nova apostila desenho técnico

Download Nova Apostila Desenho Técnico

Post on 04-Jul-2015

4.142 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

FUNDAO DE APOIO ESCOLA TCNICACentro de Ensino Tcnico e Profissionalizante Quintino

ESCOLA TCNICA ESTADUAL REPBLICADEPARTAMENTO DE MECNICA

DESENHO TCNICO

Prof. Alexandre Velloso

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

1

ndiceCaptulo Pg.

Introduo..................................................................................................................02 I - Material..................................................................................................................03 II Uso do Material ...................................................................................................04 III Formatos de Papel .............................................................................................07 IV Caligrafia Tcnica...............................................................................................09 V Legenda ..............................................................................................................10 VI Tipos de Linhas .................................................................................................11 VII Geometria Figuras Planas .............................................................................13 VIII Geometria Espacial .........................................................................................40 IX Escalas ..............................................................................................................43 X Vistas Ortogrficas .............................................................................................45 XI Supresso de Vistas...........................................................................................52 XII Cotagem ...........................................................................................................58 XIII Perspectiva Isomtrica ....................................................................................70 XIV Perspectiva Cavaleira ......................................................................................79 XV Exerccios ........................................................................................................85

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

2

IntroduoO desenho tcnico uma forma de expresso grfica que tem por finalidade a representao de forma, dimenso e posio de objetos de acordo com as diferentes necessidades requeridas pelas diversas modalidades de engenharia e tambm da arquitetura. Utilizando-se de um conjunto constitudo por linhas, nmeros, smbolos e indicaes escritas normalizadas internacionalmente, o desenho tcnico definido como linguagem grfica universal da engenharia (civil, mecnica) e da arquitetura. Assim como a linguagem verbal escrita exige alfabetizao, a execuo e a interpretao da linguagem grfica do desenho tcnico exigem treinamento especfico, porque so utilizadas figuras planas (bidimensionais) para representar formas espaciais. Conhecendo-se a metodologia utilizada para elaborao do desenho bidimensional possvel entender e conceber mentalmente a forma espacial representada na figura plana. Na prtica pode-se dizer que, para interpretar um desenho tcnico, necessrio enxergar o que no visvel e a capacidade de entender uma forma espacial a partir de uma figura plana chamada viso espacial.

A Padronizao dos Desenhos TcnicosPara transformar o desenho tcnico em uma linguagem grfica foi necessrio padronizar seus procedimentos de representao grfica. Essa padronizao feita por meio de normas tcnicas, seguidas e respeitadas internacionalmente. As normas tcnicas so resultantes do esforo cooperativo dos interessados em estabelecer cdigos tcnicos que regulem relaes entre produtores e consumidores, engenheiros, empreiteiros e clientes. Cada pas elabora suas normas tcnicas e estas so acatadas em todo o seu territrio por todos os que esto ligados, direta ou indiretamente, a este setor. No Brasil as normas so aprovadas e editadas pela Associao Brasileira deNormas Tcnicas ABNT, fundada em 1940. Para favorecer o desenvolvimento da padronizao internacional e facilitar o intercmbio de produtos e servios entre as naes, os rgos responsveis pela normalizao em cada pas, reunidos em Londres, criaram em 1947 a Organizao Internacional de Normalizao (International Organization for Standardization ISO). Quando uma norma tcnica proposta por qualquer pas membro aprovada por todos os pases que compem a ISO, essa norma organizada e editada como norma internacional. As normas tcnicas que regulam o desenho tcnico so normas editadas pela ABNT, registradas pelo INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Normalizao e Qualidade Industrial) como normas brasileiras -NBR e esto em consonncia com as normas internacionais aprovadas pela ISO.

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

3

Material

I

Par de esquadros em acrlico com graduao em cm;

Lapiseira 0,5 ou 0,7 grafite tipo HB;

Borracha de vinil;

Compasso de metal;

Fita crepe;

Bloco Prancha Formato A4 ;

Lixa para apontar o compasso.

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

4

Uso do MaterialII.a - Algumas Tcnicas de ManuseioPara traados apoiados em esquadro ou rgua, o grafite jamais dever tocar suas superfcies, evitando assim indesejveis borres.Para conseguir isso, incline ligeiramente a lapiseira/lpis conforme a figura ao lado.

II

O grafite do compasso dever ser apontado em forma de cunha, sendo o chanfro voltado para o lado contrrio da ponta seca, conforme o ilustrado abaixo:

II.b Uso da Rgua TA rgua T ser utilizada sempre de modo horizontal, e seu manuseio se dar com a mo que no utilizamos para desenhar, ou seja, se o indivduo destro, dever moviment-la com a mo esquerda e vice-versa. Com a rgua T procede-se o traado de linhas horizontais. Para o traado de linhas inclinadas e/ou verticais, servir como base para os esquadros, que deslizaro apoiados sobre a mesma.

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

5 RECOMENDAES o O antebrao deve estar totalmente apoiado sobre a Prancheta. o A mo deve segurar o lpis naturalmente, sem forar, e tambm, estar apoiada na prancheta. o Deve-se evitar desenhar prximo s beiradas da prancheta, sem o apoio do antebrao. o O antebrao no estando apoiado acarretar um maior esforo muscular, e, em conseqncia, imperfeio no desenho. o Os traos verticais, inclinados ou no, so geralmente desenhados, de cima para baixo o Os traos horizontais so feitos da esquerda para a direita.

II.c EsquadrosB F

A

C

D

E

Podemos demarcar diversos ngulos conjugando os esquadros:

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

6

Traando linhas verticais com os esquadros

Traando linhas horizontais com os esquadros

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

7

Formatos de Papel

III

Os formatos de papel recomendados pela A.B.N.T. e suas respectivas margens so os seguintes:

OBSERVAES: Todas as dimenses da tabela acima tm como unidade mm. Relao dos tamanhos dos formatos de papel

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

8 Quando o formato do papel maior que A4 necessrio fazer o dobramento para que o formato final seja A4.

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

9

Caligrafia Tcnica

IV

As letras e algarismos que compe a caligrafia utilizada no desenho tcnico seguem normalizao da A.B.N.T. (Associao Brasileira de Normas Tcnicas). Abaixo as duas formas de caligrafia a serem utilizadas.

IV .a Padro Vertical

IV.b Padro Inclinado (75)

IV.c Propores

A tabela abaixo apresenta as relaes de proporo para letras e algarismos.

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

10

Legenda

V

A legenda deve estar situada sempre no canto inferior direito, em todos os formatos de papel, exceo do formato A4, no qual a legenda se localiza ao longo da largura da folha. Dimenses da legenda: o - Formatos A0/ A1 : L = 175 / H = varivel; o - Formatos A2/ A3/ A4 : L = 178/ H = varivel. EXEMPLO 1: Legenda no Formato A4

As legendas utilizadas nas indstrias variam de acordo com o padro adotado por cada uma delas, como se pode observar na figura acima.

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

11

Tipos de Linhas

VI

Ao analisarmos um desenho, notamos que ele apresenta linhas de tipos e espessuras diferentes. O conhecimento destas linhas indispensvel para a interpretao dos desenhos. Quanto espessura, as linhas podem ser: o o grossas Finas

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

12 A seguir, exemplos dos principais tipos de linha e sua utilizao: o Linhas para arestas e contornos visveis so de espessura grossa e de trao contnuo.

o

Linhas para arestas e contornos no visveis so de espessura fina e tracejadas.

o

Linhas de centro e eixo de simetria so de espessura fina e formadas por traos e pontos.

o Linhas de corte so de espessura grossa, formadas por traos e pontos. Servem para indicar cortes e sees.

A. Contorno visvel B. Linha de cota C. Linha de chamada D. Linha de extenso E. Hachura F. Contorno de pea adjacente G. Contorno de seco de revoluo H. Limite de vista parcial J. Contorno no-visvel K. Linha de centro L. Posio extrema de pea mvel M. Plano de corte

DESENHO TCNICO

ALEXANDRE VELLOSO

13

Desenho GeomtricoSegmento de Reta

VII

a poro de uma reta, limitada por dois de seus pontos. O segmento de reta , portanto, limitado e podemos atribuir-lhe um comprimento. O segmento representado pelos dois pontos que o limitam e que so chamados de extremidades. Ex. :segmento AB, CD, EF, etc.

Posies de uma retaa) Horizontal

b) Vertical

c) Oblqua ou Incl