o conselho regional de medicina do estado do ceará continuará

Download O Conselho Regional de Medicina do Estado do Ceará continuará

Post on 28-Jan-2017

214 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Editorial LUTAS

    O Conselho Regional de Medicina do Estado do Cear continuar

    envidando esforos para que os doentes sejam bem atendidos e os

    mdicos exeram seu mister em condies

    dignas.

    INFORMATIVO DO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DO CEAR - N 109 - JAN/FEV DE 2015

    Pgs. 2 e 3 Pgs. 4 e 5 Pgs. 6 e 7 Pg. 8

    PARA USO DOS CORREIOS

    MUDOU-SEDESCONHECIDORECUSADOENDEREO INSUFICIENTENO EXISTE O NMERO INDICADO

    FALECIDOAUSENTENO PROCURADOINFORMAO ESCRITA PELO PORTEIRO OU SINDICO

    REINTEGRADO AO SERVIO POSTAL

    EM____/___/___ ___________________

    60 Anos de Mdico (artigo)

    A Segurana do Paciente (artigo)

    Fechando a edio: jan / fev / 2015

    Atividades Conselhais

    Jurdico / Pareceres

    Curso de Atualizao em Pronturio Eletrnico

    Cacoethes Scribendi (artigo)

    Entrega da Medalha de Honra ao Mrito tico-Profissional e do Diploma de Mrito tico-Profissional e Discursos

    No dia 4 de fevereiro de 2015, o Dirio Oficial da Unio publicou deciso do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econmica, autarquia federal vinculada ao Ministrio da Jus-tia) multando o Conselho Regional de Medicina do Estado do Cear, o Sindicato dos Mdicos do Cear e a Associao Mdica Cearense. O motivo? O CREMEC, o SIMEC e a AMC lide-raram, nos idos de 2002, movimento pela corre-o dos honorrios pagos aos mdicos por uma operadora de planos de sade, o HAP-VIDA, a qual formulou denncia Agncia Nacional de Sade Suplementar (ANS), considerando que as atitudes das entidades mdicas configuravam grave ofensa aos princpios constitucionais da livre concorrncia e da livre iniciativa. Da, a denncia foi para o Ministrio da Justia. No julgamento do CADE, (vide reproduo do dirio oficial na pgina 08) a conduta da representao mdica cearense foi vista como leso livre concorrncia, economia e aos consumidores. difcil compreender e aceitar que pugnar em defesa da melhoria de uma remunerao reco-nhecidamente baixa, em alguns casos expressa em valores vergonhosos, possa levar a punies severas. Evidentemente, o Conselho Regional de Medicina ir aos tribunais, recorrer ao Poder Judicirio para expor as razes dos mdicos e o aparente contrassenso da draconiana medida do CADE.

    Tambm no incio de 2015, ocorreu deba-te na sede do Conselho de Medicina do Cear acerca da desativao de leitos peditricos no municpio de Fortaleza. O tema foi levantado pela Sociedade Cearense de Pediatria, atravs de sua presidente, a Dra. Francielze Lavor, a qual participou de uma sesso plenria do CREMEC, relatando as inquietaes dos pediatras ante a crescente dificuldade para o atendimento e a hos-pitalizao de crianas, particularmente aquelas em estado mais grave, dada a escassez e baixa resolutividade dos leitos da rede pblica muni-

    cipal. Enquanto isto, o Hospital Infantil Albert Sabin se v sobrecarregado, com todos os leitos ocupados e os profissionais trabalhando acima do limite do que racionalmente recomendado. A situao se torna mais preocupante, tendo em vista notcia recente de venda de um tradicional hospital peditrico privado para um plano de sade. Dada a relevncia do assunto, o CRM convidou a Secretria de Sade de Fortaleza, Dra. Socorro Martins, e os diretores dos Gonzagui-nhas, do Hospital Nossa Senhora da Conceio e do CROA (Centro de Assistncia Criana), para exame detalhado da matria. Ao final das discusses, em que foi apontada a necessidade

    de requalificao dos leitos peditricos e consti-tuio de equipes preparadas para dar a melhor soluo aos problemas clnicos dos pacientes, foi formado um grupo de trabalho incluindo a Sociedade Cearense de Pediatria, a Secretaria de Sade de Fortaleza e o Conselho Regional de Medicina, com a definio de que, com bre-vidade, os resultados dos estudos e anlises do problema e as respectivas propostas de soluo sero apresentados ao CREMEC, sempre tendo por pensamento condutor o intuito de contribuir para que as crianas cearenses sejam tratadas com zelo, ateno, solidariedade, competncia

    tcnico-cientfica e humanismo. J em 4 de fevereiro de 2015, o Conselho

    de Medicina fez nova visita de verificao s instalaes da PEFOCE (Percia Forense do Cear, anteriormente IML Instituto Mdico Legal), averiguando as condies de trabalho dos mdicos legistas. No dia seguinte, 5 de fevereiro de 2015, o Presidente do CREMEC, Dr. Ivan Moura F, o Presidente do Sindicato dos Mdi-cos, Dr. Jos Maria Pontes, e o Dr. Josebson Silva Dias, mdico legista de Canind, estiveram em audincia com o Secretrio de Segurana Pblica e Defesa Social do Estado, Dr. Delci Carlos Tei-xeira, levando o pleito de que fossem chamados os 52 mdicos legistas da 2 Turma de aprovados no Concurso da PEFOCE, realizado em 2011 e que tem validade somente at abril prximo. Ressalte-se que o aludido concurso resultou de longo esforo de mobilizao das entidades mdicas cearenses, tendo frente o CREMEC e o SIMEC. No razovel deixar caducar o concurso j efetivado e ter logo que comear a discutir um novo certame, at mesmo porque a correta medida do governo estadual no sentido de ampliar os ncleos da PEFOCE para vrias cida-des do interior do Estado, a exemplo de Iguatu, Quixeramobim, Tau, Canind e Russas, alm de Juazeiro do Norte, e Sobral, torna imprescindvel a contratao de mais profissionais legistas, a fim de que o labor tcnico desses especialistas, to importante para, inclusive, subsidiar a justia na apurao de crimes, se d de forma mais rpida e abrangente.

    O Conselho Regional de Medicina do Esta-do do Cear continuar envidando esforos para que os doentes sejam bem atendidos e os mdicos exeram seu mister em condies dignas.

    Dr. Ivan de Arajo Moura F

    Presidente do CREMEC

  • cremec@cremec.org.br2 Jornal Conselho

    AVISO IMPORTANTE II: Emisso de documento por meio eletrnico. O Conselho Regional de Medicina do Cear informa que os seguintes documentos esto disponveis no site

    do CREMEC (www.cremec.org.br): 1- Emisso de segunda via de boleto de anuidade;2- Certido de quitao de pessoa fsica e jurdica.

    AVISO IMPORTANTE I: Resoluo CFM n 2.108/2014: Fixa os valores das anuidades e taxas para o exerccio de 2015 e d outras providncias.

    Maiores Informaes: www.portalmedico.org.br

    jurdico/pareceres/ementas 2014

    PARECER CREMEC N. 11/2014Assunto: Conteno fsica de pacientesParecerista: Dra. Stela Norma Benevides CasteloEmenta: A conteno fsica um tratamento administrado a paciente, devendo ser prescrita por mdico e registrada em pronturio, quando for o meio mais adequado para prevenir dano imediato ou iminente ao prprio paciente ou a terceiros.

    PARECER CREMEC N. 12/2014Assunto: Cmara de Segurana em Sala de NecrpsiaRelator: Cons. Jos Mlbio Oliveira RolimEmenta: No h previso tica e legal para a gravao de imagens durante o exame de percia mdico-legal (necrpsia) com o objetivo de monitoramento do trabalho do perito legista.

    PARECER CREMEC N. 13/2014Assunto: Atendimento de menor desacompanhadoParecerista: Conselheiro Helvcio Neves FeitosaEmenta: A manuteno da privacidade e do sigilo do atendimento deve ser a regra no atendimento de adolescentes.

    A criana e o adolescente gozam de prioridade (precedncia de atendimento) com relao aos pacientes adultos. Em crianas, somos de opinio que o atendimento eletivo seja feito sempre com o acompanhamento dos pais ou responsveis legais. Em casos de urgncia/emergncia, a prioridade de salvar a vida/reduzir danos se sobrepe necessidade de acompanhamento.

    PARECER CREMEC N. 14/2014Assunto: Critrios prioritrios para o atendimento em servios hospitalares deemergncia.Relator: Cons. Jos Carlos Figueiredo MartinsEmenta: O mdico, quando em atendimento nos servios de urgncia e emergncia, deve avaliar a gravidade dos pacientes, priorizar aqueles com risco mais elevado de agravamento da situao (caso o atendimento seja postergado) e definir a melhor conduta, de acordo com a disponibilidade de recursos tcnicos e de pessoal

    PARECER CREMEC N. 15/2014Assunto: Retorno de ConsultaParecerista: Conselheiro Lcio Flvio Gonzaga Silva

    Ementa: A afer io de exames complementares para definio do diagnstico e da conduta teraputica faz parte da consulta, a torna completa e no deve gerar cobrana de honorrios.

    PARECER CREMEC N. 16/2014Assunto: Uso do jaleco fora do local de trabalhoParecerista: Conselheiro Lcio Flvio Gonzaga SilvaEmenta: recomendvel a no utilizao do jaleco fora do ambiente de trabalho.

    PARECER CREMEC N. 17/2014Assunto: Mquina de Carto de Crdito em ConsultrioParecerista: Conselheiro Lcio Flvio Gonzaga SilvaEmenta: O mdico pode facilitar o pagamento de seus honorrios, quando solicitado pelo paciente, inclusive disponibilizando-o a faz-lo via carto de crdito. No h vedao tica quanto a isso. O que ele no pode fazer tornar pblica esta modalidade de benefcio, o que caracterizaria promoo e concorrncia desleal, o que proibido pelas normas ticas.

  • Jornal Conselho 3cremec@cremec.org.br

    COMISSO EDITORIALDalgimar Beserra de Menezes

    Ftima Sampaio

    CREMEC: Rua Floriano Peixoto, 2021 - Jos Bonifcio

    CEP: 60.025-131

    Telefone: (85) 3230.3080

    Fax: (85) 3221.6929

    www.cremec.org.br

    E-mail: cremec@cremec.org.br

    Jornalista responsvel: Fred Miranda

    Projeto Grfico: Wiron

    Editorao Eletrnica: Jlio Amadeu

    Impresso: Grfica Cearense

    CONSELHEIROS

    Alberto Farias Filho Ana Lcia Arajo Nocrato

    Carlos Leite de Macdo Filho Cludio Gleidiston Lima da Silva Erico Antonio Gomes de Arruda

    Flvio Lcio Pontes Ibiapina Francisco Alequy de Vasconcellos Filho

    Francisco de Assis Almeida Cabral Francisco Dias de Paiva

    Francisco Flvio Leito de Carvalho Filho Gentil Claudino de Galiza Neto

    Helly Pinheiro Ellery Ins Tavares Vale e Melo

    Joo Nelson Lisboa de Melo Jos Ajax Nogueira Queiroz

    Jos Albertino Souza Jos Carlos Figueiredo Martins

    Jos Fernandes Dantas

Recommended

View more >