o controle externo e os novos modelos de gesto de ... de contas do estado da bahia salvador - 2000...

Download O controle externo e os novos modelos de gesto de ... de Contas do Estado da Bahia Salvador - 2000 Carlos Vasconcelos Domingues As organizaes O controle externo sociaise os novos modelos

Post on 15-Feb-2018

215 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • O controle externo eos novos modelos de gesto

    de servios pblicos

    As organizaes sociais

  • Tribunal de Contas do Estado da BahiaSalvador - 2000

    Carlos Vasconcelos Domingues

    As organizaes sociaisO controle externo eos novos modelos de gestode servios pblicos

    As organizaes sociais

  • D671c

    Ficha catalogrfica

    Domingues, Carlos Vasconcelos

    O controle externo e os novos modelos de gesto de servios pblicos. Asorganizaes sociais / Carlos Vasconcelos Domingues. Salvador: Tribunal deContas do Estado da Bahia, 2000.

    318 p.

    Referncias bibliogrficas: p.163-166.

    ISBN 85-85524-13-8

    1. Servio pblico. 2. Organizaes sociais. I. Tribunal de Contas doEstado da Bahia. II. Ttulo.

    CDU: 336.148

    Copyright 2000 by Carlos Vasconcelos Domingues

    Nenhuma parte desta edio pode ser reproduzida, sejam quais forem os meios ou formas,sem a expressa autorizao da Editora.

    Obra publicada pelo Tribunal de Contas do Estado da Bahia

    Tribunal de Contas do Estado da BahiaAvenida Lus Viana Filho,s/n. Plataforma V. Edf. Cons. Joaquim Batista Neves.Centro Administrativo da Bahia-CAB.CEP: 41 750-300.Salvador-BahiaE-mail:postmaster@tce.ba.gov.brTel: (71) 370-4575. Fax: 371-1654

  • TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA BAHIAComposio

    Conselheiro ADHEMAR MARTINS BENTO GOMESPRESIDENTE

    Conselheiro PEDRO HENRIQUE LINO DE SOUZAVICE-PRESIDENTE

    Conselheiro MANOEL FIGUEIREDO CASTROCORREGEDOR

    Conselheiro FILEMON NETO MATOS

    Conselheiro ANTNIO FRANA TEIXEIRA

    Conselheiro ANTNIO HONORATO DE CASTRO NETO

    Conselheiro JAYME BALEEIRO NETO (substituto na vacncia)

    Representante do Ministrio PblicoALBERTO JOS GOMES

    Representante da Procuradoria Especializada:ALOYSIO MORAES PORTUGAL JNIOR

  • RGOS TCNICOS E ADMINISTRATIVOS:

    SUPERINTENDENTE TCNICO-ADMINISTRATIVOVivaldo Evangelista Ribeiro

    CHEFE DE GABINETE DA PRESIDNCIARaul Csar Pinheiro de Oliveira

    SECRETRIA GERALTelma Almeida de Oliveira

    CHEFE DA ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO-ASPLANFrederico de Freitas Tenrio de Albuquerque

    CHEFE DA ASSESSORIA JURDICA-AJURFrancisco Dias Lima Jnior (em exerccio)

    CHEFE DA ASSESSORIA TCNICA-ATECJucirene Argolo de Arajo Lima

    INSPETOR DE FINANASGuilherme Prata Sampaio

    COORDENADOR DE ADMINISTRAOJos Oswaldo Lima Ramos

    COORDENADOR DA COORDENADORIADE ATOS E REGISTROS DE PESSOALGeraldo Mesquita de Figueiredo Barbosa

    COORDENADORES DE CONTROLE EXTERNOCristina Maria Cunha Guerreiro-1 CCEIvonete Dionzio de Lima-2 CCEJosefa Adineide Almeida da Silva-3 CCEJosu Lima de Frana-4 CCE

    DIRETOR DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS E AUDITORIA DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS-CEDASCWalter Barreto Matos de Oliveira Jnior

  • Aos meus paisArmando Domingues da Silva (1912-1992)

    e Zolana Vasconcelos da Silva

  • Impossvel vaticinar-se o futuro em estado puro.Mas toda leitura do presente deixa, com efeito,

    perceber-se amanhs repletos de temores e ameaas.Roland Barthes.

    Le grain de la voix, entretiens 1962-1980

  • Sumrio

    Nota prvia 13

    Prefcio 15

    Introduo 19

    1 Os novos paradigmas 31

    2 A descentralizao social 45

    3 As organizaes no-governamentais 55

    4 As organizaes no-governamentaise as polticas pblicas no Brasil 73

    5 As organizaes sociais 85

    6 A natureza jurdica das organizaes sociais 109

    7 O registro civil das organizaes sociais 119

    8 O contrato de gesto 125

    9 O controle externo das organizaes sociais 133

    Concluso 153

    Anexos 167

  • Nota prvia

    Esta obra a verso atualizada do trabalho que, com omesmo ttulo, foi vencedor do Prmio Oswaldo VellosoGordilho, conferido, em 1998, pelo Tribunal de Contasdo Estado da Bahia, a estudos e pesquisas que contribuempara maior eficincia das atividades de controle externo,visando seu aprimoramento.

  • 14

    Tribunal de Contas do Estado da Bahia Carlos Vasconcelos Domingues

  • 15

    O controle externo e os novos modelos de gesto de servios pblicos As organizaes sociais

    Prefcio

    O Tribunal de Contas do Estado da Bahia tem a grata sa-tisfao de divulgar, por meio desta publicao, a obra O controleexterno e os novos modelos de gesto de servios pblicos. As organi-zaes sociais, de autoria do Dr. Carlos Vasconcelos Domingues,vencedora, no ano de 1998, do Prmio Oswaldo Velloso Gordilho,concedido anualmente pelo rgo de contas ao melhor trabalhoelaborado por seus tcnicos, em matria de controle externo.

    Ao publicar esta importante obra, cujo tema do mais altointeresse para a administrao pblica, o Tribunal de Contas pres-ta, a um s tempo, inestimvel servio comunidade e uma justahomenagem ao seu ilustre autor, cujo inesperado falecimento abreenorme lacuna nos quadros da instituio.

    Auditor de controle externo, com formao em cincias jur-dicas e sociais, Mestrado em Direito Administrativo pela Universi-dade de Paris, Mestrado e Doutorado em Cincia Administrativapela Sorbonne, o Dr. Carlos Vasconcelos Domingues era o maisantigo servidor do Tribunal de Contas em atividade, tendo se no-tabilizado pela sua destacada atuao, para alm dos limites do

  • 16

    Tribunal de Contas do Estado da Bahia Carlos Vasconcelos Domingues

    servio pblico estadual, como consultor de desenvolvimento or-ganizacional e, nos meios culturais baianos, em que tambm dig-na de referncia a sua participao como analista, organizador ecineasta, com inmeros filmes realizados.

    Dirigindo, na atual gesto, o CEDASCCentro de Processa-mento de Dados e Auditoria de Sistemas Computadorizados,autarquia vinculada ao Tribunal de Contas, liderava uma arroja-da reorganizao daquela entidade, reformulando completamentea sua estrutura e o seu funcionamento, com avanos que j des-pontavam na automao dos processos auditoriais, atravs da im-plementao de novas tecnologias e de novos procedimentos naavaliao dos resultados governamentais.

    Era um entusiasta do atual momento de transformao doTribunal de Contas e estava plenamente empenhado no projeto demodernizao do controle externo, acreditando que a renovao deprocessos e comportamentos, em andamento no rgo, deveria seraprofundada, em busca do aprimoramento da eficcia, eficincia eefetividade no desempenho da sua funo auditorial e fiscalizadora.

    Compreendia o Tribunal de Contas no seu contexto maisamplo, relacionando o controle externo s transformaes queacontecem aceleradamente no mundo, em todo os setores e nveis,fazendo emergir um novo modelo de administrao pblica.

    No que concerne presente obra, produziu trabalho de rarasensibilidade e descortino, que d bem uma amostra das suas ex-traordinrias qualidades de intelectual. Dotado de incomparvelcapacidade de reflexo e de vasta bagagem cultural, que surpreen-dia pelo seu alcance enciclopdico, trata, neste estudo, de assuntoque desborda da viso do quadro legal, para alcanar aspectos po-lticos, sociais e econmicos.

    Por conseguinte, a sua divulgao uma valiosa contribui-o ao esclarecimento do tema das organizaes sociais, cujo de-

  • 17

    O controle externo e os novos modelos de gesto de servios pblicos As organizaes sociais

    bate permanece atual e pertinente, em virtude das questes que oseu tratamento suscita, desafiando estudiosos, gerentes e gestorespblicos, juristas, socilogos e polticos.

    As organizaes sociais constituem profunda inovao na ad-ministrao pblica brasileira, transformando o modelo de gestoburocrtica, que passa a no depender exclusivamente da atuaoestatal, buscando, em contrapartida, a colaborao de entidades,que apesar de no serem pblicas e, portanto, estatais, assumem,de forma equivalente, papis antes reservados aos entes estatais.

    O carter social que designava determinadas atribuies dopoder estatal transfere-se, portanto, iniciativa dessas novas or-ganizaes, de modo que, com esta reformulao, o carter pbli-co, que era exclusivamente estatal, alarga-se para compreender aatuao de entidades que, no sendo governamentais, vinculam-se, pela sua natureza, ao interesse pblico mais amplo, em virtudedo seu carter social.

    Tratando de matria to complexa, a exigir elevado grau deabstrao, a presente obra apresenta, entre os seus inegveis mri-tos, alm do tema escolhido, a forma como foi esquematizado econcatenado o seu contedo, com cuidado metodolgico.

    Bem ao seu estilo, o Dr. Carlos Vasconcelos deslinda, compropriedade e apurado rigor de anlise, os aspectos abordados,construindo, a cada captulo, um panorama mais ntido, traadocom amplitude de horizontes, que revela o seu objeto com clareza.

    Da, o inequvoco proveito desta obra, que, incorporando-seao acervo de publicaes realizadas por este Tribunal de Contas,permite resgatar, para a memria da Casa, o pensamento e o exem-plo do seu saudoso autor.

    Adhemar Martins Bento GomesPresidente do TCE/BA

  • 18

    Tribunal de Contas do Estado da Bahia Carlos Vasconcelos Domingues

  • 19

    O controle externo e os novos modelos de gesto de servios pblicos As organizaes sociais

    Introduo

    As profundas transformaes que, atingindo a sociedade, tmimpactado a administrao pblica esto a exigir, do controle externo,novas formas de atuao, sob pena de, a mdio prazo, assistir-se aoesgotamento do atual modelo, preponderantemente jurisdicional, dosTribunais de Contas, o qual vem sendo questionado sob os aspectospoltico, tcnico, tico e econmico-financeiro. Tanto assim que, porocasio do processo de reviso da Constituio promulgada em 1988,houve propostas de reorganizao do sistema de controle externo, demodo a atribuir o exerccio dessa atividade a empresas de auditoria dosetor privado ou a um rgo do Congresso Nacional, inspirado nomodelo anglo-saxnico, o que conduziria extino dos

Recommended

View more >