noticiário 16 09 15

Download Noticiário 16 09 15

Post on 23-Jul-2016

236 views

Category:

Documents

8 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • O DEBATEDIRIO DE MACA

    www.odebateon.com.br

    Maca (RJ), quarta-feira16 de setembro de 2015Ano XL, N 8813Fundador/Diretor: Oscar Pires

    DIVULGAO PM WANDERLEY GIL

    facebook/odebate

    twiter/odebate

    issuu/odebateon

    QUATRO LINHAS DE 10 CARACTERES

    QUATRO LINHAS DE 10 CARACTERES

    QUATRO LINHAS DE 10 CARACTERES

    R$ 1,00

    EDITORIA, PG.X EDITORIA, PG.X EDITORIA, PG.X

    POLTICA CIDADEKAN MANHES

    Distrito est situado na Serra de Maca

    Transporte Universitrio em discusso na Cmara

    Bicuda Pequena vai receber evento

    Vereadores cobraram atendimento a alunos de ps-graduao PG. 3

    Bingo beneficente vai ser realizado no prximo dia 26 por associao PG. 2

    WANDERLEY GIL

    Vereadores analisaram prioridades do governo ao defender apoio a estudantes

    KAN MANHES

    WANDERLEY GIL

    KAN MANHES

    Feiro d a servidor chance de adquirir imvel

    GERALCIDADE

    O Habita Mais - a primeira feira imobiliria destinada ao servidor pblico do pas, que acontecer nos dias 19 e 20 deste ms no Rio de Janeiro, vai ofere-cer 730 imveis em Maca. A iniciativa do governo do

    Estado e garante ao funcionalis-mo pblico municipal e estadual acesso a imveis de at R$ 190 mil financiados dentro das fai-xas 1 e 2 do Minha Casa Minha Vida, do governo federal.O programa atender servi-

    dores com rendimentos de R$ 1.601,00 a R$ 5.000,00. As opor-tunidades estaro disponveis no Centro Cultural da Ao da Cidadania, na Zona Porturia do Rio. Mais de 850 profissionais daro consultoria ao pblico, que vai contar com 70 estandes de 30 imobilirias. PG. 10

    A Cmara de Vereadores aprovou ontem requerimento que prev a realizao de Audi-ncia Pblica com objetivo de debater o cumprimento da lei 3.432/2010, que instituiu em Maca o programa do Ora-mento Participativo. A proposta foi apresentada e defendida pe-lo vereador Maxwell Vaz. PG. 3

    Imveis da cidade em oferta

    Seminrio aconteceu ontem

    Denncia leva apurao de crime ambiental na Fronteira

    SADE INFANTIL EM DEBATE

    Secretaria do Ambiente vai apurar extrao ilegal de areia em rea de restinga j degradada por ocupao irregular. Placa no local indica requerimento de licena no ligada extrao mineral

    Intensificado nas lti-mas semanas, o processo de ocupao irregular e degrada-o da restinga da Fronteira chamou a ateno, nesta sema-na, para o flagrante de mais um possvel crime ambiental no lo-cal. O cercamento de uma rea situada margem da Rodovia Amaral Peixoto, com chapas de metal, e a implantao de uma placa que simula a autorizao para a prtica de extrao de areia da restinga, levou morado-res da comunidade a procurar a equipe de O DEBATE para de-nunciar a possvel prtica ilegal de extrao mineral, atividade que precisa seguir uma srie de procedimentos legais, com ob-jetivo de garantir a preservao do ecossistema nativo.Ao apurar os fatos, a redao

    entrou em contato com a equipe da secretaria municipal do Am-biente, que indicou que a situ-ao na Fronteira aponta para atividade ilegal, configurando possvel crime ambiental. Segundo o setor de Coorde-

    nadoria de Licenciamento da secretaria, a placa existente no local indica apenas um proto-colo referente a um pedido de licenciamento junto ao muni-cpio. J a numerao exibida na rea no est relacionada a nenhum requerimento para atividade de extrao mineral.Para preservar o que restou

    da restinga, a secretaria vai in-vestigaro caso. PG. 2

    Promover um debate acerca da importncia do incen-tivo a hbitos saudveis, aliada a prtica de exerccios fsicos. Foi com esse objetivo que a Coorde-nao do Programa da Sade da Criana e Coordenadoria da rea Tcnica de Alimentao e Nutrio (Catan) realizou durante todo o dia de ontem o Primeiro Simpsio Munici-

    pal de Preveno e Combate Obesidade Infantil. O evento realizado no auditrio da Cida-de Universitria reuniu profis-sionais de sade do municpio, profissionais de educao e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Campus Maca Professor Alosio Teixeira alm de autoridades municipais. O Simpsio fez parte da Semana

    Municipal de Combate Obe-sidade Infantil que est sendo realizada na cidade desde o ltimo dia 9 deste ms. A pro-gramao segue at o prximo dia 18, e inclui capacitao para profissionais de sade (agentes comunitrios), e uma cami-nhada com estudantes da rede municipal que acontece nesta quarta-feira (16). PG. 9

    De acordo com a secretaria do Ambiente, no h autorizao para a atividade de extrao de areia na rea de restinga da Fronteira

    Seminrio sobre Obesidade Infantil reuniu ontem profissionais no auditrio da Cidade Universitria

    POLTICA

    NDICETEMPO

    COTAO DO DLAR

    EDITORIAL 4

    PAINEL 4

    GUIA DO LEITOR 4

    ESPAO ABERTO 4

    CRUZADINHA C2

    HORSCOPO C2

    CINEMA C2

    AGENDA C2

    Mxima 32 CMnima 20 C

    Compra R$ 3,8601Venda R$ 3,8626 Anuncie: (22) 2106-6060 (215)

    POLCIA EDUCAO POLTICA CADERNO DOIS

    PM apreende arma prximo a Petrobras

    Aberta inscrio para iseno de taxa

    Paulo Antunes destaca retorno de projeto

    Irreverncia e inovao em forma de arte

    Homem tentou entrar com revlver na UO-BC PG. 6

    Cederj oferece oportunidade para estudantes da cidade PG. 9

    Vereador relembrou criao da Escola Municipal de Dana PG. 3

    Teatro do Sesi/Maca apresenta a Pea Ruim CAPA

    EDUCAO

    Programa ser tema de Audincia Pblica

    MACONHA E ARSENAL DO TRFICO SO APREENDIDOS

    SENAC OFERECE VAGAS PARA CURSOS

    PROPOSTA DE ANTECIPAO DE ROYALTIES EM DEBATE

    POLCIA, PG.6 EDUCAO, PG.10 POLTICA, PG.3

  • O DEBATE DIRIO DE MACA2 Maca, quarta-feira, 16 de setembro de 2015

    Cidade Escolas municipais promovem feiras de cincias at sexta. Atividades visam estimular o interesse dos alunos pela pesquisa. NOTA

    KAN MANHES

    SEMA diz que numerao em placa de protocolo e no d autorizao para qualquer atividade

    FRONTEIRA

    Populao denuncia crime ambiental em restingaPrefeitura diz que a placa falsa e que no h autorizao para a extrao de areia

    Marianna Fontesmarifontes@odebateon.com.br

    J no bastassem as inva-ses, que s crescem a ca-da dia, a rea de restinga na regio da Fronteira tambm vem sendo utilizada como lo-cal para explorao de areia. O terreno, que est cercado, conta apenas com uma placa que alega ter permisso da Prefeitura de Maca. No entanto, a sua ori-gem tem sido questionada por algumas pessoas que passam por ali todos os dias, e presen-ciam a cena. A denncia chegou nossa

    redao essa semana, que foi at o local para averiguar a informao. A placa, sem ne-nhuma identificao da pre-feitura, apenas com os dizeres L/71.555/ 2015 - SEMA - Pre-feitura Mun. de Maca, gera de fato essa dvida quanto sua veracidade. Ns entramos em contato

    com a secretaria de Ambien-te para saber se essa licena ambiental para explorao verdadeira. Segundo o setor

    de Coordenadoria de Licencia-mento esta placa no oficial e a numerao indicada repre-senta apenas um protocolo, e no uma autorizao. Outra informao importante que esta numerao no d autori-zao para qualquer atividade. Neste caso em questo, o re-querimento sequer de extra-o mineral. Qualquer ativida-de relacionada est ocorrendo de forma ilegal e ser acompa-nhada pela equipe da SEMA. Segundo a legislao am-

    biental, a extrao de qualquer tipo de mineral, inclusive a areia, deve atender s normas previstas na lei. No caso da re-tirada sem a licena ambiental, o infrator pode ser penalizado com multa e sofrer deteno.Ou seja, se essa atividade for

    realmente ilegal, ela estaria in-fringindo o Art. 55 da Lei Fe-deral n 9.605/98, que diz que executar pesquisa, lavra ou extrao de recursos minerais sem a competente autoriza-o, permisso, concesso ou licena, ou em desacordo com a obtida considerado crime.

    A pena de deteno, que pode variar de seis meses a um ano, mais multa. O pargrafo ni-co ressalta que nas mesmas penas incorre quem deixa de recuperar a rea pesquisada ou explorada, nos termos da autorizao, permisso, licen-a, concesso ou determinao do rgo competente. A extrao de areia ocasiona

    uma srie de impactos am-bientais e de vizinhana. Essa prtica irregular tambm po-de reduzir a vegetao do lo-cal, causar alteraes do solo, afugentar espcies de animais nativas do local e contamina-o do lenol fretico. O resultado disso cada vez

    mais a reduo desse tipo de vegetao, situao que pode causar muitos problemas - al-guns deles j presenciados na cidade, por exemplo, aquele dos prejuzos gerados pela ressaca. A restinga tem como funo conter os avanos do mar na costa terrestre, sendo responsvel por segurar os im-pactos do sal. De acordo com a Resoluo

    n 07/96 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama): Entende-se por vegetao de restinga o conjunto das comu-nidades vegetais, fisionomica-mente distintas, sob influncia marinha e fluviomarinha. Es-sas comunidades, distribudas em mosaico, ocorrem em reas de grande diversidade ecolgi-ca, sendo consideradas comu-nidades edficas por depende-rem mais da natureza do solo que do clima. Esses tipos de formaes

    so divididos em trs: vege-tao de praias e dunas, ve-getao sobre cordes are-nosos e vegetao associada s depresses. A resoluo tambm ressalta que o cor-te da vegetao ocasiona uma reposio lenta, geralmente de porte e diversidade meno-res, onde algumas espcies passam a predominar. Devido fragilidade desse ecossiste-ma, a vegetao exerce papel fundamental para a estabili-zao de dunas e mangues, as-sim como para a manuteno da drenagem natural.

    BALANO

    Lei Seca realizada na regio

    enquanto o desrespeito no trnsito for maior do que a educao, a punio ser ine-vitvel. O Estado do Rio hoje um dos pioneiros no que se diz respeito Operao Lei Seca (OLS). A medida tem contribu-do para a reduo nos casos de acidentes provocados pela dire-o sob efeito do lcool. Segundo o governo do es-