o fornecimento de mÃo de obra como atividade sujeita ao issqn uma anÁlise comparativa com o...

Download O FORNECIMENTO DE MÃO DE OBRA COMO ATIVIDADE SUJEITA AO ISSQN UMA ANÁLISE COMPARATIVA COM O AGENCIAMENTO DE MÃO DE OBRA E A TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS MÁRCIA

Post on 22-Apr-2015

114 views

Category:

Documents

7 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • O FORNECIMENTO DE MO DE OBRA COMO ATIVIDADE SUJEITA AO ISSQN UMA ANLISE COMPARATIVA COM O AGENCIAMENTO DE MO DE OBRA E A TERCEIRIZAO DE SERVIOS MRCIA ZIL LONGEN
  • Slide 2
  • Objetivo Elucidar pontos controversos ISSQN sobre o de fornecimento de mo de obra, identificando os requisitos do item 17.05 da Lista de Servios. ENQUADRAMENTO LISTA DE SERVIOS FUNDAMENTO DO LANAMENTO
  • Slide 3
  • Objetivo Diferenciar: do agenciamento, recrutamento e seleo - item 17.04 de outros contratos PS (terceirizao de mo de obra)
  • Slide 4
  • Objetivo 17.05 Fornecimento de mo-de-obra, mesmo em carter temporrio, inclusive de empregados ou trabalhadores, avulsos ou temporrios, contratados pelo prestador de servio 17.04 Recrutamento, agenciamento, seleo e colocao de mo-de-obra 14.05 Restaurao, recondicionamento,... pintura, beneficiamento,... e congneres... 11.02 vigilncia e segurana 7.10 limpeza
  • Slide 5
  • Objetivo Prope-se a desvendar os aspectos material subjetivo quantitativo territorial ou espacial Para alcanar estes objetivos ser analisada a legislao tributria e tambm trabalhista, alm da doutrina e jurisprudncia aplicvel.
  • Slide 6
  • ISSQN Fornecim ento mo de obra Trabalho temporrio Agencia mento Recrutam ento Seleo Terceiriza o
  • Slide 7
  • PROBLEMA ISSQN sobre fornecimento de mo de obra = questo pacificada Controvrsias: BC = total da operao ou o diferencial entre a remunerao do empregado e o valor cobrado do tomador. Aspecto territorial = municpio do tomador. Prestador X Tomador X Contratante X Efetividade do local da prestao
  • Slide 8
  • FMO ASPECTOS CONCEITUAIS E DIFERENCIAIS Trabalho temporrio caracterizao requisitos da contratao e caractersticas das empresas envolvidas
  • Slide 9
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA No se aluga pessoas - pessoas prestam servios. Fornecer = entregar, colocar disposio de outro mo de obra contratada pelo prprio fornecedor, numa operao triangular, que envolve o contratante tomador do servio, o contratado empregador e seu empregado.
  • Slide 10
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA Contratante Tomador Contratado Empregador Empregado
  • Slide 11
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA Requisitos do contrato de trabalho: Continuidade: eventual no empregado Subordinao - dependncia / direo do empregador Onerosidade: salrio Pessoalidade - pessoa natural, certa e determinada / infungvel Alteridade - o empregado sempre presta servios por conta alheia, sem a assuno de qualquer risco (embora possa participar dos lucros, jamais poder arcar com qualquer prejuzo)
  • Slide 12
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA O empregador cede fora laboral por si contratada para terceiro, que exercer parcialmente os poderes daquele sobre o empregado. Somente possvel para atender demanda transitria, ou seja, dentro do chamado regime de trabalho temporrio Lei n o 6.019/1974 e Decreto n o 73.841/1974
  • Slide 13
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA Enunciado n 331, inciso I, do Tribunal Superior do Trabalho TST: A contratao de trabalhadores por empresa interposta ilegal, formando-se o vnculo diretamente com o tomador dos servios, salvo no caso de trabalho temporrio (Lei n 6.019, de 03.01.1974). TST Enunciado n 331 - Reviso da Smula n 256 - Res. 23/1993, DJ 21, 28.12.1993 e 04.01.1994 - Alterada (Inciso IV) - Res. 96/2000, DJ 18, 19 e 20.09.2000 - Mantida - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003.
  • Slide 14
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA Lei n o 6.019/1974 (Art. 2) define o trabalho temporrio aquele prestado: por pessoa fsica a uma empresa, para atender necessidade transitria de substituio de seu pessoal regular e permanente (licenas mdicas, auxlio maternidade, etc) ou acrscimo extraordinrio de servios (camareiras - turismo de temporada, vendedores perodo Natal)
  • Slide 15
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA O contrato de trabalho temporrio pode ser realizado diretamente pela empresa que necessita da mo de obra com o empregado, sem intermedirios, ou atravs de empresa especializada.
  • Slide 16
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA Empresa de Trabalho Temporrio Lei n o 6.019/1974 : Pessoa fsica ou jurdica urbana Atividade = colocar disposio de outras empresas, temporariamente, trabalhadores, devidamente qualificados, por elas remunerados e assistidos Registro especfico junto ao Ministrio do Trabalho e Emprego - MTE
  • Slide 17
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA O direito brasileiro no permite a locao permanente de mo de obra marchandage. Justia do Trabalho = fraude legislao trabalhista e declara vnculo empregatcio direto com o tomador do servio: a intermediao de mo de obra ou marchandage expressamente repudiada pelo direito internacional e pelo ptrio, pois o homem e sua energia no podem ser objetos de comrcio interempresas. (TRT-1 - RO: 00007419520125010283 RJ, Relator: Evandro Pereira Valadao Lopes, Data de Julgamento: 04/09/2013, Stima Turma, Data de Publicao: 27/11/2013)
  • Slide 18
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA Somente ocorrer a contratao lcita de fora de trabalho de forma indireta, quando tiver por fundamento a Lei n o 6.019/1974, ou seja, observando os requisitos do trabalho temporrio: necessidade transitria de substituio ou acrscimo extraordinrio de servio. Excees: vigilncia bancria (Lei n 7.102/83) e aprendizagem (CLT)
  • Slide 19
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA Fornecimento MO = operao triangular onde a empresa interessada na fora de trabalho, contrata a mo de obra, no diretamente em seu quadro de pessoal, mas atravs de empresa especializada. O objeto contratado o fornecimento temporrio de mo de obra, com base na lei n 6.019/1974.
  • Slide 20
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA Tomador (A) Fornecedor (B) Trabalhador (C) Trabalho Prestao Servio Diretrizes e orientaes sobre o trabalho = de A para C Punio ou demisso de C somente por B = empregador direto
  • Slide 21
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA Contratos regulados pela lei n 6.019/1974. Entre a tomadora de servio (A) e a empresa de trabalho temporrio (B): contrato escrito constando expressamente: o motivo da demanda de trabalho temporrio as modalidades de remunerao da prestao de servio
  • Slide 22
  • FORNECIMENTO DE MO DE OBRA Contratos regulados pela lei n 6.019/1974. Contrato de trabalho celebrado entre empresa de trabalho temporrio (B) e cada um dos assalariados (C) contrato escrito constando os direitos conferidos aos trabalhadores
  • Slide 23
  • AGENCIAMENTO, RECRUTAMENTO E SELEO OU COLOCAO DE MO DE OBRA O tomador do trabalho (A) contrata agncia (B) para buscar no mercado os talentos visados (C) para posterior contratao por (A) mediante contrato individual de trabalho. O servio empresarial recrutar e selecionar. irrelevante se os servios a serem desenvolvidos sejam relacionados a atividades fins da contratante ou no, se o contrato for por prazo determinado ou indeterminado.
  • Slide 24
  • TERCEIRIZAO Contratao de servios entre empresas legalmente constitudas, onde a contratante transfere para a contratada uma determinada atividade, buscando aumento de produtividade e da qualidade, alm da reduo de custos Na terceirizao: a empresa contratada especializada na realizao do objeto contratado; os servios e o preo so definidos por uma quantidade, caracterizando uma empreitada.
  • Slide 25
  • TERCEIRIZAO O objeto do contrato no se refere fora laboral, mas determinada tarefa (qualquer atividade lcita); O contrato no envolve os trabalhadores e no leva em conta diretamente a remunerao destes; Quem admite, remunera, fiscaliza, pune e demite o empregado a prestadora dos servios; Prestadora no tem registro junto ao MT como fornecedora de mo de obra, por no ser este o seu objetivo social. No existe subordinao entre os empregados da terceirizada e a empresa tomadora, sequer em relao forma de realizao do servio.
  • Slide 26
  • TERCEIRIZAO A Justia do Trabalho entende que pode ser objeto de terceirizao apenas a atividade-meio do tomador de servios. Existente a pessoalidade e a subordinao direta com o tomador, configurada fraude legislao trabalhista e declarado vnculo de emprego entre o empregado e o tomador dos servios. Porm, no cabe ao Fisco, ao analisar os fatos geradores do ISSQN, decidir acerca da conformidade ou no das contrataes com a legislao trabalhista.
  • Slide 27
  • TERCEIRIZAO Cabe ao Fisco: Conhecer os contratos de forma a identificar qual o respectivo enquadramento na lista de servios, para homologar os recolhimentos efetuados pelo sujeito passivo ou lanar o tributo devido em conformidade com os requisitos do lanamento, em especial a perfeita delimitao do fato gerador e do fundamento da exigncia fiscal.
  • Slide 28
  • O TRATAMENTO TRIBUTRIO DAS DIFERENTES ATIVIDADES As trs atividades esto sujeitas ao ISSQN, merecendo anlise detalhada o seu enquadramento na lista de servios, essencial que fundamentao jurdica do lanamento e ao deslinde das demais questes aqui propostas. Da mesma forma, o aspecto quantitativo, especialmente a base de clculo a ser considerada, merece anlise no campo ftico luz do que vem decidindo a jurisprudncia.
  • Slide 29
  • MATERIALIDADE E FORMAO DA BASE DE CLCULO Agenciamento, recrutamento e seleo de mo de obra: 17.04 - Recrutamento, agenciamento, seleo e colocao de mo-de-obra. Nesta operao somente interessa para fins do ISS