O brasil na pré-história

Download O brasil na pré-história

Post on 20-Jul-2015

87 views

Category:

Education

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>O Brasil antes do BrasilQuando os europeus nem pensavam em aportar por aqui, nosso territrio j era ocupado por diversas sociedades organizadas que pouco a pouco se tornam mais conhecidas DBORA DIDON novaescola@atleitor.com.br Colaborou DECA PINTO</p><p>Infografia ALESSANDRO MEIGUINS, SATTU E LUIZ IRIA</p><p>Os stios arqueolgicosVestgios de civilizaes que aqui viveram h milhares de anos, alm de ossadas de animais hoje extintos, esto espalhados pelo pas</p><p>Local: Monte Alegre, PADescoberta: conjunto de 14 stios com pinturas rupestres de cerca de10 mil anos em grutas e paredes a cu aberto</p><p>MONTE ALEGRE Local: So Raimundo Nonato, PI Descoberta: restos de carvo fossilizado, o registro mais antigo do homem nas Amricas, de mais de 40 mil anos</p><p>TOCA DO BOQUEIRO DA PEDRA FURADA </p><p>Local: Lagoa Santa, MGDescoberta: cerca de 500 esqueletos humanos, alm do crnio de Luzia, o mais antigo das Amricas, com 11,5 mil anos</p><p>LAPA VERMELHA </p><p>Local: Rio Claro, SPDescoberta: vestgios lticos (artefatos de pedra produzidos pelo homem) com mais de 14 mil anos</p><p>ALICE BOER</p><p>Local: Iranduba, AMDescoberta: vestgios de habitaes em torno de uma praa central e vala defensiva construda h mil anos</p><p>HATAHARA </p><p>Local: Ilha do Maraj, PADescoberta: vestgios de mais de 30 aterros que serviam como palafitas e peas de cermica marajoara com mais de mil anos</p><p>CAMUTINS </p><p>Local: Parque Indgena do Xingu, MTDescoberta: depresses terrestres indicando que conjuntos de aldeias se ligavam por largas estradas h 1,1 mil anos</p><p>ALDEIA KUIKURO DE IPATSE </p><p>Local: Florianpolis, SCDescoberta: com 30 metros de altura e 200 de dimetro, o maior depsito de conchas e ossadas do mundo, com mais de 3,7 mil anos</p><p>SAMBAQUI GAROPABA DO SUL</p><p>Local: Ilha do Cardoso, SPDescoberta: um dos mais antigos do pas, com 8 mil anos, construdo em terra firme e ocultado pelas variaes do nvel do mar</p><p>SAMBAQUI SUBMERSO IPATSE </p><p>Local: Chapada Diamantina, BADescoberta: esqueleto completo de uma preguia-gigante, de 11 mil anos, alm de ossos de outros animais, como o mastodonte</p><p>GRUTA ALAGADA DO POO AZUL </p><p>CapaHistria</p><p>A pr-histria do Brasil e do mundo</p><p>Europa, sia e frica Brasil e Amrica</p><p>PALEOLTICO MESOLTICO</p><p>PALEONDIO ARCAICO FORMATIVO OU HORTICULTORANCESTRAISVive o homem de Toumai, a mais antiga espcie anterior humana, encontrada no deserto do Chade, na frica Central</p><p>7 milhes*</p><p>DUAS PERNASA espcie humana est desenvolvida. O Homo sapiens arcaico adquire posio ereta e usa as mos para produzir ferramentas</p><p>200 mil anos</p><p>FOGOVive onde hoje o Piau, e l acende fogueiras, o homem de Pedra Furada, o mais antigo das Amricas</p><p>40 mil anos</p><p>CAA E FOGOAdaptado natureza, o homem usa o fogo para espantar animais. coletor e caador e fabrica objetos de pedra lascadaTRAL</p><p>12 mil anos</p><p>ARTEO homem domestica animais e desenvolve a agricultura. Tambm produz peas com preocupao esttica, como a cermicaRAL</p><p>7 mil anos</p><p>ANIMAISNmades dividem espao com grandes animais. Onde hoje Minas Gerais viveu a mulher chamada por estudiosos de Luzia</p><p>11 mil anos</p><p>SEDENTARISMOA agricultura se desenvolve, e os territrios so ocupados com obras como estradas e barragens</p><p>4 mil anos</p><p>ERA GLACIALO frio em reas de glaciaes leva o homem a se refugiar em cavernas e a usar o fogo para obter aquecimento e luz</p><p>9 mil anos</p><p>METAISA tcnica da metalurgia com ferro e bronze usada, por exemplo, para conter enchentes entre o povo mesopotmico</p><p>TECNOLOGIASociedades seminmades aprimoram tcnicasde caa, pesca e moradia, como os povos dos sambaquis</p><p>2 mil anos</p><p>GLOBALIZAOOs europeus buscam novas terras. A esquadra de Colombo chega Amrica em 1492 e a de Cabral,ao Brasil em 1500</p><p> 500 anos</p><p>ESCRITAA escrita surge na China, com smbolos pictricos; no Egito, com os hierglifos; e, na Mesopotmia, em forma cuneiforme DE CHADE, NA FRICA CENTRAL</p><p>5 mil anos11,5 mil anos</p><p>* Datao em A. P. (antes do presente)</p><p>NEOLTICO</p></li><li><p>CapaHistria</p><p>A fora femininaVestgios de 2 mil anos atrs encontrados na Ilha de Maraj revelam sociedade de linhagem materna</p><p>Moradias nas alturasElevaes construdas h 9 mil anos sinalizam como civilizaes da Amaznia se adaptavam natureza</p><p>Cuidar da plantao tambm era atribuio das mulheres. J conhecedoras de tcnicas de cultivo e manejo, elas ainda tinham a responsabilidade de transformar a mandioca, planta venenosa, em produtos como farinha e tapioca</p><p>TrAbAlHo AgrColAArTIsTAs dE prIMEIrAO artifcio da cermica se concentrava nas mos das mulheres, responsveis por toda a produo, da escolha da argila modelagem. Elas dominavam tcnicas de queima, feita em fornos montados em valas, alm da pintura dos objetos</p><p>rITo dE pAssAgEMJovens de famlias abastadas passavam por um ritual no incio da adolescncia. Para a cerimnia, tinham os corpos pintados e usavam uma tanga de cermica decorada com traos referentes aos genitais. Mulheres idosas ou casadas usavam tangas lisas</p><p>As marajoaras viravam artess ainda crianas, orientadas por familiares. A presena de um contingente de mo-de-obra experiente, que inclua figuras na chefia do processo, demonstra que j havia excedente de alimentos, graas s roas cultivadas nas aldeias</p><p>produo orgAnIzAdA</p><p>Mesmo com a aldeia localizada em uma regio alta e livre de alagamentos, a terra ficava bastante mida com as cheias. Os montculos serviam para conter o excesso de gua e impedir que a umidade atingisse as cabanasconstrudas sobre a estrutura</p><p>doIs AndArEs</p><p>A formao das aldeias e a quantidade de pessoas envolvidas nas construes indicam que havia uma diviso de tarefas ntida nessa sociedade. Pessoas com maior poder assumiam posio de comando no trabalho, e a elas eram reservados os maiores montculos</p><p>HIErArquIA dEfInIdA</p><p>As construes eram finalizadas em curto espao de tempo. Um grande nmero de homens se mobilizava na comunidade para levantar cada montculo. A terra utilizada na obra era retirada de uma rea prxima e transportada em cestos de palha</p><p>EM MuTIro</p><p>Com cerca de 2 metros de altura e 20 de comprimento, os montculos eram erguidos com dois tipos de matria-prima, terra preta e cacos de cermica restos de vasos e objetos de uso domstico geralmente sem decorao , dispostos em camadas intercaladas</p><p>pAlAfITA dE TErrA</p><p>Montculos eram parte importante de celebraes na aldeia. Num deles foi encontrado um sepultamento coletivo com corpos cobertos pela estrutura de terra e cermica</p><p>sobrE MorTos</p><p>fo</p><p>to</p><p>s m</p><p>ar</p><p>ce</p><p>lo z</p><p>oc</p><p>ch</p><p>io</p></li><li><p>CapaHistria</p><p>Engenharia praieiraH 10 mil anos, nmades se fixaram beira-mar, marcando sua cultura com edifcios de conchas</p><p>Noes cartogrficasMarcas de estradas de 1,1 mil anos atrs remetem a uma civilizao bem organizada na regio do Xingu Havia de oito a 12 aldeias em </p><p>um conjunto de quase 30 mil quilmetros quadrados: umaou duas principais, vrias secundrias e de cinco a dez menores. Como numa confederao, cada grupo e cada aldeia tinham um lder com o mesmo poder dos demais</p><p>ALDEIA MULTICNTRICA</p><p>As estradas serviam de comunicao entre aldeias e conjuntos. Com at 50 metros de largura e, em mdia, 5 quilmetros de extenso, seguiam a direo dos pontos cardeais, sempre mantendo distncias similares</p><p>MALHA VIRIA</p><p>BLOQUEIO PODEROSO</p><p>Em reas ao lado das aldeias havia mosaicos de roas de mandioca, rvores frutferas e vegetao secundria. As matas altas ficavam mais distantes. Como acreditavam ter parentesco com a floresta, os xinguanos desmatavam apenas o necessrio para os assentamentos</p><p>AUTO-SUSTENTVEIS A localizao das aldeias era determinada pelo sol e tambm seguia os pontos cardeais. As entradas formais ficavam a leste e a oeste. As casas dos caciques, ao norte e ao sul. De pontos intermedirios partiam estradas secundrias</p><p>UM LUGAR AO SOL</p><p>Chamadas de paliadas, estas barreiras eram utilizadas para demarcar territrio e como defesa contra inimigos </p><p>Durante a construo dos sambaquis, mortos eram enterrados junto com seus objetos pessoais em covas delimitadas por toras de madeira. Os corpos formavam uma das camadas do monumento. No fim do ritual funerrio, era erguida uma base em que se acendia uma fogueira</p><p>MONTANHA DE CORPOS</p><p>Cada comunidade construa seus sambaquis para atender a demandas especficas. Um monumento podia dobrar de tamanho rapidamente com o objetivo de demarcar o territrio. Cumprida essa funo, continuava a subir at que servisse, por exemplo, de mirante beira-mar</p><p>DIFERENTES UTILIDADES</p><p>Sambaquis de uma mesma poca e tamanhos diversos indicam que grupos mais populosos e com mais prestgio dispunham de edificaes maiores. Com novas camadas acrescentadas a cada gerao, podiam chegar a 30 metros de altura e 200 de dimetro</p><p>PROVA DE RIQUEZA</p><p>Com o domnio de tecnologias de pesca, como a construo de embarcaes, os sambaquieiros conseguiam buscar alimentos em alto-mar. Artefatos como anzis e flechas feitos com ossos e lanas de pedra lascada eram utilizados para a captura de animais marinhos</p><p>FRUTOS DO MAR</p><p>A edificao reunia restos de animais marinhos, como peixes, tubares e arraias, objetos utilizados no cotidiano, como lminas de machado, agulhas e anzis, e ossadas humanas. Tudo era coberto por conchas, moluscos e areia e sustentado por toras</p><p>MATERIAIS DIVERSOS</p><p>construo dos sambaquis</p><p>fogueira do ritual</p></li><li><p>Quando os bichos dominavamMamferos gigantes ocuparam todo o pas h 30 milhes de anos e foram extintos pelo calor</p><p>CapaHistria</p><p>Um dos maiores mamferos americanos, a espcie Eremotherium rusconii chegava a pesar mais de 5 toneladas e a medir 6 metros de comprimento. Com garras potentes e sem inimigos naturais, s foi extinta aps 300 mil anos</p><p>PREGUIA-GIGANTE</p><p>A megafauna da pr-histria brasileira era formada por 150 tipos de animais. Um dos maiores, o tigre-dentes-de-sabre, pesava cerca de 400 quilos. A anta, de porte mdio, estava entre os mais caados</p><p>FAUNA ANTIGA</p><p>Os habitantes mais antigos do Brasil, como Luzia, de 11,5 mil anos, conviveram por pelo menos 2 mil anos com animais de grande porte, em uma paisagem de cerrados, bem diferente da existente hoje </p><p>HOMENS E BICHOS</p><p>Apesar de caarem animais de grande porte, os primeiros grupos de humanos do Brasil no foram responsveis pelo extermnio deles. Isso ocorreu ao fim da era glacial, 10 mil anos atrs, devido ao impacto das mudanas climticas</p><p>S PARA ALIMENTAO</p><p>ossos da patada preguia</p></li></ul>