uma teria que ir na concluso." "voc poderia ," minha esposa pedida, "para reparar sua ateno em o que o livro tibetano dos mortos se chama a luz desobstruda?" Eu era duvidoso. "manteria o evil ausente, se voc poderia o prender? Ou voc no poderia prend-lo?" Eu considerei a pergunta por alguma hora. "talvez," eu respondi no ltimo, "talvez eu poderia - mas somente se havia algum l a me dizer sobre a luz desobstruda. Um no podia faz-lo por oneself. Aquele o ponto, mim supe, do ritual tibetano - algum que senta l toda a hora e que diz lhe o que que." (PORTAS DA PERCEPO, DE 57-58) I. INTRODUO GERAL Uma experincia psychedelic uma viagem aos reinos novos do consciousness. O espao e o ndice da experincia so ilimitados, mas suas caractersticas caractersticas so o transcendence de conceitos verbais, de dimenses do espao-tempo, e do ego ou da identidade. Tais experincias do consciousness ampliado podem ocorrer em uma variedade das maneiras: o deprivation sensory, exerccios do yoga, disciplinou os ecstasies do meditation, os religiosos ou os aesthetic, ou espontneamente. Tm-se tornado o mais recentemente disponveis a qualquer um com o ingestion de drogas psychedelic tais como o LSD, o psilocybin, o mescaline, o DMT, etc.. [ esta a indicao de um ideal, no uma situao real, em 1964. As drogas psychedelic esto nos estados unidos classificados como drogas "experimentais". Isto , no esto disponvel em uma base da prescrio, mas somente "qualificou investigators." O alimento e a administrao federais da droga definiram "investigators qualificados" para significar os psychiatrists que trabalham em um ajuste mental do hospital, cuja a pesquisa fosse patrocinada pelo estado ou por agncias federais. ] Naturalmente, o dose da droga no produz a experincia transcendent. Age meramente de enquanto um chave qumico - abre a mente, livra o sistema nervoso seus testes padres ordinrios e estruturas. A natureza da experincia depende quase inteiramente on o jogo e o ajuste. O jogo denota a preparao do indivduo, including a seu estrutura da personalidade e seu modo naquele tempo. O ajuste fsico - o tempo, a atmosfera do quarto; social - os sentimentos das pessoas apresentam-se para uma outra; e cultural - vistas prevalecendo a respeito de o que real. para esta razo que os manuais ou os guidebooks so necessrios. Sua finalidade permitir uma pessoa de compreender as realidades novas do consciousness expandido, para servir como mapas de estrada para os territrios interior novos que a cincia moderna fz acessveis. Os exploradores diferentes extraem mapas diferentes. Outros manuais devem ser escrita baseado nos modelos diferentes - cientficos, aesthetic, therapeutic. O modelo tibetano, em que este manual baseado, projetado ensinar a pessoa dirigir e controlar a conscincia em tal maneira a respeito do alcance que em nvel de compreender o liberation, a iluminao, ou o enlightenment vria chamado. Se o manual estiver lido diversas vezes antes que uma sesso estiver tentada, e se uma pessoa confiada estiver l lembrar e refrescar a memria do voyager durante a experincia, o consciousness ser livrado dos jogos que compreendem a "personalidade" e dos hallucinations positivo-negativos que acompanham frequentemente estados da conscincia expandida. O livro tibetano dos mortos foi chamado em sua prpria lngua o Bardo Thodol, que significa o "liberation por Hearing no plano da Aps-Morte." O livro fora repetidamente que o consciousness livre tem para ouvir e recordar somente os ensinos a fim liberated. O livro tibetano dos mortos ostensibly um livro que descreve as experincias a esperar-se neste momento da morte, durante dias durveis de um forty-</p> <p>nine da fase intermediria (sete vezes sete), e durante o rebirth em um outro frame corporal. Esta entretanto meramente a estrutura exoteric que os budistas tibetanos se usaram cloak seus ensinos mystical. A lngua e o simbolismo de rituals de Bonism, a religio tibetana pre-pre-Buddhist tradicional da morte, foram misturados skillfully com os conceptions buddhist. O meaning esoteric, porque foi interpretado neste manual, que morte e rebirth que descrito, no do corpo. Lama Govinda indica este claramente em sua introduo quando escreve: " um livro para a vida as.well.as morrer." O meaning esoteric do livro escondido frequentemente abaixo de muitas camadas de simbolismo. No se pretendeu para a leitura geral. Foi projetado ser compreendido somente por um quem devia ser iniciado pessoalmente por um guru nas doutrinas mystical buddhist, na experincia do pre-mortem-morte-premortem-death-rebirth. Estas doutrinas foram mantidas um segredo prxima guardado por muitos sculos, para o medo que a aplicao ingnua ou descuidada faria o dano. Em traduzir um texto to esoteric, conseqentemente, h duas etapas: um, render do texto original no ingls; e dois, a interpretao prtica do texto para seus usos. Em publicar esta interpretao prtica para o uso na sesso psychedelic da droga, ns estamos em um sentido que quebra com a tradio do secrecy e que contravening assim os ensinos dos lama-lama-gurus. Entretanto, esta etapa justificada nas terras que o manual no ser compreendido por qualquer um que no tiveram uma experincia deexpanso e que l sinais que os lamas eles mesmos, aps seu diaspora recente, desejo fazer seus ensinos disponveis a um pblico mais largo. Depois do modelo tibetano ento, ns distinguimos trs fases da experincia psychedelic. O primeiro perodo (Chikhai Bardo) aquele do transcendence completo - alm das palavras, alm do espao-tempo, alm do self. No h nenhuma viso, nenhum sentido do self, nenhuns pensamentos. H somente uma conscincia pura e uma liberdade ecstatic de todas as participaes do jogo (e o biolgico). [ os "jogos" so seqncias behavioral definidas por papis, por rguas, por rituals, por objetivos, por estratgias, por valores, por lngua, por posies caractersticas do espao-tempo e por testes padres caractersticos do movimento. Todo o comportamento que no tem estas nove caractersticas non-jogo: isto inclui reflexes physiological, o jogo espontneo, e a conscincia transcendent. ] O segundo perodo longo envolve o self, ou a realidade externa do jogo (Chonyid Bardo) - na claridade exquisite afiada ou no formulrio dos hallucinations (apparitions karmic). O perodo final (Sidpa Bardo) envolve o retorno realidade rotineira do jogo e ao self. Para a maioria de pessoas o segundo estgio (aesthetic ou hallucinatory) o mais longo. Para iniciado o primeiro estgio da iluminao dura mais por muito tempo. Para o unprepared, os jogadores pesados, aqueles do jogo que se aderem ansiosamente a seus egos, e para aqueles que fazem exame da droga em um ajuste non-de suporte, o esforo realidade do regain comeam cedo e duram geralmente ao fim de sua sesso. As palavras como estes so de esttica, visto que a experincia psychedelic fluida e sempre-mudar. Tipicamente o consciousness do assunto flicks dentro e fora destes trs nveis com oscilaes rpidas. Uma finalidade deste manual permitir a pessoa de regain o transcendence do primeiro Bardo e de evitar armadilhas prolongadas em testes padres hallucinatory ou ego-dominados do jogo. As confianas e a opinio bsicas. Voc deve estar pronto para aceitar a possibilidade que h uma escala ilimitada da conscincia para que ns no temos agora nenhuma palavra; que a conscincia pode expandir alm da escala de seu ego, seu self, sua identidade familiar, alm de tudo voc aprenderam, alm de suas noes do espao e do tempo, alm das diferenas que separam geralmente povos de se e do mundo em torno delas. Voc deve recordar que durante todo o history humano, os milhes fizeram esta viagem. Alguns (quem ns chamamos mystics, saints ou buddhas) fizeram esta experincia resistir e ter comunicado a a seus homens do companheiro. Voc deve recordar, demasiado, que a experincia segura (no muito mais mau, voc terminar acima da mesma pessoa que incorporou a experincia), e que todos os perigos que voc temeu produes desnecessrias de sua mente. Se voc experimenta o heaven ou o inferno, recorde que sua mente que os cra. Evite de agarrar esse ou de fujir o outro. Evite de impo o jogo do ego na experincia. Voc deve tentar manter a f e a confiana no potentiality de seu prprio crebro e do processo bilho-anovelho da vida. Com voc o ego deixado atrs de voc, o crebro no pode ir erradamente. Tente manter a memria de um amigo confiado ou de uma pessoa respeitada cujo o nome possa servir como uma guia</p> <p>e uma proteo. Confe em seu divinity, confe em seu crebro, confe em seus companheiros. Sempre que na dvida, desligue sua mente, relaxe, flutue rio abaixo. Aps ter lido esta guia, a pessoa preparada deve poder , no comeo muito de sua experincia, mover-se diretamente para um estado do revelation ecstasy e profundo do non-jogo. Mas se voc no for preparado bom, ou se houver um distraction do jogo em torno de voc, voc encontrar-se- deixar cair para trs. Se isto acontecer, ento as instrues na parte IV devem ajudar-lhe regain e manter o liberation. o "liberation neste contexto no implica necessariamente (especial no exemplo da pessoa mdia) o liberation de Nirvana, mas principalmente um liberation ' do vida-fluxo ' do ego, em uma maneira como ter recursos para o consciousness possvel o mais grande e o rebirth feliz conseqente. Contudo para a pessoa muito experiente e muito altamente eficiente, [ mesmos ] o processo esoteric do transference [ os leitores interessados em uma discusso mais detalhada do processo do "transference" so consultados ao yoga tibetano e s doutrinas secretas, editados por W. Y. Evans-Wentz, por imprensa da universidade de Oxford, por 1958. ] pode ser, de acordo com os lama-lama-gurus, empregados assim a respeito de impedem toda a ruptura no fluxo do crrego do consciousness, do momento da ego-perda ao momento de um rebirth conscious (oito horas mais tarde). Julgando da traduo feita pelo Lama atrasado Kazi Dawa-Samdup, de um manuscrito tibetano velho que contem sentidos prticos para estados da egoperda, a abilidade de manter um non-jogo ecstasy durante todo a experincia inteira possuda somente pelas pessoas treinadas na concentrao mental, ou o one-pointedness da mente, a um grau to elevado de proficincia a respeito de possa controlar todas as funes mentais e fech-las para fora dos distractions do mundo exterior." (Evans-Wentz, p. 86, nota 2) Este manual dividido em quatro pores. A primeira parte introdutria. O segundo uma descrio passo a passo de uma experincia psychedelic baseada diretamente no livro tibetano dos mortos. A terceira parte contem sugestes prticas em como preparar-se para e conduzir uma sesso psychedelic. A quarta parte contem as passagens instructive adaptadas do Bardo Thodol, que pode ser lido ao voyager durante esta sesso, para facilitar o movimento do consciousness. No restante desta seo introdutria, ns revemos trs commentaries no livro tibetano dos mortos, publicado com a edio de Evans-Wentz. Estas so a introduo por Evans-Wentz ele mesmo, o distinto tradutor-editor de quatro treatises no mysticism tibetano; o commentary por Carl Jung, psychoanalyst suo; e por Lama Govinda, e por novato de uma das ordens buddhist do princpio de Tibet "Um TRIBUTO A W. Y. Evans-wentz "Dr. Evans-Wentz, que se sentou literalmente nos ps de um lama tibetano por anos, a fim adquirir sua sabedoria. . . em indica no somente um interesse profundamente sympathetic aquelas doutrinas esoteric assim que caracterstica do gnio do leste, mas no possui do mesmo modo a faculdade rara de faz-las mais ou mais menos intelligible ao layman." [ citado de uma reviso do livro no anthropology na parte traseira da edio da imprensa da universidade de Oxford do livro tibetano dos mortos. ] W. Y. Evans-Wentz um scholar grande que devote seus anos maduros ao papel a ponte e o shuttle entre Tibet e do o oeste: como uma molcula do RNA que ativa o ltimo com a mensagem codificada do anterior. Nenhum tributo mais grande no podia ser pagado ao trabalho deste liberator academic do que para basear nosso manual psychedelic em suas introspeces e para citar diretamente seus comentrios "na mensagem deste livro." A mensagem , isso que a arte de morrer completamente to importante quanto a arte de viver (ou da vinda no nascimento), de que o complemento e a soma; que o futuro de ser dependente, talvez inteiramente, de uma morte direita controlada, como a segunda parte deste volume, determinando a arte de reencarnar, emfatiza. A arte de morrer, como indicada pela morte-rite associada com a iniciao nos mistrios do antiquity, e consultou por Apuleius, filsofo de Platonic, ele mesmo um novato, e por muitos outros novatos illustrious, e em como o livro egyptian dos mortos sugere, parece ter sido distante melhor sabido aos povos antigos que habitam os pases mediterranean do que agora por seus descendentes Europa e os Americas. queles que tinham passado com experimentar secreto da morte do pre-mortem, morrer da direita iniciao, conferenciando, como a morte-rite initiatory, o poder controlar consciously o processo da morte e da regenerao. (Evans-Wentz, xiii-xiv do p.) O scholar de Oxford, como seu predecessor grande do dcimo primeiro sculo, Marpa ("o tradutor"), que rendeu textos buddhist indian no tibetano,</p> <p>preservando desse modo os da extino, serra a importncia vital destas doutrinas e as fz acessveis a muitos. O "segredo" no mais longo escondido: "a arte de morrer completamente to importante quanto a arte de viver." Um TRIBUTO A CARL G. JUNG O psychology a tentativa sistemtica de descrever e explicar o comportamento do homem, conscious e non-non-conscious. O espao do estudo largo - cobrir a variedade infinita da atividade e da experincia humanas; e longo - seguindo para trs com o history do individual, com o history de seus antepassados, traseiro com os vicissitudes e os triunfos evolucionrios que determinaram o status atual da espcie. O mais difcil de tudo, o espao do psychology comple...</p>