NR 13 - Caldeiras e Vasos de Pressão

Download NR 13 - Caldeiras e Vasos de Pressão

Post on 18-Dec-2015

40 views

Category:

Documents

29 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

NR 13 - Caldeiras e Vasos de Presso

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Formatada por: Marina Monteiro de Freitas </p><p>Norma Regulamentadora 13 </p><p>Caldeiras e Vasos de Presso </p></li><li><p> 1 </p><p>Sumrio 1. Caldeiras a Vapor Disposies Gerais ..................................................................................... 2 </p><p>2. Instalao de Caldeiras a Vapor ................................................................................................. 4 </p><p>3. Segurana na Operao de Caldeiras ......................................................................................... 6 </p><p>4. Segurana na Manuteno de Caldeiras .................................................................................... 8 </p><p>5. Inspeo de Segurana de Caldeiras .......................................................................................... 9 </p><p>6. Vasos de Presso Disposies Gerais .................................................................................... 12 </p><p>7. Instalao de Vasos de Presso ............................................................................................... 13 </p><p>8. Segurana na Operao de Vasos de Presso ......................................................................... 14 </p><p>9. Segurana na Manuteno de Vasos de Presso .................................................................... 16 </p><p>10. Inspeo de Segurana de Vasos de Presso........................................................................... 17 </p><p>Anexo I A Currculo mnimo para Treinamento de Segurana na Operao de </p><p>Caldeiras ................................................................................................................................. 20 </p><p>Anexo I B Currculo mnimo para Treinamento de Segurana na Operao de Unidades </p><p>de Processo ............................................................................................................................ 23 </p><p>Anexo II Requisitos para Certificao de Servio Prprio de Inspeo de Equipamentos </p><p> ................................................................................................................................................... 25 </p><p>Anexo III Aplicao desta Norma Regulamentadora............................................................ 26 </p><p>Anexo IV Classificao de Vasos de Presso ......................................................................... 27 </p></li><li><p> 2 </p><p>NR-13 - CALDEIRAS E VASOS DE PRESSA O </p><p>1. Caldeiras a Vapor - Disposies Gerais </p><p>1.1. Caldeiras a vapor so equipamentos destinados a produzir e acumular vapor sob </p><p>presso superior a atmosfrica, utilizando qualquer fonte de energia, excetuando-se os </p><p>refervedores1 e equipamentos similares utilizados em unidades de processo. </p><p>1.2. Para efeito desta NR, considera-se "Profissional Habilitado" aquele que tem </p><p>competncia legal para o exerccio da profisso de engenheiro nas atividades referentes </p><p>a projeto de construo, acompanhamento de operao e manuteno, inspeo e </p><p>superviso de inspeo de caldeiras e vasos de presso, em conformidade com a </p><p>regulamentao profissional vigente no Pas. </p><p>1.3. Presso Mxima de Trabalho Permitida (PMTP) ou Presso Mxima de Trabalho </p><p>Admissvel (PMTA) o maior valor de presso compatvel com o cdigo de projeto, a </p><p>resistncia dos materiais utilizados, as dimenses do equipamento e seus parmetros </p><p>operacionais. </p><p>1.4. Constitui risco grave e iminente a falta de qualquer um dos seguintes itens: </p><p>a) vlvula de segurana com presso de abertura ajustada em valor igual ou inferior </p><p>PMTA; </p><p>b) instrumento que indique a presso do vapor acumulado; </p><p>c) injetor ou outro meio de alimentao de gua, independente do sistema principal, em </p><p>caldeiras a combustvel slido; </p><p>d) sistema de drenagem rpida de gua, em caldeiras de recuperao de lcalis2; </p><p>e) sistema de indicao para controle do nvel de gua ou outro sistema que evite o </p><p>superaquecimento por alimentao deficiente. </p><p>1.5. Toda caldeira deve ter afixada em seu corpo, em local de fcil acesso e bem visvel, </p><p>placa de identificao indelvel3 com, no mnimo, as seguintes informaes: </p><p>a) fabricante; </p><p>b) nmero de ordem dado pelo fabricante da caldeira; </p><p>c) ano de fabricao; </p><p>d) presso mxima de trabalho admissvel; </p><p>e) presso de teste hidrosttico; </p><p> 1 Refervedor um trocador de calor normalmente utilizado para fornecer calor para a parte inferior de </p><p>colunas de destilao industrial. (Wikipdia 20/12/2012) 2 lcali ou base qualquer substncia que libera nica e exclusivamente o nion OH</p><p>-. (Wikipdia 20/12/2012) </p><p>3 Indelvel Que no se apagar. (Dicio.com.br 20/12/2012) </p></li><li><p> 3 </p><p>f) capacidade de produo de vapor; </p><p>g) rea da superfcie de aquecimento; </p><p>h) cdigo de projeto e ano de edio. </p><p>1.5.1. Alm da placa de identificao deve constar em local visvel, a categoria de </p><p>caldeira, conforme definida no subitem 1.9 desta NR, e seu nmero ou cdigo de </p><p>identificao. </p><p>1.6. Toda caldeira deve possuir no estabelecimento onde estiver instalada, a seguinte </p><p>documentao, devidamente atualizada: </p><p>a) "Pronturio da Caldeira", contendo as seguintes informaes: </p><p>- cdigo de projeto e ano de edio; </p><p>- especificao dos materiais; </p><p>- procedimentos utilizados na fabricao, montagem, inspeo final e determinao da </p><p>PMTA; </p><p>- conjunto de desenhos e demais dados necessrios para o monitoramento da vida til </p><p>da caldeira; </p><p>- caractersticas funcionais; </p><p>- dados dos dispositivos de segurana; </p><p>- ano de fabricao; </p><p>- categoria da caldeira. </p><p>b) "Registro de Segurana", em conformidade com o subitem 1.7; </p><p>c) "Projeto de Instalao", em conformidade com item 2; </p><p>d) "Projetos de Alterao ou Reparo", em conformidade com os subitens 4.2 e 4.3; </p><p>e) "Relatrios de Inspeo", em conformidade com os subitens 5.11, 5.12 e 5.13. </p><p>1.6.1. Quando inexistente ou extraviado, o "Pronturio da Caldeira" deve ser </p><p>reconstitudo pelo proprietrio, com responsabilidade tcnica do fabricante ou de </p><p>"Profissional Habilitado", citado no subitem 1.2, sendo imprescindvel a reconstituio </p><p>das caractersticas funcionais dos dados dos dispositivos de segurana e dos </p><p>procedimentos para determinao da PMTA. </p><p>1.6.2. Quando a caldeira for vendida ou transferida de estabelecimento, os documentos </p><p>mencionados nas alneas "a", "d" e "e" do subitem 1.6 devem acompanh-la. </p></li><li><p> 4 </p><p>1.6.3. O proprietrio da caldeira dever apresentar, quando exigido pela autoridade </p><p>competente do rgo Regional do Ministrio do Trabalho, a documentao mencionada </p><p>no subitem 1.6. </p><p>1.7. O "Registro de Segurana" deve ser constitudo de livro prprio, com pginas </p><p>numeradas, ou outro sistema equivalente onde sero registradas: </p><p>a) todas as ocorrncias importantes capazes de influir nas condies de segurana da </p><p>caldeira; </p><p>b) as ocorrncias de inspees de segurana peridicas e extraordinrias, devendo </p><p>constar o nome legvel e assinatura de "Profissional Habilitado", citado no subitem 1.2, e </p><p>de operador de caldeira presente na ocasio da inspeo. </p><p>1.7.1. Caso a caldeira venha a ser considerada inadequada para uso, o "Registro de </p><p>Segurana" deve conter tal informao e receber encerramento formal. </p><p>1.8. A documentao referida no subitem 1.6 deve estar sempre disposio para </p><p>consulta dos operadores, do pessoal de manuteno, de inspeo e das representaes </p><p>dos trabalhadores e do empregador na Comisso Interna de Preveno de Acidentes - </p><p>CIPA, devendo o proprietrio assegurar pleno acesso a essa documentao. </p><p>1.9. Para os propsitos desta NR, as caldeiras so classificadas em 3 (trs) categorias </p><p>conforme segue: </p><p>a) caldeiras da categoria "A" so aquelas cuja presso de operao igual ou superior a </p><p>1960 kPa (19,98 Kgf/cm2); </p><p>b) caldeiras categoria "C" so aquelas cuja presso de operao igual ou inferior a 588 </p><p>kPa (5,99 Kgf/cm2) e o volume interno e igual ou inferior a 100 litros; </p><p>c) caldeiras categoria "B" so todas as caldeiras que no se enquadram nas categorias </p><p>anteriores. </p><p>2. Instalao de Caldeiras a Vapor </p><p>2.1. A autoria do "Projeto de Instalao" de caldeiras a vapor, no que concerne ao </p><p>atendimento desta NR, de responsabilidade de "Profissional Habilitado", conforme </p><p>citado no subitem 1.2, e deve obedecer os aspectos de segurana, sade e meio ambiente </p><p>previstos nas Normas Regulamentadoras, convenes e disposies legais aplicveis. </p><p>2.2. As caldeiras de qualquer estabelecimento devem ser instaladas em "Casa de </p><p>Caldeiras" ou em local especfico para tal fim, denominado "rea de Caldeiras". </p><p>2.3. Quando a caldeira for instalada em ambiente aberto, a "rea de Caldeiras" deve </p><p>satisfazer os seguintes requisitos: </p><p>a) estar afastada de, no mnimo 3 (trs) metros de: </p><p>- outras instalaes do estabelecimento; </p></li><li><p> 5 </p><p>- de depsitos de combustvel excetuando-se reservatrios para partida com at 2.000 </p><p>(dois mil) litros de capacidade; </p><p>- do limite de propriedade de terceiros; </p><p>- do limite com as vias pblicas. </p><p>b) dispor de pelo menos 2 (duas) sadas amplas, permanentemente desobstrudas e </p><p>dispostas em direes distintas; </p><p>c) dispor de acesso fcil e seguro, necessrio a operao e a manuteno da caldeira, </p><p>sendo que, para guardacorpos vazados, os vos devem ter dimenses que impeam a </p><p>queda de pessoas; </p><p>d) ter sistemas de captao e lanamento dos gases e material particulado, provenientes </p><p>da combusto, para fora da rea de operao, atendendo as normas ambientais vigentes; </p><p>e) dispor de iluminao conforme normas oficiais vigentes; </p><p>f) ter sistema de iluminao de emergncia, caso operar noite. </p><p>2.4. Quando a caldeira estiver instalada em ambiente confinado, a "Casa de Caldeiras" </p><p>deve satisfazer os seguintes requisitos: </p><p>a) constituir prdio separado, construdo de material resistente ao fogo, podendo ter </p><p>apenas uma parede adjacente a outras instalaes do estabelecimento, porm com as </p><p>outras paredes afastadas de, no mnimo 3 (trs) metros de outras instalaes, do limite </p><p>de propriedade de terceiros, do limite com as vias pblicas e de depsitos de </p><p>combustveis, excetuando-se , reservatrios para partida com at 2000 (dois mil) litros </p><p>de capacidade; </p><p>b) dispor de pelo menos, 2 (duas) sadas amplas, permanentemente desobstrudas e </p><p>dispostas em direes distintas; </p><p>c) dispor de ventilao permanente com entradas de ar que no possam ser bloqueadas; </p><p>d) dispor de sensor para deteco de vazamento de gs quando se tratar de caldeira a </p><p>combustvel gasoso; </p><p>e) no ser utilizada para qualquer outra finalidade; </p><p>f) dispor de acesso fcil e seguro, necessrio a operao e a manuteno de caldeira, </p><p>sendo que, para guardacorpos vazados, os vos devem ter dimenses que impeam a </p><p>queda de pessoas; </p><p>g) ter sistemas de captao e lanamento dos gases e material particulado, provenientes </p><p>da combusto, para fora da rea de operao, atendendo as normas ambientais vigentes; </p><p>h) dispor de iluminao conforme normas oficiais vigentes e ter sistemas de iluminao </p><p>de emergncia. </p></li><li><p> 6 </p><p>2.5. Constitui risco grave e iminente o no atendimento aos seguintes requisitos: </p><p>a) para todas as caldeiras instaladas em ambiente aberto, as alneas "b", "d" e "f" do </p><p>subitem 2.3 desta NR; </p><p>b) para as caldeiras da categoria "A" instaladas em ambientes confinados, as alneas "a", </p><p>"b", "c", "d", "e", "g" e "h" do subitem 2.4 desta NR; </p><p>c) para caldeiras das categorias "B" e "C" instaladas em ambientes confinados, as alneas </p><p>"b", "c", "d", "e", "g", e "h" do subitem 2.4 desta NR. </p><p>2.6. Quando o estabelecimento no puder atender ao disposto nos subitens 2.3 ou 2.4 </p><p>dever ser elaborado "Projeto Alternativo de Instalao", com medidas complementares </p><p>de segurana que permitam a atenuao dos riscos. </p><p>2.6.1. O "Projeto Alternativo de Instalao" deve ser apresentado pelo proprietrio da </p><p>caldeira para obteno de acordo com a representao sindical da categoria profissional </p><p>predominante no estabelecimento. </p><p>2.6.2. Quando no houver acordo, conforme previsto no subitem 2.6.1, a intermediao </p><p>do rgo regional do MTb, poder ser solicitada por qualquer uma das partes e, </p><p>persistindo o impasse, a deciso caber a esse rgo. </p><p>2.7. As caldeiras classificadas na categoria "A" devero possuir painel de instrumentos </p><p>instalados em sala de controle, construda segundo o que estabelecem as Normas </p><p>Regulamentadoras aplicveis. </p><p>3. Segurana na Operao de Caldeiras </p><p>3.1. Toda caldeira deve possuir "Manual de Operao" atualizado, em lngua portuguesa, </p><p>em local de fcil acesso aos operadores, contendo no mnimo: </p><p>a) procedimentos de partidas e paradas; </p><p>b) procedimentos e parmetros operacionais de rotina; </p><p>c) procedimentos para situaes de emergncia; </p><p>d) procedimentos gerais de segurana, sade e de preservao do meio ambiente. </p><p>3.2. Os instrumentos e controles de caldeiras devem ser mantidos calibrados e em boas </p><p>condies operacionais, constituindo condio de risco grave e iminente o emprego de </p><p>artifcios que neutralizem sistemas de controle e segurana da caldeira. </p><p>3.3. A qualidade da gua deve ser controlada e tratamentos devem ser implementados, </p><p>quando necessrios, para compatibilizar suas propriedades fsico-qumicas com os </p><p>parmetros de operao da caldeira. </p><p>3.4. Toda caldeira a vapor deve estar obrigatoriamente sob operaro e controle de </p><p>operador de caldeira, sendo que o no atendimento a esta exigncia caracteriza condio </p><p>de risco grave e iminente. </p></li><li><p> 7 </p><p>3.5. Para efeito desta NR ser considerado operador de caldeira aquele que satisfizer </p><p>pelo menos uma das seguintes condies: </p><p>a) possuir certificado de "Treinamento de Segurana na Operao de Caldeiras" e </p><p>comprovao de estgio prtico conforme subitem 3.11; </p><p>b) possuir certificado de "Treinamento de Segurana para Operao de Caldeiras" </p><p>previsto na NR-13 aprovada pela portaria 02/84 de 08/05/84; </p><p>c) possuir comprovao de pelo menos 3 (trs) anos de experincia nessa atividade, at </p><p>8 de maio de 1984. </p><p>3.6. O pr-requisito mnimo para participao, como aluno, no "Treinamento de </p><p>Segurana na Operao de Caldeiras" o atestado de concluso do 1 grau. </p><p>3.7. O "Treinamento de Segurana na Operao de Caldeiras" deve obrigatoriamente: </p><p>a) ser supervisionado tecnicamente por "Profissional Habilitado" citado no subitem 1.2; </p><p>b) ser ministrado por profissionais capacitados para esse o fim; </p><p>c) obedecer, no mnimo, ao currculo proposto no Anexo I-A desta NR. </p><p>3.8. Os responsveis pela promoo do "Treinamento de Segurana na Operao de </p><p>Caldeiras" estaro sujeitos ao impedimento de ministrar novos cursos, bem como a </p><p>outras sanes legais cabveis no caso de inobservncia do disposto no subitem 3.7. </p><p>3.9. Todo operador de caldeira deve cumprir um estgio prtico, o qual dever ser </p><p>supervisionado, na operao da prpria caldeira que ir operar, com durao mnima </p><p>de: </p><p>a) caldeiras categoria "A": 80 (oitenta) horas; </p><p>b) caldeiras categoria "B": 60 (sessenta) horas; </p><p>c) caldeiras categoria "C": 40 (quarenta) horas. </p><p>3.10. O estabelecimento onde for realizado o estgio prtico supervisionado deve </p><p>informar previamente representao sindical da categoria profissional predominante </p><p>no estabelecimento: </p><p>a) perodo de realizao do estgio; </p><p>b) entidade, empresa ou profissional responsvel pelo "Treinamento de Segurana na </p><p>Operao de Caldeiras", </p><p>c) relao dos participantes do estgio. </p><p>3.11. A reciclagem de operadores deve ser permanente, por meio de constantes </p><p>informaes das condies fsicas e operacionais dos equipamentos, atualizao tcnica, </p><p>informaes de segurana, participao em cursos, palestras e eventos pertinentes. </p></li><li><p> 8 </p><p>3.12. Constitui condio de ris...</p></li></ul>