o correio - ed 991

Download O Correio - Ed 991

Post on 17-Mar-2016

231 views

Category:

Documents

8 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Um jornal de verdade

TRANSCRIPT

  • LAGUNA/SC - ANO IXX - EDIO 991 - LAGUNA/SC 09/10/2013 - R$ 2,00 - JORNAL BISSEMANAL O Senhor meu pastor, nada me faltar

    Laguna: 3646-5123 / 9926-6333Brao do Norte: 3658-2446 / 9627-3120

    Fone: 3646-2488Fone: 3646-2488

    Dr. Mauro Srgio Fernandes da Silva CRM 8789 - Pediatra

    Rua. Voluntrio Fermiano. 60 Laguna SC

    A sade de sua criana merece a ateno de um especialistaDiretor TcnicoMauro Srgio Fernandes da Silva

    CRM 8789 - PediatraRQE 4329

    Prximo a Colnia de Pescadores

    Temos sala de VacinasVisite o site: http://clinicavidalaguna.wix.com/vida

    EXPOSIO com:

    De 26/09 a 11/10 (de segunda sexta)

    Das 09h s 12h/ Das 13h s 17h

    Local: Museu Anita Garibaldi GRATUITO.

    O Servio Social do Comrcio Centro de Atividades de Laguna traz a esta cidade a atividade cultural: Exposio de Artes do artista Joo Rodrigues Jnior, atravs do Projeto Arte no Singular do SESC/SC - 2013.

    Este Projeto tem o intuito de valorizar a produo artstica local, criando mercado de artes e profissionalizando de maneira substancial a rea; alm de ampliar a compreenso da cidade em relao arte produzida por seus artistas, e viabilizar o contato e o questionamento sobre a arte.

    Artista Visual: Joo Rodrigues Jnior Joozinho, como carinhosamente chamado por

    todos, conhecido por seu desempenho como artista plstico, cantor, entre outros. Nosso Joozinho diz ser autodidata. A julgar pelo seu desempenho artstico, nada deixa a

    desejar como profissional dentro das artes. - Deise Machado (Pretexto 2008)

    MAIORES INFORMAES CENTRAL DE ATENDIMENTO OU PELO TELEFONE: (48) 3644-0152.

    Semana da criana: Pista educativa ajuda crianas a aprenderem regras de trnsito

    Pela primeira vez, Laguna participa da rota do Programa Pista Certa, da Fundao Mapfre, de So Paulo (Pgina 05)

    Prefeito est em Braslia e tem reunies no Dnit, Ministrio das

    Cidades e do Turismo

  • O CORREIO P. 02NOSSAS UTOPIAS

    Advocacia & AssessoriaDr. Victor Baio Pereira

    OAB/SC 15.896

    Atanazio Lameira lameira00@hotmail.com

    EXPEDIENTEFundado em 29.07.1995

    Direo Geral: PAULO SRGIO SILVAJORNAL O CORREIO. LTDA. ME.

    C.G.C. 03.002.178/0001-60 Insc. Mun. 54.0375

    Redao e Administrao:Rua Voluntrio Fermiano, 52 - Centro Fone: (48) 3644-3959 - Laguna/SC

    Nmero Avulso: R$ 2,00 Assinatura Semestral (Bissemanal) R$ 100,00

    Tiragem: 1.000 exemplaresOs artigos assinados so de

    responsabilidade de seus autores. Circulao quartas-feiras e aos sbados :

    Laguna, Pescaria Brava, Garopaba, Imbituba, Paulo Lopes e Imaru.

    E-mail: ocorreio@ocorreio.net hp:http://www.ocorreio.net

    Este jornal filiado:

    Visite o meu: Blog: athanaziolameira.blogspot.com

    LAGUNA/SC 09/10/2013

    Causas cveis: aes possessrias, indenizatrias e de famlia.

    Rua Raulino Horn - Centro - Fone 3644-6882 LAGUNA/SC

    Reinventando o Profissional

    artigo

    Mello Jr - www.gmtreinamentos.com.br - mello@gmtreinamentos.com.br

    Hora do cafezinho

    Paulo Srgio Silva

    Na aventura de meus sonhos viajei conheci lugares lindos desfrutei.Gosto do Brasil como um filho gosta do pai presente honesto generoso - correto - dis-ciplinado e sisudo nas horas de aprendizado.Sou livre tenho passaporte carimbado para ir onde quiser mas no disseram que era preciso dinheiro.Eu disse a platia que era democrtico, como tal era capaz de entender qualquer coisa, mas esqueci de dizer que sentar na minha mesa era proibido.Doei minhas roupas usadas, porm a pessoa agraciada no gostou, disse que poderiam ser novas, j que o doador era rico.Discurso longo povo cansado. Ao demo-rada povo feliz. Discurso falso poltico cas-sado. Promessa cumprida candidato reeleito.Casa do povo. A porta ter que est aberta. No vale somente a placa: entre ar condicionado.Cada mentira corresponde a um pedao do mentiroso. No demora muito haver abun-dncia de mentira e falta de corpo.Fale de si com bastante propriedade e dos outros com bastante reserva. O inverso poder ser perigoso.Atire pensando que o alvo poderia ser voc. No me refiro arma de fogo.Faa um discurso sbrio rpido no canse a platia fale da vida no procure palavras difceis. Poder correr o risco de ser crucifi-cado pelo uso indevido do vernculo.A tristeza nos ronda est no ar procura um corpo para baixar. Para se defender use a frmula mgica de amar.

    Todo mundo atende, todos vendem!Sempre defendi a tese de que todos os profissionais da empresa atendem e vendem! Acabou o tempo que uma recepcionista dava-se ao luxo de dizer que era paga para receber pessoas, que a responsabilidade de vendas era do setor comercial; que um caixa da loja estava ali para receber pagamentos e no precisava entender de vendas, promoes e perfil de clientes. Muitos trabalhadores afirmam que o mercado est competi-tivo, o mundo est globalizado e, por isso, a preferncia para aquele profissional multifuncional - que tem habilidade de executar mais de uma funo-, mas na hora de assumir outras funes foge e no est nem a. Outros reclamam que no so reconhecidos ou recompensados por ter iniciativas, por ser comprometidos e ainda so chamados de puxa sacos. At no discordo porque tenho visto tantas coisas acontecerem que, s vezes, chego a duvidar de alguns discursos feitos nas reunies pelos lderes, enaltecendo o trabalho em equipe.No entanto, quando conseguimos incorporar nas atitudes dos funcionrios o conhecimento global da organizao e o comprometimento com a satisfao do cliente, con-seguimos cativar e melhorar nossa competitividade, pois ainda ser considerado diferencial. Como exemplo, posso citar um fato que ocorreu comigo quando buscava orien-taes para realizar a compra de produtos de uma marca reconhecida mundialmente em seu segmento aqui no sul de Santa Catarina. Ao chegar recepo, o segurana, muito educado, chamado Vitor (pseudnimo), motivado e focado no atendimento exemplar ouviu atentamente meus comentrios. Queria conversar com algum da rea comercial receber orien-taes, pois estava naquele momento representando um cliente da nossa empresa. Havia muito interesse da nossa parte em ter os produtos da empresa em nossa organizao. Consultou um profissional da rea comercial que sequer fez questo de me atender e disse que os diretores da empresa no estavam e que eu devia voltar outro dia.

    Vitor insistiu: No tem como conversar uns cinco minutos com o Sr. Mello? Ele representa uma loja e quer comprar? O profissional respondeu que no poderia fazer nada, mas, depois de muita insistncia minha e do Vitor, consegui falar pelo interfone e ele respondeu: Olha, no podemos vender sua empresa por termos uma franquia em sua cidade e por contrato no ser possvel lhe atender. Insisti que sabia que alguns produtos estavam liberados para o varejo e eu queria tal produto.Bem, assim muda de conversa, este produto podemos vender. Pediu ento que passasse o telefone para Vitor e o tal comercial passou o telefone de um representante para que eu procurasse atendimento. Entretanto, Vitor, na sua vontade de resolver o impasse, fez a ligao para o escritrio referenciado e ficou sabendo que aquele representante at-ende clientes que desejam outros produtos e no os que eu queria. Pacientemente, pediu ajuda secretria para saber qual representante era responsvel pelo produto procurado. Fez mais uma ligao e me liberou o telefone para falar com a secretria, que gentilmente me atendeu dizendo que ligaria para o Sr. X, e marcaria ainda naquela tarde uma reunio. Para minha surpresa, a coisa funcionou muito bem, o Sr. X foi extremamente profissional, passou todas as informaes e ainda ligou para outro colega para buscar maiores infor-maes. Ufa! E graas ao grande profissional deste enredo, Vitor, iniciamos uma negociao! Um, ou melhor, o segurana, terceirizado, talvez no muito valorizado foi quem fez a difer-ena. Perguntei-lhe se sempre agia assim? Sua resposta: Sim, senhor! Fizemos um curso onde fomos orientados que devamos, alm de atender bem, fazer todo o possvel para captar novos clientes. Fiz todos os elogios pos-sveis a este exemplo de profissional, algo raro em sua funo. Esta histria mostra bem a importncia do entendimento da funo e suas responsabilidades, do comprometimento, do atendimento e, se tudo correr bem, de uma nova venda. E sua equipe, conhece suas responsabilidades?

    Pensada como uma forma de incentivo doao de sangue no estado, a campanha uma parceria do He-mosc com a Acinam - Associao Catarinense da Inds-tria de gua Mineral. A associao possui 11 empresas que comercializam gua mineral em Santa Catarina e vai afixar um adesivo em um milho de gales de 20 litros de gua mineral, incentivando doao, que sero distribudos aos 295 municpios do estado.Comisso de Constituio e Justia vai analisar proposta (PL3522/12) que obriga motoristas a manterem os faris dos veculos acesos durante o dia nas rodovias e tneis. O projeto altera o Cdigo de Trnsito Bra-sileiro para tornar o que hoje uma recomendao em obrigatoriedade.

    Em fevereiro de 2012, o Ministrio da Sade determinou a troca gratuita das prteses pelo SUS e pelos planos de sade. Mas at a tomada dessa deciso, foram meses de batalha e de agonia para as mulheres que estavam usando os implantes condenados pela Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria. A proposta do senador Humberto Costa, do PT de Pernambuco, torna automtica a troca das rteses e prteses defeituosas, sem nenhum custo para os pacientes.Palestra sobre alimentao e sade para comemorar o Dia do Agente Comunitrio acontece nesta quarta-feira, 9 de outubro na Escola de Ensino Mdio Almirante Lamego.A prefeitura de Laguna est oferecendo capacitao profissional, atravs do Pronatec, do Governo Federal. Os cursos com vagas em aberto